Compartilhe
Ver o tópico anteriorIr em baixoVer o tópico seguinte
avatar
Projeto
Admin
Admin
Mensagens : 1663
Data de inscrição : 27/07/2014
http://www.vicioempornografiacomoparar.com

Estatísticas

em 6/2/2015, 13:03
Estive dando uma olhada nos principais fóruns gringos sobre o vício em pornografia e numa pesquisa informal que fiz, na qual medi a quantidade de tópicos abertos nas seções "Diários" comparando aos tópicos abertos na seção "Histórias de sucesso", cheguei a um número aproximado de uma média de 5% de pessoas que conseguem concluir o reboot.

É claro que trata-se de uma pesquisa informal, na qual não podemos tirar conclusões precipitadas, mas já é um bom indício de que esse um padrão meio que universal, já que todos os fóruns que pesquisei apresentaram mais ou menos essa mesma proporção. O interessante é que ela coincide com a proporção do nosso próprio fórum, o que é mais um indício de que ela realmente está próxima de representar a realidade.

Este é um número bem baixo considerada a quantidade de pessoas que "tentam" o experimento e existem várias explicações para isso, as quais darei em seguida. Mas antes, vou fazer uma análise de como interpreto esses dados, com a intenção é ajudar as pessoas que estão fazendo o experimento a se ligarem nas dificuldades e sobretudo, entenderem os motivos que as fazem recair tanto ou mesmo nem chegar a concluir o experimento básico de 90 dias.


O que podemos aprender com isso:

1) Apesar do número baixo de pessoas que conseguiram concluir o experimento, o Reboot de fato funciona, pois não existe nenhum relato de pessoa que chegou até os 90 dias de experimento, que não tenha percebido uma série de benefícios, principalmente na sua vida sexual, o que prova que a pornografia tem sim uma influência devastadora no cérebro humano e que a abstinência de pornografia é de fato a saída para muitos problemas tais como DE, baixa autoestima, falta de libido, falta de disposição, etc.

2) O reboot não é tão simples assim de ser concluído! Um erro muito comum que tenho visto é as pessoas acharem que por entenderem a teoria ou terem lido os materiais e as pesquisas, elas estarão mais facilmente libertas do vício. Isso não é verdade como mostram as estatísticas. O fato de dispormos de informações, ferramentas e pesquisas sobre o vício, não é nenhuma garantia da sua aplicação. Ao contrário: ao entendermos como toda a coisa funciona e lermos as histórias de sucesso tendemos a pensar que a teoria equivale à pratica e relaxamos a nossa proteção e acabamos recaindo. Os fóruns também as vezes podem ser contra produtivos na medida em que eles muitas vezes são usados como "aliviadores de culpa" que ao invés de nos colocarem de volta no caminho do reboot, acabam servindo apenas como uma válvula de escape psicológico para abafarmos a dor das nossas recaídas, mas não tem efeito prático algum para que elas não se repitam. Por isso é preciso que tenhamos autocrítica quando usamos essa ferramenta. Cabe aqui perguntar, qual é a nossa real intenção quando usamos os fóruns? Caso os usamos como uma ferramenta de apoio no sentido de registrar nossas brechas no reboot com a intenção de corrigi-las ou então os benefícios encontrados ao longo do processo, estamos no caminho certo. Porém, se ele tem servido apenas como um meio de justificar nossas recaídas para que não sintamos culpa, temos que rever nossos conceitos e até cogitar de parar de usar essa ferramenta, porque ela pode estar nos prejudicando.

3) Não existe isso de "força de vontade". Como provam as estatísticas, a tal força de vontade é insuficiente para lidar com o vício. Como eu já expliquei, a própria definição de estar viciado, implica que não temos "força de vontade", pois do contrário, não estaríamos viciados. Interpretar diferente é auto enganar-se. Se existisse força de vontade, 100% das pessoas concluiriam facilmente o reboot, uma vez que está claro para elas como a pornografia é nociva. Mas na prática, não é isso que acontece pois "a força de vontade do vício" é muito maior que a "força de vontade de parar". Logo temos que tomar medidas nas quais possamos nos proteger de nós mesmos, não nos dando opção de escolha, já que imersos no transe do vício, sempre "escolheremos" pelo pior. Por isso, os bloqueadores são um item básico.

4) Pornografia não pode ser uma opção pelo resto da vida e quem está interessado em parar. Óbvio que nada garante isso, mas essa deve ser a intenção. Li relatos de pessoas que chegaram aos 90 dias, mas por uma "curiosidade de se testarem" voltaram para a pornografia. O que elas relataram em seguida, é que o 2º reboot é sempre mais difícil que o primeiro porque os efeitos positivos acabam diminuindo e ela vai perdendo a confiança no processo. Por isso, aqueles que não estão decididos a parar definitivamente com a pornografia não deveriam tentar o reboot. Para quê queimar de cara as suas fichas? O reboot é para aqueles que realmente não tem mais saída e que desesperadamente estão à procura de uma solução para esse problema em suas vidas. Aqui o experimento tende a funcionar melhor, porque a pessoa está convicta de que a pornografia não a levará a lugar algum. O que é diferente das pessoas que fazem o experimento apenas por questões morais, filosóficas ou por algum ou outro motivo, mas que no fundo ainda desejam experimentar a pornografia. Um outro motivo que fazem as pessoas recaírem depois dos 90 dias é a soberba. Os efeitos positivos do reboot são tão gritantes e o nosso autopoder liberado, tão grande, que pensamos que somos imbatíveis, relaxando mais uma vez e voltando para o fundo do poço. Se este é o seu caso, não tem outro jeito à não ser voltar para o experimento, só que precavido de que o vício poderá sempre voltar se relaxarmos, mesmo que a nossa intenção seja parar por toda a vida.

5) Concluir o reboot é como passar no vestibular! Se você é um candidato à alguma vaga numa universidade concorrida, sabe que não adianta apenas rezar ou frequentar às aulas. É preciso completa dedicação, estudos e compromisso, pelo menos até o dia da prova. Numa analogia ao reboot, durante os 90 dias iniciais, o experimento deve estar no centro da sua vida. Ele deve ser a sua prioridade. Depois de terminado basta administrá-lo, pois você já estará sentindo os benefícios do processo e passado pelo período mais difícil. Mas antes, não tem jeito. É preciso dedicação e esforço atencional no sentido de compreender o vício, as estratégias das pessoas que conseguiram, os benefícios que encontraram e também o grau de dificuldade que vamos encontrar. Não podemos ser ingênuos. Se apenas 5% das pessoas concluem o experimento, isso significa que a estratégia de 95% das pessoas está de alguma forma equivocada e que não são funcionais. Daí a importância de focarmos e aplicarmos tudo o que sabemos. Fazer o vestibular "só por fazer", pode até dar a sensação de que estamos no caminho certo, mas o fato é que no fundo estamos nos auto enganando. Agora, no caso de uma pessoa que se dedicou e não passou por um detalhe, a chance de ela conseguir na 2ª tentativa é muito maior daquela que apenas "fez por fazer", porque a experiência da primeira tentativa apenas a tornou mais sábia, ao passo que a segunda apenas se auto enganou.

6) Sem bloqueadores é impossível parar. Talvez você até consiga por centenas de dias, mas chegará um momento em que num descuido irá acessar um site pornô. Pode até ser que não aconteça nada nessa primeira vez, mas logo surgirá uma segunda vez e depois uma terceira. Não podemos ser ingênuos. Qualquer gatilho é uma ameaça. Ter pornografia liberada em casa para um viciado em pornografia é o mesmo que viver dentro da boca, no caso de alguém viciado em drogas. Nosso cérebro foi programado para procurar pelo prazer da forma mais fácil, rápida e econômica que ele puder encontrar. Se você não dificultar o processo ele não vai fazer isso por você. Isso vale para qualquer coisa. Nosso corpo é uma máquina. Tentar convence-lo a não olhar mais para pornografia é o mesmo que tentar convence-lo a parar de comer, já que a pornografia não é nada mais do que a imitação artificial de uma função básica da natureza que é a reprodução. Ou seja, trata-se de uma meta irreal ou então muito difícil de conseguir. Por isso usar todas as ferramentas que temos à disposição para nos proteger não é simplesmente uma opção, é uma obrigação para aqueles que se consideram "aptos" a parar.

Enfim, são essas as conclusões que eu chego depois de ler tantos casos e acompanhar centenas de histórias tanto neste fórum como em vários outros fóruns ao redor do mundo. A ideia aqui não é desmotivar as pessoas ou as colocar para baixo, muito menos desmerecer as manifestações de apoio, fé e solidariedade que tenho visto por aí e que muito nos engrandece. Apenas dar um panorama mais realista da situação para que ele sirva de parâmetro para realinharmos nossas estratégias. Lembrando sempre que a compaixão, a fé, o amor e o companheirismo são muito importantes, mas o que realmente nos liberta, de fato, é a Verdade!

Um grande abraço à todos,
Projeto


Última edição por Projeto em 6/2/2015, 21:03, editado 1 vez(es)

_______________________________________

avatar
Justiceiro do Sertão
Mensagens : 434
Data de inscrição : 13/09/2014
Idade : 25

Palavras sábias...

em 6/2/2015, 15:56
... oriundas de um companheiro-chefe que muita razão tem em autodenominar-se Projeto Sabedoria. Uma vez mais vejo-me satisfeito e auspicioso ante tão inspiradoras e verdadeiras ideias diante das quais estou (e estamos). Apenas tenho a legar meu muito sincero obrigado por tudo o que leio, coisa que só me coloca mais inspirado rumo às minhas metas de vida, esta inclusive. Só para constar, coisa não sem importância, venho passando por dias difíceis. Estresse em minhas tarefas diárias e crises de tristeza devido a questões pessoais me estão causando certo e contundente desconforto mental, do qual creio me estar livrando aos poucos. Nos últimos dias cheguei a chorar às escondidas, acordando à noite, durante sessões de audição de música, no banheiro (no bom sentido, claro) e, no melhor (e pungente) estilo Zeca Baleiro, até no meio da rua. Andei chorando ao lembrar-me de uma música do Green Day, cuja melodia muito me alegrava em minha infância e com cuja letra, quando mais crescido vi a tradução, cheguei a de certo modo me identificar (devem saber de que música falo). Nem é preciso dizer que, prestes a completar 50% do reboot e às vésperas do perigosíssimo carnaval (escrevo com letra minúscula mesmo, foda-se essa merda que sempre odiei!!!), vim sendo acometido, além de poluções noturnas, de crises diurnas de excitação que me chamavam a "afogar as mágoas" bem sabem como. Foi duro nos últimos dias, entretanto agora estou me saindo bem, creio. Logicamente munido de bloqueadores e coisa e tal.
Desculpem-me o relativo drama, mas é que tive que descarregar um pouco de minha angústia. Sem querer culpar nada, vou seguindo. Problemas pessoais todos nós temos. Se querem matar a curiosidade, e sem querer culpar coisa alguma, vou falar só por cima: meu pesar teve muito a ver, entre coisas outras, com uma decepção com uma ficante numa festa ao início do ano. Coisa que se supera, mas que choca. Que choca, mas que se supera. Vida que segue. Danem-se os dois, ela e o alfa físico com quem saiu enquanto fui buscar um lanche. Aqui para os dois! sei que dias melhores me esperam.
E a todos nós!!

_______________________________________
Meu diário: http://www.comoparar.com/t2940-24-de-volta-a-guerra-ferido-humilhado-ate-injusticado-mas-nunca-vencido



Win or die trying.
avatar
Mateus
Mensagens : 118
Data de inscrição : 20/01/2015

Re: Estatísticas

em 6/2/2015, 18:55
No meu caso sempre tive consciência de que os 90 dias são somente uma parte do processo, tanto é que o meu contador é programado para 365 dias, simplesmente por eu acreditar que não vale a pena fazer o reboot e parar nos 90, pois se é pra recair então seria melhor eu não ter começado e não ter passado por todas as dificuldades que tive. A minha vida está complicada porque estou no 3º ano e quero cursar medicina então estudo o dia inteiro e às vezes quando não consigo resolver um exercício ou outro sinto-me frustado o que tras a vontade de voltar. Mas, no geral tenho me controlado e espero poder escrever o meu tópico em breve no historias de sucesso para incentivar mais pessoas a seguirem o mesmo caminho
avatar
Projeto
Admin
Admin
Mensagens : 1663
Data de inscrição : 27/07/2014
http://www.vicioempornografiacomoparar.com

Re: Estatísticas

em 6/2/2015, 20:54
Justiceiro do Sertão escreveu:... oriundas de um companheiro-chefe que muita razão tem em autodenominar-se Projeto Sabedoria. Uma vez mais vejo-me satisfeito e auspicioso ante tão inspiradoras e verdadeiras ideias diante das quais estou (e estamos). Apenas tenho a legar meu muito sincero obrigado por tudo o que leio, coisa que só me coloca mais inspirado rumo às minhas metas de vida, esta inclusive. Só para constar, coisa não sem importância, venho passando por dias difíceis. Estresse em minhas tarefas diárias e crises de tristeza devido a questões pessoais me estão causando certo e contundente desconforto mental, do qual creio me estar livrando aos poucos. Nos últimos dias cheguei a chorar às escondidas, acordando à noite, durante sessões de audição de música, no banheiro (no bom sentido, claro) e, no melhor (e pungente) estilo Zeca Baleiro, até no meio da rua. Andei chorando ao lembrar-me de uma música do Green Day, cuja melodia muito me alegrava em minha infância e com cuja letra, quando mais crescido vi a tradução, cheguei a de certo modo me identificar (devem saber de que música falo). Nem é preciso dizer que, prestes a completar 50% do reboot e às vésperas do perigosíssimo carnaval (escrevo com letra minúscula mesmo, foda-se essa merda que sempre odiei!!!), vim sendo acometido, além de poluções noturnas, de crises diurnas de excitação que me chamavam a "afogar as mágoas" bem sabem como. Foi duro nos últimos dias, entretanto agora estou me saindo bem, creio. Logicamente munido de bloqueadores e coisa e tal.
Desculpem-me o relativo drama, mas é que tive que descarregar um pouco de minha angústia. Sem querer culpar nada, vou seguindo. Problemas pessoais todos nós temos. Se querem matar a curiosidade, e sem querer culpar coisa alguma, vou falar só por cima: meu pesar teve muito a ver, entre coisas outras, com uma decepção com uma ficante numa festa ao início do ano. Coisa que se supera, mas que choca. Que choca, mas que se supera. Vida que segue. Danem-se os dois, ela e o alfa físico com quem saiu enquanto fui buscar um lanche. Aqui para os dois! sei que dias melhores me esperam.
E a todos nós!!

Bola pra frente Justiceiro! O que importa é que você está longe da pornografia. Não deixe que essas questões pessoais, por mais doloridas e complicadas que sejam, o afastem da sua meta. Você fui um dos "guerreiros" (gosto desse termo!) que chegaram aos 90 dias e já está na metade do caminho de novo. As vezes, nadar contra a maré tem um preço, mas a recompensa vale o esforço. No mais, a abstinência de pornografia nos deixa mais "sensíveis" e isso é ótimo, pois irá fazer com que amadurecemos e lidemos com as questões emocionais que por tanto tempo evitamos. Antes estávamos anestesiados, por isso não percebíamos. Mas agora passamos sentir o verdadeiro gosto da vida e isso inclui felicidades e dissabores. Mas nada como um dia após o outro... Melhor uma vida completa com 50% de dor e 50% de prazer, do que uma vida de robô anestesiada pela pornografia.

Que nem diria o poeta: "Deus te joga de um sentimento ao outro e te ensina por meio dos opostos, de modo que terás duas asas para voar, não uma".

Um abraço de coração!

_______________________________________

avatar
Projeto
Admin
Admin
Mensagens : 1663
Data de inscrição : 27/07/2014
http://www.vicioempornografiacomoparar.com

Re: Estatísticas

em 6/2/2015, 20:59
Mateus escreveu: No meu caso sempre tive consciência de que os 90 dias são somente uma parte do processo, tanto é que o meu contador é programado para 365 dias, simplesmente por eu acreditar que não vale a pena fazer o reboot e parar nos 90, pois se é pra recair então seria melhor eu não ter começado e não ter passado por todas as dificuldades que tive. A minha vida está complicada porque estou no 3º ano e quero cursar medicina então estudo o dia inteiro e às vezes quando não consigo resolver um exercício ou outro sinto-me frustado o que tras a vontade de voltar. Mas, no geral tenho me controlado e espero poder escrever o meu tópico em breve no historias de sucesso para incentivar mais pessoas a seguirem o mesmo caminho

Estás certíssimo!
Ter essa consciência é fundamental para quem está fazendo o reboot. Se você aguentar 365 dias sem pornografia, dificilmente irá desejar voltar para o vício. E se por acaso voltar, sua consciência o lembrará dos benefícios de viver sem pornografia e você não irá sossegar até voltar para uma vida sem pornografia.

_______________________________________

avatar
Justiceiro do Sertão
Mensagens : 434
Data de inscrição : 13/09/2014
Idade : 25

De fato...

em 7/2/2015, 07:16
... chego a pensar que isto por que venho passando consiste num misto de três coisas:
1ª) Crise de abstinência (inclusive agora estou me sentindo mais sexualmente - e perigosamente - disposto do que no outro reboot, em que enfrentei uma violenta flatline de cerca de 50 dias, sendo que agora ando tendo ereções terríveis com menos de 40);
2ª) Choque de realidade ao encarar as coisas como de fato são e, similarmente;
3ª) Redescoberta, ainda que dolorosa, das verdadeiras e dignas sensações da mente.
Obrigado pela consideração, muito estou de acordo!

_______________________________________
Meu diário: http://www.comoparar.com/t2940-24-de-volta-a-guerra-ferido-humilhado-ate-injusticado-mas-nunca-vencido



Win or die trying.
avatar
Projeto
Admin
Admin
Mensagens : 1663
Data de inscrição : 27/07/2014
http://www.vicioempornografiacomoparar.com

Re: Estatísticas

em 7/2/2015, 11:33
Justiceiro do Sertão escreveu:... chego a pensar que isto por que venho passando consiste num misto de três coisas:
1ª) Crise de abstinência (inclusive agora estou me sentindo mais sexualmente - e perigosamente - disposto do que no outro reboot, em que enfrentei uma violenta flatline de cerca de 50 dias, sendo que agora ando tendo ereções terríveis com menos de 40);
2ª) Choque de realidade ao encarar as coisas como de fato são e, similarmente;
3ª) Redescoberta, ainda que dolorosa, das verdadeiras e dignas sensações da mente.
Obrigado pela consideração, muito estou de acordo!

Justiceiro, se você está se sentindo mais sexualmente disposto, deveria comemorar! Ué? Qual o problema? A flat-line acaba com a nossa segurança e auto-estima. Quanto aos dissabores amorosos, faz parte. A cada experiência negativa, vamos evoluindo. Temos que aproveitar que estamos com energia sexual, para trabalhar as nossas crenças negativas sobre relacionamentos e arrumar uma parceira que realmente nos satisfaça. O reboot, em parte, é para isso. Ou seja, para nos ajudar a "tornar-nos a pessoa que sabemos que realmente somos!"   :)    Abraço!

_______________________________________

avatar
Justiceiro do Sertão
Mensagens : 434
Data de inscrição : 13/09/2014
Idade : 25

Vou falar um pouco, espero que me sejam compreensivos. A questão é que justamente...

em 7/2/2015, 15:17
... o fato de estarmos com a libido em alta é uma faca de dois gumes: ao mesmo tempo em que coloca nossa energia sexual a pleno vapor para a hora de uma eventual "necessidade", põe-nos propenso a crises de excitação quando indevido, por exemplo, em momentos de estresse e diante de gatilhos, e isto é a coisa mais perigosa que pode existir para nós aqui. Eu mesmo tenho tocado minhas obrigações de forma responsável e a fulminar a angústia que me veio corroendo durante estes dias. Digo porque nas horas de folga venho recorrendo a técnicas de meditação e purificação espiritual para deixar meu corpo e alma impecáveis, e acabo de ser convidado para um bloco pré-carnavalesco que costuma ocorrer em minha cidade. Não vou porque, além de ser reservado por natureza e odiar carnaval, sinto que não é hora de me aventurar sob tal forma. Nunca fui nem pretendo, mas imagine que é uma farra de garotas seminuas (algumas das tais musas eu até conheço, me faziam pirar lá nos tempos de colégio, estudavam comigo mesmo) se molhando com bebida, descendo uma ladeira aqui perto de casa em cima de um trio elétrico e no chão, em plena luz do dia... Por aí já podem imaginar o teor da coisa.
Tenho planos, digamos, mais "refinados": provavelmente no meu aniversário (poucos dias depois de, assim espero, completar os 90 dias), deverei recorrer a uma GP, como de costume (devem saber de minhas preferências). Além disso, fui ao supermercado hoje cedo e ao longe vi uma outra ex-colega de escola por quem tinha fantasias recorrentes, e isto também de certo modo me estremeceu a mente, mesmo eu tendo percebido que ela está... grávida! Menos mal, devo dizer. A tal cidadã era daquelas belezas à época literalmente de parar o colégio... inclusive andou trabalhando como modelo e atriz e, acreditem, cheguei certa vez a dar de cara (logicamente não darei as coordenadas) com um softcore sugestivo dela na Internet, material "semicaseiro" de um pessoal aqui da cidade, em que ela protagonizava uma cena marcante de podolatria: logo eu, que sempre fui tarado por pés femininos! É para estarrecer mesmo! Não teve como não me lembrar de tudo, não me lembrar e tentar reviver, ainda que mentalmente, o tempo em que era louco para fazer nem que fosse aquilo com ela. Tive que ser muito forte, e obtive êxito, felizmente.
Enquanto digitava, lembrei-me de que iniciei contundente busca por livrar-me do vício em PMO, culminando com a descoberta deste extraordinário e salvador fórum, após uma crise violenta de fúria quando saiu o tal videozinho e fui um dos primeiros a vê-lo. Acertando as engrenagens de minha vida, descobri que não valia a pena viver daquele jeito.
Peço desculpas se falei demais, mas é que é bom tranquilizar-se em tempos complicados. Às vezes é bom ambientar algumas coisas para que todos tenham uma ideia, sem querer sair culpando nada a torto e a direito, dos dramas de cada um. Agradeço uma vez mais pela compreensão.
Assim, eis que sigo. E sigamos

_______________________________________
Meu diário: http://www.comoparar.com/t2940-24-de-volta-a-guerra-ferido-humilhado-ate-injusticado-mas-nunca-vencido



Win or die trying.
avatar
Mateus
Mensagens : 118
Data de inscrição : 20/01/2015

Re: Estatísticas

em 7/2/2015, 18:07
Justiceiro do Sertão escreveu:... o fato de estarmos com a libido em alta é uma faca de dois gumes: ao mesmo tempo em que coloca nossa energia sexual a pleno vapor para a hora de uma eventual "necessidade", põe-nos propenso a crises de excitação quando indevido, por exemplo, em momentos de estresse e diante de gatilhos, e isto é a coisa mais perigosa que pode existir para nós aqui. Eu mesmo tenho tocado minhas obrigações de forma responsável e a fulminar a angústia que me veio corroendo durante estes dias. Digo porque nas horas de folga venho recorrendo a técnicas de meditação e purificação espiritual para deixar meu corpo e alma impecáveis, e acabo de ser convidado para um bloco pré-carnavalesco que costuma ocorrer em minha cidade. Não vou porque, além de ser reservado por natureza e odiar carnaval, sinto que não é hora de me aventurar sob tal forma. Nunca fui nem pretendo, mas imagine que é uma farra de garotas seminuas (algumas das tais musas eu até conheço, me faziam pirar lá nos tempos de colégio, estudavam comigo mesmo) se molhando com bebida, descendo uma ladeira aqui perto de casa em cima de um trio elétrico e no chão, em plena luz do dia... Por aí já podem imaginar o teor da coisa.
Tenho planos, digamos, mais "refinados": provavelmente no meu aniversário (poucos dias depois de, assim espero, completar os 90 dias), deverei recorrer a uma GP, como de costume (devem saber de minhas preferências). Além disso, fui ao supermercado hoje cedo e ao longe vi uma outra ex-colega de escola por quem tinha fantasias recorrentes, e isto também de certo modo me estremeceu a mente, mesmo eu tendo percebido que ela está... grávida! Menos mal, devo dizer. A tal cidadã era daquelas belezas à época literalmente de parar o colégio... inclusive andou trabalhando como modelo e atriz e, acreditem, cheguei certa vez a dar de cara (logicamente não darei as coordenadas) com um softcore sugestivo dela na Internet, material "semicaseiro" de um pessoal aqui da cidade, em que ela protagonizava uma cena marcante de podolatria: logo eu, que sempre fui tarado por pés femininos! É para estarrecer mesmo! Não teve como não me lembrar de tudo, não me lembrar e tentar reviver, ainda que mentalmente, o tempo em que era louco para fazer nem que fosse aquilo com ela. Tive que ser muito forte, e obtive êxito, felizmente.
Enquanto digitava, lembrei-me de que iniciei contundente busca por livrar-me do vício em PMO, culminando com a descoberta deste extraordinário e salvador fórum, após uma crise violenta de fúria quando saiu o tal videozinho e fui um dos primeiros a vê-lo. Acertando as engrenagens de minha vida, descobri que não valia a pena viver daquele jeito.
Peço desculpas se falei demais, mas é que é bom tranquilizar-se em tempos complicados. Às vezes é bom ambientar algumas coisas para que todos tenham uma ideia, sem querer sair culpando nada a torto e a direito, dos dramas de cada um. Agradeço uma vez mais pela compreensão.
Assim, eis que sigo. E sigamos

Sinto muito do que você sente, e concordo ( e muito ) quando você relatou que estar com a libido alta é uma faca de dois gumes, pois é exatamente o que acontece comigo que sou evangélico então as coisas são ainda mais complicadas. É como eu saber que não vou praticar sexo enquanto não casar e isso dói só de pensar que serão anos pela frente, imagine um viciado em PMO ter de lidar com isso! Mas, continue firme parceiro tenho certeza que a recompensa chegará hoje eu quase caí porque o meu gatilho da frustração foi ativado, mas graças a Deus permaneço firme e disposto a compartilhas minhas más e boas experiências para seguirmos firmes
avatar
Justiceiro do Sertão
Mensagens : 434
Data de inscrição : 13/09/2014
Idade : 25

Minha filosofia é outra, mas...

em 7/2/2015, 18:34
... nossa luta é a mesma. Pensemos, com todo o respeito, na questão racional, e assim desejo a você, bem como a todos aqui, toda a sorte e disposição nessa saga. São gatilhos por toda a parte, andei pensando, mesmo que não queiramos ver ei-los lá. Eu que era um usuário feroz de pornografia (chegava por vezes, sem mentira alguma, a levantar ávido às 5 da manhã para ver pornô e ficar quase ininterruptamente até altas horas da noite, até estafar física e mentalmente mesmo) hoje sofro enxergando lembranças por toda parte: como, modéstia à parte, tenho uma memória muito boa, minhas angústias vão desde dar de cara nas ruas com mulheres parecidas com as que desejava (clássico) até coisas deveras insanas, do tipo ir ouvir música num vinil (sou grande fã e coleciono) num momento de lazer e me deparar, no rótulo, com duração de canções sendo a mesma de algum vídeo que vi, você sabe, vendo por exemplo aquele "02. TÍTULO DA CANÇÃO (COMPOSITOR TAL) - EDIÇÃO TAL 05:23"aquilo já me remete ao maldito displayzinho do xxx.com da vida exibindo a duração daquele certo vídeo que eu adorava, e a imagem vem me assolar.. É triste.
Porém, mais triste será se nos rendermos. Força a você!

_______________________________________
Meu diário: http://www.comoparar.com/t2940-24-de-volta-a-guerra-ferido-humilhado-ate-injusticado-mas-nunca-vencido



Win or die trying.
avatar
Projeto
Admin
Admin
Mensagens : 1663
Data de inscrição : 27/07/2014
http://www.vicioempornografiacomoparar.com

Re: Estatísticas

em 8/2/2015, 19:01
Justiceiro do Sertão escreveu:... o fato de estarmos com a libido em alta é uma faca de dois gumes: ao mesmo tempo em que coloca nossa energia sexual a pleno vapor para a hora de uma eventual "necessidade", põe-nos propenso a crises de excitação quando indevido, por exemplo, em momentos de estresse e diante de gatilhos, e isto é a coisa mais perigosa que pode existir para nós aqui. Eu mesmo tenho tocado minhas obrigações de forma responsável e a fulminar a angústia que me veio corroendo durante estes dias. Digo porque nas horas de folga venho recorrendo a técnicas de meditação e purificação espiritual para deixar meu corpo e alma impecáveis, e acabo de ser convidado para um bloco pré-carnavalesco que costuma ocorrer em minha cidade. Não vou porque, além de ser reservado por natureza e odiar carnaval, sinto que não é hora de me aventurar sob tal forma. Nunca fui nem pretendo, mas imagine que é uma farra de garotas seminuas (algumas das tais musas eu até conheço, me faziam pirar lá nos tempos de colégio, estudavam comigo mesmo) se molhando com bebida, descendo uma ladeira aqui perto de casa em cima de um trio elétrico e no chão, em plena luz do dia... Por aí já podem imaginar o teor da coisa.
Tenho planos, digamos, mais "refinados": provavelmente no meu aniversário (poucos dias depois de, assim espero, completar os 90 dias), deverei recorrer a uma GP, como de costume (devem saber de minhas preferências). Além disso, fui ao supermercado hoje cedo e ao longe vi uma outra ex-colega de escola por quem tinha fantasias recorrentes, e isto também de certo modo me estremeceu a mente, mesmo eu tendo percebido que ela está... grávida! Menos mal, devo dizer. A tal cidadã era daquelas belezas à época literalmente de parar o colégio... inclusive andou trabalhando como modelo e atriz e, acreditem, cheguei certa vez a dar de cara (logicamente não darei as coordenadas) com um softcore sugestivo dela na Internet, material "semicaseiro" de um pessoal aqui da cidade, em que ela protagonizava uma cena marcante de podolatria: logo eu, que sempre fui tarado por pés femininos! É para estarrecer mesmo! Não teve como não me lembrar de tudo, não me lembrar e tentar reviver, ainda que mentalmente, o tempo em que era louco para fazer nem que fosse aquilo com ela. Tive que ser muito forte, e obtive êxito, felizmente.
Enquanto digitava, lembrei-me de que iniciei contundente busca por livrar-me do vício em PMO, culminando com a descoberta deste extraordinário e salvador fórum, após uma crise violenta de fúria quando saiu o tal videozinho e fui um dos primeiros a vê-lo. Acertando as engrenagens de minha vida, descobri que não valia a pena viver daquele jeito.
Peço desculpas se falei demais, mas é que é bom tranquilizar-se em tempos complicados. Às vezes é bom ambientar algumas coisas para que todos tenham uma ideia, sem querer sair culpando nada a torto e a direito, dos dramas de cada um. Agradeço uma vez mais pela compreensão.
Assim, eis que sigo. E sigamos

Sim Justiceiro, é uma faca de dois gumes, concordo com você!
E não precisa se desculpar por postar não, o fórum é justamente para isso, para trocarmos experiências.
Nós é quem agradecemos pelo seu relato!

Abraço,
Projeto

_______________________________________

avatar
_new
Mensagens : 110
Data de inscrição : 09/09/2014

Re: Estatísticas

em 10/2/2015, 15:17
Obrigado pelo texto, projeto. Precisava ler algo assim... recaí no final de samana depois de 35 dias e precisava relembrar todos os pormenores do reboot, e seu texto é bem completo. A recaída me traz uma sensação de tempo perdido indescritível. A recaída, claro, aconteceu antes quando fui me permitindo os gatilhos aparentemente inocentes. Dessa vez recaí com o facebook... bom, não vou mudar minha tática, que era focar 100% nas tarefas de rotina, mas sim acrescentar uma outra tática a esta. E assim vou "polindo" minhas estratégias de recuperação.

Misto de entusiasmo com decepção agora, mas bola para frente. Mad
avatar
_new
Mensagens : 110
Data de inscrição : 09/09/2014

Re: Estatísticas

em 11/2/2015, 15:19
A estatística dos 5% me apavora. Quando vejo dados sólidos fico com um pouco de medo de ser psicologicamente inapto à alcançar minha meta de estar livre da pornografia. Isso é até certo ponto benéfico... vou usar um exemplo mundano: faço academia e sou muito magro. Me disseram que eu era incapaz de ganhar peso e cheguei a pensar que a única saída seria aceitar minha condição física. Comi como um cavalo e nada. Comprava suplementos e nada. Cada vez que alguém me chamava de frango eu ia lá e comia mais. Ontem atingi minha primeira meta de peso e de repente parece que a dificuldade daquilo perdeu a imponência, virou uma dificuldade superada.

Vou favoritar seu texto, projeto. Vou ler ele sempre que puder... quero sempre ver que 5% das pessoas conseguem se ver livres da pornografia, e cada vez que eu ler isso vou ficar eufórico como estou, apavorado e a procura de aperfeiçoamento psicológico.

avatar
Projeto
Admin
Admin
Mensagens : 1663
Data de inscrição : 27/07/2014
http://www.vicioempornografiacomoparar.com

Re: Estatísticas

em 14/2/2015, 10:41
_new escreveu:A estatística dos 5% me apavora. Quando vejo dados sólidos fico com um pouco de medo de ser psicologicamente inapto à alcançar minha meta de estar livre da pornografia.

New, não é que você seja "inepto", pelo contrário. Talvez faltem apenas alguns ajustes no seu reboot. As vezes não são nem ajustes no comportamento, mas sim de crenças mesmo que impedem a pessoa de realizar o experimento.

Um exemplo: eu tenho reparado aqui e até mesmo nos fóruns gringos que as pessoas ainda acreditam no conceito de "força de vontade". Não sei como isso foi se infiltrar na nossa cultura, mas só sei que é algo muito difícil de tirar isso da cabeça.

O ser-humano não tem vontade própria. Sei que é triste de constatar, mas esse é um atributo que as pessoas acreditam possuir, mas da qual não possuem. A nossa vontade infelizmente é controlada por nossos hábitos, pelo nosso ambiente e por necessidades físicas e psicológicas das quais temos pouco consciência. Entender isso já seria de grande ajuda no processo do reboot.

Mas não, quando eu falo isso as pessoas realmente se sentem muito ofendidas e não admitem para si mesmas essa possibilidade. Isso vai contra tudo em que acreditaram até o momento e além de tentarem me convencer do contrário eu passo imediatamente a ser uma ameaça para elas. Não percebem que se trata apenas de uma crença e imediatamente procuram convencer a mim e a sí mesmas de que isso não é verdade. E geralmente da pior forma possível, ou seja: testando a sua "força de vontade"!

Só que isso não funciona. O que funciona é ter consciência desse fato e usar esse dado em proveito próprio.

No caso do reboot, seria levar em conta esse fator na hora de definir a estratégia de como parar. Em outras palavras, fazendo de tudo para nos proteger num nível em que a nossa vontade nem mesmo seja considerada como opção para o experimento. Num nível em que não tenhamos a opção de "escolher" (outra capacidade que acreditamos possuir, mas que não possuímos). Do contrário, sempre "escolheremos" por aquilo que nos prejudica.

Percebe como é sútil a coisa?

Não existe isso de se curar da vontade de ver pornografia. Existe a cura para o vício, o que é diferente. Mas essa cura pode ser temporária, assim como uma cura de uma gripe, que pode voltar anos depois se não cuidamos.

O que existe é uma estratégia para nos mantermos longe dela até isso não fazer mais parte da nossa realidade. Mas se um dia a pornografia acidentalmente entrar na nossa vida como já aconteceu, ainda estaremos sujeitos à este problema.

Cabe à nós seremos criativos e usar todo o nosso potencial para nos vacinar, sabotando conscientemente tudo aquilo que sabemos não termos força para lidar.

É isso que eu penso para o momento.

Um Abraço,
Projeto

_______________________________________

avatar
Finado "Neguin"
Mensagens : 287
Data de inscrição : 18/01/2015
http://vicioempornografiacomoparar.com

Re: Estatísticas

em 23/2/2015, 23:30
Ótimo complemento para o e-book e todo material que já está disponível.
Esse é famoso choque de realidade. Do tipo "Vai pensando que tá bom e vai ser fácil, vai..."
Obrigado novamente Projeto!

_______________________________________
.
"Este método pode parecer demorado, muito demorado, mas eu estou convencido de que é o mais rápido."
– Gandhi

avatar
Finado "Neguin"
Mensagens : 287
Data de inscrição : 18/01/2015
http://vicioempornografiacomoparar.com

Re: Estatísticas

em 23/2/2015, 23:38
Projeto escreveu:Os fóruns também as vezes podem ser contra produtivos na medida em que eles muitas vezes são usados como "aliviadores de culpa" que ao invés de nos colocarem de volta no caminho do reboot, acabam servindo apenas como uma válvula de escape psicológico para abafarmos a dor das nossas recaídas, mas não tem efeito prático algum para que elas não se repitam.

Em relação a isso eu penso que a pessoa que começa o reboot tem que ter uma certa maturidade sobre o que está fazendo, e saber o que quer da vida daqui para frente; eu por exemplo demorei até atingir essa maturidade, tentei "parar" muitas vezes de forma totalmente desordenada, sem apoio, cheio de gatilhos, sempre abrindo exceções... Pensei, até quando essa "molecagem"? Não chega. Acabou.

Acredito que para ter sucesso a pessoa deve traçar seus objetivos (como eu quero ser?) e ver que essa caminho do PMO só vai atrasar (ainda mais) a sua vida. Só existe esse caminho se você quer mudar então empenhe-se. É vida ou morte.

_______________________________________
.
"Este método pode parecer demorado, muito demorado, mas eu estou convencido de que é o mais rápido."
– Gandhi

avatar
Finado "Neguin"
Mensagens : 287
Data de inscrição : 18/01/2015
http://vicioempornografiacomoparar.com

Re: Estatísticas

em 23/2/2015, 23:45
Projeto escreveu:É preciso completa dedicação, estudos e compromisso, pelo menos até o dia da prova. Numa analogia ao reboot, durante os 90 dias iniciais, o experimento deve estar no centro da sua vida. Ele deve ser a sua prioridade. Depois de terminado basta administrá-lo, pois você já estará sentindo os benefícios do processo e passado pelo período mais difícil. Mas antes, não tem jeito. É preciso dedicação e esforço atencional no sentido de compreender o vício, as estratégias das pessoas que conseguiram, os benefícios que encontraram e também o grau de dificuldade que vamos encontrar. Não podemos ser ingênuos. Se apenas 5% das pessoas concluem o experimento, isso significa que a estratégia de 95% das pessoas está de alguma forma equivocada e que não são funcionais. Daí a importância de focarmos e aplicarmos tudo o que sabemos.

Esse é outro ponto que achei interessante, eu pensava: "Eu vou vivendo ai e nem vou pensar nisso, quando ver já passou os 90 dias e tô bem denovo." Mas não amigão, não é assim... (Pensei).

Não é um vício qualquer, recém adquirido, estamos falando de anos e anos, décadas. Tá pensando que vai ser moleza assim? (Risos) Talvez seja uma das maiores lutas contra si mesmo da sua vida, não ache que será fácil.

Todo tempo e todo seu esforço deve ser canalizado no seu reboot.
Agora, já! Não deixe para amanhã!

_______________________________________
.
"Este método pode parecer demorado, muito demorado, mas eu estou convencido de que é o mais rápido."
– Gandhi

avatar
Finado "Neguin"
Mensagens : 287
Data de inscrição : 18/01/2015
http://vicioempornografiacomoparar.com

Re: Estatísticas

em 23/2/2015, 23:52
Mateus escreveu: No meu caso sempre tive consciência de que os 90 dias são somente uma parte do processo, tanto é que o meu contador é programado para 365 dias, simplesmente por eu acreditar que não vale a pena fazer o reboot e parar nos 90, pois se é pra recair então seria melhor eu não ter começado e não ter passado por todas as dificuldades que tive. A minha vida está complicada porque estou no 3º ano e quero cursar medicina então estudo o dia inteiro e às vezes quando não consigo resolver um exercício ou outro sinto-me frustado o que tras a vontade de voltar. Mas, no geral tenho me controlado e espero poder escrever o meu tópico em breve no historias de sucesso para incentivar mais pessoas a seguirem o mesmo caminho

Amigos, eu acho meio perigosa essa abordagem, e até um pouco ingênua.
Respeito é claro sua escolha e opinião, mas, vou dizer o que penso para que me diga o que acha.

Acredito ser um método em que não se vê perspetiva, ou engrandece mais ainda uma tarefa que é enorme, vejo isso como uma forma extremista que não é benéfica, porque? Imagine no seu caso mesmo, que quer passar em medicina, dizer "Eu vou estudar todo dia 10 horas, todo dia de seg, a dom. sem facilitar, durante um ano." É complicado e provavelmente no meio desse caminho você vai desandar é não conseguira seguir como planejado. Mudanças levam tempo.

No mesmo caso, eu penso que o ideal seria traçar pequenas metas, 30, 60, 90 dias, dizendo vou estudar 4 horas nos 30 primeiros dias, 5hrs nos 60, 7hrs nos 90 e assim por diante até me adaptar a nova rotina, não de forma abrupta, mas gradual. Vou fazer um pouco de cada vez, e assim vou caminhando. E claro, sem perder de mente que é uma decisão definitiva e sem volta, PMO nunca mais.

Penso assim, e vocês?
Abraços,

_______________________________________
.
"Este método pode parecer demorado, muito demorado, mas eu estou convencido de que é o mais rápido."
– Gandhi

avatar
Projeto
Admin
Admin
Mensagens : 1663
Data de inscrição : 27/07/2014
http://www.vicioempornografiacomoparar.com

Re: Estatísticas

em 28/2/2015, 23:16
Finado \"Neguin" escreveu:
Em relação a isso eu penso que a pessoa que começa o reboot tem que ter uma certa maturidade sobre o que está fazendo, e saber o que quer da vida daqui para frente; eu por exemplo demorei até atingir essa maturidade, tentei "parar" muitas vezes de forma totalmente desordenada, sem apoio, cheio de gatilhos, sempre abrindo exceções... Pensei, até quando essa "molecagem"? Não chega. Acabou.

Finado \"Neguin" escreveu:
Esse é outro ponto que achei interessante, eu pensava: "Eu vou vivendo ai e nem vou pensar nisso, quando ver já passou os 90 dias e tô bem denovo." Mas não amigão, não é assim... (Pensei).

Não é um vício qualquer, recém adquirido, estamos falando de anos e anos, décadas. Tá pensando que vai ser moleza assim? (Risos) Talvez seja uma das maiores lutas contra si mesmo da sua vida, não ache que será fácil.

Todo tempo e todo seu esforço deve ser canalizado no seu reboot.
Agora, já! Não deixe para amanhã!

Não tinha visto essas mensagens. Acho que o meu navegador pulou. Mas é exatamente isso que você disse. Você pegou bem a "essência da coisa" Neguin! Tanto o dividir as metas em metas menores, como ter em mente que parar é "para a vida toda", são a estratégias que melhor tem funcionado para lidar com o vício!

_______________________________________

avatar
maverick
Mensagens : 123
Data de inscrição : 01/03/2015

Sensacional

em 2/3/2015, 12:52
Projeto escreveu:Estive dando uma olhada nos principais fóruns gringos sobre o vício em pornografia e numa pesquisa informal que fiz, na qual medi a quantidade de tópicos abertos nas seções "Diários" comparando aos tópicos abertos na seção "Histórias de sucesso", cheguei a um número aproximado de uma média de 5% de pessoas que conseguem concluir o reboot.

É claro que trata-se de uma pesquisa informal, na qual não podemos tirar conclusões precipitadas, mas já é um bom indício de que esse um padrão meio que universal, já que todos os fóruns que pesquisei apresentaram mais ou menos essa mesma proporção. O interessante é que ela coincide com a proporção do nosso próprio fórum, o que é mais um indício de que ela realmente está próxima de representar a realidade.

Este é um número bem baixo considerada a quantidade de pessoas que "tentam" o experimento e existem várias explicações para isso, as quais darei em seguida. Mas antes, vou fazer uma análise de como interpreto esses dados, com a intenção é ajudar as pessoas que estão fazendo o experimento a se ligarem nas dificuldades e sobretudo, entenderem os motivos que as fazem recair tanto ou mesmo nem chegar a concluir o experimento básico de 90 dias.


O que podemos aprender com isso:

1) Apesar do número baixo de pessoas que conseguiram concluir o experimento, o Reboot de fato funciona, pois não existe nenhum relato de pessoa que chegou até os 90 dias de experimento, que não tenha percebido uma série de benefícios, principalmente na sua vida sexual, o que prova que a pornografia tem sim uma influência devastadora no cérebro humano e que a abstinência de pornografia é de fato a saída para muitos problemas tais como DE, baixa autoestima, falta de libido, falta de disposição, etc.

2) O reboot não é tão simples assim de ser concluído! Um erro muito comum que tenho visto é as pessoas acharem que por entenderem a teoria ou terem lido os materiais e as pesquisas, elas estarão mais facilmente libertas do vício. Isso não é verdade como mostram as estatísticas. O fato de dispormos de informações, ferramentas e pesquisas sobre o vício, não é nenhuma garantia da sua aplicação. Ao contrário: ao entendermos como toda a coisa funciona e lermos as histórias de sucesso tendemos a pensar que a teoria equivale à pratica e relaxamos a nossa proteção e acabamos recaindo. Os fóruns também as vezes podem ser contra produtivos na medida em que eles muitas vezes são usados como "aliviadores de culpa" que ao invés de nos colocarem de volta no caminho do reboot, acabam servindo apenas como uma válvula de escape psicológico para abafarmos a dor das nossas recaídas, mas não tem efeito prático algum para que elas não se repitam. Por isso é preciso que tenhamos autocrítica quando usamos essa ferramenta. Cabe aqui perguntar, qual é a nossa real intenção quando usamos os fóruns? Caso os usamos como uma ferramenta de apoio no sentido de registrar nossas brechas no reboot com a intenção de corrigi-las ou então os benefícios encontrados ao longo do processo, estamos no caminho certo. Porém, se ele tem servido apenas como um meio de justificar nossas recaídas para que não sintamos culpa, temos que rever nossos conceitos e até cogitar de parar de usar essa ferramenta, porque ela pode estar nos prejudicando.

3) Não existe isso de "força de vontade". Como provam as estatísticas, a tal força de vontade é insuficiente para lidar com o vício. Como eu já expliquei, a própria definição de estar viciado, implica que não temos "força de vontade", pois do contrário, não estaríamos viciados. Interpretar diferente é auto enganar-se. Se existisse força de vontade, 100% das pessoas concluiriam facilmente o reboot, uma vez que está claro para elas como a pornografia é nociva. Mas na prática, não é isso que acontece pois "a força de vontade do vício" é muito maior que a "força de vontade de parar". Logo temos que tomar medidas nas quais possamos nos proteger de nós mesmos, não nos dando opção de escolha, já que imersos no transe do vício, sempre "escolheremos" pelo pior. Por isso, os bloqueadores são um item básico.

4) Pornografia não pode ser uma opção pelo resto da vida e quem está interessado em parar. Óbvio que nada garante isso, mas essa deve ser a intenção. Li relatos de pessoas que chegaram aos 90 dias, mas por uma "curiosidade de se testarem" voltaram para a pornografia. O que elas relataram em seguida, é que o 2º reboot é sempre mais difícil que o primeiro porque os efeitos positivos acabam diminuindo e ela vai perdendo a confiança no processo. Por isso, aqueles que não estão decididos a parar definitivamente com a pornografia não deveriam tentar o reboot. Para quê queimar de cara as suas fichas? O reboot é para aqueles que realmente não tem mais saída e que desesperadamente estão à procura de uma solução para esse problema em suas vidas. Aqui o experimento tende a funcionar melhor, porque a pessoa está convicta de que a pornografia não a levará a lugar algum. O que é diferente das pessoas que fazem o experimento apenas por questões morais, filosóficas ou por algum ou outro motivo, mas que no fundo ainda desejam experimentar a pornografia. Um outro motivo que fazem as pessoas recaírem depois dos 90 dias é a soberba. Os efeitos positivos do reboot são tão gritantes e o nosso autopoder liberado, tão grande, que pensamos que somos imbatíveis, relaxando mais uma vez e voltando para o fundo do poço. Se este é o seu caso, não tem outro jeito à não ser voltar para o experimento, só que precavido de que o vício poderá sempre voltar se relaxarmos, mesmo que a nossa intenção seja parar por toda a vida.

5) Concluir o reboot é como passar no vestibular! Se você é um candidato à alguma vaga numa universidade concorrida, sabe que não adianta apenas rezar ou frequentar às aulas. É preciso completa dedicação, estudos e compromisso, pelo menos até o dia da prova. Numa analogia ao reboot, durante os 90 dias iniciais, o experimento deve estar no centro da sua vida. Ele deve ser a sua prioridade. Depois de terminado basta administrá-lo, pois você já estará sentindo os benefícios do processo e passado pelo período mais difícil. Mas antes, não tem jeito. É preciso dedicação e esforço atencional no sentido de compreender o vício, as estratégias das pessoas que conseguiram, os benefícios que encontraram e também o grau de dificuldade que vamos encontrar. Não podemos ser ingênuos. Se apenas 5% das pessoas concluem o experimento, isso significa que a estratégia de 95% das pessoas está de alguma forma equivocada e que não são funcionais. Daí a importância de focarmos e aplicarmos tudo o que sabemos. Fazer o vestibular "só por fazer", pode até dar a sensação de que estamos no caminho certo, mas o fato é que no fundo estamos nos auto enganando. Agora, no caso de uma pessoa que se dedicou e não passou por um detalhe, a chance de ela conseguir na 2ª tentativa é muito maior daquela que apenas "fez por fazer", porque a experiência da primeira tentativa apenas a tornou mais sábia, ao passo que a segunda apenas se auto enganou.

6) Sem bloqueadores é impossível parar. Talvez você até consiga por centenas de dias, mas chegará um momento em que num descuido irá acessar um site pornô. Pode até ser que não aconteça nada nessa primeira vez, mas logo surgirá uma segunda vez e depois uma terceira. Não podemos ser ingênuos. Qualquer gatilho é uma ameaça. Ter pornografia liberada em casa para um viciado em pornografia é o mesmo que viver dentro da boca, no caso de alguém viciado em drogas. Nosso cérebro foi programado para procurar pelo prazer da forma mais fácil, rápida e econômica que ele puder encontrar. Se você não dificultar o processo ele não vai fazer isso por você. Isso vale para qualquer coisa. Nosso corpo é uma máquina. Tentar convence-lo a não olhar mais para pornografia é o mesmo que tentar convence-lo a parar de comer, já que a pornografia não é nada mais do que a imitação artificial de uma função básica da natureza que é a reprodução. Ou seja, trata-se de uma meta irreal ou então muito difícil de conseguir. Por isso usar todas as ferramentas que temos à disposição para nos proteger não é simplesmente uma opção, é uma obrigação para aqueles que se consideram "aptos" a parar.

Enfim, são essas as conclusões que eu chego depois de ler tantos casos e acompanhar centenas de histórias tanto neste fórum como em vários outros fóruns ao redor do mundo. A ideia aqui não é desmotivar as pessoas ou as colocar para baixo, muito menos desmerecer as manifestações de apoio, fé e solidariedade que tenho visto por aí e que muito nos engrandece. Apenas dar um panorama mais realista da situação para que ele sirva de parâmetro para realinharmos nossas estratégias. Lembrando sempre que a compaixão, a fé, o amor e o companheirismo são muito importantes, mas o que realmente nos liberta, de fato, é a Verdade!

Um grande abraço à todos,
Projeto

Faço jus as palavras do amigo, já tive 4 recaídas me senti e me sinto muito mal por isso. Tinha vontade de parar mais não assumi que queria parar não tinha instalado os bloqueadores e pensei que conseguiria mesmo assim. O fato que que se você não se entregar de verdade não vai conseguir e dessa vez me propus de verdade em acabar com esse maldito vicio.

Foda-se a motivação o que vale é a disciplina, não adianta ter motivação que você não vai conseguir ter que ter disciplina e fazer os passos corretos para alcançar o objetivo.

segue um link de um testo que fala sobre a motivação e disciplina: http://www.papodehomem.com.br/foda-se-a-motivacao-o-que-voce-precisa-e-disciplina

muito obrigado pelo site e o forum.

_______________________________________
Ver o tópico anteriorVoltar ao TopoVer o tópico seguinte
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum