Compartilhe
Ir em baixo
avatar
Sputnik
Mensagens : 12
Data de inscrição : 14/09/2014

Relato Sputinik Empty Iniciando

em 14/9/2014, 13:23
Olá amigos, sou novo aqui. Tenho lido os relatos aqui no fórum e tomei coragem de dividir minha história.
Tenho 40 anos de idade e agora vejo com clareza que passei muitos anos da minha vida, algo como 10 ou 12 anos, absolutamente mergulhado num mundo fechado, dentro de mim. E só agora entendo a causa principal desse problema.
Lembro-me bem agora, quando iniciei meu processo de enclausuramento havia apenas uma coisa que me dava prazer: a pornografia na internet.
Naquela época a internet ainda era discada, fazia aquele barulho irritante antes de se conectar de fato à internet, e era muito lenta, mas já existiam muitos sites ofertando pornografia gratuitamente. De início, apenas me interessava por pornografia leve, mas com o tempo isso já não bastava, e fui aos poucos mergulhando mais e mais fundo nesse mundo tão excitante e solitário ao mesmo tempo.
Ainda nessa época, eu iniciava a minha vida profissional, e havia acabado de terminar meu curso na universidade. E também vivenciava as minhas primeiras experiências afetivas, com namoradas e ficantes. No entanto, o que realmente me excitava eram as imagens e vídeos pronográficos que a internet me apresentava, gratuitamente, no momento em que eu quisesse, a apenas alguns cliques de distância.
É claro que, como ainda era algo muito incipiente, tanto a internet quanto o meu vício – que só agora sou capaz de compreender – não havia qualquer sinal claro de adicção. E mesmo quando me parecia que havia algo de errado no fato de acessar a internet apenas para ver imagens e vídeos pronográficos, eu imediatamente pensava que, ora, não havia problema algum, pois me masturbar é algo natural e aquelas imagens eram apenas os estimulantes, nada de mais, nada grave.
Namorei algumas meninas nessa época, com meus vinte e poucos anos de idade, talvez 2 ou 3 meninas por um período mais ou menos longo, e me recordo que com todas elas havia a repetição de um comportamento sexual errático de minha parte, eu simplesmente não conseguia gozar, ejacular. Às vezes até broxava. Realmente não entedia o porque, já que nada disso ocorria quando eu estava à frente da tela do computador. Como eu poderia ter orgasmos tão delirantes assistindo pornografia na internet e quando havia uma menina real eu não chegava lá?
Aos poucos, conforme os anos se passavam, esse sintoma aparecia com mais frequência e eu simplesmente fingia ter orgasmos, era como seu eu quisesse me livrar o mais rápido possível daquela situação real para entrar rapidamente no mundo virtual da pornografia. E quando a menina ia embora da minha casa, lá estava eu novamente na frente da tela do computador, e só então conseguia gozar.
Em alguns momentos durante estes 10 anos de vício em pronografia na internet (que volto a repetir, só agora eu o reconheço), eu tomava a decisão de que teria que parar com aquilo e então apagava todos os milhares de arquivos de imagem e vídeo que tinha. Mas isso durava pouco, e logo eu voltava ao ciclo viciante.
Percebo agora que esse vício carrega consigo um elemento diferente de qualquer outro: ele não é socialmente reprovável, principalmente entre os homens. Pelo contrário, muitas vezes em conversas com amigos, quando o assunto era pronografia na internet, a sensação era de que isso não representava qualquer problema, e até certo ponto era um comportamento estimulado nessas rodas de conversa.
Quem poderia ser contra a busca pelo prazer sexual?
No entanto, depois de muito sofrer, principalmente pelas inúmeras perdas de oportnidade de manter relações afetivas com meninas incríveis e lindas, notei que esse comportamento era a principal causa destes afastamentos por parte delas. Não estou dizendo que era o único motivo, até porque elas também devem ter suas questões, mas certamente, de minha parte, era o principal motivo. É claro, elas percebiam que havia algo de errado, eu estava distante, eu não estava lá quando estávamos transando, minha mente estava totalmente conectada às imagens que meu cérebro estava acostumado a ver no computador.
E notei isso quando uma menina, ao terminar comigo, me escreveu que nós manifestávamos nossos desejos sexuais de maneira muito diferente. Pronto! Por mais que ela não soubesse dessa minha história, ela foi capaz de perceber, pelas poucas vezes que fizemos sexo, que havia algo fora do lugar.
E foi aí, somente nesse momento, que me dei conta do quanto todos esses anos de pronografia me transformaram num viciado, incapaz de obter prazer e sentir tesão com uma mulher real.
Certamente muitos outros aspectos da minha vida foram afetados por esse vício. Mas sem dúvida alguma, o aspecto mais afetado foi a minha vida afetiva… Não só com as namoradas, mas também com amigos e família. Me mantinha distante dos amigos e da família, só queria estar em casa pra assitir pornografia na internet.
Passei então a pesquisar o assunto na internet e encontrei inúmeros, centenas, de depoimentos de pessoas (em sua grande e esmagadora maioria homens) no mundo todo que estão na mesma situação. Muitos conseguiram sair deste processo auto-destrutivo. Percebi, nesses depoimentos, que muitos dos sintomas que eles relataram são idênticos aos meus.
Encontrei na internet um neurocientista americano que é um dos pouquíssimos profissionais de saúde que tem se debruçado sobre este assunto, que eu julgo ser uma epidemia masculina da era da internet rápida. Gary Wilson, por ser neurocientista e fisiologista, demonstra cientificamente como os mecanismos da fisiologia e química cerebral se transformam e se adaptam quando alguém está viciado em pornografia na internet. E também aponta as soluções para aqueles que querem se livrar desse vício.
E foi então que resolvi parar, de uma vez por todas, com a pronografia na internet. Eu realmente quero ser feliz. Completei 1 semana sem pornô e masturbação.
avatar
Gabriel C
Mensagens : 14
Data de inscrição : 30/08/2014

Relato Sputinik Empty Re: Relato Sputinik

em 15/9/2014, 23:25
Sputnik, eu também tenho ejaculação retardada, ou pior, nem retardada era, pois eu nem conseguia ejacular.

Minha vida sexual começou bem tarde, aos 24 anos, justamente por causa da fobia social e pavor de aproximação das mulheres. Conheci minha ex e uns 3 meses depois tivemos nossa primeira relação sexual. Era minha primeira vez. Era uma garota lindíssima, espetacular, estilo capa da Playboy, uma mulher de parar o trânsito. Nem sei como consegui namorar por quase 3 anos essa mulher. Enfim, eu me achava um tarado e, por isso, tinha a plena convicção de que quando eu transasse, seria algo espetacular.

Quando a gente começou a se beijar no motel e ela tirou a roupa, reparei algo diferente em mim. Eu não estava excitado e ela rapidamente percebeu. Foi muito frustrante pra ela e pra mim também. Não consegui manter a ereção nem por alguns minutos, mas consegui penetrar com uma ereção de 65%. Mas eu não conseguia ejacular de jeito nenhum.

Percebi que a pornografia tinha alterado meu cérebro de tal forma, que o sexo real não era interessante pra mim.


_______________________________________
Relato Sputinik 1eyb652vhfk
avatar
Sputnik
Mensagens : 12
Data de inscrição : 14/09/2014

Relato Sputinik Empty Re: Relato Sputinik

em 15/9/2014, 23:45
Gabriel C, é uma sensação muito ruim... Porque vc quer aquilo, vc sabe que é bom, mas o seu cérebro não responde mais a estes estímulos reais...

Eu tenho que sair desse processo, acabou mesmo pra mim.
avatar
Gabriel C
Mensagens : 14
Data de inscrição : 30/08/2014

Relato Sputinik Empty arrumar post 2

em 15/9/2014, 23:52
Sputnik, cara, eu te entendo perfeitamente. Eu tava tomando viagra pra transar quando ainda namorava a minha ex, que era uma verdadeira beldade, gostosíssima e linda demais. E eu não conseguia ejacular de jeito nenhum.

Bem, agora estou no reboot. Nos últimos quase 50 dias, só tive uma recaída e há 24 dias estou sem pornografia. Transei na última sexta e consegui ejacular, cara. Isso é fantástico. E olha que a mulher que transei era feia pra caramba, apesar de ter um corpo legalzinho. Eu não tenho nem metade do tesão nessa que consegui ejacular do tesão que eu tinha pela minha ex. Vc tem ideia do que eu to falando????? cheers cheers

Já tive um avanço enorme!!!!!!! Vale a pena!!!!
avatar
Sputnik
Mensagens : 12
Data de inscrição : 14/09/2014

Relato Sputinik Empty Re: Relato Sputinik

em 16/9/2014, 21:21
Gabriel, são ótimas notícias! É muito bom pra quem quer se recuperar ler esses depoimentos de sucesso!

É quase como se, do ponto de vista do nosso cérebro, nós fôssemos todos virgens de novo, ou inexperientes, quando se trata do sexo real.

Eu não volto, estou determinado a acabar com isso, e não vou ter recaídas.
_new
_new
Mensagens : 99
Data de inscrição : 09/09/2014

Relato Sputinik Empty Re: Relato Sputinik

em 16/9/2014, 22:02
Sputinik, o espírito é esse mesmo. Quando começar a pensar em pornô, venha ao fórum ler os relatos. Isso me ajuda bastante pois me coloco no lugar da pessoa... tanto a parte em que o usuário relata o problema quanto a solução. Tento lembrar das broxadas e da vida que levava antes do reboot, tudo para fortalecer a vontade de me curar.

Você tem 40 anos, então como já deve ter lido no YBOP, sua recuperação tende a ser mais rápida.

Boa sorte.
avatar
Sputnik
Mensagens : 12
Data de inscrição : 14/09/2014

Relato Sputinik Empty Relato Sputinik

em 16/9/2014, 22:24
Curioso, pq tenho me lembrado de como era bom transar com a minha primeira namorada séria, aos 21 anos de idade, qdo ainda não tinha internet pra todo mundo. Uma pernambucana linda.

Eram transas muito, muito boas.

Magrao
Magrao
Mensagens : 351
Data de inscrição : 30/07/2014
Idade : 33
http://www.vivasempornografia.blogspot.com.br

Relato Sputinik Empty Re: Relato Sputinik

em 21/9/2014, 01:02
Sputnik, como o New disse, você tem uma grande vantagem mesmo. Seu cérebro já sabe como obter prazer com mulheres reais alien

_______________________________________
Meu blog: http://vivasempornografia.blogspot.com.br/

Relato Sputinik 1n8xf75zdhc

"Se eu desistir agora, logo estarei aonde eu comecei...
...E quando eu comecei, estava desesperado para chegar aonde estou agora."
avatar
Sputnik
Mensagens : 12
Data de inscrição : 14/09/2014

Relato Sputinik Empty Re: Relato Sputinik

em 21/9/2014, 18:21
Magrão e New,

Estou há 2 semanas sem PMO.

Esses últimos 3 dias estão sendo mais difíceis. Os flashbacks com as imagens pornô estão aparecendo com mais frequencia, mas estou conseguindo suportar relativamente bem.

Ontem saí com a menina que me ajudou a reconhecer esse vício, aquela que, como eu disse no meu relato, terminou comigo pq sentiu que nós manifestamos nossos desejos sexuais de forma muito diferente. Com essa simples frase, ela me fez confrontar o meu vício e finalmente reconhecê-lo. Só depois que nós reconhecemos que isso é um vício, podemos realmente enfrentá-lo.

Eu me abri com ela, expliquei minha situação, e disse que ela tinha razão e que eu estava determinado a me recuperar. Eu disse que estava profundamente agradecido a ela por ter dito aquelas palavras e que ela havia me ajudado muito. Ela entendeu que a pornografia é realmente um vício. E de alguma forma me abrir com ela me ajudou a aliviar essa enorme carga emocional negativa que carrego por tanto tempo comigo.

E tb senti que era preciso explicar para ela o pq da minha ausência (aquela sensação de presença ausente, entende?) durante o sexo, e do meu comportamento "estranho" quando estávamos juntos.

Sinceramente, para mim, perder a vergonha de falar sobre isso é parte do processo de reboot. Acho que a vergonha desempenha um importante papel no ciclo viciosos, pq ela acaba por nos colocar cada vez mais para dentro do vício. Então, acho que falar sobre o problema com as pessoas vai me ajudar.

Eu faço análise há 1 ano e somente há 2 semanas me abri com a minha analista,na verdade foi a primeira pessoa com quem me abri.

Estou passando por aquele período que chamam de flatline, e é muito estranho.

Tb tenho sentido muitas melhorias, em termos de concentração. Tb parei de roer unha, isso foi sensacional, havia 15 anos que não via minhas unhas! A ansiedade q me fazia roer as unhas terminou, nem preciso me forçar a parar de roer, esse comportamento compulsivo simplesmente acabou.

Bem, estou me mantendo "na linha", e determinado a sair desse vício que influencia em todos os aspectos da minha vida.

Abs



Engenheiro
Engenheiro
Mensagens : 11
Data de inscrição : 17/09/2014

Relato Sputinik Empty Re: Relato Sputinik

em 25/9/2014, 01:41
Força, bro!

\o/

_______________________________________
Relato Sputinik 1jo98pcugow
avatar
Sputnik
Mensagens : 12
Data de inscrição : 14/09/2014

Relato Sputinik Empty Ereção Zero

em 25/9/2014, 17:52
Alguém já passou por essa fase que vc sente medo de ter uma ereção?

Não tenho nenhuma ereção desde o dia que parei, só aquelas matinais, mesmo assim "meia bomba".

To há 17 dias sem PMO...
Rafael Rossi
Rafael Rossi
Admin
Admin
Mensagens : 1817
Data de inscrição : 27/07/2014
http://www.vicioempornografiacomoparar.com

Relato Sputinik Empty Re: Relato Sputinik

em 27/9/2014, 11:12
Medo de ter uma ereção propriamente dita eu nunca tive. Só o medo de ter muita energia disponível e de ter uma "vontade grande de se masturbar" e também o medo de "não ter mais libido" (durante a flat-line). Ambos são truques da mente para que voltemos a nos masturbar.

Sputinik, quando tiver um tempo tenta colocar um contador de dias no seu perfil, isso ajuda a nos motivar:
http://comoparar.forumeiros.com/t5-como-instalar-um-contador-de-dias

_______________________________________


"Prefiro ser escravo dos bloqueadores do que escravo da pornografia"
avatar
Sputnik
Mensagens : 12
Data de inscrição : 14/09/2014

Relato Sputinik Empty Re: Relato Sputinik

em 28/9/2014, 11:56
Olá Projeto, obrigado pelas palavras!

Qto ao contador, eu não preciso MESMO. Nunca vou me esquecer do dia 8/9/2014.

Abs
avatar
Sputnik
Mensagens : 12
Data de inscrição : 14/09/2014

Relato Sputinik Empty 25 Dias Sem PMO e 1 Experiência de Sexo Real

em 3/10/2014, 20:09
Amigos,

Fiquei 25 dias sem PMO e já estava querendo ver como seria a primeira vez com uma garota.

Ontem resolvi colocar à prova meu progresso. Chamei uma garota de programa para me testar, mas procurei fazer tudo de uma maneira que fosse parecido com um encontro, e planejei contar para ela sobre o vício e que aquele encontro seria uma ajuda, um teste.

Pensei que se eu contasse para ela, como profissional, iria entender e me ajudar. Planejei combinar com ela que eu precisava me reconectar com os estímulos reais de uma boa transa - toque, cheiro, beijo, etc. E tb não estava interessado necessariamente em transar com ela (penetrar) mas queria fazer preliminares.

Foi o que fiz, ela era muito legal, logo entendeu tudo o que eu disse - olha só, e inclusive disse que o que eu descrevi como sintomas se encaixam nos comportamentos de cerca de 50% dos clientes dela, ela me disse que tem caras que só conseguem gozar com ela vendo vídeo de pornografia!

Bem, conversamos um pouco, tomamos 2 taças de vinho, eu coloquei um som legal - folk, meu estilo preferido - tb acendi velas, enfim, tudo num clima como o de um encontro casual, sem pressões.

Fomos para a cama e ela foi maravilhosa, colocou a camisinha e me chupou (foi mal, gente, contar em detalhes, mas cada detalhe foi muito importante pra mim).

Foi incrível como eu fiquei imediatamente excitado, como não me lembro de ter acontecido há um bom tempo, e eu consegui gozar com a camisinha ali mesmo no sexo oral.

Foi sensacional!

Fiquei muito feliz de ter conseguido chegar lá, de uma forma tão diferente da PM, e tão natural.

No final das contas acho que o saldo foi positivo.

A parte negativa desse período de 25 dias sem PMO é que eu continuo com um sentimento ABSURDO de arrependimento, de ter sido tão displicente comigo por tantos e tantos anos, isso me deixa muito deprimido, um sentimento de culpa incontrolável, e isso tem afetado meu trabalho.

Abs
Rafael Rossi
Rafael Rossi
Admin
Admin
Mensagens : 1817
Data de inscrição : 27/07/2014
http://www.vicioempornografiacomoparar.com

Relato Sputinik Empty Re: Relato Sputinik

em 4/10/2014, 22:22
Sputnik escreveu:Olá Projeto, obrigado pelas palavras!

Qto ao contador, eu não preciso MESMO. Nunca vou me esquecer do dia 8/9/2014.

Abs

Oi Sputnik, quanto ao contador, eu sei que você não precisa (ainda bem), mas nós os outros membros do fórum precisamos, já que nós não vamos lembrar dessa data de cabeça, rs (trata-se de um procedimento padrão do fórum).

Sputnik escreveu:A parte negativa desse período de 25 dias sem PMO é que eu continuo com um sentimento ABSURDO de arrependimento, de ter sido tão displicente comigo por tantos e tantos anos, isso me deixa muito deprimido, um sentimento de culpa incontrolável, e isso tem afetado meu trabalho.
Abs

Legal o seu relato Sputnik. Apesar de ter sido com uma prostituta e de não incentivarmos a prostituição aqui, eu vejo como um avanço bem positivo no seu caso o fato de a relação sexual ter sido satisfatória.

Quanto a culpa por ter demorado tanto tempo para parar com o vício, ela é normal. Eu que tenho menos idade que você também me sinto muito mal quando fico pensando no tempo que eu "supostamente" perdi. Por outro lado, os efeitos positivos do reboot tem compensado esse sentimento. Me sinto muito feliz por, ao menos ter conseguido parar com a pornografia.

No mais, se te ajudar, eu procuro ver isso tudo como uma grande experiência. Infelizmente, fomos ingênuos na questão da pornografia. Se soubéssemos dos resultados que teríamos antes de entrar para este mundo, penso que não teríamos escolhido esse caminho (por "saber" me refiro a "saber experiencialmente" e não apenas "intelectualmente"). Então, num grau fomos vitimas das circunstâncias, iludidos pelo nosso próprio corpo e evolução genética e, por outro, somos privilegiados, ao ter a chance de finalmente compreender o problema sob a ótica adequada e escrever um novo capítulo para as nossas vidas.

Que nem diria Einstein: "Toda decisão acertada é proveniente de experiência. E toda experiência é proveniente de uma decisão não acertada".

Desejo sucesso no seu reboot.

Um Abraço!

_______________________________________


"Prefiro ser escravo dos bloqueadores do que escravo da pornografia"
avatar
zambaba
Mensagens : 45
Data de inscrição : 12/10/2014

Relato Sputinik Empty sputnik

em 12/10/2014, 20:01
Cara, obrigado pelo seu relato.

Meu relato é muito parecido com o seu apesar de eu ser bem mais novo, e vendo sua experiência me da esperanças de dias melhores.

Ainda estou no começo do rebot. Estou tendo alguns delirios com pornografia, minhas bolas doem e eu to começando a ter pensamentos de como ter certeza que eu consigo ter uma hereção com estímulo se eu não ver porno... espero que passe esses pensamentos.

O que vc falou é bem certo, esse vício é incentivado. Eu lembro de achar um absurdo quando estava no colégio alguns amigos nunca terem visto porno, eu achava isso inimaginável.


_______________________________________
Relato Sputinik 1ec28l5aebk
kafka
kafka
Mensagens : 31
Data de inscrição : 20/12/2014
Idade : 45

Relato Sputinik Empty Re: Relato Sputinik

em 9/3/2015, 20:20
Ola Steiner,
tenho 40 anos e desde a adolescia que desenvolvi o vicio da Masturbação e depois o vício da Pornografia. Foi a minha ruína em muitas coisas. Mas ainda me considero um vencedor: hoje, conhecendo os efeitos devastadores destes vícios, não seu como minha ruína não foi maior, pelo menos até agora. Até que eu consegui muitos passos na vida, apesar da prisão destes vícios: me formei, consolidei bem minha profissão, hoje estudo mestrado fora do Brasil e minha imagem profissional manteve-se inabalada apesar do gigantesco drama interior que já me fez buscar terapias, centros de recuperação e de bem estar, relaxamento e outras tantas modalidades de recuperação. A descoberta deste site , fórum e material de pesquisa foi decisiva. Comecei dia 19 de dezembro um reboot total e consegui chegar aos 45 dias, depois de um tremendo esforço. Eu nunca tinha chegado a essa marca desde os meus 12 anos quando descobri a masturbação.
Passei fevereiro muito mal, embora tenha conseguido passar mais 13 dias sem PMO depois da recaída de 1º de fevereiro. Comecei março em decadência , mas retornei hoje ao FÓRUM  e sua postagem me entusiasmou a RECOMEÇAR... Senti profundidade e lucidez de alguém que tem quase a idade que eu, uma pessoa que me parece ser acostumada a boas leituras.
Sejamos aliados nesta LUTA ... Vamos conseguir, com a força de Deus e a firmeza de nossas decisões e força de VONTADE.
Conto com você nesta parceria. Podemos compartilhar materiais , leituras e experiências. Que tal?
Vamos em frente...
Prazer em lhe "conhecer"

_______________________________________
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum