Compartilhe
Ir em baixo
avatar
Mensagens : 122
Data de inscrição : 25/12/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 28/1/2017, 18:20
David Silva escreveu:Parabéns pelo percurso.
E seu namorado?
Vcs terminaram?
Vai passar o fim de semana com ele (se não terminaram)?

Abraços.

Mutio obrigado, David!

Não terminamos não. Dei a entender isso? Hahaha

Ele continua bastante compreensivo e o namoro tá firme. Apesar da minha rotina estar cada vez mais abarrotada, a gente nunca dormiu tanto junto como nos últimos dias. Percebi um estranhamento dele em relação a esse fogo incontrolável (hahaha) que eu adquiri desde o começo do reboot, e às vezes até eu me sinto meio taradão, como se não conseguisse ficar 5 minutos sozinho com ele sem tentar alguma coisa. À princípio parece animador, mas com o tempo fica desconfortável, chatão mesmo. Ele tem preferido ser ativo comigo desde que voltamos a transar com penetração, lá pelo vigésimo quinto dia de reboot. Penso que como ativo ele não se sinta tão assustado, já que tá assumindo o papel de "dominador". Porém já melhorei muuuito desde a segunda semana, que deve ter sido a mais crítica em termos de paudurência incondicional (rs), e acho que a minha libido tende a normalizar até o fim do reboot.

Ele viajou hoje com a família pra casa do tio, volta amanhã. Se tudo der certo a noite é nossa. I love you

Abraços!
avatar
Mensagens : 122
Data de inscrição : 25/12/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 29/1/2017, 04:49
Dia 35 - 28/01

Quinto dia de cursinho e dessa vez eu acordei me sentindo muito bem, mesmo com as poucas horas de sono. Me mantive alerta durante toda a aula. O cansaço só bateu com força à tarde, mas tomei um banho e fui fazer a revisão semanal dos meus projetos. Esse hábito simples de revisão tem um grande poder de me acalmar e me fazer sentir no controle da minha vida quando tudo parece caótico. Smile

À noite eu tive um desentendimento com minha mãe. Alguns dias atrás eu perdoei uma dívida de 3,5 mil reais que ela tinha comigo para ajudá-la nessa fase de aperto financeiro, o que acabou comprometendo o MEU orçamento - e não me importei, afinal de contas estava ajudando a minha mãe. Há pouco mais de um ano ela gastou uma nota em mobília planejada para a casa, mas a mobília não saiu loja durante todo esse tempo porque ela queria fazer uma reforma antes e nunca tinha dinheiro suficiente pra isso. Ontem ela chegou contando que desfez o contrato com a loja. Não houve ressarcimento (ela já tinha dado metade do dinheiro) e a mobília foi inteiramente devolvida. Ok.

Comprei um computador de mesa otimizado para o meu trabalho com edição de vídeos que chegou há 3 meses e ainda está na caixa, pois meu quarto não tem espaço para ele. Já estava acertando a reforma do meu quarto com meu próprio dinheiro para que ela trouxesse logo a minha parte da mobília, que ela garantiu que acomodaria o PC (ela bateu o pé e disse que só traria a mobília depois da reforma). Ok.

Agora sem reforma, sem mobília e no vermelho, eu pedi a ela para me "dar" apenas a mesa planejada para acomodar o PC. Ela fez um show de vitimismo: disse que ninguém a ajuda e que ela "vai sair dessa" sozinha, "nem que tenha que vender a casa". Fiquei em estado de choque por alguns minutos - não pelo prejuízo que tive, mas pela ingratidão. Então chorei até dormir.

Minha mãe é um caso estranho. Tem uma carreira brilhante, é referência em sua área na região, possui um cargo público invejadíssimo, ganha muito bem (apesar de jurar de pé junto que não) e AINDA ASSIM parece viver endividada. Às vezes falta comida em casa, mas ela é capaz de dar 200 reais em uma capa de celular.

O que me mais me dói nisso tudo é saber que a nossa relação só melhorou tanto nos últimos meses porque eu passei a ganhar bem e emprestar (...dar) dinheiro para ela. Virei o banco da casa, e você tem que manter boas relações com o banco. Com as minhas irmãs, entretanto, ela continua como sempre foi: egoísta, cruel, manipuladora e incapaz de exercer empatia. Eu devia ter desconfiado...

Estou num estado de estafa físico-emocional tão grande que a essa altura PMO parece ser o menor dos meus problemas, mas sei que isso não é verdade e que é perigoso pensar assim. Ontem, enquanto chorava, cogitei por um segundo ver P. Consegui cortar o pensamento no ato.

Uma coisa boa: tive a certeza de que tenho sentimentos. Normalmente eu ligaria o "foda-se", mas dessa vez eu chorei, e doeu MUITO. De alguma forma eu me senti vivo.

Às vezes eu acho que se não fosse o meu namorado eu já teria perdido a fé nas pessoas há muito tempo.

Seguimos.
avatar
Mensagens : 122
Data de inscrição : 25/12/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 30/1/2017, 05:41
Dia 36 - 29/01

Fui tirar uma soneca que deveria ser de 15 minutinhos na noite anterior e acordei às 5h. Queria fazer o dia render nos estudos, então já pulei da cama. Comecei a chorar enquanto escovava os dentes hahaha. O que a minha mãe me disse doeu mais do que eu achei que tivesse doído. Fiquei o dia inteirinho assim, pra baixo.

A palavra do dia foi organização. Finalmente etiquetei os cadernos do cursinho, separei as matérias, customizei marca-páginas que eu precisava há séculos a partir de cartões de visita antigos do meu trabalho, etc. Foi tanto tempo na teoria que a prática acabou quase nula: fui estudar de fato às 23h30 e à 1h da manhã já tava na cama, exausto. Ainda assim, penso que é melhor perder tempo com organização e prevenção do que com as dores de cabeça que a falta de planejamento poderiam me trazer no futuro.

Meu pai veio aqui à noite e teve um bate-boca homérico com a minha mãe e a minha irmã menor. Ele não queria dar dinheiro para o uniforme da minha irmã. Vi quase tudo calado. Em dado momento ele soltou: "Se vocês acham que vão tomar o que é meu estão enganados. Não tá no meu nome." Foi pesado. Em dado momento eu perguntei o motivo da discussão e disse que se for necessário eu pago o uniforme. Acho que ele sentiu vergonha, pois imediatamente mudou de discurso e já foi oferecendo o dinheiro hahaha.

Meu namorado voltou de viagem ontem à noite e a gente passou um tempão se falando por mensagem. Desabafei sobre a pressão que tô sentindo em relação aos estudos e ao vestibular e disse que não queria deixar que isso interferisse na gente, pois já fiz esse erro antes e a sensação que eu tenho em deixar de vê-lo para estudar é de um deja vu horrível. Ele disse que o que pegava antes não era a gente se ver pouco, e sim eu não querer vê-lo. E de fato era isso que acontecia nos últimos meses do primeiro round (rs) do nosso namoro: eu me afundava em trabalho e, na encolha, em PMO, pra preencher um vazio que eu nem sabia que tinha. Tudo virava compromisso na minha vida. Nessa fase ele já não era meu namorado, mas uma ação a ser riscada na lista de tarefas do dia... Agora, segundo ele, a realidade é diferente: eu preciso estudar. Trata-se de uma obrigação. Antes eu podia escolher estender ou não a carga horária de trabalho ao meu critério, mas agora a regra é simples: ou eu estudo pra caralho ou não passo no vestibular.

Essa compreensão dele me reconfortou demais. Me sinto livre pra me jogar nos estudos sem achar que tô deixando o nosso relacionamento de lado. Até porque, indiretamente, isso também envolve a gente e o nosso futuro junto. Smile

No fim do dia, antes de dormir, dei um pulo nos diários aqui do fórum e a recaída do Limbo, diário que eu acompanho com frequência, me deixou muito triste e também receoso sobre o que me aguarda até o dia 90. A sensação que eu tenho ao ler os relatos de outros usuários é de que até agora tá tudo muito fácil pra mim e que tem algo de errado nisso.

A pressão do pré-vestibular, as mais de 10 horas de estudo diárias que quero instituir a partir de agora, o inevitável distanciamento do meu namorado, o próprio reboot... Tudo isso me assusta.

Mas nunca morri de susto. Hahah

Seguimos.
avatar
Moderador
Moderador
Mensagens : 614
Data de inscrição : 20/09/2015
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 30/1/2017, 12:06
A época pré-vestibular nos deixa com muitos questionamentos sobre nós mesmos e o nosso futuro (eu sei pois resolvi mudar de curso e agora estou na luta por medicina), porém não se sinta pressionado em estudar, afinal se o seu emocional na hora dos estudos não estiver ok, na verdade estará perdendo tempo.
Não deixe de reservar um tempo para se divertir, e isso inclui o seu namorado, pelo menos o veja uma ou duas vezes por semana e escreva coisas fofas para ele ( Pode treinar redação escrevendo dissertações sobre o quão fantástico é sair com ele, claro sem esquecer de escrever sobre os temas propostos, mas redação é treino e escrever sobre qualquer coisa ajuda), eu para deixar meu parceiro feliz trocava os nomes das pessoas dos exercícios de matemática pelo o dele e fotografava as vezes, ai ele sempre se sentia lembrado (sou ótima em ser piegas hahaa).

Porém tenho muito a elogiar o seu otimismo, sinto ele em cada palavra, mesmo tendo receio as vezes, dá para sentir que anda por um bom caminho, medo de recaídas esse nunca poderá sumir da sua cabeça, pois é quando estamos muito confiantes que baixamos a guarda. Te desejo o melhor em parabéns pelo progresso.
avatar
Mensagens : 1436
Data de inscrição : 20/01/2015
Idade : 32
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 30/1/2017, 14:45
Olá
Riquissimo o seu diário.
Mais uma vez você deu provas de que consegue ser forte. E vc é forte. Apenas a PMO nos faz criarmos a ilusão de que somos fracos.
Com seu relato me fortaleço e muita gente se fortalece.
Parabéns
Estamos juntos.

_______________________________________
Recordes:
90 dias - em 2015
71 dias - em 2016
32 dias - 2017 - maio
15 dias - 2017 - junho/julho
32 dias - 2017 - agosto - último
26 dias - 2018 - janeiro
81 dias - 2018 - julho


avatar
Mensagens : 122
Data de inscrição : 25/12/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 31/1/2017, 16:56
Dia 37 - 30/01

Acordei exausto depois de 3 horas de sono praticamente inúteis e decidi matar o cursinho. Já vinha mantendo esse ritmo precário de sono desde o primeiro dia de aula, mas dessa vez não deu pra aguentar. Como forma de "compensar", decidi que iria passar o dia focado nos estudos e finalmente seguir o cronograma de 8 blocos de estudo com 1 hora cada. No fim do dia eu completei 3 blocos e já tava pedindo arrego.

3 horas de estudo em casa não é nem de longe uma marca ruim dentro da minha realidade (há um mês eu não aguentava 25 minutos sequer!), mas agora tem a pressão do conteúdo do cursinho acumulando. Com a pressão vem a autocobrança e aquela sensação horrorosa de que por maior que seja o seu esforço, ele nunca será suficientemente grande.

O cronograma de conteúdo dos professores não é linear, como em quase todos os cursos pré-vestibulares, e se você quer começar do começo é atropelado sem dó. Foi o meu caso. Decidi hoje que vou rescindir o contrato, colocar a grana ressarcida (bem alta, diga-se de passagem) em uma poupança, para não me preocupar com finanças por um bom tempo, e voltar ao bom e velho estudo caseiro.

Sinto como se tivesse tirado um peso gigantesco das costas. Essa única semana de aula em cursinho me passou uma sensação de urgência que eu definitivamente não posso me permitir ter agora. Eu já sabia o quão difícil seria a jornada para conseguir aprovação em um curso concorrido, mas no cursinho eu sentia como se estivessem gritando isso no pé do meu ouvido o tempo inteiro. Devagar e sempre.

Percebi que ultimamente tenho falado sobre tudo, menos sobre o reboot em si. Então algumas considerações rápidas: tenho olhado para outros caras na rua com frequência e não tô curtindo isso. Por vezes me senti refém desse instinto. Chego a ficar nervoso perto de caras que considero atraentes... E namoro. E amo meu namorado. É foda.

As memórias com PMO estão cada vez mais raras e consigo racionalizá-las cada vez mais. Ontem, bem do nada, lembrei de uma cena com dois atores que acho maravilhosos. Antes que pudesse sentir tesão, me peguei pensando em todo o trabalho que deu praquela cena sair perfeita. Consegui ver a P como ela realmente é: um ato forjado de sexo. Sexo real é outra coisa. Envolve prazer real, toque, respiração, sentir o outro, entrar em sintonia. Sexo não tem nada a ver com dois ou mais corpos sarados em frente a uma câmera.

Eu tinha um costume bizarro de me admirar no espelho por horas, principalmente depois de treinos pesados, quando a musculatura ainda tá quente e inchada. Tinha ereção e às vezes me masturbava olhando para o meu próprio reflexo. Eu objetificava o meu próprio corpo. Fiquei feliz ao voltar de um treino pesado ontem, me olhar no espelho de relance, checar os ganhos e, então, sair para fazer qualquer outra coisa. Não associei aquele corpo do espelho à P, mas o reconheci como meu templo pessoal e me senti orgulhoso por estar cuidando bem dele.

Por vezes eu tinha a sensação de que frequentava a academia para ficar mais próximo do ideal de corpo promovido pela P. Quase 40 dias após o início do reboot, essa sensação (quase) morreu, mas a vontade de treinar, por incrível que pareça, aumentou. Notei que até deixei de olhar no espelho durante os exercícios. Antes, a parte do treino em que eu olhava meu reflexo no espelho e via a musculatura saltando era o ápice. Parece que eu tô conseguindo fazer algo que sempre achei extremamente utópico: treinar por gostar de treinar. Reviravoltas! rs

No mais, tenho me sentido muito cansado nos últimos dias... Mas quem dorme 3 horas por dia não pode esperar outra coisa, né mesmo? Smile Isso vai mudar.

Avante.
avatar
Mensagens : 122
Data de inscrição : 25/12/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 31/1/2017, 17:17
Domi1 escreveu:A época pré-vestibular nos deixa com muitos questionamentos sobre nós mesmos e o nosso futuro (eu sei pois resolvi mudar de curso e agora estou na luta por medicina), porém não se sinta pressionado em estudar, afinal se o seu emocional na hora dos estudos não estiver ok, na verdade estará perdendo tempo.
Não deixe de reservar um tempo para se divertir, e isso inclui o seu namorado, pelo menos o veja uma ou duas vezes por semana e escreva coisas fofas para ele ( Pode treinar redação escrevendo dissertações sobre o quão fantástico é sair com ele, claro sem esquecer de escrever sobre os temas propostos, mas redação é treino e escrever sobre qualquer coisa ajuda), eu para deixar meu parceiro feliz trocava os nomes das pessoas dos exercícios de matemática pelo o dele e fotografava as vezes, ai ele sempre se sentia lembrado (sou ótima em ser piegas hahaa).

Porém tenho muito a elogiar o seu otimismo, sinto ele em cada palavra, mesmo tendo receio as vezes, dá para sentir que anda por um bom caminho, medo de recaídas esse nunca poderá sumir da sua cabeça, pois é quando estamos muito confiantes que baixamos a guarda. Te desejo o melhor em parabéns pelo progresso.

Também quero Medicina, Domi1. Que legal!

Tô respondendo agora mas li o seu comentário ontem, e relendo hoje eu acho que as suas considerações influenciaram bastante na minha decisão de rescindir o contrato com o cursinho. Se a estrada já é difícil por si só, não faz nenhum sentido dificultá-la ainda mais.

Também penso como você em relação a baixar guarda. Mesmo quando estou me sentindo o máximo, o rei do universo, gosto de preservar comigo uma espécie de melancolia como forma de me lembrar que aquilo é só um momento. Me sinto mais tranquilo quando consigo abraçar meus próprios monstros do que quando tento fingir que eles não existem. Já dizia Tom Zé: "tristeza não tem fim, felicidade sim." Smile

QUE FOOOOOOOFO o que você fazia com seu parceiro! Vou imitar hahaha. Já deu pra perceber que combinamos na pieguice ahahahaha

É engraçado você falar do meu otimismo, pois meu namorado sempre me viu como uma pessoa extremamente pessimista. Acho que temos mais um ponto para o reboot, hein? hehe

Muito obrigado pelas dicas e pela força. I love you

David Silva escreveu:Olá
Riquissimo o seu diário.
Mais uma vez você deu provas de que consegue ser forte. E vc é forte. Apenas a PMO nos faz criarmos a ilusão de que somos fracos.
Com seu relato me fortaleço e muita gente se fortalece.
Parabéns
Estamos juntos.

Isso, David! Eu acho que o processo em si é bastante simples, então quanto menos a gente encarar isso como um bicho de sete cabeças, melhor. Por vezes achei que estava reclamando de barriga cheia ao ler alguns relatos aqui no fórum e cheguei até a me sentir culpado...

Mas acho que o que tem me ajudado nisso tudo é não pensar no reboot.

Às vezes você consegue mais retorno quando aplica menos força. Se você é muito forte no começo, logo logo se cansa. Então, de certa forma, me permito "trapacear" ao esquecer que estou fazendo o reboot. Dessa forma eu não preciso ser tão forte o tempo todo e acabo poupando força para os momentos em que realmente preciso dela. E eles acontecem quando menos se espera...

Me sinto extremamente feliz em saber que o que eu escrevo aqui pode estar ajudando outras pessoas, David. Por mais importante que seja ter foco e determinação, às vezes ouvir o que você já sabe de outra pessoa faz toda a diferença. Sem o fórum como suporte eu não sei se teria tido toda essa "força" pra chegar até aqui.

Sim, estamos juntos!
avatar
Mensagens : 122
Data de inscrição : 25/12/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 1/2/2017, 06:35
Dia 38 - 31/01

Meu namorado arrancou dois sisos na segunda e desde então tá uma pilha de nervos. Acordei ás 5h da manhã e fui mandar mensagem de bom dia pra ele. Pra minha surpresa ele já tava acordado e com um dossiê preparado sobre as curtidas que eu dei em posts de outros caras no Facebook desde que a gente voltou. Veja bem: "posts", não fotos - sou muito seletivo em curtir foto alheia, principalmente quando tô namorando, porque nunca se sabe quando a pessoa é louca e vai achar que aquela curtida significa algo além de "a foto ficou bacana".

Isso quer dizer que o "dossiê" (hahaha) dele tava cheio de curtidas em conteúdo compartilhado por outros caras, e conteúdo que nada tinha a ver com quem compartilhou.

Um exemplo: contei pra ele há alguns dias sobre o menino do cursinho que queria me pegar e que eu tava tentando converter em amiguinho... Ele passou a noite stalkeando o perfil do cara e implicou com o coraçãozinho que eu dei num vídeo que o carinha havia compartilhado sobre feminismo!

Agora a parte boa: se antes eu começaria a contra-atacar como forma de autodefesa na primeira acusação, ontem eu tentei enxergar as coisas do ponto de vista dele... E vi que ele não tá nem um pouco errado. Ele tá me dando uma segunda chance depois de ter sido muito magoado... A gente tá há cinco dias sem se ver... Estou sem M e com a libido bem alta... Ele tá de repouso na cama o dia inteiro... Terreno fértil pra imaginação.

Normalmente eu veria isso como um ataque de histeria e perderia a paciência em instantes, mas dessa vez eu achei fofo. Achei fofo porque, de uma maneira torta, ele demonstrou que se importa e que o sentimento dele é real. Acho que daí veio a vontade de encher ele de beijinho a cada acusação infundada que ele fazia... Até que ele mesmo percebeu que aquilo não tinha cabimento e me pediu desculpas. I love you

Passei o dia inteiro em modo zumbi. À noite fui ao cursinho rescindir o contrato e saí de lá tão leve que o sono até deu uma trégua. Às 23h eu decidi que tiraria uma soneca de 15 minutos pra então virar a noite no planejamento do meu novo cronograma de estudos. Acordei às 7h. Haha

Já tinha esquecido a sensação de dormir 8 horas seguidas. Smile
avatar
Mensagens : 122
Data de inscrição : 25/12/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 2/2/2017, 08:58
Dia 39 - 01/02

Acordei com o pênis ardendo e um "rastro" bem ralo de sêmen na glande. Nunca tive uma polução noturna na vida (pratico PMO desde os 11) e ainda não sei se o que tive essa noite foi uma polução; me parece mais um vazamento por excesso de esperma acumulado... Mas, de qualquer forma, também não lembro de ter tido um vazamento de esperma por acúmulo antes, então é novidade de qualquer jeito. Laughing A sensação de ardência continuou durante o dia e às vezes batia a vontade de praticar M apenas para eliminar aquela sensação estranha. Sabia que o custoxbenefício não seria bom, então cortei a hipótese.

Apesar de ainda me sentir cansado, o dia até que rendeu. Tinha combinado de visitar meu namorado à noite, mas no final foi ele quem apareceu aqui. A gente não se via há cinco dias, e pra nós parecia uma eternidade. Ele ainda tá se recuperando da extração dos sisos, então tentei me controlar e ficar bem amorzinho... Mas acabou rolando sexo antes de dormir e depois de acordar. Na primeira vez fui passivo e mais uma vez consegui chegar ao orgasmo rapidinho sem precisar de fantasias. Na segunda fui ativo e acho que foi o mais perto que cheguei de ejacular em uma penetração na vida. Ele já tinha gozado, mas eu disse isso pra ele e ele me pediu pra continuar. Eu bem que tentei, mas saber que ele tava aguentando dor pra me ver gozar me tirou do cllima.

Fiquei frustrado no começo. Ele me pediu pra relaxar, disse que o reboot já tá dando certo e que tá surpreso que eu senti que tava perto do orgasmo com apenas 40 dias de reboot - ele esperava que isso fosse começar a se resolver depois dos 90 dias. Aí eu fiquei tranquilão. Smile

Também senti que ele ficou bem surpreso com a força da minha ereção. Dava pra ver na cara dele hahah. Me senti poderoso. Laughing

Seguimos!
avatar
Mensagens : 23
Data de inscrição : 16/01/2017
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 2/2/2017, 13:19
Bruq, amo como seus relatos são sempre detalhados hahahahaha!
Eu adoro ler as coisas que os outros sentem, porque sempre dá pra se relacionar!

Daqui a pouco você chega na metade do reboot, parece que passa tão rápido! Parabéns =D

_______________________________________


Passem no MEU DIÁRIO também =) !

avatar
Moderador
Moderador
Mensagens : 614
Data de inscrição : 20/09/2015
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 2/2/2017, 21:37
Tente dar mais atenção para o seu sono, parece perda de tempo, mas privar seu corpo e mente de uma noite saudável leva a depressão e aumento considerável de peso.
Seu namorado é um fofo, ficar com ciúme por coração em texto feminista... hahaha... Bom ele anda inseguro, então tente conversar bem com ele e demonstre nas pequenas coisas que ele é único. Quando for falar de uma pessoa que acha bonita, siga a minha dica:
Olhe uma característica da pessoa perfeita que lembra do seu boy, ou uma mais ou menos que o seu boy tem melhor ou igual e diga:
Nossa aquele cara tem as costas como a sua, ou nossa as suas costas são melhores que as dele... E diga, ahhh ele é modelo e bonito, mas acho que eu gosto mais porque ele tem costas legais ouuuu gente eu gosto muito mais da sua boca que daquele modelo.... Ai ele vai se sentir sempre a bola da vez.

Medicina não é fácil, eu estou na lista de espera, tendo ataques de ansiedade aqui. Pode compartilhar suas pieguices comigo também, assim eu vou renovando as idéias.

avatar
Mensagens : 122
Data de inscrição : 25/12/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 4/2/2017, 09:54
Dias 40 e 41 - 02 e 03/02

Tô dormindo bem mais nos últimos dias, mas a sensação de letargia tá custando a ir embora. Minha ansiedade social também tem aumentado muito, e talvez seja o estado mais crítico desde o início do reboot. Aquela sensação de estar 100% confortável na minha própria pele não é mais tão frequente. De vez em quando surgem pensamentos de autoboicote tentando me convencer de que uma sessãozinha de PMO me faria sentir melhor, mas estou num nível de instrução tão alto que é quase como se esses pensamentos fossem outra pessoa falando.

Imaginem a seguinte situação: você consegue um novo emprego e nele tem um colega extremamente chato, daqueles que fala merda atrás de merda pra chamar atenção, e que acha que tá abafando. No início você se aborrece com facilidade, mas com o tempo vai aprendendo com os outros colegas veteranos a deixá-lo falar sozinho. É assim que eu me sinto em relação a esses pensamentos.

É claro que seria muito melhor se o colega (pensamentos) fosse demitido, mas enquanto isso não é possível, ou você aprende a conviver com ele ou uma hora vai ser obrigado a desistir do emprego (reboot).

Sou o rei das metáforas toscas. Hahahah

Enquanto dormia com meu namorado, cheguei a sonhar que resetava o reboot. O que eu estranhei foi que, no sonho, eu não ficava frustrado. Era como se eu dissesse "ah, foda-se."

Acho que me forçar a reler o livro tem me ajudado a manter o foco no reboot. Sinto que conforme o número de dias vai aumentando, a sensação de que já ganhei o jogo aumenta, e é aí que mora o perigo. Preciso me lembrar constantemente dos motivos que me levaram a fazer o reboot, ou uma hora o vício (ainda latente, não me engano) vai falar mais alto.

Comecei meu novo cronograma de estudos ontem. Ficou lindo e tem tempo pra tudo, inclusive pra curtir o namorado e pra tirar umas boas horas de sono. Se funcionar na prática eu tô feito. Smile

Seguimos!
avatar
Mensagens : 122
Data de inscrição : 25/12/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 4/2/2017, 10:02
narne escreveu:Bruq, amo como seus relatos são sempre detalhados hahahahaha!
Eu adoro ler as coisas que os outros sentem, porque sempre dá pra se relacionar!

Daqui a pouco você chega na metade do reboot, parece que passa tão rápido! Parabéns =D

narne, HAHAHAHAHAHA. Fiquei com vergonha!

Quando escrevo aqui eu meio que despejo tudo que tô sentindo na hora sem muito critério. É tão louco que às vezes eu releio e nem lembro de ter falado algumas coisas. hahaha

Acho que o reboot passa rápido quando você não fica pensando nele o tempo todo. Por isso a fase de religação é TÃO fundamental! Não só durante o reboot, mas pra vida. Se você corta PMO e não procura outras fontes de dopamina, ainda poderá resistir contra o vício por muuuuito tempo, mas uma hora a corda vai quebrar pro seu lado porque você precisa de dopamina.

Quando tô naqueles momentos de bad, boto um karaokê no YouTube e canto bem alto. Em três minutos eu já tô renovado. hahah

Obrigado, narne! I love you
avatar
Mensagens : 122
Data de inscrição : 25/12/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 4/2/2017, 10:17
Domi1 escreveu:Tente dar mais atenção para o seu sono, parece perda de tempo, mas privar seu corpo e mente de uma noite saudável leva a depressão e aumento considerável de peso.
Seu namorado é um fofo, ficar com ciúme por coração em texto feminista... hahaha... Bom ele anda inseguro, então tente conversar bem com ele e demonstre nas pequenas coisas que ele é único. Quando for falar de uma pessoa que acha bonita, siga a minha dica:
Olhe uma característica da pessoa perfeita que lembra do seu boy, ou uma mais ou menos que o seu boy tem melhor ou igual e diga:
Nossa aquele cara tem as costas como a sua, ou nossa as suas costas são melhores que as dele... E diga, ahhh ele é modelo e bonito, mas acho que eu gosto mais porque ele tem costas legais ouuuu gente eu gosto muito mais da sua boca que daquele modelo.... Ai ele vai se sentir sempre a bola da vez.

Medicina não é fácil, eu estou na lista de espera, tendo ataques de ansiedade aqui. Pode compartilhar suas pieguices comigo também, assim eu vou renovando as idéias.


Oi, Domi1!

Sigo dieta há alguns anos porque me dei conta de que deixar o número de calorias que você ingere nas mãos do seu cérebro não é lá muito bom haha. Sou muito ligado à minha aparência, e se me sinto feio desmorono. Dieta e exercícios ajudam a manter meu corpo sempre como eu quero, não importando se eu tô feliz da vida ou uma pilha de nervos, e certamente devo a isso o que me resta de sanidade mental. Se além de tudo eu ainda não me sentisse bem com a minha aparência, já teria entrado em uma depressão daquelas. Sobre as horas de sono, percebi nos últimos dias que dormir menos pode até esticar o seu dia, mas você leva o dobro de tempo pra fazer as mesmas coisas. Não compensa mesmo.

Hahahahahahaha amei as dicas!!! Eu já sou baba-ovo naturalmente, então sempre que posso (e às vezes até quando não posso ahah) tô elogiando ele. Acho que no nosso caso a falta de confiança vem do fato de ela já ter sido quebrada, e por isso eu tô disposto a esperar o tempo que for até que os cacos se juntem. Isso inclui aguentar cena de ciúme por curtida em texto feminina com um sorriso na cara. Hahaha

Eu escolhi Medicina há alguns meses, então tô beeeem no comecinho da jornada. Sei que pode (e provavelmente vai) levar algum tempo. Além de saber muito sobre tudo, você tem que ter um preparo psicológico do caramba e saber lidar com as prováveis derrotas.

Se você tá na lista de espera é porque certamente já tá bem mais perto do seu objetivo do que de onde começou. Meus parabéns e boa sorte!!! I love you
avatar
Mensagens : 122
Data de inscrição : 25/12/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 5/2/2017, 09:57
Dia 42 - 04/02

Dia complicaaaado, talvez o mais difícil até agora. Dormi na casa do meu namorado e cheguei em casa além do horário previsto, o que bagunçou o cronograma do dia. Na academia eu quase morri. Poucas vezes me senti tão exausto. Na ida, topei com um cara de moto. Saí ileso, mas a moto do lindão furou o banco da minha. Depois do treino minha barriga estufou e tive uma crise de refluxo horrorosa que durou o dia todo. Me entupi de remédio pra liberar gases e café, pra manter a concentração nos estudos. A internet deu pau novamente e perdi 1 bloco de estudo no pé do telefone esperando ser atendido pelo meu provedor. Deu 22h e eu ainda tava devendo uns 5 blocos de estudo. Me rendi ao sono.

É tudo problema estilo "classe média sofre", reconheço haha. Mas que deu no saco, deu. E me fez pensar em PMO como nunca desde a primeira semana de reboot. Antes eu tinha a PMO como opção de alívio instantâneo; agora, a única alternativa é lidar com a frustração e seguir em frente.

E sigo.
avatar
Mensagens : 106
Data de inscrição : 09/08/2016
Idade : 27
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 5/2/2017, 14:34
O meu maior problema é conciliar os estudos com o brainfog e fadiga. Tempo pra mim não está sendo o problema, mas sim a disciplina.

Parabéns pelos 40 dias!

_______________________________________




avatar
Moderador
Moderador
Mensagens : 614
Data de inscrição : 20/09/2015
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 6/2/2017, 12:06
Exatamente o que você disse, hoje em dia você lida com os seus problemas e verá que eles passam. Ao contrário de antes que você fugia, vai perceber que resolver as pequenas coisas é no final uma aula para se auto conhecer e ter empatia com os demais.

Ahh sim seus problemas são problemas de classe média, mas não deixam de ser problemas e por isso incomodar. Acho ótimo você perceber que eles não são enormes porém se policie para não desprezar os mesmos.

Força querido!!!!
avatar
Mensagens : 122
Data de inscrição : 25/12/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 6/2/2017, 17:56
Dia 43 - 05/02

Acordei cedinho no domingo e tive uma manhã bem produtiva organizando meus projetos pessoais. Até estudei por vontade própria (instituí domingo como dia de descanso). À tarde fui na casa do meu namorado e vimos uma comédia romântica bem chatinha. À noite a família dele deu uma saída e a gente se trancou no quarto. Conversamos muuuuuuito. O papo variou de memes da Vera Holtz (hahaha) até como ele ainda não conseguia sentir 100% de confiança em mim depois das merdas que eu fiz.

Ele falou que às vezes ele se pega "tentando" engolir essa minha versão 2.0, mas que é muito difícil acreditar que eu voltei TÃO mudado em TÃO pouco tempo e TÃO do nada.

Eu ainda caí no erro de pedir pra ele ler o livro, mas acho que tem que partir dele... E não acho que ler o livro vá adiantar alguma coisa. Ele tem que sentir. E isso pode levar muito tempo.

Me ponho no lugar dele e entendo completamente o que ele sente. Até eu sentiria o mesmo. Pra ele, é como se eu tivesse colocando a culpa de tudo de ruim que eu fazia no vício. É foda.

Antes do reboot eu teria feito a maior cena. Dessa vez, por mais que eu tenha ficado com um pé atrás na hora que ele falou, relevei a situação e minutos depois o assunto já tinha morrido. Fácil não foi, mas às vezes a gente tem que engolir o orgulho e saber se colocar no lugar do outro.

Parece que a paciência move montanhas. ^^ Seguimos.
avatar
Mensagens : 122
Data de inscrição : 25/12/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 6/2/2017, 18:13
MilesPrower escreveu:O meu maior problema é conciliar os estudos com o brainfog e fadiga. Tempo pra mim não está sendo o problema, mas sim a disciplina.

Parabéns pelos 40 dias!

Eu tendo a ser muito duro comigo mesmo, então por vezes esqueço que tô no meio de um experimento que pode mudar a minha vida inteira e que tem uma série de colaterais tenebrosos e fico me cobrando 100% de dedicação e concentração nos estudos. É foda. Sad

Vou dar uma pesquisada sobre o brainfog. Nem sei o que é, mas pelo nome eu devo ter. ahahah

Obrigado, amigo! Grande abraço.

Domi1 escreveu:Exatamente o que você disse, hoje em dia você lida com os seus problemas e verá que eles passam. Ao contrário de antes que você fugia, vai perceber que resolver as pequenas coisas é no final uma aula para se auto conhecer e ter empatia com os demais.

Ahh sim seus problemas são problemas de classe média, mas não deixam de ser problemas e por isso incomodar. Acho ótimo você perceber que eles não são enormes porém se policie para não desprezar os mesmos.

Força querido!!!!

Isso! Por mais que faça muita falta uma fonte imediata de dopamina quando você tá no olho do furacão, ter que encarar os problemas de frente te traz paciência e uma noção maior do que realmente importa, além de ensinar muito sobre empatia, como você falou.

É engraçado você falar isso, porque eu realmente tendo a desprezar os meus problemas por achá-los muito pequenos perto do que muita gente que faz muito mais do que eu passa. E aí eu acho que são "frescura", mas meu corpo não acha o mesmo e responde com ansiedade, crises crônicas de diarreia e refluxo, insônia, vício em PMO... E a lista continua. Hahaha

Obrigado, Domi1! Adoro seus insights.
avatar
Mensagens : 122
Data de inscrição : 25/12/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 7/2/2017, 08:43
Dia 44 - 06/02

Passei o dia toooooodo de diarreia. Me entupi de Imosec (sério, foram 2 cartelas) e nada deu jeito. Tô apavorado porque há exatamente um ano tive uma crise de diarreia e refluxo que me deixou acamado durante quase todo o mês de fevereiro e o início de março, e parece que o pesadelo tá se repetindo.

Mesmo nessas condições eu consegui estudar por uma horinha. Como era de se esperar, a vontade de acionar a válvula de escape da PMO só cresce. E continuo me surpreendendo com a minha resistência.
avatar
Mensagens : 122
Data de inscrição : 25/12/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 8/2/2017, 10:41
Dia 45 - 07/02

Consegui gozar pela primeira vez na vida com uma mão que não fosse a minha. HAHAHAHAHA

Baita presente nesses 45 dias... E eu não esperava.

Enquanto meu namorado me masturbava eu relaxei geral (já tava morrendo de sono mesmo). Parei de tentar sentir algo e só me deixei levar.

Assim que eu comecei a sentir algo de diferente, flashes de P começaram a disparar loucamente na minha mente. Quando percebi que "podia" gozar, tentei redirecionar meus pensamentos pro que tava acontecendo ali... E consegui gozar com as mãos livres e o pensamento também.

Fiquei rindo à toa... E acho que tô assim até agora hahahaha.

Acho que o importante agora é não me deixar levar por essa "conquista" no sentido de achar que já tô "quase" curado e relaxar com o reboot. Foi uma experiência inédita, foi maravilhoso, mas a presença da P ainda tava ali, firme e forte.

De qualquer forma... FELIZ PRA CARALHO! Very Happy

O restante do dia se resumiu em moleza, muitos comprimidos de Imosec, muita cólica e mais moleza. Mesmo nessas condições eu consegui estudar o dobro de tempo do dia anterior.

Seguimos!
avatar
Mensagens : 122
Data de inscrição : 25/12/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 9/2/2017, 08:41
Dia 46 - 08/02

Acho que tá rolando um efeito caçador. As memórias com PMO estão cada vez mais frequentes e vívidas (?). Às vezes não parece que tô há 46 dias sem ver P (meu maior tempo desde talvez os 11 anos), porque as memórias surgem com uma riqueza de detalhes impressionante.

Passei quase o dia todo malzão da barriga, mas tomei um remédio pra verme no desespero e à noite já tava bem melhor. Deu pra estudar um pouco até.

Minha ansiedade tá atacando de uma forma tão assustadora que parece que meu coração vai explodir se eu não parar o que tô fazendo na hora e me deitar. Cantar tem me ajudado a ficar mais calmo. Também tô tentando me cobrar menos em relação aos estudos... E tem sido bem difícil ver todo mundo se matando de estudar pra passar no curso que eu quero enquanto eu tenho que "ir com calma" pra não entrar em um colapso.

Acho que o grande inimigo aqui sou eu mesmo. Apesar de ser até bem informado sobre ansiedade, depressão e outros transtornos mentais, só os enxergo como algo a ser tratado quando é com outros; comigo eu vejo como "frescura" e negligencio sem dó. Só o fato de eu admitir que estou tendo crises de ansiedade, por exemplo, já é um grande avanço pessoal - normalmente eu tentaria relacionar os sintomas a alguma doença física ou esperaria eles passarem por conta própria.

Seguimos.
Convidado
Convidado

Re: Diário Bruquendi

em 9/2/2017, 19:09
Parabéns pelo enorme progresso Bruquendi, to impressionado com seu avanço, realmente parabéns ! Continue assim.

Quero tirar um tempo e ler todo seu diário ainda Smile
avatar
Mensagens : 122
Data de inscrição : 25/12/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 10/2/2017, 09:15
Dia 47 - 09/02

Ainda não tô recuperado da crise de diarreia e o refluxo tá batendo forte. Soma-se a isso a pressão de estudar 10 horas por dia e temos a receita perfeita pra PMO parecer a melhor coisa do mundo.

Acho que posso dizer que "quase" rolou um reset de M ontem à noite. Cedi às memórias com P por alguns instantes e isso rendeu uma ereção poderosa. Naquele momento eu tive uma noção do poder do vício: por mais que eu soubesse que é tudo encenação, tudo fake, que não há prazer real etc, aqueles flashes de P que se repetiam na minha mente pareciam o ápice do prazer.

Tirei o amigo acordado da cueca, massageei um pouco e disse: "Você quer, né? Pois não vai ter, porra!" E botei pra dentro da cueca. BEM RETARDADO, EU SEI HAHAHAHAHA.

A ereção não dava sinais de que ia embora. Eu sabia que tava devendo 2 horas de estudo antes de dormir, mas a minha barriga tava péssima e eu não tava com o menor pique. Mas pra PMO eu tava. Depois de uns minutos, comecei a me masturbar bem de leve, coisa de 5 segundos... Daí minha irmã chegou em casa. Bendita seja. Hahaha

Vi que estudar eu não conseguiria de qualquer jeito, então preferi cair logo no sono a bater umazinha que eu tenho certeza que triplicaria o meu desejo por P. Não é porque eu tô me sentindo um incapaz por não estudar tanto quanto eu gostaria que eu devo me sentir um incapaz por isso e TAMBÉM por furar o reboot depois de fucking 47 dias.

Pausa para metáfora tosca: não é porque você pisou na merda do cachorro que você tem que deitar e rolar nela até se sujar inteiro.

Percebi que preciso focar mais do que nunca na fase de religação, que (confesso) anda abandonada.

Seguimos.

Limbo escreveu:Parabéns pelo enorme progresso Bruquendi, to impressionado com seu avanço, realmente parabéns ! Continue assim.

Quero tirar um tempo e ler todo seu diário ainda Smile

Obrigado, Limbo. I love you Você é um dos usuários que mais me inspiram no fórum.
avatar
Mensagens : 122
Data de inscrição : 25/12/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário Bruquendi

em 12/2/2017, 10:31
Dias 48 e 49 - 10 e 11/02

Meu PC, instrumento de trabalho, deu pau em pleno fim de semana. Pelo que parece o HD foi corrompido. Um vizinho técnico gente boa me atendeu fora do expediente e agora tô esperando ele me dizer se dá ou não pra recuperar as informações - e TEM que dar.

Isso me deixou bem abalado. Geralmente acordo às 8h, mas ontem, sábado, só consegui sair da cama às 17h. Tentei não dar muita bola pro ocorrido e meti a cara nos livros. Bati meu recorde de horas de estudo seguidas na madrugada de sábado pra domingo.

Às 6h da manhã eu decidi que era hora de dormir. Me deitei na cama e não conseguia fechar o olho. Quando vi, as fantasias já estavam dominando a minha mente e eu tava tendo uma mega ereção. A vontade de bater umazinha tava quase irresistível (MESMO), mas ainda assim tentei ignorar os impulsos e pegar no sono. Fiquei uma hora rolando na cama até que decidi seguir uma dica que li em um relato transcrito no ebook, que é se masturbar rapidamente e sem pensar em nada nessas situações de desespero apenas como forma de aliviar a tensão e evitar consequências piores para o reboot.

Me masturbei, ejaculei e acho que consegui não pensar em nada. O orgasmo foi um lixo. Imediatamente me senti um fracassado e pensei que era questão de tempo até o reset acontecer.

Mais relaxado, consegui tirar alguns cochilos e em todos eles sonhava com P. Em um desses sonhos, de longe o mais bizarro, eu via novela com meu namorado quando apareciam vários caras musculosos, bem o estereótipo de ator pornô, em uma piscina - inclusive alguns atores que eu adorava estavam lá. Fiquei atordoado. Eles começaram a se acariciar e eu "????". Então começou o sexo explícito (em uma novela!!!) e quando percebi eu tava me masturbando. Olhei pro lado e meu namorado também estava.

Triste.

Acho que posso dizer com quase 100% de certeza que tive uma crise de abstinência das brabas. Eu REALMENTE não esperava que isso fosse acontecer a essa altura, com 49 dias de reboot, uma vez que as semanas mais críticas costumam ser as primeiras... Mas bem que eu desconfiei que tava tudo muito fácil. Rolling Eyes

Desisti de pegar no sono depois desses sonhos bizarros (pesadelos?) e resolvi me distrair com estudos. Têm sido a minha válvula de escape, por incrível que pareça. Ultimamente tive inúmeras decepções com pessoas que eu considerava amigas, e a única em quem eu me permito confiar é meu namorado. Não sei como se faz uma fase de religação sozinho, mas parado não dá pra ficar.

Estou MUITO triste e MUITO frustrado, mas ao mesmo tempo orgulhoso de mim mesmo por ter segurado a barra 49 dias mesmo com tantas adversidades. E pretendo segurar esse forninho por muito mais tempo rs.
Conteúdo patrocinado

Re: Diário Bruquendi

Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum