Compartilhe
Ir em baixo
avatar
Fabsjoia
Mensagens : 13
Data de inscrição : 25/03/2015

Minha história, minha luta Empty Minha história, minha luta

em 8/4/2015, 00:02
Minha história não é diferente da de muitos, mas quis fazer esse tópico para fazer um relato acompanhado. A história é um pouco longa e recordo toda minha vida sexual e minha relação com PMO, tudo isso pra entender o buraco que me enfiei e me levou à DE. Se tiver paciência, leiam.

Eu tenho 35 anos e a pornografia e a fantasia sempre acompanharam minha vida sexual. Aos 12 anos fui apresentado à pornografia por um amigo antes mesmo de eu descobri a masturbação. Adiquiri um hábito deste amigo: olhar e fantasiar para todas as mulheres. E assim começou minha adolescência.
Dos 12 aos 18 anos eu tive uma vida afetiva e sexual frustrante. Não ficava com as meninas, não namorei. Perdi a virgindade com uma prostituta aos 15 anos e, talvez intimidado, tive dificuldade de ereção. Mas me masturbava MUITO, geralmente fantasiando no banheiro ou assistindo TV. Lembro que atrizes e Vjs da MTV me excitavam e eu me masturbava. Era todo dia! Aos sábados eu fazia plantão para assistir o Cine Privê. Me masturbava vendo os filmes, mas tentava segurar o orgasmo para o fim do filme. Até o fim eu me masturbava, sem orgasmo, vendo todas as atrizes.
E, por ter uma criação e uma vida religiosa (católica), me sentia muito mal com a masturbação, vista como pecado.
Aos 19 anos tive minha primeira namorada. Era só beijar pro pau ficar duro como pedra. Depois, aos 21 anos, fui namorar outra garota: muita excitação, ereção direto. Na sequência namorei outra. Mesma coisa: excitação direto, só de elas me tocarem o rosto. Mas forma namoros rápidos com pouco sexo, ams com MUITA ereção kkk
Aos 22 tive minha primeira grande paixão. Tive uma relação de 3 meses. mas era uma loucura. Me excitava só com o beijo, em sentir a presença dela. Ereção direto e nos fim de semana sexo 3 a 4 vezes por dia. A relação terminou e as outras (e poucas) meninas que fiquei até o namoro seguinte, me excitavam muito só de beijar e o sexo rolava uma maravilha. Muita ereção.

Apesar da vida sexual, sempre corria riscos para ver pornô na internet ou entrar em chats: entrava no trabalho, na faculdade, com minha família circulando em casa...ou seja, era meio descontrolado, apesar de ser menos frequente por falta de acesso, Mas sempre que tinha acesso, lá estava eu vendo porno ou fantasiando via chat.

Enfim, aos 23 anos namorei outra garota, apesar de ter tido um sexo meio bomba da primeira vez com ela, o resto foi excitação pura. Depois aos 24 anos namorei outra, que me negava sexo. Fiquei com ela 5 anos! E, nessa época, via Internet, me afundei na pornografia, o que foi motivo de muitas brigas.

Depois do término fiquei um ano sozinho e fiz sexo com 3 mulheres. Duas delas foram sexo meia bomba, a terceira foi legal.

Como dá pra perceber, quanto mais aumentava a pornografia na minha vida, mais dificuldade eu tinha em ter relações sexuais sem DE. entrei em um grupo de viciados em sexo (alguns eram em pronografia, outros eram viciados em sexo real), me ajudou, mas não conseguia me controlar e, me parese, o terapeuta desconhecia a natureza do vicio em PMO e sua gravidade.

Em 2010, aos 30 anos, aconteceu um relacionamento em que a pornografia seria um grande problema. A garota, muito ciumenta, descobriu meu gosto pela pornografia e começou a me infernizar. Por mais que eu tentasse me controlar, não conseguia. Só que tinha uma coisa: com ela, durante 3 anos, não tive DE uma só vez! e era muito sexo.

MAs era muita briga, pois ela entrava no meu histórico de internet e, mesmo se eu apagasse, ela tinha macetes (ela era gênio em computador) pra ver as páginas que eu tinha visitado. O fato é que ela me achava um perverso e eu me sentia mal por isso. Muito mal. emagreci, ganhei gastrite e algumas brigas com ela - literalmente - quase me mataram. Ela bebia e pirava. Ai começamos a ver pornô juntos e a coisa ficou mais doentia. Enfim, ela jogava na minha cara que eu era pervertido, psicótico e eu abraçava isso no meu íntimo. Enfim, terminamos. Ela queria voltar e sempre que me ligava, me provocava e eu ficava com ereção forte. Tivemos um revival e só o beijo dela fazia subir o pau.

Enfim, como ela me fazia mal a isolei e nunca mais vi. Saí traumatizado com tudo isso. Tive fobia, pânico, depressão. Emagreci, fiquei detonado...

Dois meses depois conheci uma garota que considerava das mais lindas que já tinha visto. O sexo, nas primeiras vezes, foi meia bomba e nem havia reação lá embaixo quando ela me beijava. Estava sem pornografia desde o fim do relacionameno anterior. Libido zero. Não tinha muita sensibilidade na penetração. Durante duas ou três semanas fiquei assim. Na quarta tive uma DE barra pesada e nada fazia o camarada subir. No dia seguinte a mesma coisa. parecia um pesadelo. ai tomei viagra. Com viagra conseguia ereção sempre, mas demorava a gozar. Pouca sensibilidade. Em um ano de namoro comecei a ter mais tesão por ela, mas em muitas poucas vezes, ereção espontânea e quando rolava era meia bomba. Rolou sexo algumas vezes sem viagra, mas com ereção mais forte umas pouquíssimas vezes. Eu, durante um ano desse namoro, rolava com alguma frequência PMO, mas só me tomava MUITO TEMPO, nas épocas de pior angústia. Achava que era baixa auto-estima e ansiedade que geravam a DE, não a pornografia. Meu psicólogo dizia que era a ansiedade, meu psiquiatra tb.

enfim, o sexo era bom, mas tinha medo de abrir mão total do viagra. O relacionamento acabou com uma traição dela, o que levou mais pra baixo ainda minha auto-estima. Durante 3 meses encontrei umas 6 mulheres (RJ é foda) e fazia sexo com viagra. Até que conheci minha namorada atual com quem estou há 3 meses. E há três meses também conheci este fórum. Desde então, junto com o namoro, comecei o reboot. No início, ereção zero. A primeira vez foi uma lástima. Ai voltei ao viagra. Com o tempo a coisa foi melhorando e comecei a fazer sexo sem viagra, mesmo com ereção mais fraca. Muitas vezes pra gozar tinha que imaginar pornografia, senão, não gozava. Às vezes a ereção rola legal, mas eu preciso estar me manipulando. É como se a mão dela não conseguisse me excitar e como se nossos amassos e beijos surtissem pouco efeito.Hoje, não preciso mais imaginar P pra gozar, mas no início com ela, precisava pensar em P.

Numa época, parecia que eu tinha voltado quase ao normal, mas semana passada tive umas baixas e às vezes transo tenso, com medo de falhar. Depois desses três meses de namoro (90 dias) e sem PMO (apesar de ter fantasiado P. algumas vezes pra conseguir gozar), eu me sinto melhor. A presença de mulheres me gera curiosidade, atenção, fico meio assanhado...mas as ereções continuam meio difíceis, apesar de rolarem. De vez em quando ainda tomo viagra, quando tenho medo de falhar. No fim de semana ela pareceu meio aborrecida com o tipo de sexo que vínhamos tendo (sempre na mesma posição, pois se quiser variar muito, tenho medo de falhar), e fizemos outras coisas. Foi bem legal e sem viagra.

eu já melhorei muito, mas meu sonho é voltar totalmente ao normal. Hoje, me sinto curado da PMO, mesmo! Mas quero me curar totalmente da DE. Acordo excitadaço, ou seja: não é problema orgânico.

Quero um dia vir aqui e relatar que estou curado da DE. Confesso que isso tem me preocupado. MAs tenho Fé porque, em dois anos, pela primeira vez me sinto não totalmente dependente do viagra.

Mas eu identifico algumas cousas da DE. Talvez seja uma soma de causas:

1.PMO
2.Baixa auto-estima
3.ansiedade de desempenho
4.medo de falhar
5.trauma, já que ela apareceu depois do fim traumático com aquela ex que tornou minha vida um inferno com ciúmes da PMO.

Mas no fim das contas sei que a PMO atravessou tudo isso. Foi um anestésico à auto-estima baixa desde o início da adolescência (poderia fantasiar com a PMO coisas que não vivia na realidade. dificuldade com mulheres e tal...), meus medos de falhar e não ser bom o bastante e etc. A PMO virou válvula de escape para qualquer frustração. Por fim, ela virou motivo de tormento na pior fase da minha vida, dado que minh ex usava a minha PMO como justificativa pra dizer que eu era o maior lixo humano da TERRA.

Hoje, sem PMO, me sinto mais focado, mais livre, menos angustiado, menos ansioso e mais esperançoso! MAs quero ficar totalmente curado da DE e, se possível, gostaria de ouvir relatos sobre curas de DE.

Farei disso um diário e sempre relatarei aqui meus avaços.

Abraços

FABSJOIA


Dead dummy
Dead dummy
Mensagens : 91
Data de inscrição : 16/03/2015

Minha história, minha luta Empty Re: Minha história, minha luta

em 8/4/2015, 05:02
Camarada, hoje é meu 30 dia de reboot, e depois da flatline, de DE nem sinal. Meu problema agora chama-se EP. Tenho tido sexo dentro do reboot a cada 2 ou 3 dias, e as primeiras vezes foi meio bomba, também por causa da ansiedade, com a experiência foi desaparecendo, mesmo a EP reparo que se não estiver mais
Que 2 dias sem fazer sexo, melhora. Agora de DE, acho que estou mesmo curado. Tenho 36 anos e um longo caminho a percorrer. o que me parece que esta acontecendo contigo, é que a libido que foi destruída durante
Muito tempo, precisa se normalizar. E normalizar é com contacto humano normal, sem pressas, e curtindo o momento, com o tempo estou certo que passa. Não liga muito para isso, quanto mais liga, mesmos funciona, mais ansioso fica, e menos ereçao tem.

_______________________________________
Minha história, minha luta Img?u=4669735908147200
avatar
Fabsjoia
Mensagens : 13
Data de inscrição : 25/03/2015

Minha história, minha luta Empty .

em 8/4/2015, 09:30
Caro Dead Dummy
Creio que pode ser a ansiedade mesmo. O negócio é desencanar um pouco, curtir o momento. Tenho de me reeducar, reeducar meus intintos. É por ai.
Grande abraço, continuamos na luta
Fabs
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum