Compartilhe
Ir em baixo
Esposa Solitária
Mensagens : 1
Data de inscrição : 18/04/2017

Uma esperança para nós esposas de um viciado

em 18/4/2017, 08:37
Há uns 2 meses descobri que meu marido era um viciado em pornografia e me senti muito mal com isso. Tenho traumas em relação a isso, pois meu pai sempre trocava minha mãe por pornografia e a fez perder um filho quando eu tinha 9 anos, ela desenvolveu transtorno de ansiedade e pânico e diabetes que matou criança com 9 meses. Sempre tive medo disso tudo e sempre odiei de alguma forma a pornografia. Nunca consegui assistir cenas de sexo em filmes, séries e novelas, pois me sentia mal e me sentia suja então sempre evitei. Conheço meu marido a 4 anos, namoramos por 2 anos e estamos casados a 4 meses . Sempre fomos amigos e ele havia me contado durante a amizade que tinha problemas com isso desde os 9 anos e que se sentia mal com isso e queria parar. Quando começamos a namorar até os 3 meses ele ainda me contava que fazia, e depois "magicamente" ele disse ter ficado curado. Eu, boba, acreditei.Eu não conhecia muito o assunto mesmo e não sabia se era fácil ou difícil largar então eu achei que ele realmente tinha largado. Quando casamos que tudo começou a piorar, ele trabalha embarcado então era impossível saber. Quando ele transava comigo me olhava estranho e as vezes sentia prazer em me machucar, seu olhar era medonho e eu me sentia um objeto (Isso sem saber do vício) , e ele só conseguia gozar se masturbando o que era ainda mais estranho.As vezes ficávamos 3 ou 4 horas transando e nada dele gozar, eu me machucava para conseguir ficar as 3 horas, mas nada funcionava, no final ele sempre abaixava a cabeça com sinal de reverência pro próprio pênis para se masturbar porque eu ja não aguentava mais esperar. Conversei com ele várias vezes e sempre tivemos uma relação quase perfeita de muita confiança e respeito. Nunca fui de olhar telefone ou coisas assim, tanto que ele tinha conteúdos pornograficos por anos e eu nunca soube.
Ah! Nunca faltou sexo também, sempre tinha e as vezes até 2 vezes por dia. Ele se tornou compulsivo e sempre que eu negava ele ficava irritado, estressado, mal humorado e me maltratando com palavras e gestos frios. Eu ja desconfiava que algo estava errado, pensei que ele estava me traindo pois cada dia chegava na cama tentando reproduzir algo novo (que provavelmente viu em algum filme).

A Descoberta...

Um dia, mexendo no notebook dele, encontrei conteúdos pornograficos e perguntei a ele se ele estava envolvido com isso outra vez. Ele mentiu, normal, ele nunca mentia sobre nada pra mim, mas a pornografia fez do meu marido um mentiroso que se reverência ao próprio prazer e não liga pra nada e nem ninguém. Eu fui descobrindo mais e mais ao longo da semana, pois ele foi se abrindo e fiquei horrorizada com tudo o que ele me contou, com até onde ele tinha ido por causa do vício. Meu coração destroçou ao vê-lo chorando e dizendo que estava com vergonha, ele se encolhia num canto e só chorava igual criança, dizendo que estava com vergonha e não conseguia olhar nos meus olhos. Então ele fez algo que eu não imaginei, começou a quebrar os instrumentos musicais dele (Que é a coisa que ele mais ama nesse mundo) falando que não precisava mais daquilo e que não iria pedir pra eu ficar pois ele não merecia que eu ficasse. Eu poderia sentir pena, tristeza, decepção, mas sentia raiva por esse drama todo (Bom, eu achava que era drama, né. Não sabia a gravidade da situação), ficava me sentindo um lixo e ao mesmo tempo tentava o consolar para que ele se acalmasse. E eu reprimia todos os meus sentimentos para tentar acalma-lo nessa situação (Detalhe : Sofro de transtorno de ansiedade e pânico). Bom, olhei em volta e estava tudo quebrado, minha casa de paz, amor e harmonia tinha virado um verdadeiro inferno em questão de dias. No dia seguinte veio o embarque e ele disse chorando que não queria ir. Mas eu o convenci que ele precisava ir, resumindo, os piores 15 dias da vida. Ele me ligava todo dia dizendo que tinha algo que ele chamava de "frenesi" e que era como se ele perdesse toda consciência de certo e errado e tudo o guiava para o vício, mas dizendo ele que resistiu e que foi difícil pra ele (Como acreditar? Não conseguia confiar mais). Ele começou a se abrir mais comigo e o sentia sempre estressado e depressivo no telefone, mas ele dizia que estava fugindo daquilo e que eu precisava acreditar mesmo ele não merecendo. Ele desembarcou e eu movida pela raiva de 15 dias, pois não desabafava com ninguém para não o expor, briguei muito com ele. Ele chorando, tirou do bolso um bombom e me deu dizendo que tinha pensado em mim e que mesmo que eu o estivesse o odiando ele sentia muito por todo o sofrimento que tinha me causado e que eu tinha todo o direito de ir embora.Mas ele veio com a frase "Mas por favor, não vai.Eu preciso de ajuda". Eu me sentia mal por isso e sentia que ele estava acabado também e então resolvi ficar...Me sinto sozinha as vezes e me sinto triste do nada pois lembro das coisas.

A parte boa...

Bom, ele aceitou colocar os bloqueadores e fazer o reboot, hoje com quase 1 mês de reboot, ele se tornou outro , não tem mais ER e não me trata mais como objeto, ficou mais carinhoso e atencioso e decidiu se demitir do emprego de embarcado, pois ele disse que preferia passar necessidade comigo do que ter dinheiro sem mim. Desculpe o texto enorme, mas em meio a tanto sofrimento de nós esposas/namoradas queria dizer que existe uma esperança sim. Talvez o meu marido caia outra vez e sei que vai ser doloroso, talvez ele tenha caído e esteja mentindo de novo, mas os fatos da melhora são inegáveis o que me faz ter a esperança de que ele está se esforçando, começaremos o tratamento com o psicalista no próximo mês e se Deus quiser tudo ficará bem e poderemos ser mais um exemplo de que existe sim esperança para um casal que se ama. Ainda tenho raiva, ainda me pego chorando e relembrando, mas sei que preciso fazer isso por mim e por ele e que preciso tentar antes de desistir...Espero ter sucesso nessa caminhada e espero ver meu marido deixar de ser prisioneiro de sua própria mente pois é nítido o quão doloroso é para ele tudo isso. Tudo ficará bem!
avatar
Domi1
Moderador
Moderador
Mensagens : 550
Data de inscrição : 20/09/2015

Re: Uma esperança para nós esposas de um viciado

em 18/4/2017, 12:50
Seu marido parece ser uma boa pessoa e gostar de você, por isso tenha um pouco de paciência com ele.
As quedas são normais, é só ver que dieta não é fácil e por vezes acabamos escorregando em um chocolate ou lasanha de final de ano,imagina com um vício que é ainda pior.... porém o importante é não desanimar e sempre buscar novas soluções.

A outra coisa que eu tenho que te falar é que nunca, nunca mesmo se sinta culpada sobre isso e nem se permita mais sentir dor na hora do sexo, pois sexo é uma troca de prazer e não sofrimento, vocês dois tem que ter isso em mente.

Com o meu parceiro eu combinei que a cada recaída eu teria que monitora-lo mais então, a primeira vez, ele só instalou o bloqueador e eu não verificava nada no celular e computador, na segunda eu partir a ter que monitorar as vezes com ele do lado, e hoje depois de várias recaídas ele tem um programa instalado que me permite receber por e-mail onde ele está e o que acessou na internet, tanto por celular quanto por computador, no entanto como isso foi um acordo não sufocou a relação ele foi entendendo que são os atos dele que geraram tal "punição", e que ele não se mostrou confiável para ser tão livre assim. Porque eu estou dizendo isso?
Porque é importante que o casal tenha um plano de ação caso algo venha a falhar, e vocês dois podem criar o de vocês, não espere 100% de franqueza da parte dele por parte do vício, pois ele gera tanto desconforto que eles tentam a todo custo não nos decepcionar e acabam mentindo.

Seja bem vinda!
avatar
Luis Santos
Mensagens : 1298
Data de inscrição : 13/01/2015

Bem vinda!

em 18/4/2017, 13:36
Esposa Solitária



Bem vinda!

Aconselho que leia a respeito do vício, você e seu marido juntos, essa luta será de vocês 2. Saiba que a luta de um viciado em pornografia é difícil, porém, não impossível, quando se está decidido a abandonar o vício tiramos forças de onde não pensamos ter mais, sem contar que com a ajuda de Deus nossos problemas se tornam menores.

Por seu marido ser homem a estimulação sexual é mais intensa do ponto de vista visual do que com vocês mulheres, todavia isso não justifica o vício, apenas mostra porque parece ser mais difícil pra nós homens lidarmos com a pornografia. Nada de passar a mão na cabeça dele quando o mesmo mostrar negligência com os passos do reboot. O vício em si já é um "conforto", por isso caso tu se mostre aberta demais para as falhas seu marido não irá se esforçar tanto. Quando for pra falar sério fale! Nas horas de mostrar compreensão demonstre, busque equilibrar as coisas...

Fato importante: ele precisa mais do reboot do que você, de nada vai adiantar tu se esforçar mais do que ele nessa recuperação. Penso que as forças investidas nessa libertação devem ser iguais de ambas as partes, pois com a compreensão vinda de você ele vai se sentir mais incentivado.



Breve resumo do reboot:


-Ler o E-book, assistir os vídeos do Gary Wilson
-Ler as postagens do fórum: Histórias de sucesso, importância dos bloqueadores, outros assuntos.
- Criar um diário na sessão correspondente à sua idade


# Tapar as brechas e substituir a antiga rotina da pornografia:

Não ficar sozinho em casa
Ser objetivo no que acessa na internet
Instalar os bloqueadores
Fazer coisas diferentes nos momentos em que consumia pornografia
Praticar exercícios, sair com amigos, visitar familiares, algo que dê "prazer" naturalmente ao corpo.

# Excluir gatilhos:

Facebook
Twitter
Sair de grupos de whatsapp que enviam pornografia
Não olhar sites que contenham fotos de mulheres na praia, modelos paparazzi e etc.

- Ficar atento as fantasias que vierem a mente, buscar sempre ocupar o tempo com atividades e outras rotinas


Links importantes:

E-book: http://www.comoparar.com/t3070-e-book
Frases motivacionais: http://vicioempornografiacomoparar.com/motivacao/
Orientações básicas: http://www.comoparar.com/f1-orientacoes-basicas






Boa sorte,
Luís Santos.







_______________________________________



https://docs.google.com/document/d/1e16jZBv1CEYco_rYgNzlwXdQt-WvuYhLAYuuQIsT_fQ/edit

Minimize as chances de dar errado que você maximizará as chances de dar certo. (Taaviin)

Meu diário: http://www.comoparar.com/t199p150-comecando-o-processo-de-reboot?highlight=Luis+Santos

História de sucesso: http://comoparar.forumeiros.com/t525-90-dias-completos-o-reboot-funciona
Conteúdo patrocinado

Re: Uma esperança para nós esposas de um viciado

Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum