Compartilhe
Ir em baixo
avatar
jota
Mensagens : 9
Data de inscrição : 08/10/2014

A descoberta da DE e a relação com a pornografia. Empty A descoberta da DE e a relação com a pornografia.

em 11/10/2014, 16:17
Olá,

Vou lhes contar meu relato, que vai ficar um pouco grande pois para poder explicar toda a relação com o que aconteceu e como a pornografia agravou a situação ao longo dos últimos 2 anos vou precisar contar a história da minha vida então vamos lá.

Tenho 34 anos, e como todos da minha idade ou com idade próxima da minha, na adolescência ainda não existia a internet, pelo menos não a internet de banda larga, portanto, o acesso à pornografia que tínhamos era restrito à revistas, filmes pornô que algum irmão mais velho ou amigo alugava/comprava, e os programas da xuxa (sim já me masturbei muito assistindo rs).

Na verdade eu já me masturbava desde 11 anos, e apesar disto, e de desde sempre já estar consciente da minha opção sexual, heterossexual no caso, só tive o meu primeiro beijo depois dos 20 anos (acreditem é verdade) e a minha primeira relação sexual efetiva aos 30.

Não, nunca tive problemas de identidade sexual, nunca tive influência religiosa, e embora tenha sido criado um pouco "preso" (pais super protetores) não só não posso culpa-los, como também não considero isto como justificativa, uma vez que meu irmão foi criado em iguais condições.

Qual era o problema então? Uma criança criada sem muita informação, tímida, e com baixa auto estima, que obviamente sempre fingiu estar a frente de sua idade (como tantas crianças faziam naquela época), principalmente com relação a sexo, e como já disse, meu entendimento sexual era puramente masturba-tório.

Não pretendo me alongar em todos os motivos que sempre me travava quando eu tinha uma oportunidade real de estar com uma mulher pois não considero relevante além do quê, vai ficar bem longo o relato aqui, mas basicamente eu não sou feio (mas me enxergava assim), e sim sempre tive oportunidades, mas uma criança com baixa autoestima e com tudo o que queria materialmente (video games, brinquedos etc.) se apega a inúmeras muletas para não enfrentar a realidade.

Enfim, aos 20 e poucos anos eu resolvi dar um basta nisso, principalmente porque estava vendo o tempo passar e eu ficar para trás, e obviamente a essa altura da vida, já conhecia muito amplamente a pornografia e julgava estar aprendendo muito com ela inclusive. Então tive o meu primeiro beijo, e para minha surpresa, sabia muito bem o que estava fazendo e não parecia que eu era um BV até então.

O primeiro beijo foi a porta de entrada para o céu e o inferno ao mesmo tempo. A partir daí, tive namoros e eventualmente as tentativas fracassadas de transa. Vocês já podem imaginar que obviamente o brinquedo nunca funcionava na hora H, ou funcionava parcialmente, principalmente com sexo oral feito em mim, então eu comecei a ficar de fato preocupado.

Estava associando tudo ao fato de ter meu início sexual/afetivo tardio, o que pode ser verdade também, e pouco antes de dizer o "basta" e encarar minha realidade, também havia feito operação de fimose, que foi o pesadelo para mim, pois quem faz sabe que precisa ficar 30 dias sem masturbação ou sexo até cicatrizar.

Enfim, associei o meu problema à falta de prática com o sexo oposto, e não me passava pela cabeça que aquela que eu considerava minha maior aliada para aprender na teoria o que eu não sabia, a pornografia, era o que estava me ferrando.

Pensei sim em procurar uma prostituta para resolver meu problema, mas não o fiz, justamente por não acreditar que seria necessário, então apelei para um método mais radical e perigoso. Tomei levitra (semelhante ao viagra) e fui ter relações com uma de minhas namoradas da época, e sim, finalmente consegui ter ereção e penetra-la, mas obviamente libido sem tesão não faz gozar, e o pior, embora eu já tivesse meio que de forma "torta" de fato ter minha primeira vez, sem o remédio o pau não subia graças ao nervosismo.

Aproveitei então que o namoro não ia bem por outros motivos, e terminei, e decidi que iria tentar agir de outra forma. Então passei a procurar por mulheres em redes de encontro como badoo, até que então conheci uma delas e que apesar de tudo, finalmente consegui ter uma relação sexual plena (e irresponsável também, sem camisinha, e tive sorte de não pegar nada nem de engravidar ninguém).

A partir daí, mesmo com o pornô eu conseguia o boom sexual, e passei a viver relações sexuais satisfatórias, e coincidentemente, diminui bastante o pornô e a masturbação, pois nesta época eu suspeitava do meu mau.

Até então eu achava que meu problema teria sido resolvido, afinal de contas, na minha cabeça, era tudo por falta de experiência ora... Mero engano...

Conheci então minha atual namorada há 3 anos atrás. Sim a mulher da minha vida, linda meiga, pouco experiente, a mulher mais linda e gostosa que eu já conheci na vida. E posso afirmar que no nosso primeiro ano de namoro tive as melhores relações sexuais da minha vida, e por uma única razão: estar com uma mulher que dá duplo tesão: sexual e emocional.

Entretanto, devido a rotina, não a de namoro mas da vida, passamos a ter relações 1x por semana e às vezes menos, nunca tivemos um lugar próprio pro sexo, portanto, o motel era a opção. Ela nunca gostou do motel, mas sempre frequentou pelo bem da nossa relação e por mim. No entanto, devido a baixa frequência, passei a voltar ao pornô e a me masturbar muito, pra aliviar (como vejo no livro que muitos fazem), e como vocês podem imaginar, no fds (que é quando temos relação), as ereções começaram a ficar mais fracas até chegar ao ponto em que eu comecei a broxar.

A primeira broxada foi a pior, e pude resolver o problema com o tempo, e com o tempo passamos a variar de lugar, o que ajudou. Por já suspeitar que o pornô me ajudou a ficar assim, passava a evita-lo, mas a cada nova broxada, voltava a ele e a masturbação.

Houve uma época me que ficamos 5 meses sem sexo, e ainda assim consegui ter algumas relações com ela, e este ano posso contar nos dedos quantas vezes o sexo foi até o fim, pois tanto eu quanto ela passamos a evitar um pouco o sexo, e pra ser sincero, sempre que sei que vai acontecer, sou atacado por uma crise de ansiedade terrível.

Então, novamente cansado de uma situação que poderia dessa vez acabar com o que eu tinha de melhor, decidi procurar ajuda. Inicialmente pesquisei muito nos últimos meses, até que encontrei as informações que deram base em minhas suspeitas e por fim este magnifico site, cujo livro já li, e a cada página eu ficava surpreso com a realidade que me afetava.

Para minha sorte, ela me ama e eu a ela, e somente o amor que temos um pelo outro impediu que terminássemos ou que houvesse traição. Contei a ela o que aconteceu, e ela passou a me apoiar. Amanha fará uma semana que não tenho contato algum com pornografia, e esta semana fui a um urologista.

Expus a situação a ele, ou parte dela, já que como todos sabem, estes médicos não gostam muito de perder tempo então me limitei a contar a ele sobre minhas crises de ansiedade. Então ele receitou um medicamento de uso diário, mesmo sem relação, para conter a ansiedade. Obviamente não serei irresponsável de falar o nome do medicamento aqui, mas estou acatando o que ele me recomendou (exames de sangue também) e seguindo tudo o que ando lendo aqui, aliado com o que eu já suspeitava.

Enfim, vou ficando por aqui pois o texto está muito grande, farei algumas considerações mais tarde se achar necessário, e voltarei assim que puder.

Gostaria de agradecer aos idealizadores do site pela iniciativa, e dizer a todos que passam pelo mesmo problema, que não se sintam envergonhados, que procurem ajuda. Eu precisei chegar no fundo do poço para tomar uma atitude, e sei que nunca mais vou poder chegar até a pornografia, tenho consciência disso, e pretendo ir até o fim.

Obrigado.
Rafael Rossi
Rafael Rossi
Admin
Admin
Mensagens : 1833
Data de inscrição : 27/07/2014
http://www.vicioempornografiacomoparar.com

A descoberta da DE e a relação com a pornografia. Empty Re: A descoberta da DE e a relação com a pornografia.

em 12/10/2014, 17:09
Muito obrigado pelo seu relato Jota. Achei ele bastante rico e instrutivo. Não tem problema ser grande porque cada experiência aqui varia muito de idade para idade e é útil para pesquisa já que pretendemos que o fórum seja um banco de dados vivo sobre o assunto para que cientistas, estudiosos e viciados tenham uma fonte confiável onde consultar. Nesse sentido você está contribuindo bastante com a nossa causa ao relatar em detalhes a sua experiência aqui.

Eu compartilho da mesma opinião de você em relação à namoradas. Porque apesar da complexidade que envolve um relacionamento a dois monogâmico e estável, ele é muito mais satisfatório do que o sexo com prostitutas e relacionamentos casuais. Eu cresci muito graças aos meus relacionamentos e os conflitos e desafios trazidos por ele. Óbvio que não é fácil e que temos bastante conflitos, mas no final das contas é melhor do que ficar sozinho do ponto de vista evolutivo. A pornografia nada mais é que uma forma de evitar isso.

Então, fico muito contente que a sua namorada está te apoiando. Isso ajuda e muito no reboot! Na verdade, se você instalar os bloqueadores e continuar a ter relações estáveis com a sua namorada, você terminará o reboot com muito mais facilidade que os outros.

Ah, a minha experiência com a minha namorada também melhorou muito após o reboot! Antes eu enjoava do sexo e achava que a culpa era dela, etc. Só depois que eu parei com a pornografia é que percebi a relação entre as duas coisas. Enfim, não pretendo me alongar muito também. Seja bem vindo ao fórum e não esqueça de instalar um contador de dias e um bloqueador.

Abraço,
Projeto.

_______________________________________


"Prefiro ser escravo dos bloqueadores do que escravo da pornografia"
avatar
jota
Mensagens : 9
Data de inscrição : 08/10/2014

A descoberta da DE e a relação com a pornografia. Empty Re: A descoberta da DE e a relação com a pornografia.

em 12/10/2014, 21:42
obrigado pelo feed back projeto,

Estarei vindo aqui sempre que puder. E hoje, na verdade há pouco mais de uma hora, consegui ter uma relação sexual plenamente satisfatória com minha namorada, que como já disse, sabe do meu problema.

O mais curioso é que hoje foi um dia em que havia tudo para dar errado (moteu cheio, e tivemos que ir para outro), e desta vez quem ficou um pouco ansiosa foi ela rs.

Como posso dizer, ela é um anjo, ainda assim continuamos e durante as carícias eu pude sentir uma plenitude que há tempos não sentia. Minha libido estava bem aflorada, coisa que não acontecia nas ultimas semanas, e então quebramos um jejum de pouco mais de 1 mês sem penetração.

A sensação do orgasmo me fez renascer, e estou me sentindo com aquela sensação de "super poderes", no entanto, não sei se foi por efeito do medicamento (que pode ser um placebo), ou consequência do meu afastamento com a pornografia, que na verdade já faz pouco mais de uma semana contando com o dia de hoje, e além disso, hoje faz 2 semanas que não me masturbo e pretendo continuar assim. Só vou gozar com ela ou nada então.

Também sei que estou começando a sentir o tal "efeito caçador", e sei que poderei ter uma noite e uma semana difícil com meu cérebro tentando me ferrar, e para piorar minha situação, o cartela do anticoncepcional termina amanhã, ou seja, como ela vai menstruar, nada de sexo pelos próximos dez dias... Bom deverá ser uma boa oportunidade para me testar então, já que de tudo o que consegui evitar, não consegui evitar as fantasias, embora não tivesse tido acesso nem ao pornô nem a masturbação, então vou considerar a contagem a partir de hoje.

Bom é isso, vou testando para ver se o contador funciona aqui, e quando puder voltarei. Tenho uma visita ao urologista daqui há 12 dias, e a partir do resultado com os exames de sangue (que fiz antes de tomar o medicamento que ele me receitou) poderei saber mais sobre mim mesmo e minha cura, e quem sabe poderá ser útil a quem está na mesma situação que eu.

Aconselho fortemente vocês enfrentarem a vergonha e procurarem um urologista! Eu fiz isso, e acredito que vai ser muito mais fácil enfrentar esse vício agora!

Até breve!

_______________________________________
A descoberta da DE e a relação com a pornografia. 1kjtc0lnl6o
A descoberta da DE e a relação com a pornografia. 1d2w6x42rk0
Rafael Rossi
Rafael Rossi
Admin
Admin
Mensagens : 1833
Data de inscrição : 27/07/2014
http://www.vicioempornografiacomoparar.com

A descoberta da DE e a relação com a pornografia. Empty Re: A descoberta da DE e a relação com a pornografia.

em 21/10/2014, 17:10
jota escreveu:Aconselho fortemente vocês enfrentarem a vergonha e procurarem um urologista! Eu fiz isso, e acredito que vai ser muito mais fácil enfrentar esse vício agora!

Concordo que sempre é útil procurarmos ajuda profissional. A única ressalva que eu tenho com os urologistas é que a maioria deles está desatualizada sobre, por exemplo, a Disfunção Erétil Induzida Pela Pornografia, que é um conceito novo e ainda muito pouco divulgado.

Nesse sentido, apesar de sempre recomendar a ajuda médica profissional antes de qualquer auto-diagnóstico, existe a possibilidade real de, no caso da impotência induzida pela pornografia, o diagnóstico de um urologista profissional ser incorreto ou impreciso.

Num caso de PIED (Disfunção Erétil Induzida Pela Pornografia), por exemplo, ele provavelmente verificará que não há nada de errado com o seu pênis e dirá que a sua Disfunção Erétil foi ocasionada pela ansiedade ou depressão e irá indicar um psicólogo para o tratamento, quando na verdade, ela foi originada pelo hábito de assistir pornografia.

Por isso, é bom estar atento e informado dessa possibilidade antes da consulta, já que a imprecisão do diagnóstico pode piorar gravemente o quadro de Disfunção Erétil (quando se trata de PIED).

Aliás, inclusive, muitos urologistas acreditam que ver pornografia faz bem para a saúde, o que é um absurdo, diante do que temos estudado até aqui. Desconhecem eles que o destino do viciado em pornografia é a impotência sexual e a ruína psicológica total. É claro que eles não fazem isso por maldade e sim desinformação, mas fica aqui a ressalva de qualquer modo.

_______________________________________


"Prefiro ser escravo dos bloqueadores do que escravo da pornografia"
avatar
jota
Mensagens : 9
Data de inscrição : 08/10/2014

A descoberta da DE e a relação com a pornografia. Empty Re: A descoberta da DE e a relação com a pornografia.

em 25/10/2014, 18:06
Sobre os urologistas, sim é verdade, tudo o que você disse projeto é verdade. Eles não têm conhecimento de causa a cerca do problema do vício da pornografia, até porque, não viveram o problema como nós, e como todos que estamos aqui já sabemos, a descoberta deste mal ainda é novo.

Só tive relação sexual semana retrasada, e passarei a ter somente amanhã, ou seja, neste período enfrentei a abstinência, o efeito caçador, a vontade de querer me masturbar, e então percebi que consigo controlar o vício com relação à própria pornografia melhor, talvez em função de minha idade, e apesar de ter tido fantasias, não acesso pornografia há 20 dias (infelizmente só ativei o contador uma semana depois).

Sinto o pênis em sua plenitude, e simples gestos como um beijo na boca me fazem ficar excitado, estou como nunca estive em toda minha vida, parece que tenho 18 anos ao invés de 34.

Obviamente durante a semana fico um pouco menos "poderoso", mas mesmo assim só de pensar em sexo tenho ereções e/ou inicio de ereções. Quando relembro a nossa mais recente transa, é instantâneo. E o mais curioso, é que as sensações físicas veem em minha mente com facilidade, coisa que não acontecia antes, mesmo quando o coito era bem sucedido. Não sei explicar como me sinto, mas o que eu desejo é permanecer assim para sempre.

E me contento com o sexo de qualidade, feito uma vez por semana (2 na melhor das hipóteses por conta de nossa rotina), desde que eu continue tendo essa sensação de estar sempre pronto, de estar sempre viril.

É algo muito novo pra mim, e basta que eu não pense em sexo que o corpo relaxa e eu consigo dormir, obviamente se eu ficar pensando ou ver garotas até mesmo em trajes normais, a coisa começa a me atiçar, mas ainda assim não cedi nem cederei já que já aprendi como me conter.

Gostaria de saber se com você também está sendo assim, já que há tanto tempo está longe da pornografia, se esta sensação que sinto prevalecerá, se é a tendência natural e desejável de estar assim.

Eu particularmente penso que sim, afinal de contas, se não há o porno nem a masturbação, o corpo irá se ligar na mulher real, e cada estímulo dela irá despertar a força sexual latente. O que acham?

_______________________________________
A descoberta da DE e a relação com a pornografia. 1kjtc0lnl6o
A descoberta da DE e a relação com a pornografia. 1d2w6x42rk0
Paulista
Paulista
Mensagens : 132
Data de inscrição : 07/09/2014

A descoberta da DE e a relação com a pornografia. Empty Re: A descoberta da DE e a relação com a pornografia.

em 25/10/2014, 21:34
Concordo com você jota, no entanto faço uma ressalva quanto ao excesso de confiança em si próprio! NUNCA fique plenamente seguro de que você é quem domina o vicio, pois a mente pode te pregar uma peça bem dolorosa. Respeite a sua condição atual (viciado) e trabalhe em cima dela com foco total.
 Era para eu estar cumprindo o reboot em modo hard se estivesse seguido as orientações do tratamento, mas por pura prepotência eu não o fiz. Conforme os dias forem passando você vai se sentir cada vez menos vulnerável, mas nunca abaixe a guarda.


Última edição por Paulista em 31/10/2014, 18:58, editado 1 vez(es)

_______________________________________
A descoberta da DE e a relação com a pornografia. Img?u=5854033663229952
avatar
jota
Mensagens : 9
Data de inscrição : 08/10/2014

A descoberta da DE e a relação com a pornografia. Empty Re: A descoberta da DE e a relação com a pornografia.

em 28/10/2014, 11:00
Concordo contigo paulista, aliás, exatamente por isso que adotei os 2 contadores. Ao menos pra mim o pornô está se tornando mais "fácil" de lidar, entretanto, ontem tive de lidar com a vontade de me masturbar e não resisti, e como havia o mesmo tempo sem me masturbar e sem o pornô, decidi deixar o outro contador pois quero saber até quando aguento sem a masturbação que pra mim tem sido mais difícil.

Enfrentei uma flat line semana passada, sai com minha garota e rolou, mas não com a mesma intensidade de antes, e ontem, 24 horas depois do coito, a vontade de me masturbar me venceu, mas ao menos não recorri ao pornô e sim às lembranças da noite anterior.

A nossa mente é mesmo muito poderosa, devemos estar sempre vigilantes.

_______________________________________
A descoberta da DE e a relação com a pornografia. 1kjtc0lnl6o
A descoberta da DE e a relação com a pornografia. 1d2w6x42rk0
avatar
nfpad2014
Mensagens : 15
Data de inscrição : 24/11/2014

A descoberta da DE e a relação com a pornografia. Empty Re: A descoberta da DE e a relação com a pornografia.

em 2/1/2015, 23:58
Jota esse medicamento que seu urologista passou é anti depressivo, para controle da ansiedade? O meu urologista ano passado me passou um desses , até funcionou bem, mas não conseguia mais ejacular por nada, ai tive que suspender.

_______________________________________


Sobrevivente
Sobrevivente
Mensagens : 255
Data de inscrição : 15/05/2015

A descoberta da DE e a relação com a pornografia. Empty Re: A descoberta da DE e a relação com a pornografia.

em 20/4/2016, 15:56
Era inevitável, se continuássemos seguindo este caminho, mesmo quem não tivesse este problema, um dia iria olhar uma boceta ao vivo e achar que as dos vídeos eram melhores, ou que as mulheres dos vídeos eram melhores na cama e dizer: Mulher real não está com nada!
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum