Compartilhe
Ir em baixo
Mensagens : 3
Data de inscrição : 14/12/2017
Ver perfil do usuário

Vivendo em constante tempestade

em 14/12/2017, 13:29
Eu não sei como cheguei nesse fórum, rs, mas fico feliz de tê-lo encontrado.
É bom não se sentir sozinha, e encontrar pessoas que entendem o que passamos.
Descobri o vício do meu esposo poucos meses antes de casarmos, em agosto de 2016 (casamos em Maio 2017). Pra ser exata, foi exatamente no mesmo dia em que eu assinei o contrato de compra da nossa casa.
Recebi um print de um fake mostrando conversas dele em um app de encontros. Como muitos que vi por aqui, ele não se satisfazia mais só com a P em vídeo, mas também criou uma vida secundária nesse app onde ele buscava conversas bem sacanas e bem... já sabem né rs.
Ele nunca encontrou ninguém pessoalmente, mas sempre considerei isso uma traição bem dolorida, ainda mais por estarmos de casamento marcado e planejando juntos cada detalhe.
Depois de receber o print, ele mesmo assim não confessou (não é fácil contar, acredito eu). Mas sempre fui boa investigadora rs, então consegui descobrir login do app com poucas tentativas, e o fiz ler as conversas comigo. No começo ele insistiu que haviam feito um perfil no nome dele, mas lá pela quarta conversa, ele caiu no choro e confessou.
CHOQUE. Lembro perfeitamente da sensação de não sentir NADA. Nem raiva, nem dor, nem ódio, nem pena.... NADA. Sempre fui muito apegada com minha fé,e no fundo algo me dizia que eu não devia jogar meu relacionamento fora.... Se tinha conserto, pq não tentar?! E assim eu optei por lutar.
Foi a melhor coisa que fiz na vida! No começo tive noites incansáveis de pesadelos, me afundei em caixinhas de sertralina, e não tive NINGUÉM pra desabafar. Afinal, o que minha família faria? Que pai permitira um casamento nessa situação?!... Mas passou. Eu me torturava muito entrando no site e revendo as conversas, hoje graças a Deus a conta está cancelada há meses e eu já nem lembro mais o login.
Ele perdeu o emprego pouco antes de casarmos, então passamos por apertos bem grandes, e o escudo dele foi se afastar de mim. Ele cumpriu o tratamento, não voltou a ver nenhum tipo de P. Mas, ele escolheu o hard mode rs, o medo de voltar a ver pornografia era tão grande que ele não colocava a mão nem em mim mais! Trocou um vicio pelo outro, Jogos. Online (RPG), video game, tanto faz. mas sempre jogando. (e sim, é jogo mesmo rs estou sempre de olho fiscalizando rsrs).
Hoje estamos bem melhor, o casamento vai de vento em popa! Ele arrumou um emprego excelente, na área dele, está suuuuper feliz, e junto tento ser a melhor parceira possível!!! Como ele trabalha no ramo de ed física, estou me reeducando na alimentação, treinando pesado junto com ele, mirando ter um corpo bacana (não só por ele, por mim tbm, mas claro que quero chamar a atenção dele tbm!)... Mas o sexo? Nada. Raramente ele pede pra tomar banho comigo e ganhar alguns estímulos, mas só ele, nada rola comigo. Isso quando ele não foge, já coleciono desculpas rs "cansaço", "não tomei banho ainda", "tenho medo de te engravidar".... e muuuuuito raramente ele confessa "tenho medo do vício voltar".
Não sei o que fazer, embora ele seja um ótimo marido, não sei como quebrar essa casca de gelo que ele se fechou. Pra conseguir um beijo mais longo é uma vida, pq ele diz que isso é bem intimo e não é pra qualquer ocasião rs. Sexo, fizemos um dia só, na lua de mel, há 7 meses atrás. As vezes eu arranjo briga pelas minhas alterações de humor (mulheres também possuem hormônios rs aliás que são regulados pela atividade sexual), depois tenho momentos de profunda tristeza e baixa autoestima (os quais eu desconto pesado na academia ultimamente), e eu juro que tento ser forte ao extremo e ter aquela santa paciência que sabemos que nossos companheiros precisam... Mas anda difícil não se entristecer, e cada vez que me entristeço é uma briga nova, pq ele simplesmente não entende, diz que pra mim nada do que ele faz é bom o bastante. E poxa, não é assim, eu elogio muito os acertos e a superação dele, mas eu tbm sonho com um casamento "saudável e normal" Sad

desculpem o desabafo... acho que ninguém mais no mundo entenderia tudo isso.

PS.: Acho importante acrescentar uma coisa. Quando ele confessou o vício, ele já tinha consciência de que ele era viciado, mas não queria me contar por medo de perder tudo (palavras dele). Disse que isso corrompeu até a vida social dele, pois não tinha vontade de fazer mais nada além de P, conversas de sacanagem e se M. Disse que não me tocava mais por se sentir imundo, sujo.
As vezes acho que por isso ele evita quase que qualquer contato sexual, por medo de se afundar de novo.... Mas aí,como quebro isso gente?! Ele não dá indício nenhum de estar vendo porno de novo, nenhum mesmo, mas esse "afastamento" me faz ter medo de tudo acontecer de novo! Falar isso pra ele? Nem pensar, ultima vez ele entendeu como "falta de confiança" e ficou magoado.

Tem como tudo isso ser ainda mais confuso?! =/


Última edição por Undómiel em 14/12/2017, 14:03, editado 1 vez(es)
Mensagens : 3
Data de inscrição : 14/12/2017
Ver perfil do usuário

Re: Vivendo em constante tempestade

em 14/12/2017, 13:54
.
Mensagens : 24
Data de inscrição : 19/12/2017
Ver perfil do usuário

Re: Vivendo em constante tempestade

em 19/12/2017, 11:34
Oi Undómiel

Eu tb sou casada. Tb sofro com a abstinência de sexo. Meu marido tb jura de pé junto que parou pq isso estava destruindo nosso casamento. Me identifiquei com muita coisa que vc falou.
Poxa, eu não quero criar minhocas na sua cabeça... Mas na boa, 7 meses sem sexo?
Meu marido tb deixou de me procurar por meses, tb se sente culpado.. Enfim.
Foi assim que eu descobri que sim, ele estava mentindo, ele tinha voltado ao vicio.
Eu tb sou melhor que o FBI qdo quero descobrir algo, mas eles sabem esconder.
Não é minha intenção te deixar mal.. Mas é tempo demais, tem coisa errada. Eu acho que ele está mentindo pra vc. Meu marido passou a ver P e se M no trabalho pra eu não descobrir....
Vc precisa sentar com ele e ter uma conversa muito séria, diga que o casamento está em jogo e que se ele não se abrir vc vai embora. Foi isso que eu fiz. Ele nao vai falar logo, mas vc deve apertar ele!
Eles precisam de ajuda pra parar e nós precisamos de nossos maridos.
Não deixe esta situação comoda pra ele.
Mensagens : 3
Data de inscrição : 14/12/2017
Ver perfil do usuário

Re: Vivendo em constante tempestade

em 19/12/2017, 12:49
Oii!

Engraçado como nós esposas custamos a acreditar que algo ainda pode estar fora do eixo né?
No dia que escrevi o tópico eu já estava cansada de tanta "espera". No fundo eu sabia que por todos os relatos que li aqui ele ainda tinha sintomas de um viciado, mais brando do que no começo, mas ainda tinha.
No mesmo dia peguei meu notebook (o único computador que temos em casa), e como sempre soube o que e como procurar, achei uma pasta com 70 GB de pornografia. A unica hora do dia em que não estávamos juntos, na parte da manhã, ele usava pra ver pornografia.
Graças a Deus o trabalho dele não permite um ambiente comodo pra ver por lá, ele trabalha atendendo o publico durante o dia todo e a noite estamos sempre juntos, mas me descuidei e deixei a brecha da manhã livre, não fiscalizei os m**** torrents da vida, olhava só os históricos (que nunca apareciam pq ele usava a janela privativa) e cometi a enorme caca de não ter instalado bloqueadores (ele dizia que ele tinha o melhor bloqueador do mundo: eu. mas eu não posso viver em prol do vicio dele 100% do meu dia né)
Foi um soco no estômago.
A primeira vez que falei que preferia o divórcio do que ser enganada assim de novo.
E pela primeira vez ele me pediu pra trocar a senha do computador, instalar o bloqueador e agora ele só usa o computador quando estou junto (os jogos continuam sendo um hobby dele, e não vejo o pq de cortar isso.... mesmo pq nosso amor por jogos foi o que nos "juntou" rs).
O celular não me preocupa, nossos celulares são interligados, então tudo que ele acessa, recebe ou vê, eu vejo também. Ele não tem acesso a outros aparelhos, dei todos embora.

Pensei em voltar aqui no tópico e contar o que havia acontecido, mas me senti TÃO ENVERGONHADA por ter confiado tanto e quebrado a cara... Quando descobri o vício na primeira vez, fiquei tão abalada que não pesquisei tão a fundo. Hoje vejo o tamanho da burrada e inocência que foi eu achar que alguém vence isso sem ajuda nenhuma.
Nunca achei que esse vício fosse tão destrutivo também para quem está ali, lutando junto.

Mas ele está irredutível quanto a querer fazer o hard mode do reboot, ele frequentava outros fóruns onde algumas pessoas disseram que o sexo com a namorada trazia a tona o desejo pelo pornô novamente, e enfiou isso na cabeça. Não sei o que fazer, não sei se apoio, se tento mudar o pensamento dele... É muito difícil saber exatamente o que se passa na cabeça deles!

As vezes é difícil até saber o que se passa na nossa própria cabeça!
Mensagens : 24
Data de inscrição : 19/12/2017
Ver perfil do usuário

Re: Vivendo em constante tempestade

em 19/12/2017, 15:14
Nossa é complicadíssimo! Que bom que pelo menos agora vc sabe de tudo, pq acho que viver sendo enganada e nos culpando é ainda pior.
Eu estou na mesma situação que a sua!!! Não sei se o procuro pra sexo ou se o deixo no hard mode!
É difícil demais pra mim, pq sinto muita vontade.. Mas se for o melhor pra ele eu faço...
Mas, sabe qual meu medo? Ele dizer que está no hard mode, pra poder continuar com o PMO sem eu desconfiar! Pq eu desconfio qdo ele passa muito tempo sem me procurar, me recusa dando desculpas ou brocha...
Imagina a gente achando que eles estão se esforçando, a gente se privando, e eles mentindo de novo! Enfim.... Tb nao sei oq fazer... :/
avatar
Mensagens : 260
Data de inscrição : 22/09/2017
Idade : 36
Localização : Salvador
Ver perfil do usuário

Re: Vivendo em constante tempestade

em 19/12/2017, 16:39
Oi Undomiel!

É realmente um sofrimento sem tamanho descobrir todo um mundo de mentiras que um viciado em P pode criar.

Sempre venho aqui ler os relatos de esposas/companheiras por duas coisas: 1) Como lembrete do sofrimento que causei à minha esposa e ver que, como todo vício, a P tem um REAL poder destrutivo e 2) Relatar a vocês que estão sofrendo com isso, que é possível sim mudar esse quadro, mas que a determinação de parar deve ser DELE.

É notório constatar que a dor da descoberta do vício se iguala à dor de perceber que ele está mentindo, negando repetidas vezes que está tudo "sob controle", mesmo quando se tem todas as evidências do contrário.

Pelo que pude perceber pelo seu texto, vocês já leram o E-book, pelos termos usados como "hard mode", uso de bloqueadores etc. Se ainda não leram, sugiro que o façam, pois só assim vocês poderão ter detalhes de como combater o vício. Segue o link da versão gratuita:

https://drive.google.com/open?id=0B_ZBYrwrvOuJTDctSjhvdGQ1V1E

Mas há alguns pontos que não ficaram claros no seu relato. Vamos a eles:

Undómiel escreveu:Ele cumpriu o tratamento, não voltou a ver nenhum tipo de P. Mas, ele escolheu o hard mode rs, o medo de voltar a ver pornografia era tão grande que ele não colocava a mão nem em mim mais!

Undómiel escreveu:No dia que escrevi o tópico eu já estava cansada de tanta "espera". No fundo eu sabia que por todos os relatos que li aqui ele ainda tinha sintomas de um viciado, mais brando do que no começo, mas ainda tinha.
No mesmo dia peguei meu notebook (o único computador que temos em casa), e como sempre soube o que e como procurar, achei uma pasta com 70 GB de pornografia. A unica hora do dia em que não estávamos juntos, na parte da manhã, ele usava pra ver pornografia.  

Sobre ele ter cumprido o tratamento, você se refere a ter completado o reboot (restauração)?

Se a resposta foi "SIM", aí fica a dúvida quanto à ordem dos fatos: ele completou o reboot e depois você descobriu a pasta com P? Ou foi o contrário?

Caso seja a primeira alternativa, ele provavelmente esteve acessando P esse tempo todo. Eu fazia muito isso: baixava o conteúdo em algum computador desbloqueado (no meu trabalho anterior era) e descarregava no de minha casa com um pen drive. Poderia ter o mais poderoso bloqueador do mundo, que ele iria ver de qualquer jeito.

As pessoas que fazem a restauração de forma adequada, mesmo com algumas recaídas no processo, aos poucos vão retomando sua sensibilidade e interesse em fazer sexo de forma natural e saudável.

Optar pelo hard mode pode ser muito benéfico por um tempo, para realmente dissociar uma relação sexual real da P, mas vendo meu próprio caso e de muitos relatos aqui, 07 meses é muito tempo para alguém com um relacionamento já constituído. Geralmente quem fica tanto tempo em hard mode são as pessoas que ainda não conseguiram um parceiro(a) ou optam por fazer por questões pessoais e/ou religiosas.

Vale ressaltar que você NÃO TEM CULPA ALGUMA por isso. Não se sinta culpada por ter acreditado nele, você pode estar com a sensação de ter deixado as coisas correrem "frouxas demais", mas com certeza não é o caso. Quando a mulher sabe e apoia, o caminho fica muito menos pesado. Mas de nada adianta você ter esse esforço todo, se ele não fizer a parte dele, isso é fato.

Quando ele se confessou para você, provavelmente ele estava sendo sincero, mas é provável que ele não se enxergue como alguém capaz de largar o vício, porque ele destrói a auto-estima e por medo, vergonha e culpa, ele disfarce para que tudo volte ao "normal". Mas o grande primeiro passo já foi dado: ele reconhece que é viciado.

Muitas vezes quem começa com o reboot dá muito foco à abstinência da P, é evidente. Mas este é apenas uma das ações que, em conjunto com outras, vai tornando o caminho, antes "impossível", em algo viável e desejável. Abstinência da P e de fantasias, bloqueadores, exercícios físicos e outras atividades de religação, ter um diário no fórum, tudo isso em conjunto gera resultados bem animadores.

Quanto a isto:

Undómiel escreveu:Mas ele está irredutível quanto a querer fazer o hard mode do reboot, ele frequentava outros fóruns onde algumas pessoas disseram que o sexo com a namorada trazia a tona o desejo pelo pornô novamente, e enfiou isso na cabeça. Não sei o que fazer, não sei se apoio, se tento mudar o pensamento dele... É muito difícil saber exatamente o que se passa na cabeça deles!

Na verdade, este é um receio real. Já recaí bastante poucos dias depois de ter feito sexo com minha mulher, o famoso efeito caçador. Realmente ele pode incomodar bastante, mas se preparando para receber o golpe, ele nem dói tanto. Realmente faz sentido esse medo. Mas, como esse é um vício muito traiçoeiro, qualquer informação relevante ou qualquer progresso alcançado será usado pelo próprio cérebro viciado para derrubar o processo de restauração e obter o que ele já está acostumado. E pelo que puder ler do seu relato, ele já corrompeu essa informação (que é verdadeira), tornando-a uma mera desculpa para continuar saciando o vício sem que você tenha muita escolha a não ser esperar.

Mas não fique com raiva dele. Ele está doente e reconhecer isso é difícil. Nós mesmos nos enganamos sob a óptica distorcida da P. Nossa própria mente viciada nos prega peças a todo o momento e saber como ela funciona é essencial para combatê-la.

Agora, como você deve abordá-lo, eu realmente não sei... É um momento delicado, saber dosar compaixão e firmeza não é uma tarefa fácil. Mas se vocês se amam, a luz aparecerá em breve!

Sinto não poder ajudar mais, por enquanto. Mas continuo acompanhando.

Um grande abraço!

_______________________________________


Diário - o Livro Vermelho - http://www.comoparar.com/t5868-o-livro-vermelho-de-baggins
Mensagens : 1
Data de inscrição : 22/12/2017
Ver perfil do usuário

Sei o que está passando

em 22/12/2017, 09:58
Oi querida, imagino o seu sofrimento quando descobriu que ele estava mentindo todo este tempo. Sei bem o que é isso. Por já ter passado por isso quando li seu depoimento para mim estava claro que seu marido estava vendo às escondidas, Mas não quis dizer nada para entristecer.
Esse vício a pessoa tem que quere e não adianta tentarmos fazer a parte deles colocando bloqueador, vigiando, lendo a respeito do assunto. Porque isso só nos faz ficarmos neuróticas e doente. Eu entrei em depressão tentando ajudar meu marido, mas ele só começou realmente o reboot quando ele definiu realmente o que quer.
Então vai um conselho, você pode sim ajudar sendo companheira, não criticando e brigando. Mas essa parte de quere bloquear o computador, celular, TV e não sei o que mais vai ser ele quem vai decidir. Não adianta. Porque se for uma imposição ele vai arrumar uma forma de ver ( como já vi aqui depoimentos de homens que viam no trabalho ou compravam um celular somente para isso).
É minha cara nos sentimos impotentes e extremamente infelizes. Mas é a dura verdade.
Não deixe que esse problema seja o norte e prioridade da sua vida porque assim você só vai adoecer.
Um beijo e estou a disposição.
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum