Compartilhe
Ir em baixo
belaadormecida
Mensagens : 20
Data de inscrição : 29/01/2018

Acordando para a realidade

em 3/2/2018, 20:24
Olá a quem estiver por aqui...
Queria falar um pouco, depois de ler tantas experiencias aqui nesse fórum. Aliás, que me fez despertar para varias situações que passei e que acreditava já terem sido resolvidas ou que o problema não era tão complicado...
Tentarei resumir!
Casada com um homem viciado em PMO (hj acredito nisso) e no último ano estamos vivendo de conflitos. Ele nunca admitiu ser viciado, sempre que toquei no assunto ou ele mudava de tema ou me confirmava com raiva por esta falando sobre isso e já tentava mudar de assunto.
Nossas brigas sempre são por ele não conseguir me satisfazer (as vezes, ele até consegue - fico bem por um tempo, depois volto a cobrar - "mulher-hormônios"), eu acreditava que o problema era somente a ereção, mas ao ler o fórum sei que não é só isso. Ele até procurou ajuda e do nada parou. Resolvemos fazer terapia de casal, tbm não funcionou, sempre voltava com raiva, apesar de eu acreditar que em alguns momentos ele ficava melhor. Até tentava seguir o que a psicologa falava. Mas começou a reclamar que estava sendo muito pressionado, ai abandonamos tudo. Deixei ele super de boa, sem cobrar nada. Paramos a terapia de casal e eu parei minha terapia individual (que já estava fazendo há algum tempo por diversas razões pessoais minhas e por nossos problemas conjugais tbm).
Paramos tudo (eu) na esperança dele ficar bem e voltar a me procurar... já fazia alguns meses que não tínhamos intimidade alguma. No inicio do nosso casamento quando as coisas não aconteciam eu me cobrava muito, achava que não era suficiente para ele... todas essas coisas que algumas já falaram por aqui...
Tentei mudar de estratégia e procurá-lo para intimidade. Algumas vezes deram certo, outras nem tanto... mas estava seguindo... só que um fato me fez perder o chão e com isso achei o fórum... estava num comodo e ele em outro, ambos distraídos com suas atividades,  ao me voltar para a direção dele, percebi que estava vendo videos P no celular, dei um tempo para não agir no impeto e brigar. Mas logo ele levantou e foi para o banheiro, não aguentei e fui atrás, e ao questionar o que estava acontecendo ele mentiu. Perguntei novamente e novamente mentira. Não aguentei e comecei a falar, reclamar, brigamos... não acredito que ele se MO praticamente na minha frente, visto que já fazia uma semana que eu o procurava e ele me negava qualquer intimidade que fosse. Sai de casa para tentar pensar e me acalmar. Achei o fórum, li varias coisas. Quando voltei para casa, não conversamos. No outro dia, já mais calma, conversei com ele. Falei muito e ele só escutava, algumas vezes tentou se justificar.
Enfim... com tudo isso, hj percebo que o problema não sou eu, que ele esta doente e precisa de ajuda. Porém não sou capaz de ajudá-lo. Pq todas as vezes que tentei ajudá-lo sempre parece que estou pressionando ou cobrando. E não o real motivo que é tentando ajudar.
Comprei o programa e dei de presente para ele, mas antes li o manual das companheiras dos viciados e percebi que muita coisa fiz errado. Por hora, estarei tentando ajudar, me afastando, deixando ele a vontade para poder decidir o que quer realmente (afinal, só podemos ajudar quem quer ser ajudado).
Eu o amo de verdade, mas hj preciso me amar mais do que ao nosso relacionamento. Quero ficar com ele e construir nossa família, como sempre sonhei, mas se ele não for atrás de ajuda não conseguirei suportar novas ações como essa que acabei de relatar.
Queria saber de vcs, alguém já se separou do companheiro e não voltou mais? Ou vivem nesse eterno joguinho de idas e vindas, de erros e desculpas?

Aos que leram minhas angustias e dúvidas,
Paz e Bem!
BelaAdormecida, já não tão adormecida
avatar
jinsolo
Mensagens : 31
Data de inscrição : 07/01/2018

Re: Acordando para a realidade

em 3/2/2018, 20:31
No seu relato da pra ver que você põe o seu amor por ele acima de tudo e isso é muito bonito de ver. Ele tem sorte de ter uma companheira como você disposta a lutar e passar por tudo isso ao lado dele.
Desejo sucesso ao casal nessa fase, é difícil, é angustiante, mas no final todo o esforço vai valer a pena. Tudo de bom pra vocês.

Enviado pelo Topic'it
belaadormecida
Mensagens : 20
Data de inscrição : 29/01/2018

Re: Acordando para a realidade

em 5/2/2018, 09:23
É difícil viu, jinsolo. Principalmente quando o esposo sabe que tem problema mas não quer acordar para a solução... Como disse para ele, não sei até quando irei aguentar. Eu o amo, mas aos poucos estou me colocando em primeiro lugar.
Dei o programa de presente para ele, mas não sei se ele começou a ver ou se teve pelo menos curiosidade de ver o site. Como disse não quero perguntar para não parecer cobrança. Mas não posso esperar para sempre uma decisão dele.

Valeu pelas boas vibrações.
Paz e Bem!
BelaAdormecida, já não tão adormecida
avatar
Marco
Mensagens : 1685
Data de inscrição : 09/01/2017

Re: Acordando para a realidade

em 6/2/2018, 20:54
Paz e bem Bela!

As histórias de vcs, companheiras de rebooters, nos tocam intensamente pois podem vir a ser vividas por nós se não superarmos nosso problema.

Sinto pela sua situação. Pelo o quê vc relata não parece haver um dialogo produtivo entre vc e seu marido. E seu marido parece não reconhecer que precisa de ajuda.

Isso é ruim, mas vc tomou a atitude correta: fornecer-lhe o manual. Com o conhecimento ele ira se aperceber que não deve ignorar esse problema.

Reconhecer esse problema fere com o nosso orgulho e, se ainda por cima nós estamos imersos numa cultura que toma por normal as coisas vistas e feitas na pornografia então sair dessa bolha de ilusão se torna mais difícil ainda.

Por isso é fundamental o conhecimento que nos é dado pelo fórum e pelo ebook. Além disso se vc dois tem uma base de vivência religiosa seria bom trabalhar esse aspecto tendo em vista o enfrentamento desse problema.

Claro para dar o outro passo é preciso esperar ele entender que precisa ser ajudado mas enquanto isso mostre-se sempre disposta a conversar com ele e a ser um canal de confiança e de diálogo. Ter alguem com quem se abrir é de enorme ajuda.

A seção de 30 anos do fórum está repleta de colegas casados que lutam contra esse vício por suas famílias e seus casamentos. Seria bom que seu companheiro lesse essa seção para abrir os horizontes.

Espero que dê tudo certo. Fica com Deus e seja bem-vinda. Este é o seu diário. Se sinta a vontade para desabafar e sempre que possível lhe ajudaremos.

Boa sorte!
avatar
Randy
Moderador
Moderador
Mensagens : 1421
Data de inscrição : 01/12/2015

Re: Acordando para a realidade

em 9/2/2018, 19:17
Belaadormecida, esse vício acaba com nós homens e nos coloca para baixo. É muito ruim viver sendo um viciado em PMO.

Você precisa ser compreensiva com seu marido e explicar o problema para ele. E quando ele começar o reboot, vai voltar a te procurar.

_______________________________________
"Quem quer, dá um jeito. Quem não quer, inventa desculpa". Toguro

belaadormecida
Mensagens : 20
Data de inscrição : 29/01/2018

Re: Acordando para a realidade

em 10/2/2018, 16:36
Olá Marcos,

Grata por suas palavras.
Realmente é isso que já vem ocorrendo a muito tempo... falta de dialogo entre a gente. E todas as vezes que tentei tocar nesse tema sempre tinha discussão ou ele tentava mudar de assunto.
Ele sabe que tem problema, já tentou com um terapeuta e desistiu. Em algum momento já disse ter procurado algumas informações na internet. Acredito que o que ele não percebe (ou percebe e tem medo) é de que só conseguirá com ajuda. Na última discussão disse que não tinha como ajudá-lo e que ele precisava procurar ajuda de alguém para falar sobre o problema (me afirmou que ninguém sabe, a não ser eu).
Depois que dei o programa revert para ele, só perguntei uma vez se ele tinha visto... chegou a me perguntar como funcionava... expliquei... mas depois não me falou mais nada e eu tbm não perguntei, o clima já anda bem ruim, então preciso deixar ele de lado um pouco e focar em mim, nas minhas vontades, necessidades, observar as atitudes dele, sem falar, sem pedir, sem me intrometer.
E o que tenho percebido... nada de novo...
Já li vários tópicos aqui e fico imaginando que poderíamos ser nós dois, adultos, conversando sobre um problema e achando soluções. Mas por enquanto, só observando e começando a diminuir minhas expectativas.

Valeu pelas boas vibrações.
Paz e Bem!
BelaAdormecida, já não tão adormecida
belaadormecida
Mensagens : 20
Data de inscrição : 29/01/2018

Re: Acordando para a realidade

em 10/2/2018, 16:44
Olá Randy,

Sei como deve ser difícil para vcs. Já tentei me colocar no lugar dele várias vezes. Principalmente pq não é mais só PMO. Mas DE tbm.
E no início acreditei que o problema fosse eu. Mas hj sei que não é. E por isso tenho tido paciência, mas como tem no próprio programa, só se ajuda quem quer. E parece que ele não quer. Pelo menos não demonstra para mim essa vontade de tentar se livrar do vício.
Pelo contrário, sempre fica com raiva quando tocava no assunto ou quando falava em procurar ajuda.

Ainda esperando ele começar. Mas já faz 15 dias que dei o programa e nada Sad

Paz e Bem!
BelaAdormecida, já não tão adormecida
avatar
Spartan
Mensagens : 500
Data de inscrição : 22/12/2017
Idade : 18

Re: Acordando para a realidade

em 10/2/2018, 17:02
Infelizmente ele não quer! Algumas pessoas precisam tombar várias vezes até aceitarem que precisam de ajuda! Vc fez a sua parte como companheira dele! Se depois ele vim querer descontar a raiva em vc sobre os problemas que o vício causou nele, vc tem como se defender,porque ta tentando ajudar

Enviado pelo Topic'it
avatar
Randy
Moderador
Moderador
Mensagens : 1421
Data de inscrição : 01/12/2015

Re: Acordando para a realidade

em 12/2/2018, 16:53
belaadormecida escreveu:Olá Randy,

Sei como deve ser difícil para vcs. Já tentei me colocar no lugar dele várias vezes. Principalmente pq não é mais só PMO. Mas DE tbm.
E no início acreditei que o problema fosse eu. Mas hj sei que não é. E por isso tenho tido paciência, mas como tem no próprio programa, só se ajuda quem quer. E parece que ele não quer. Pelo menos não demonstra para mim essa  vontade de tentar se livrar do vício.
Pelo contrário, sempre fica com raiva quando tocava no assunto ou quando falava em procurar ajuda.

Ainda esperando ele começar. Mas já faz 15 dias que dei o programa e nada Sad

Paz e Bem!
BelaAdormecida, já não tão adormecida

Se ele não quer, não adianta forçar. Para ficar longe de PMO e ter a líbido de volta, o sujeito precisa querer fazer o reboot.

Acho que você deveria dar um ultimato para ele escolher entre você e a PMO, Ser trocada por pixels deve ser dificílimo para uma mulher

_______________________________________
"Quem quer, dá um jeito. Quem não quer, inventa desculpa". Toguro

belaadormecida
Mensagens : 20
Data de inscrição : 29/01/2018

Re: Acordando para a realidade

em 12/2/2018, 19:42
Olá Spartan,

Parece realmente que ele não quer... em outros momentos parece que quer. Enfim, estou observando, aguardando.
E sinceramente espero que ele não venha descontar a raiva dele em mim. Pois esse problema dele é de longas datas, não começou quando começamos a namorar.
Eu é quem fui enganada e me deixei levar pelo calor da emoção.
Sempre vi ele com conversas em sites de relacionamentos (o famoso caçador) e links de filmes porno, fora os vários dvds que ele tinha em casa (antes de casarmos). Sempre vinha com desculpas e que iria parar. E eu sempre acreditei e perdoei. Não tinha noção que o problema era mais grave, até ele começar a ter DE. Comecei a procurar na internet e vi que o problema era muito maior do que eu imaginava. Pois na minha inocência ver pornografia era normal para homens. Inclusive teve momentos que pedi para ver com ele... Santa inocência (feliz que isso não existe mais, agora olhos e ouvidos bem abertos, nada de desculpas esfarrapadas).

Paz e Bem!
BelaAdormecida, já não tão adormecida
belaadormecida
Mensagens : 20
Data de inscrição : 29/01/2018

Re: Acordando para a realidade

em 12/2/2018, 19:49
Olá Randy,

Não o estou forçando, estou dando tempo ao tempo, mas agora de uma forma diferente. Bem diferente!
Se ele quiser estou aqui para acompanhá-lo, não para ajudá-lo. Agora vai ter que seguir nessa sozinho.

Indiretamente o ultimato já foi dado e ele tem percebido e tentado fazer joguinhos para mudar a situação. Estou firme. Mas tbm não esperarei por ele a vida toda. Ainda tenho uma vida para viver e sonhos a realizar.

"Ser trocada por pixels deve ser dificílimo para uma mulher" para mim isso é traição, uma das piores, pq vc não tem como se defender, sempre vai existir um celular, um computador para tirar sua paz.


Paz e Bem!
BelaAdormecida, já não tão adormecida
avatar
Randy
Moderador
Moderador
Mensagens : 1421
Data de inscrição : 01/12/2015

Re: Acordando para a realidade

em 13/2/2018, 17:44
Essa situação é bastante difícil, Belaadormecida.

Agora que eu estou saindo desse vício maldito tenho a mesma percepção que você. PMO não é saudável e só afunda as relações.

Estou torcendo para que você e seu marido consigam sair dessa juntos para ter uma relação mais saudável.

_______________________________________
"Quem quer, dá um jeito. Quem não quer, inventa desculpa". Toguro

avatar
Marco
Mensagens : 1685
Data de inscrição : 09/01/2017

Re: Acordando para a realidade

em 13/2/2018, 22:28
Igual ao amigo acima registro aqui a minha torcida Bela. É muito triste ver um homem não lutar por sua família.

Se lembre dos conselhos oferecidos pelo ebook as companheiras de viciados: procure ter companheirismo e naturalidade no tratamento com ele (imagino como seja difícil, mas ainda assim é uma situação muito sensível para ambos). Por fim não jogue o vício na cara. Uma abordagem muito direta pode ser contraproducente embora caiba a você discernir o momento crítico de persistir ou desistir.

Paz e bem para você.

Fica com Deus.
belaadormecida
Mensagens : 20
Data de inscrição : 29/01/2018

Re: Acordando para a realidade

em 20/2/2018, 07:01
Grata Randy e Marco pela torcida.

Ainda estou no meu momento de observação, não quero iniciar uma conversa sem ter certeza do que eu quero, afinal, chega de passar na cara o problema (já fiz isso algumas vezes e sei que não é bom, percebi meu erro). Então por enquanto o que paira no ar são as conversas do cotidiano e as responsabilidades que nos envolvem dia a dia.
Já estamos fazendo exercícios faz alguns meses (eu disse que ia fazer e ele resolveu acompanhar. Acredito que esteja gostando pois quando não tá pra ir passa o dia resmungando), mas isso não o impediu de se MO no sofá da sala comigo no outro comodo. Enfim, por enquanto a "paz" reina por falta de ações.

Por favor, me tirem umas dúvidas, se puderem... Marco e Randy (não li o diário de vcs ainda).
Qual a idade de vcs?
Porque é mais fácil mentir que falar a verdade e tentar aceitar as consequências?
Vi em alguns posts e até no ebook que normalmente entra-se por inocência, mas sempre se observa as consequências do vício no decorrer dos anos. Porque não tentar parar? Porque não assume o problema mesmo já tendo perdido um relacionamento pelo mesmo motivo?
Que tipo de amor é esse que diz sentir pela parceira?

Foi mal, muitas perguntas... mas tudo isso esta rodopiando meu juízo.

Paz e Bem!
BelaAdormecida, já não tão adormecida
avatar
Marco
Mensagens : 1685
Data de inscrição : 09/01/2017

Re: Acordando para a realidade

em 20/2/2018, 09:45
Olá Bela, como vai?

Que bom que você está procurando se informar mais, conhecer mais, antes de tomar uma ação mais direta.

Sobre suas perguntas Bela:

Eu tenho 24 anos. E como muitos comecei na PMO por volta dos 12-13 anos.

Entrando no vício:

Entendo que nós entramos no vício por inocência se com isso se quer dizer que entramos mais por influência dos outros e da cultura do que por nossa vontade.

Todos nós temos noção de que a PMO é algo imoral. Essa é a regra geral de nossa sociedade. Tanto é assim que nunca se fala abertamente e livremente da PMO.

No entando a PMO está inserida numa cultura masculina. E é influenciado por essa cultura, por pais ou amigos, que nós sem conhecimento algum acabamos entrando nela. Então a PMO aparece como algo natural em nosso crescimento e desenvolvimento.

Afinal todos fazem. Por que eu seria diferente? Foi assim que eu entrei. Meus amigos já falavam disso. Os pais dos meus amigos já falavam disso. Eu não iria ficar de fora.

Neste sentido eu fui inocente. Eu fui mais uma vítima de uma cultura e indústria que fazem hoje a cabeça de todo mundo.

E assim vai. O comportamento se torna um hábito. O hábito se torna compulsivo. No começo o homem usa a PMO par afirmar sua masculinidade, seu gosto por mulheres. Depois ela se torna uma fuga dos problemas. Até como iniciação sexual nós pensamos que a PMO serve. Não a toa muitos procuram repetir o comportamento na cama que veem nos filmes pornôs. Enfim, a PMO, quando se torna um vício, se instala em várias partes de nossa vida.

E o momento de parar:

Bem aí vai de cada um pra cada um. Geralmente a percepção de que algo está mal e precisa ser mudado se dá num momento crítico. Aqui muitos percebem os danos quando tem sucessivos casos de disfunção erétil. Outros por consciência religiosa. Outros por que a vida está completamente diferente do que deveria ser e a pessoa começa a se perguntar. Esse foi o meu caso. Outros ainda porque tem familia e filhos e percebem que estão faltando com eles. Outros pelo desgaste em seus relacionamentos e outros pelos comportamentos extremos e antinaturais que a PMO fazem eles assumir. E por aí vai. Todas essas são situações que nos tiram do comodismo e nos levam a tomar uma ação.

E por que não tentar parar? Por que não assumir o problema? Por que não encarar a verdade e aceitar as consequências?

Aí Bela é preciso distinguir "assumir o problema" de "reconhecer o problema". Talvez seu marido já tenha reconhecido o problema. Ele só não teve coragem de assumir. Isso envolve tantos fatores. Envolve reconhecer que vc jogou boa parte de sua vida fora que poderia ter sido diferente. Envolve reconhecer que a pessoa foi e é fraca. Envolve se colocar numa posição de necessitado e dependente e nenhum homem gosta disso. Envolve até mesmo se colocar contra uma cultura da qual seus amigos muito provavelmente fazem parte e que diz o tempo todo que PMO é normal faz bem e que apela o tempo todo para nossos sentidos. Enfim, isso mexe lá no fundo com nossas vaidades e com nossa masculinidade e com nossa percepção de certo e errado. Por tudo isso é dificil assumir o problema.

Por isso Bela talvez o seu marido já tenha reconhecido o problema, mas ele ainda esteja lutando contra, contra tudo que ele vai precisar assumir. Seria bom então vc procurar saber o seguinte: qual é a reação emocional dele depois que ele prática a PMO. Para ele está tudo bem?

Veja Bela, a maioria de nós aqui ainda não completamos o reboot. Eu estou com mais de um ano de luta. Outros tem dois, três anos. Mas todos nós entendemos e assumimos que temos um problema com a PMO e que ela nos faz mal. Por isso todas as vezes que caímos nós nos sentimos mal, ficamos tristes, com raiva e remorso, mas voltamos à luta.

Muitos aqui tem parceiras, lutam também porque nao querem feri-las mas continuam caindo. Porque a PMO é um hábito de anos, anos. É difícil eliminar isso. Nós não queremos fazer, mas acabamos fazendo. Muitos caem porque usam a PMO como fuga para os problemas. PMO é como comer chocolate quando se está estressado. Só que PMO é muito mais prazeroso e muito mais danoso também.

Então sobre seu marido, talvez a raiva e a inconstância dele já sejam sinais de que ele está lutando em sua consciencia contra isso. Talvez a falta de comunicação dele seja essa fuga de uma crise que já está sendo travada na consciência dele.

Procure saber os sentimentos dele Bela. A reação emocional dele quando pratica PMO. Será que ele fica bem depois que faz isso? Ou será que ele fica com raiva, triste?

Não se esqueça. Isso mexe com nossa vaidade e com nosso orgulho próprio. Reconhecer-se dependente é se colocar numa posição de fraqueza em face de você. Por isso sua compaixão e companheirismo são fundamentais. Todos nós nos imaginamos como adultos tendo conversas racionais e resolvendo nossos problemas. Mas essas questões tão intimas e pessoais nunca são totalmente racionais. Envolvem muitos sentimentos e paixões.

Por fim eu recomendo que, além de continuar lendo o ebook, você procure o curso em 4 vídeos do Padre Paulo Ricardo no youtube sobre pornografia e masturbação. Nesse curso o Padre além de tratar da parte científica, cuida do aspecto psicológico e isso é muito importante. Talvez responda algumas de suas perguntas.

Fica com Deus Bela!
Que tudo seja conduzido para o melhor.
belaadormecida
Mensagens : 20
Data de inscrição : 29/01/2018

Re: Acordando para a realidade

em 26/2/2018, 13:08
Olá Marco,

Obrigada por suas respostas e pelas dicas.

Paz e Bem!
BelaAdormecida, já não tão adormecida
belaadormecida
Mensagens : 20
Data de inscrição : 29/01/2018

Re: Acordando para a realidade

em 6/3/2018, 07:40
Olá Marco,

Adorei os vídeos que indicou. Realmente muito bons.

Fiz algumas coisas que vocês indicaram por aqui, mas percebo que nada o afetou... pelo menos não que eu percebesse. Como a conversa entre a gente morreu, junto com a relação sexual, acredito que ele realmente não quer melhorar, ou talvez não tenha força para isso...

Então, o mais provável é que a separação ocorra, porque tudo tem limite...

Paz e Bem!
BelaAdormecida, já não tão adormecida
avatar
Baggins
Moderador
Moderador
Mensagens : 233
Data de inscrição : 22/09/2017
Idade : 36
Localização : Salvador

Re: Acordando para a realidade

em 6/3/2018, 14:04
Oi belaadormecida!

A rapaziada tem dado um apoio bacana, sobretudo por essas últimas perguntas. O Marco já discorreu muito bem sobre essas questões com muita propriedade.

Também tentarei respondê-las sob minha óptica de homem casado.

Porque é mais fácil mentir que falar a verdade e tentar aceitar as consequências?

A mente de um viciado é, sem dúvida, distorcida. Mesmo a constatação mais óbvia é amenizada e distorcida sob a óptica do vício. Antes de tomar a decisão de parar, não importa o quão delicada seja uma situação, o viciado em P nunca vai se dar por vencido, sempre terá desculpas prontas e o pior de tudo é que ele vai ACREDITAR nelas, pelo menos superficialmente. E aí tentará convencer quem está próximo de que aquilo que está acontecendo é a realidade.

Darei um exemplo prático. No meu antigo emprego, em muitas ocasiões eu chegava bem mais tarde, alegando sobrecarga. Isso era apenas um fundo de verdade. Era fato que a empresa passava por algumas transições e situações algo estressantes, com algumas tarefas extras, mas nada de anormal. Constantemente eu, já afetado pelo vício, sentia repulsa em executar as tarefas que eram necessárias, mas bastante chatas. O cérebro condicionado já reconhecia a deixa de recorrer à P nessas horas. Como o computador do trabalho era desbloqueado, começava a acessar P no trabalho mesmo, geralmente depois do almoço, quando o local ficava mais vazio. Perdia tempo acessando a P propriamente dita e também porque não rendia nada, pois constantemente tinha que fechar as páginas rapidamente e em vez de trabalhar eu ficava enrolando, esperando a oportunidade de abrir novamente as páginas de forma furtiva. No final do dia, na hora de ir embora, estava eu com o trabalho acumulado e o sentimento de culpa. Então ficava mais tarde para tirar o atraso, você deve estar pensando. Que nada... Ficava sozinho ainda navegando e aí chegava à MO. E assim acontecia no dia seguinte... e no seguinte... e no seguinte...

Chegando em casa, o motivo do grande atraso já estava todo explicado em minha mente. Trabalho demais, instabilidade na empresa, colega de trabalho que faltou, site do banco que não ajudou. Era isso, porque mais seria? Eu acreditava nisso e então outra mentira deslavada se instalava em minha mente depois disso tudo: minha vida é uma droga.

Nós mentimos para nós mesmos, belaadormecida. Quando seu marido mente para você, ele na verdade está mentindo para si mesmo.

E aí como podemos aceitar as consequências, se elas "não existem"? O mundo é assim mesmo, a vida é uma droga, quem diz que é feliz é por puro fingimento. Enquanto não saímos dessa espiral destrutiva, nosso olhar sempre está apontado em uma direção: para baixo.

Porque não tentar parar? Porque não assume o problema mesmo já tendo perdido um relacionamento pelo mesmo motivo?

E então chegamos ao segundo ponto. Mesmo reconhecendo prejuízos em todas as áreas da vida, entra-se no chamado estágio de desamparo aprendido, como bem explica o e-book. Quem tentou parar por conta própria ou com outros métodos chegou à conclusão de que não é possível se livrar disso. Não conseguimos nos enxergar sem a variável P nas nossas vidas. Simplesmente aceitamos que temos que conviver da melhor forma possível com o problema, como se fosse uma doença degenerativa incurável. É como um relacionamento abusivo, onde o vício sempre vai te dizer que você não vai conseguir passar muito tempo longe dele.

Quase cheguei a esse ponto, mas realmente tudo mudou quando conheci o e-book com o método Como Parar. Foi um alívio saber que existia um caminho para se livrar disso. Só não imaginava que melhoraria bastante as outras áreas da vida. Saber como tudo funciona e como combater de forma eficaz a compulsão é uma verdadeira epifania.

Por isso, sempre há esperança. Seria ótimo se você soubesse se ele realmente leu o e-book. Acho que teríamos uma noção do nível de comprometimento dele.

Desculpe pelo texto enorme, eu me empolgo escrevendo Laughing

Desejo muita força a você e a seu marido! Quando puder, mande notícias!

Continuo aqui na torcida.

Um grande abraço!

_______________________________________


Diário - o Livro Vermelho - http://www.comoparar.com/t5868-o-livro-vermelho-de-baggins


1° reboot registrado: 57 dias (03/09/2017 a 30/10/2017)
2° reboot registrado: 31 dias (31/10/2017 a 30/11/2017)
3° reboot registrado: 29 dias (01/12/2017 a 30/12/2017)
4° reboot registrado: 79 dias (31/12/2017 a 19/03/2018)
5° reboot registrado: 31 dias (20/03/2018 -  20/04/2018)
6° reboot registrado: 21/04/2018 - é melhor que seja dessa vez... tá começando a ficar sem espaço aqui nessa assinatura... Suspect
belaadormecida
Mensagens : 20
Data de inscrição : 29/01/2018

Re: Acordando para a realidade

em 9/4/2018, 18:30
Olá Baggins,

Obrigada pelo texto enorme, rsrs.
Demorei a responder, por esta absorvendo cada palavra dita para mim desde o dia que entrei aqui e também por tentar entender tudo que se passa dentro da minha casa.
Quando posso tenho lido seu diário, comecei do início... vc parece ter uma sensibilidade grande e consegue participar todas as dificuldades com sua esposa. Gostaria que meu esposo fizesse isso, sempre fui muito aberta com ele, sempre tentei não condená-lo ou julgá-lo por certas atitudes tomadas, mas infelizmente acredito que ele não confia em mim como uma confidente. Ele é do tipo machista...
Hoje penso que o problema dele não seja somente o vício em P. Mas questões pessoais... traumas, bullying, machismo e falta de orientação. E tudo isso só se resolve se vc procurar ajuda. E acredito que ele não esteja pronto para isso... E eu acabo sofrendo com tudo isso, pois ao amá-lo queria ajudá-lo a sair dessa, até como uma forma egoísta de pensar, pois assim ele seria alguém livre para me amar, como mereço.

Tenho alimentado a esperança de que ele irá mudar, mas tá difícil pq as mudanças são muito pequenas.
Como vc diz lá no seu diário, esse processo é lento e cada queda do reboot é diferente, mais consciente e chegará o dia em que não cairá mais. Essas palavras para mim, tem servido de alento, apesar dele não esta fazendo o reboot (ou está sem que eu saiba...).

Por isso vou seguindo.
Estou na torcida para que vc siga!
Só uma pergunta... sua esposa sabe do fórum? Ela acompanha? Escreve aqui?


Paz e Bem!
BelaAdormecida, já não tão adormecida
arcanjo_85
Mensagens : 34
Data de inscrição : 19/04/2018
Localização : Pará

Re: Acordando para a realidade

em 21/4/2018, 10:18
Belaadormecida, li o primeiro post e acho que vc precisa realmente ver se vale a pena ficar com ele ou não. Me explico:

Admitir para uma mulher que vc vê e pratica PMO é muito constrangedor, além de ter a cultura do "homem que é homem vê isso de boa", o que, convenhamos, é uma idiotice.

Então vai ser um processo de desconstrução da parte dele de conceitos e praticar a humildade com vc em relação aos sentimentos dele.

A questão toda é: vc está disposta a enfrentar esse processo? Vale a pena? Você irá aguentar? Esse é um problema que vc precisa refletir. Se você estiver no seu limite é bom ser transparente com ele e reconsiderar a relação mesmo. Pense em vc primeiro. Se vc conseguir encarar esse processo, legal, mas se não...tudo bem também. Este foi um problema que ele arranjou pra ele mesmo e ele tem que encarar...

Desejo que tudo corra bem nesse processo!

_______________________________________



Objetivo 1: 15 dias
Objetivo 2: 30 dias
Objetivo 3: 90 dias
Objetivo 4: 6 meses
Objetivo 5: 1 ano
avatar
Morpheus
Mensagens : 296
Data de inscrição : 25/10/2017

Re: Acordando para a realidade

em 24/4/2018, 01:35
Bela , o que posso dizer é que se confiar no reboot tudo dará certo , assim como aqui vários em alguns relatos de sucesso muitos usam o vício (PMO) como válvula de escape para seus problemas... seja no presente ou no passado, creio que seja o caso do seu esposo, portanto é de extrema importância que ele faça o reboot,depois que vencer tudo vai melhorar na vida de seu esposo e na sua , isso eu tenho certeza, força no reboot espero que essas palavras possam te conforta-la ..
avatar
Domi1
Moderador
Moderador
Mensagens : 382
Data de inscrição : 20/09/2015

Re: Acordando para a realidade

Ontem à(s) 17:40
Olá Não tão adormecida assim.

Como vocês estão?
Como andam as expectativas?

O Reboot é meio devagar e nos deixa cheia de dúvidas porque é uma mudança que acontece de forma tão subjetiva que fica difícil saber o que realmente anda para frente e o que é um passa para trás.

Mande notícias.

beijos
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum