Compartilhe
Ir em baixo
avatar
Mensagens : 17
Data de inscrição : 10/03/2018
Ver perfil do usuário

Diário de um jovem noivo

em 10/3/2018, 19:46
Olá, pessoal.

Estou muito feliz em encontrar esse fórum. Já conhecia o site do reebot, mas o fato do fórum deles ser em Inglês me impediu de me expressar por lá, afinal, o ideal seria conversar com pessoas de culturas mais próximas. Que bom que esse espaço existe! Pena ter demorado tanto para descobri-lo.

Para vocês terem uma ideia, eu estou há 16 dias sem PMO e sem M, mas só consegui porque estava gravando depoimentos em vídeo sobre a trajetória. Eu me comprometo mais com os outros do que comigo mesmo. Por outro lado, não queria correr o risco de expor minha identidade porque pretendo contar detalhes que pegariam mal caso um aluno meu lesse (é, sou professor).  Então escrever aqui será muito melhor. Terei a liberdade de contar tudo.

Ainda não li o livro do método "como parar" (tô super ansioso esperando o e-book chegar no meu email), mas li alguns tópicos aqui e me identifiquei demais com muitas histórias. Prova de que a união faz a força.

Falando em união, sou noivo há 7 anos. E tenho 27 de idade, ou seja, estou em um relacionamento sério há quase um terço da minha vida. Mas sou viciado em pornografia há muito mais tempo. Creio que desde os 14. Meu noivo superou o vício há algum tempo (sem métodos ou ajuda), mas isso não significa que ele tenha mais força de vontade que eu, significa apenas que o vício dele era bem menor. Eu demorei muito para assumir que sou realmente viciado, afinal, já convivia há tanto tempo com o vício que parecia ser uma parte de mim. Só que não. O vício me prejudica muito, não só no desempenho sexual, mas no intelectual e nas questões emocionais. Tenho problemas de memória (por causa da quantidade de imagens lixo que armazenava), de falta de atenção e prejudiquei muito minha autoestima por causa dos padrões da indústria pornográfica. Além de outras questões que quero detalhar nos próximos dias.

O máximo que fiquei sem P foi de aproximadamente 30 dias, mas o reebot foi interrompido por um lapso do meu noivo que resultou em um ménage a trois (o bom sexo a três) que durou a noite inteira. A noite foi muito gostosa! O sexo não foi o problema. As consequências sim. Mas não vou contar tudo agora pra não me alongar muito.

Já tentei fazer o reebot muitas vezes, mas sinto que dessa vez conseguirei. Cheguei ao fundo do poço e não pretendo voltar lá. Agora tenho vocês pra construir apoio mútuo e desejo fortemente que a mudança que sempre desejei finalmente aconteça.

Sinto que sempre estive a dois passos do paraíso, mas só agora tenho as ferramentas necessárias para chegar lá.

Um abraço de gratidão
avatar
Mensagens : 277
Data de inscrição : 11/09/2017
Ver perfil do usuário

Re: Diário de um jovem noivo

em 10/3/2018, 20:18
Bem-vindo ao fórum, amigo!

Não entendi como o menage te fez resetar, pois obter prazer de forma real não é problema.

Abs!

_______________________________________
Conquistas (reboot de P):

21 dias
34 dias
69 dias

 
avatar
Mensagens : 17
Data de inscrição : 10/03/2018
Ver perfil do usuário

Re: Diário de um jovem noivo

em 10/3/2018, 20:40
Internet escreveu:Bem-vindo ao fórum, amigo!

Não entendi como o menage te fez resetar, pois obter prazer de forma real não é problema.

Abs!

Obrigado!

Você tem razão. O sexo em si não me fez resetar. A questão é que encontramos o cara em um aplicativo e, no meu caso, utilizar aplicativo é um problema sério, porque serve de gatilho pra ver P. Além disso, como foi muito bom, fiquei com muita vontade de repetir a dose, mas como não queriamos baixar app de novo e nem sair caçando por aí, afinal somos noivos e nosso relacionamento não é aberto, eu acabei me frustrando com a impossibilidade, e pra mim a frustração é outro gatilho terrível.

Nesse bolo, ainda tive que lidar com a bad do meu noivo por conta do risco que corremos. O cara do app era legal, mas poderia não ser. O risco que falo não é só em relação a DSTs, mas na questão energética também, afinal, transar com pessoas muito viciadas em P e que não desejam superar acaba trazendo uma grande carga de objetificação, sabe? E acredito que esse é um ponto complexo causado em grande parte pela P. Deixamos de ver pessoas e vemos apenas corpos, músculos, cm e tal. Quanto mais distante do padrão P menos interessante.

E nós não queremos mais transar com quem nos vê apenas como dois caras "gatos", ou seja, como seus objetos de desejo. Somos sujeitos e não objetos. Por outro lado, não queremos viver uma relação a três. É bem complexo. Rsrsrs Mas tenho esperança de que um dia teremos amigos coloridos que entendam que sexo casual não é perversão e que, sem P e sem objetificação, o sexo casual pode ser saudável e até transcendental (como é pra mim e pro meu noivo).
Moderador
Moderador
Mensagens : 316
Data de inscrição : 07/01/2018
Ver perfil do usuário

Re: Diário de um jovem noivo

em 10/3/2018, 21:00
Achei bastante interessante sua história! Eu pratiquei sexo a 3 apenas uma vez e foi horrível, tão ruim que não vou repetir durante muito tempo.

Espero que se sinta acolhido em nosso meio. No que eu puder ajudar estou disponível, viu?

Seu noivo sabe do seu vício ? Você pratica atividades físicas? Necessitamos concentrar nossas energias em substituir o PMO por algo saudável.


Abraços!!!

_______________________________________
Visite meu diário e me ajude a vencer!

http://www.comoparar.com/t6668-reboot-marcos
avatar
Mensagens : 17
Data de inscrição : 10/03/2018
Ver perfil do usuário

Re: Diário de um jovem noivo

em 11/3/2018, 07:18
marcosbanc escreveu:Achei bastante interessante sua história! Eu pratiquei sexo a 3 apenas uma vez e foi horrível, tão ruim que não vou repetir durante muito tempo.

Espero que se sinta acolhido em nosso meio. No que eu puder ajudar estou disponível, viu?

Seu noivo sabe do seu vício ? Você pratica atividades físicas? Necessitamos concentrar nossas energias em substituir o PMO por algo saudável.


Abraços!!!

Valeu, Marcos!

Uma experiência ruim traumatiza mesmo, né? Espero que haja uma nova experiência e que ela seja boa para limpar sua sensação sobre o assunto.

Meu noivo sabe sim, ele é meu grande incentivador. Hoje eu estou mais consciente do vício e compartilho mais com ele, antes eu tinha vergonha e ficava calado, abrindo margem para recaídas. Começarei amanhã a fazer natação esportiva, espero que me ajude.

Agradeço pela força, já está fazendo diferença.
avatar
Mensagens : 92
Data de inscrição : 17/01/2018
Ver perfil do usuário

Re: Diário de um jovem noivo

em 11/3/2018, 18:20
Oi querido!

Só de você estar aberto a escrever sobre sua vida e sobre seus vícios é um passo muito grande rumo ao sucesso!
Eu te entendo completamente, já que o vício em P me fazia preferi-la muitas vezes ao sexo. Não sei se você já chegou a passar por isso, mas acaba que interfere de alguma forma nas relações, né!?
Fico muito feliz quando vejo uma história de tantos anos juntos! O amor não tem limites, ne!?

Muita força pra você! Grande abraço!
Like a Star @ heaven

_______________________________________

avatar
Mensagens : 17
Data de inscrição : 10/03/2018
Ver perfil do usuário

Re: Diário de um jovem noivo

em 11/3/2018, 20:34
joaocrv escreveu:Oi querido!

Só de você estar aberto a escrever sobre sua vida e sobre seus vícios é um passo muito grande rumo ao sucesso!
Eu te entendo completamente, já que o vício em P me fazia preferi-la muitas vezes ao sexo. Não sei se você já chegou a passar por isso, mas acaba que interfere de alguma forma nas relações, né!?
Fico muito feliz quando vejo uma história de tantos anos juntos! O amor não tem limites, ne!?

Muita força pra você! Grande abraço!
Like a Star @ heaven

Oi, João.

Você tocou em uma questão realmente grave pro relacionamento. Eu já passei muito por isso de preferir P ao invés de sexo. Inicialmente eu não percebia. Parecia uma natural falta de libido, mas na verdade era só com o sexo, já que a vontade e o impulso de ver pornografia não cessavam. E as vezes eu era até egoísta, porque evitava o sexo, mas consumia P. Hoje percebo como chega a ser absurdo, pois a tela nunca suplantará a experiência da relação entre corpos nus. Continuo na luta. Obrigado pelo comentário.
avatar
Mensagens : 277
Data de inscrição : 11/09/2017
Ver perfil do usuário

Re: Diário de um jovem noivo

em 11/3/2018, 20:50
A dois passos do paraíso escreveu:

Oi, João.

Você tocou em uma questão realmente grave pro relacionamento. Eu já passei muito por isso de preferir P ao invés de sexo. Inicialmente eu não percebia. Parecia uma natural falta de libido, mas na verdade era só com o sexo, já que a vontade e o impulso de ver pornografia não cessavam. E as vezes eu era até egoísta, porque evitava o sexo, mas consumia P. Hoje percebo como chega a ser absurdo, pois a tela nunca suplantará a experiência da relação entre corpos nus. Continuo na luta. Obrigado pelo comentário.

O nosso cérebro é programado para buscar o prazer da forma mais fácil, rápida e segura. Ou seja, é muito mais simples obter uma descarga de dopamina na frente da tela de um PC num quarto confortável do que partir pra luta e conseguir um parceiro real. Por isso a P é altamente viciante.

Trocamos o ato real pela P sem sequer percebermos. Nosso cérebro entra no modo automático.

_______________________________________
Conquistas (reboot de P):

21 dias
34 dias
69 dias

 
avatar
Mensagens : 17
Data de inscrição : 10/03/2018
Ver perfil do usuário

Re: Diário de um jovem noivo

em 12/3/2018, 09:36
Internet escreveu:
A dois passos do paraíso escreveu:

Oi, João.

Você tocou em uma questão realmente grave pro relacionamento. Eu já passei muito por isso de preferir P ao invés de sexo. Inicialmente eu não percebia. Parecia uma natural falta de libido, mas na verdade era só com o sexo, já que a vontade e o impulso de ver pornografia não cessavam. E as vezes eu era até egoísta, porque evitava o sexo, mas consumia P. Hoje percebo como chega a ser absurdo, pois a tela nunca suplantará a experiência da relação entre corpos nus. Continuo na luta. Obrigado pelo comentário.

O nosso cérebro é programado para buscar o prazer da forma mais fácil, rápida e segura. Ou seja, é muito mais simples obter uma descarga de dopamina na frente da tela de um PC num quarto confortável do que partir pra luta e conseguir um parceiro real. Por isso a P é altamente viciante.

Trocamos o ato real pela P sem sequer percebermos. Nosso cérebro entra no modo automático.

Verdade. E no meu caso o vício era ainda pior, porque mesmo tendo um parceiro disponível e sempre cheio de tesão, muitas vezes a vontade de ver P era maior. Algumas vezes eu via antes ou depois do sexo. Ver P dava vontade de transar e transar dava vontade de PMO.

Agora tô ficando só com o sexo mesmo. Inclusive, vou aproveitar que hoje só trabalhamos a tarde e temos o resto da manhã livre em casa para aproveitar, se é que você me entende. Hahahahaha

Um abraço, querido!
avatar
Mensagens : 92
Data de inscrição : 17/01/2018
Ver perfil do usuário

Re: Diário de um jovem noivo

em 17/3/2018, 17:21
Olá meu querido! Como tem passado? Dá notícias quando puder!
Abraço e muita luz!

_______________________________________

avatar
Mensagens : 115
Data de inscrição : 25/12/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário de um jovem noivo

em 17/3/2018, 21:52
Oi! Me vi bastante em várias partes do seu relato.

A dois passos do paraíso escreveu:Nesse bolo, ainda tive que lidar com a bad do meu noivo por conta do risco que corremos. O cara do app era legal, mas poderia não ser. O risco que falo não é só em relação a DSTs, mas na questão energética também, afinal, transar com pessoas muito viciadas em P e que não desejam superar acaba trazendo uma grande carga de objetificação, sabe? E acredito que esse é um ponto complexo causado em grande parte pela P. Deixamos de ver pessoas e vemos apenas corpos, músculos, cm e tal. Quanto mais distante do padrão P menos interessante.

E nós não queremos mais transar com quem nos vê apenas como dois caras "gatos", ou seja, como seus objetos de desejo. Somos sujeitos e não objetos. Por outro lado, não queremos viver uma relação a três. É bem complexo. Rsrsrs Mas tenho esperança de que um dia teremos amigos coloridos que entendam que sexo casual não é perversão e que, sem P e sem objetificação, o sexo casual pode ser saudável e até transcendental (como é pra mim e pro meu noivo).

Concordo tanto com o que você falou neste trecho em especial que eu mesmo poderia ter escrito hehe.

Favoritei o tópico para acompanhar os seus próximos posts. Continue firme e forte que você vai ajudar muuuita gente além de si mesmo, mesmo que não saiba. Wink Abraço!
avatar
Mensagens : 17
Data de inscrição : 10/03/2018
Ver perfil do usuário

DIA 23

em 18/3/2018, 00:35
Oi, amigos! Escrevi um relato detalhado sobre a semana, mas perdi tudo. Já superei a raiva e vou escrever de novo.

A minha semana foi bastante cansativa, mas isso é bom, pois consegui por em prática coisas que quero fazer há muito tempo.

Comecei a natação. Estava sedentário desde que mudei pra essa nova cidade e não queria voltar a fazer musculação porque já percebi que não tenho paciência para repetições ad infinitum. A natação me dá a oportunidade de me manter em exercício e de finalmente superar minha fobia a águas profundas. Mas é só o começo.

Consegui também regular meu ciclo circadiano (que antes estava uma montanha russa, rsrsrs). Estou conseguindo dormir e acordar na mesma faixa de horário, embora hoje seja uma exceção (porque eu não iria conseguir dormir sem escrever pra vocês). 

Me sinto realizado pelas conquistas acima, mas nem tudo são flores.

Dei dois deslizes essa semana que me deixaram muito mal.

O primeiro foi na quarta. Mudei pra uma cidade turística litorânea onde volta e meia atracam transatlânticos. Isso nunca fez muita diferença pra mim, até essa quarta. O dia estava muito quente e minha libido estava MUITO alta. Muito mesmo. Meu instinto predador estava a 100%. A vontade era de assediar os boys na rua. Ainda bem que tenho juízo, senão estaria preso. Rsrsrs Fiquei me auto observando. Aquele tesão assim, naquela situação, não era normal. E a cidade quente e cheia de pessoas de fora deixava tudo mais excitante. Estava curioso pra saber quem eram e a que distância estavam os caras gays e por isso baixei um app de pegação. Olhei alguns perfis e logo parei. Não estava disposto a resetar por causa de nudes trocadas, e eu não passaria disso mesmo. 

Esses app me deixam mal porque são cardápios humanos. Pra piorar, aqui na minha cidade a maioria dos caras não se expõe, então vira um cardápio de homens sem rosto. Eu me sinto apenas um predador escolhendo carne no açougue. Isso não me faz bem. Desinstalei o app, mas a libido continuava desequilibrada. Resolvi largar tudo e fui tomar um banho de mar ao anoitecer. Minha relação com o mar é rasa, literalmente, pois tenho medo das profundezas, e acho que é por isso que o meu respeito pelo mar seja tão grande. Ver as ondas se misturarem com a neblina me equilibrou. Em casa meu noivo me ajudou. Se ele estivesse comigo de dia o sexo teria sido bem mais quente. Mas se fosse assim não haveria o aprendizado.

O segundo deslize foi por causa do Instagram. Na verdade, a culpa não é do Instagram em si. A culpa é minha. Eu amo o Instagram. E esse app tem uma das melhores proteções nativas contra P. O problema é o meu fetiche absoluto por homens de sunga ou cueca. E esse fetiche é um gatilho pra P. Eu desinstalei o app por causa disso, mas dá pra acessar pelo chrome. São muito tentadores os perfis que reúnem os boys de sunga ou cueca e foram a eles que recorri quando tive o impulso de ver P. Não passei deles, mas não quero mais. Não. Eu quero aproveitar o reboot pra superar o culto ao corpo "perfeito". Eu não quero mais reduzir essas pessoas a corpos. Elas são mais que isso. Por detrás das imagens podem existir pessoas maravilhosas ou cretinas. Não dá pra saber. A imagem é pura ilusão. Então me pergunto: por que ainda as vejo?  E isso me lembra do quanto sou fraco e aí fico mal.

Temos que nos cuidar sim, manter o corpo saudável. Musculação é uma ótima opção, bem como outras atividades físicas. Não sou contra. Só não vamos nos reduzir ou reduzir os outros apenas às suas formas físicas. O conteúdo é importante. Quando forma e conteúdo estão em sintonia, há equilibrio. Para mim, um cara super inteligente que não se cuida é tão desinteressante quanto um cara malhado que não exercita o intelecto. É um assunto até clichê na teoria. O desafio é por em prática.

Bem, a semana foi longa e o post também. Um abraço especial pra quem leu até o final.
avatar
Mensagens : 277
Data de inscrição : 11/09/2017
Ver perfil do usuário

Re: Diário de um jovem noivo

em 18/3/2018, 11:02
A dois passos do paraíso escreveu:Oi, amigos! Escrevi um relato detalhado sobre a semana, mas perdi tudo. Já superei a raiva e vou escrever de novo.

A minha semana foi bastante cansativa, mas isso é bom, pois consegui por em prática coisas que quero fazer há muito tempo.

Comecei a natação. Estava sedentário desde que mudei pra essa nova cidade e não queria voltar a fazer musculação porque já percebi que não tenho paciência para repetições ad infinitum. A natação me dá a oportunidade de me manter em exercício e de finalmente superar minha fobia a águas profundas. Mas é só o começo.

Consegui também regular meu ciclo circadiano (que antes estava uma montanha russa, rsrsrs). Estou conseguindo dormir e acordar na mesma faixa de horário, embora hoje seja uma exceção (porque eu não iria conseguir dormir sem escrever pra vocês). 

Me sinto realizado pelas conquistas acima, mas nem tudo são flores.

Dei dois deslizes essa semana que me deixaram muito mal.

O primeiro foi na quarta. Mudei pra uma cidade turística litorânea onde volta e meia atracam transatlânticos. Isso nunca fez muita diferença pra mim, até essa quarta. O dia estava muito quente e minha libido estava MUITO alta. Muito mesmo. Meu instinto predador estava a 100%. A vontade era de assediar os boys na rua. Ainda bem que tenho juízo, senão estaria preso. Rsrsrs Fiquei me auto observando. Aquele tesão assim, naquela situação, não era normal. E a cidade quente e cheia de pessoas de fora deixava tudo mais excitante. Estava curioso pra saber quem eram e a que distância estavam os caras gays e por isso baixei um app de pegação. Olhei alguns perfis e logo parei. Não estava disposto a resetar por causa de nudes trocadas, e eu não passaria disso mesmo. 

Esses app me deixam mal porque são cardápios humanos. Pra piorar, aqui na minha cidade a maioria dos caras não se expõe, então vira um cardápio de homens sem rosto. Eu me sinto apenas um predador escolhendo carne no açougue. Isso não me faz bem. Desinstalei o app, mas a libido continuava desequilibrada. Resolvi largar tudo e fui tomar um banho de mar ao anoitecer. Minha relação com o mar é rasa, literalmente, pois tenho medo das profundezas, e acho que é por isso que o meu respeito pelo mar seja tão grande. Ver as ondas se misturarem com a neblina me equilibrou. Em casa meu noivo me ajudou. Se ele estivesse comigo de dia o sexo teria sido bem mais quente. Mas se fosse assim não haveria o aprendizado.

O segundo deslize foi por causa do Instagram. Na verdade, a culpa não é do Instagram em si. A culpa é minha. Eu amo o Instagram. E esse app tem uma das melhores proteções nativas contra P. O problema é o meu fetiche absoluto por homens de sunga ou cueca. E esse fetiche é um gatilho pra P. Eu desinstalei o app por causa disso, mas dá pra acessar pelo chrome. São muito tentadores os perfis que reúnem os boys de sunga ou cueca e foram a eles que recorri quando tive o impulso de ver P. Não passei deles, mas não quero mais. Não. Eu quero aproveitar o reboot pra superar o culto ao corpo "perfeito". Eu não quero mais reduzir essas pessoas a corpos. Elas são mais que isso. Por detrás das imagens podem existir pessoas maravilhosas ou cretinas. Não dá pra saber. A imagem é pura ilusão. Então me pergunto: por que ainda as vejo?  E isso me lembra do quanto sou fraco e aí fico mal.

Temos que nos cuidar sim, manter o corpo saudável. Musculação é uma ótima opção, bem como outras atividades físicas. Não sou contra. Só não vamos nos reduzir ou reduzir os outros apenas às suas formas físicas. O conteúdo é importante. Quando forma e conteúdo estão em sintonia, há equilibrio. Para mim, um cara super inteligente que não se cuida é tão desinteressante quanto um cara malhado que não exercita o intelecto. É um assunto até clichê na teoria. O desafio é por em prática.

Bem, a semana foi longa e o post também. Um abraço especial pra quem leu até o final.

A P remodela nossos gostos.

Eu, por exemplo, estava super preso ao padrão de beleza ítalo-mediterrânico antes de começar o reboot, mas agora já consigo me interessar por outros biotipos.

Abs!

_______________________________________
Conquistas (reboot de P):

21 dias
34 dias
69 dias

 
avatar
Mensagens : 92
Data de inscrição : 17/01/2018
Ver perfil do usuário

Re: Diário de um jovem noivo

em 18/3/2018, 15:35
A dois passos do paraíso escreveu:Oi, amigos! Escrevi um relato detalhado sobre a semana, mas perdi tudo. Já superei a raiva e vou escrever de novo.

A minha semana foi bastante cansativa, mas isso é bom, pois consegui por em prática coisas que quero fazer há muito tempo.

Comecei a natação. Estava sedentário desde que mudei pra essa nova cidade e não queria voltar a fazer musculação porque já percebi que não tenho paciência para repetições ad infinitum. A natação me dá a oportunidade de me manter em exercício e de finalmente superar minha fobia a águas profundas. Mas é só o começo.

Consegui também regular meu ciclo circadiano (que antes estava uma montanha russa, rsrsrs). Estou conseguindo dormir e acordar na mesma faixa de horário, embora hoje seja uma exceção (porque eu não iria conseguir dormir sem escrever pra vocês). 

Me sinto realizado pelas conquistas acima, mas nem tudo são flores.

Dei dois deslizes essa semana que me deixaram muito mal.

O primeiro foi na quarta. Mudei pra uma cidade turística litorânea onde volta e meia atracam transatlânticos. Isso nunca fez muita diferença pra mim, até essa quarta. O dia estava muito quente e minha libido estava MUITO alta. Muito mesmo. Meu instinto predador estava a 100%. A vontade era de assediar os boys na rua. Ainda bem que tenho juízo, senão estaria preso. Rsrsrs Fiquei me auto observando. Aquele tesão assim, naquela situação, não era normal. E a cidade quente e cheia de pessoas de fora deixava tudo mais excitante. Estava curioso pra saber quem eram e a que distância estavam os caras gays e por isso baixei um app de pegação. Olhei alguns perfis e logo parei. Não estava disposto a resetar por causa de nudes trocadas, e eu não passaria disso mesmo. 

Esses app me deixam mal porque são cardápios humanos. Pra piorar, aqui na minha cidade a maioria dos caras não se expõe, então vira um cardápio de homens sem rosto. Eu me sinto apenas um predador escolhendo carne no açougue. Isso não me faz bem. Desinstalei o app, mas a libido continuava desequilibrada. Resolvi largar tudo e fui tomar um banho de mar ao anoitecer. Minha relação com o mar é rasa, literalmente, pois tenho medo das profundezas, e acho que é por isso que o meu respeito pelo mar seja tão grande. Ver as ondas se misturarem com a neblina me equilibrou. Em casa meu noivo me ajudou. Se ele estivesse comigo de dia o sexo teria sido bem mais quente. Mas se fosse assim não haveria o aprendizado.

O segundo deslize foi por causa do Instagram. Na verdade, a culpa não é do Instagram em si. A culpa é minha. Eu amo o Instagram. E esse app tem uma das melhores proteções nativas contra P. O problema é o meu fetiche absoluto por homens de sunga ou cueca. E esse fetiche é um gatilho pra P. Eu desinstalei o app por causa disso, mas dá pra acessar pelo chrome. São muito tentadores os perfis que reúnem os boys de sunga ou cueca e foram a eles que recorri quando tive o impulso de ver P. Não passei deles, mas não quero mais. Não. Eu quero aproveitar o reboot pra superar o culto ao corpo "perfeito". Eu não quero mais reduzir essas pessoas a corpos. Elas são mais que isso. Por detrás das imagens podem existir pessoas maravilhosas ou cretinas. Não dá pra saber. A imagem é pura ilusão. Então me pergunto: por que ainda as vejo?  E isso me lembra do quanto sou fraco e aí fico mal.

Temos que nos cuidar sim, manter o corpo saudável. Musculação é uma ótima opção, bem como outras atividades físicas. Não sou contra. Só não vamos nos reduzir ou reduzir os outros apenas às suas formas físicas. O conteúdo é importante. Quando forma e conteúdo estão em sintonia, há equilibrio. Para mim, um cara super inteligente que não se cuida é tão desinteressante quanto um cara malhado que não exercita o intelecto. É um assunto até clichê na teoria. O desafio é por em prática.

Bem, a semana foi longa e o post também. Um abraço especial pra quem leu até o final.

Oi meu querido!
Me identifiquei com muitas coisas que você está sentindo! Como você disse, que coincidência enorme que começamos natação quase no mesmo período! Está gostando? Qualquer que seja o esporte, é uma atividade de rebalanceamento de todos os nossos circuitos de prazer. Sinto bastante alívio quando estou estressado e vou nadar... Gastar energia de forma positiva é muito prazeroso, ainda mais quando substitui atividades antes nocivas, como a P e a M.
Te aconselho a tomar muito cuidado com os aplicativos e com as redes sociais. Meu recorde no Reboot foi aos 72 dias, no ano passado. Recaí por causa desses gatilhos e de "masturbações inocentes", que eu declarava não ter nenhum cunho de fantasia e muito menos pornografia. Tudo que fazemos com parcimônia tem grandes chances de ser positivo pra gente. Até mesmo as redes sociais.
E essa questão dos aplicativos, seu acesso está dentro do acordo que você e seu noivo fizeram? Ou acaba que é um deslize, talvez por causa da PMO?

Um grande abraço e uma semana cheia de luz! Estou aqui para o que precisar, à medida do possível!
Like a Star @ heaven

_______________________________________

avatar
Mensagens : 9
Data de inscrição : 16/03/2018
Idade : 24
Ver perfil do usuário

Re: Diário de um jovem noivo

em 18/3/2018, 16:41
Olá amigo, seja muito bem vindo ao fórum, seu caso é bem parecido com o meu, eu namoro e não consigo me livrar do vício meu namorado assim como seu noivo tinha vício mas superou, eu ainda convivo com o meu só que ela pensa que não tenho mais praticado a PMO, vou te acompanhar e torcer por ti, grande abraço.

_______________________________________
Moderador
Moderador
Mensagens : 316
Data de inscrição : 07/01/2018
Ver perfil do usuário

Re: Diário de um jovem noivo

em 18/3/2018, 17:40
Não preciso dizer que este diário e o do meu ídolo @joaocv são meus favoritos, não é? Vocês me fazem refletir tanto! Essa conexão que vocês possuem com a positividade, com o astral, com as reflexões de nossos psicólogos hahahahaha gente, sério, eu saio daqui renovado toda vez que entro em vossos daily vlogs!
Também moro em uma cidade litorânea cheia de gatchinhos, e os apps nem preciso dizer, não é? É LOTADO de carne humana. A gente respira fundo, finge que não viu nada, e segue o baile.
Concordo com tudo que você disse, sobre os corpos, o efeito da pornografia sobre nossas percepções, tudo! Te digo que, agora, com 78 dias de reboot, eu sinto tesão por qualquer macho mais ou menos bonitinho. Troquei o corpo pelo papo.
Desejo a você todas as boas energias desse universo! Acompanhando Smile

_______________________________________
Visite meu diário e me ajude a vencer!

http://www.comoparar.com/t6668-reboot-marcos
avatar
Mensagens : 17
Data de inscrição : 10/03/2018
Ver perfil do usuário

Re: Diário de um jovem noivo

em 19/3/2018, 06:40
Bruquendi escreveu:Oi! Me vi bastante em várias partes do seu relato.

Concordo tanto com o que você falou neste trecho em especial que eu mesmo poderia ter escrito hehe.

Favoritei o tópico para acompanhar os seus próximos posts. Continue firme e forte que você vai ajudar muuuita gente além de si mesmo, mesmo que não saiba. Wink Abraço!

Oi, Bruquendi. Obrigado pela força! Fico muito feliz em poder ajudar de alguma forma.


Última edição por A dois passos do paraíso em 19/3/2018, 09:51, editado 1 vez(es)
avatar
Mensagens : 17
Data de inscrição : 10/03/2018
Ver perfil do usuário

Re: Diário de um jovem noivo

em 19/3/2018, 08:13
[/quote] P remodela nossos gostos.

Eu, por exemplo, estava super preso ao padrão de beleza ítalo-mediterrânico antes de começar o reboot, mas agora já consigo me interessar por outros biotipos.

Abs![/quote]

Obrigado pelo alerta.
A cada dia tomo mais consciência disso. Vou percebendo como meus desejos e fantasias estão repletas do padrão P e tento limpá-los e torná-los mais naturais e genuínos.
avatar
Mensagens : 17
Data de inscrição : 10/03/2018
Ver perfil do usuário

Re: Diário de um jovem noivo

em 19/3/2018, 10:05
joaocrv escreveu:
A dois passos do paraíso escreveu:Oi, amigos! Escrevi um relato detalhado sobre a semana, mas perdi tudo. Já superei a raiva e vou escrever de novo.

A minha semana foi bastante cansativa, mas isso é bom, pois consegui por em prática coisas que quero fazer há muito tempo.

Comecei a natação. Estava sedentário desde que mudei pra essa nova cidade e não queria voltar a fazer musculação porque já percebi que não tenho paciência para repetições ad infinitum. A natação me dá a oportunidade de me manter em exercício e de finalmente superar minha fobia a águas profundas. Mas é só o começo.

Consegui também regular meu ciclo circadiano (que antes estava uma montanha russa, rsrsrs). Estou conseguindo dormir e acordar na mesma faixa de horário, embora hoje seja uma exceção (porque eu não iria conseguir dormir sem escrever pra vocês). 

Me sinto realizado pelas conquistas acima, mas nem tudo são flores.

Dei dois deslizes essa semana que me deixaram muito mal.

O primeiro foi na quarta. Mudei pra uma cidade turística litorânea onde volta e meia atracam transatlânticos. Isso nunca fez muita diferença pra mim, até essa quarta. O dia estava muito quente e minha libido estava MUITO alta. Muito mesmo. Meu instinto predador estava a 100%. A vontade era de assediar os boys na rua. Ainda bem que tenho juízo, senão estaria preso. Rsrsrs Fiquei me auto observando. Aquele tesão assim, naquela situação, não era normal. E a cidade quente e cheia de pessoas de fora deixava tudo mais excitante. Estava curioso pra saber quem eram e a que distância estavam os caras gays e por isso baixei um app de pegação. Olhei alguns perfis e logo parei. Não estava disposto a resetar por causa de nudes trocadas, e eu não passaria disso mesmo. 

Esses app me deixam mal porque são cardápios humanos. Pra piorar, aqui na minha cidade a maioria dos caras não se expõe, então vira um cardápio de homens sem rosto. Eu me sinto apenas um predador escolhendo carne no açougue. Isso não me faz bem. Desinstalei o app, mas a libido continuava desequilibrada. Resolvi largar tudo e fui tomar um banho de mar ao anoitecer. Minha relação com o mar é rasa, literalmente, pois tenho medo das profundezas, e acho que é por isso que o meu respeito pelo mar seja tão grande. Ver as ondas se misturarem com a neblina me equilibrou. Em casa meu noivo me ajudou. Se ele estivesse comigo de dia o sexo teria sido bem mais quente. Mas se fosse assim não haveria o aprendizado.

O segundo deslize foi por causa do Instagram. Na verdade, a culpa não é do Instagram em si. A culpa é minha. Eu amo o Instagram. E esse app tem uma das melhores proteções nativas contra P. O problema é o meu fetiche absoluto por homens de sunga ou cueca. E esse fetiche é um gatilho pra P. Eu desinstalei o app por causa disso, mas dá pra acessar pelo chrome. São muito tentadores os perfis que reúnem os boys de sunga ou cueca e foram a eles que recorri quando tive o impulso de ver P. Não passei deles, mas não quero mais. Não. Eu quero aproveitar o reboot pra superar o culto ao corpo "perfeito". Eu não quero mais reduzir essas pessoas a corpos. Elas são mais que isso. Por detrás das imagens podem existir pessoas maravilhosas ou cretinas. Não dá pra saber. A imagem é pura ilusão. Então me pergunto: por que ainda as vejo?  E isso me lembra do quanto sou fraco e aí fico mal.

Temos que nos cuidar sim, manter o corpo saudável. Musculação é uma ótima opção, bem como outras atividades físicas. Não sou contra. Só não vamos nos reduzir ou reduzir os outros apenas às suas formas físicas. O conteúdo é importante. Quando forma e conteúdo estão em sintonia, há equilibrio. Para mim, um cara super inteligente que não se cuida é tão desinteressante quanto um cara malhado que não exercita o intelecto. É um assunto até clichê na teoria. O desafio é por em prática.

Bem, a semana foi longa e o post também. Um abraço especial pra quem leu até o final.

Oi meu querido!
Me identifiquei com muitas coisas que você está sentindo! Como você disse, que coincidência enorme que começamos natação quase no mesmo período! Está gostando? Qualquer que seja o esporte, é uma atividade de rebalanceamento de todos os nossos circuitos de prazer. Sinto bastante alívio quando estou estressado e vou nadar... Gastar energia de forma positiva é muito prazeroso, ainda mais quando substitui atividades antes nocivas, como a P e a M.
Te aconselho a tomar muito cuidado com os aplicativos e com as redes sociais. Meu recorde no Reboot foi aos 72 dias, no ano passado. Recaí por causa desses gatilhos e de "masturbações inocentes", que eu declarava não ter nenhum cunho de fantasia e muito menos pornografia. Tudo que fazemos com parcimônia tem grandes chances de ser positivo pra gente. Até mesmo as redes sociais.
E essa questão dos aplicativos, seu acesso está dentro do acordo que você e seu noivo fizeram? Ou acaba que é um deslize, talvez por causa da PMO?

Um grande abraço e uma semana cheia de luz! Estou aqui para o que precisar, à medida do possível!
Like a Star @ heaven

Tô gostando muito da natação! Não imaginava que fosse me fazer tão bem.
Pretendo não voltar a acessar os app e reduzir bruscamente o uso de redes sociais nesse período de maior instabilidade.
Não há acordo com meu noivo sobre uso de app. Foi um deslize mesmo por conta da libido desequilibrada. Ele ficou chateado/triste quando contei, afinal foi um percalço nessa caminhada. Em relação a ciúmes, acho que ele fica mais bolado quando tenho sonhos eróticos com caras aleatórios do que com aplicativos. Porque nós construímos uma relação sólida de confiança mútua. Então ele sabe que não vou trair a relação por causa de "carne". Nós controlamos nossos institutos, né? Então é tudo escolha. Já em relação aos sonhos, não há controle (exceto pra quem consegue ter sonhos lúcidos, é claro). Então a mente vai longe nas fantasias e ele fica bolado quando conto. Hahahahaha Mas ambos sabem que é normal, afinal, ninguém deixa de ter tesão por outras pessoas quando casa, só escolhe não ir adiante.
Obrigado pelas vibrações! Abraços
avatar
Mensagens : 17
Data de inscrição : 10/03/2018
Ver perfil do usuário

Re: Diário de um jovem noivo

em 19/3/2018, 10:10
marcosbanc escreveu:Não preciso dizer que este diário e o do meu ídolo @joaocv são meus favoritos, não é? Vocês me fazem refletir tanto! Essa conexão que vocês possuem com a positividade, com o astral, com as reflexões de nossos psicólogos hahahahaha gente, sério, eu saio daqui renovado toda vez que entro em vossos daily vlogs!
Também moro em uma cidade litorânea cheia de gatchinhos, e os apps nem preciso dizer, não é? É LOTADO de carne humana. A gente respira fundo, finge que não viu nada, e segue o baile.
Concordo com tudo que você disse, sobre os corpos, o efeito da pornografia sobre nossas percepções, tudo! Te digo que, agora, com 78 dias de reboot, eu sinto tesão por qualquer macho mais ou menos bonitinho. Troquei o corpo pelo papo.
Desejo a você todas as boas energias desse universo! Acompanhando Smile

Nossa! Já está chegando nos 90 dias. (Seria meu sonho? Rsrsrs) Parabéns!!!

Trocar o corpo pelo papo é uma estratégia ótima. Inteligência também dá muito tesão!!! Hahaha

Um abraço
avatar
Mensagens : 17
Data de inscrição : 10/03/2018
Ver perfil do usuário

Re: Diário de um jovem noivo

em 19/3/2018, 10:12
Ezreal_ escreveu:Olá amigo, seja muito bem vindo ao fórum,  seu caso é bem parecido com o meu, eu namoro e não consigo me livrar do vício meu namorado assim como seu noivo tinha vício mas superou, eu ainda convivo com o meu só que ela pensa que não tenho mais praticado a PMO, vou te acompanhar e torcer por ti, grande abraço.

Oi, querido. Obrigado. Agora que você recomeçou, sempre que tiver muita vontade e achar que pode não se controlar, fale com seu namorado. Eu tinha muita vergonha de falar, mas superar meu orgulho e assumir que precisava de ajuda me fortaleceu. Acho que sem isso eu nem chegaria a 20 dias. Estou aqui pro que precisar. Abraços
avatar
Mensagens : 17
Data de inscrição : 10/03/2018
Ver perfil do usuário

Comentário

em 22/3/2018, 22:59
Oi, pessoal.

Escrevi um comentário no diário do Internet e resolvi compartilhar aqui porque descreve uma mudança muito significativa na minha vida.

No FDS eu falo sobre essa semana. Bjos

--

Querido, me identifico com muitas das questões trazidas por você e fico muito feliz pelo seu avanço.

Como estamos aqui pra nos ajudar, quero compartilhar contigo minha experiência em relação a versatilização da sexualidade homoafetiva (nossa, ficou bonito esse trecho, dá um TCC. hahahahaha).

Como cresci rápido e a vida me fez amadurecer na mesma velocidade, comecei minha vida sexual cedo (16 anos). Não sei se pela inexperiência normal da idade ou pela total falta de referências, eu era muito inseguro em relação a sexo e por isso achava que eu tinha que ser passivo. Inclusive porque no início me envolvi com caras mais velhos.

O que é engraçado nessa história é que eu sempre fui bem "machinho", não por repressão, vergonha ou coisa do tipo. Eu simplesmente sou pouco afeminado, é meu jeito, e isso, por incrível que pareça, muitas vezes é um problema. (Mas depois eu conto o porquê). Engraçado porque eu fiquei com alguns caras querendo ser passivo e na hora H eu tinha que ser ativo e não sabia direito o que fazer. (Na época não haviam os app em que se diz de antemão o que cada um "curte"). Isso era meio frustrante.

Já quando eu era passivo, ficava muito mais a vontade pois parecia que era o mais "natural". Só que não é real. É tudo uma construção bem complexa que, no meu caso, era mais um fruto da sociedade machista e falocentrica. Essa lógica que muitas pessoas usa de que "quem tem o pau maior deve ser o ativo" é uma prova da distorção que coloca as características físicas a frente do prazer. E eu muitas vezes usei essa lógica para justificar a minha "posição" em relação ao sexo.

Minha vida sexual começou cedo, mas não foi muito variada. Dos 18 aos 20 namorei um rapaz, fiquei um ano solteiro, mas bem na minha, e depois comecei a namorar com meu atual. E foi ele que me impulsionou a me livrar de muitas amarras.

No início do namoro eu era só passivo e achava normal. Meu noivo não me pressionava, pois ele era versátil e não tinha do que reclamar. Já hoje ele reclama porque as vezes fico muito tempo sem dar rsrsrs.

A mudança só aconteceu quando desatei minha amarras psicológicas e culturais, me libertei de verdade e descobri que sexo é maravilhoso DE TODAS AS FORMAS.

Quando se é versátil as possibilidades são muito maiores. Hoje eu me vejo como um cara totalmente versátil. Sério. Quando sou passivo, sou passivo mesmo, sem amarras. Quando sou ativo, sou realmente ativo, com muita vontade. Hoje eu gosto das duas coisas de forma totalmente igual. E estar morando com meu noivo facilita as coisas, porque fazemos o que temos vontade. Qualquer coisa é só trocar. Rsrsrs

É claro que, com caras aleatórios que vejo por aí, o desejo instintivo sempre pende pra algum lado ("com aquele eu seria passivo, com aquele outro eu seria ativo"), mas certamente, se fosse rolar algo com alguém, isso não seria uma questão, porque o que o cara quisesse eu faria. Rsrsrs Se pra eu que sou praticamente casado já é simples, imagine pra quem é solteiro. Rsrsrs

Na experiência a três que eu e meu noivo tivemos (a que eu contei anteriormente) os três foram versáteis. As possibilidades de prazer se multiplicaram. Por isso durou a noite toda.

No mais, é isso:

Se permita ser versátil. Você vai se conhecer muito mais e melhor.
avatar
Mensagens : 92
Data de inscrição : 17/01/2018
Ver perfil do usuário

Re: Diário de um jovem noivo

em 30/3/2018, 12:16
Olá meu querido! Muito bacana o que você escreveu! Obrigado por compartilhar os insights!
Estamos há um tempo sem ouvir sobre você! Está tudo bem? Como anda o processo?
Escrever no diário (semanário, né!?), pelo menos para mim, mesmo que uma vez por semana, me ajuda muito a lembrar do meu objetivo e me manter forte no processo! A nossa mente precisa de incentivos para chegarmos onde queremos!
Sugiro que depois instale um contador de dias pra gente poder te acompanhar melhor Smile
Abraço forte procê, espero que esteja tudo ocorrendo da melhor forma possível!
Like a Star @ heaven

_______________________________________

avatar
Mensagens : 17
Data de inscrição : 10/03/2018
Ver perfil do usuário

Re: Diário de um jovem noivo

em 30/3/2018, 18:59
joaocrv escreveu:Olá meu querido! Muito bacana o que você escreveu! Obrigado por compartilhar os insights!
Estamos há um tempo sem ouvir sobre você! Está tudo bem? Como anda o processo?
Escrever no diário (semanário, né!?), pelo menos para mim, mesmo que uma vez por semana, me ajuda muito a lembrar do meu objetivo e me manter forte no processo! A nossa mente precisa de incentivos para chegarmos onde queremos!
Sugiro que depois instale um contador de dias pra gente poder te acompanhar melhor Smile
Abraço forte procê, espero que esteja tudo ocorrendo da melhor forma possível!
Like a Star @ heaven

Querido, obrigado pela força e interesse. Me ajuda demais. Não consegui ainda atualizar vocês dos últimos acontecimentos porque são muitos. Tá faltando tempo. Mas não quero demorar muito mais. Vou criar um contador sim. Mesmo eu tendo começado antes de conhecer o fórum, acho que é uma boa.
Forte abraço!
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum