Ir em baixo
avatar
frankb
Mensagens : 5
Data de inscrição : 21/05/2020

Diário do Frank Empty Diário do Frank

em 5/6/2020, 12:44
Oi Gente, como vocês estão? tenho 18 anos e assim como vocês, sou viciado em pornografia, vou tentar relatar aqui como se deu o meu vício e espero conseguir me expressar bem, já que ando me sentindo muito confuso sobre a minha situação atual, peço que relevem meus erros de português pois já faz algum tempo que não escrevo textos.

Bom, desde o ano passado venho lendo inúmeros textos e matérias sobre o movimento reboot, além de ver algumas palestras e relatos de viciados no YouTube, foi no meio disso que encontrei esse fórum, li várias histórias e me identifiquei com vários pontos aqui citados, mas isso de nada fez com que eu parasse de ver pornografia, parece que fez com que eu me sentisse mais culpado por vê-la. Inspirado em um relato que vi aqui, vou explicar em forma de tópicos como eu cheguei até aqui, espero que tenham paciência caso fique muito grande, e leiam já que percebi que essa aba destinada aos homossexuais não é muito frequentada.

1. O COMEÇO

Diferente de muitos aqui eu não tive nenhum contato com pornografia logo na infância, mas foi nessa época que o bullying contra mim começou, pois eu nunca me enturmei com os meninos e sempre tive trejeitos afeminados, inclusive sempre gostei de coisas consideradas femininas, como brincar de boneca, passar maquiagem, usar roupas femininas, etc.

Meu primeiro contato com a pornografia se deu por volta dos meus 12 anos, quando meus pais compraram um notebook e colocaram internet em casa. Eu não sei pq mas eu sempre soube que sou gay e em nenhum momento tive vergonha disso, portanto de início não procurei por pornografia heterossexual, comecei vendo fotos de homens pelados e logo evolui pra pornografia em vídeos, foi nessa época que o bullying contra mim aumentou, eu ganhei vários apelidos sobre minha sexualidade e aparência que me atormentam até hoje, devido a isso eu comecei a faltar na escola e minhas notas caíram muito, quase reprovei se não fosse as recuperações, tinha medo de ir pra lá, chorava pra não ir, foi nessa época que parei de me preocupar com meus estudos.

Por volta dos meus 14 anos, mesmo sofrendo bullying diariamente resolvi criar coragem e dizer pra todo mundo que sou gay, eu morava em cidade de interior então ser gay ali era quase um crime, mas bati no peito e falei sem medo, depois disso veio gente de tudo quanto é canto falar comigo, veio evangélicos rezar na minha cabeça pra eu me livrar desse "mal", veio diretora e professora de escola falar comigo, eu tinha medo de todos e ficava retraído mas mesmo assim eu insistia em não me mudar por opinião alheia, enquanto isso tudo acontecia eu consumia pornografia todos os dias antes de dormir, era o único momento do meu dia em que me sentia bem, livre, feliz, menos frustrado, era uma forma de escapar daquilo tudo.

2. MUDANÇA PRA CAPITAL

Em 2016 meu pai ficou doente e o tratamento pra ele era melhor aqui na capital, pois além de ter toda a família aqui, o tratamento em si ficaria mais fácil, eu que nunca fui bobo, sempre soube que pra mim como gay a vida seria bem melhor aqui, então tratei de convencê-los a vir pra cá, logo quando cheguei aqui esperava encontrar um mundo mais fácil pra mim, que nada, minha vida só piorou, meu pai foi ficando mais doente, eu não conseguia me enturmar com os outros gays da minha escola, não conseguia fazer amigos, a aceitação da minha família daqui como gay não foi receptiva e problemas financeiros devido a doença do meu pai que deixou a gente quase de fome, então comecei a me trancar no quarto e consumir cada vez mais pornografia, passava horas, tardes inteiras, finais de semana internos trancados no quarto vendo isso, quando eu não tava falando com estranhos sobre sexo em sites de bate-papo, tava praticando PMO.

Em 2017 já consumindo PMO duas a três vezes por dia, tive minha primeira experiência, foi numa ida a praia que esse cara bem mais velho que eu puxou assunto comigo, entrei no papo dele e acabamos ficando, não rolou sexo mas nos pegamos por umas duas horas, não sei o pq mas depois disso meu consumo em pornografia aumentou muito, provavelmente por causa da puberdade.

Passei 2018 quase inteiro só me masturbando, algumas pessoas me chamavam pra sair e eu recusava pra ficar em casa fazendo isso e não via mau nenhum nisso, foi então que no final de 2018 eu cansei e resolvi tentar sair com outros caras, baixei o famoso tinder, e mentindo a idade claro kk, consegui sair com alguns caras, mas nada de rolar sexo.

No último ano me viciei por completo, meu pai foi internado e eu ficava em casa sozinho por horas, comecei a ver pornôs bem mais pesados, comecei a sentir atração por agressão, submissão, urina, pés, sujeira, homens velhos dominando jovens, ate comecei a ver porno hetero pois amava ver a forma como aqueles homens tratavam com agressão e raiva as mulheres, com isso minha depressão foi aumentando cada vez mais, comecei a reviver o passado com maior frequência, ansiedade aumentou, fobia social, solidão, falta de interesse nas coisas que eu gostava, não consigo mais me sentir alegre e muito menos motivado, me sinto confuso e com uma constante vergonha.

3. FINAL DE 2019/ INÍCIO DE 2020

Nesses últimos meses baixei o tinder novamente, sai com um cara algumas vezes, confessei pra ele que era virgem e ele entendeu super bem, um dia ele resolveu me levar para casa dele pra transarmos, mas na hora h mesmo com muito tesão não consegui manter uma ereção, falei pra ele que talvez eu estivesse nervoso e ele entendeu, ao chegar em casa minha ereção com a pornografia foi logo rápida e muito forte, alguns dias depois resolvemos tentar de novo mas novamente eu não consegui, ele ainda tentou me convencer a ser passivo mas eu não consegui relaxar pra isso, e com remorso de fazer ele passar por isso eu apenas chupei ele e nada mais.

Cheguei a conclusão que talvez eu não consiga sentir tesão em sexo real por não ter tantos estímulos ao mesmo tempo como no porno.

No começo do ano, após sair do ensino médio, consegui um emprego, achei que isso me ajudaria pois ia passar meu tempo fora de casa além de manter minha cabeça focada em outra coisa porém com o avanço da pandemia eu acabei sendo demitido e portanto com um tempo livre de sobra em casa fui consumindo cada vez mais porno, meus dias se resumiram a isso, basicamente qualquer situação frustrante ou de desconforto recorro logo a pornografia.

Cheguei num nível onde não consigo mais ter orgasmo vendo porno, as vezes nem consigo sentir que tenho libido, vejo apenas pra suprir minha frustração, o que acaba agravando ainda mais o vício.

Já tentei fazer o reboot umas três vezes nesse último mês, mas nunca consigo passar de 4/5 dias então eu percebi que compartilhar isso com vocês aqui vai me ajudar muito pois eu preciso ter pessoas que saibam disso.

Pode parecer estranho mas eu me sinto muito mais calmo pra fazer isso dentro de um isolamento do que forçar convivência nesse início.

Quero voltar a ser aquele menino corajoso que se assumiu em meio a tanto preconceito e ódio, quero voltar a ter amigos e quem sabe relações reais. Quero voltar também a estudar pra um futuro vestibular, minha família não tem muitas condições, então a educação é talvez minha única saída pra melhorar de vida, mas não me sinto concentrado pra isso agora.

Ando muito ansioso pensando que minha família pode morrer por causa do corona mas mesmo assim vou tentar melhorar e se eu não conseguir, pelo menos tentei.

Tentei resumir o máximo que pude mas mesmo assim ficou grande. Peço desculpas pelos erros de português, ando muito desatento e sem concentração, inclusive escrever esse texto foi um sufoco kkk.

Se alguém leu até aqui, obrigado.
Rene.Gade
Rene.Gade
Moderador
Moderador
Mensagens : 1286
Data de inscrição : 06/08/2019

Diário do Frank Empty Re: Diário do Frank

em 5/6/2020, 13:56
Olá Frankb!

Seja muito bem-vindo ao fórum!

Poxa, colega, sinto muito por toda essa situação que você passou com o bullying e sua família. Eu passei por algo similar com a família, apesar de ter tido apoio de amigos e não ter sofrido nenhum bullying. Eu imagino o quanto tudo isso deve ter sido complicado para você, e ter feito você buscar por um refúgio como a P. Eu espero que você se sinta acolhido aqui no fórum e que possa superar esse vício.

Eu também pensei que as coisas com minha família haviam melhorado com os anos, mas ontem mesmo ouvi algumas coisas pesadas que me mostraram o contrário. Ficar em quarentena para LGBTQ+ que possuem famílias preconceituosas é bem complicado mesmo, ainda mais quando se é afeminado e isso é motivo de mais desentendimentos. Eu também contei sobre minha orientação sexual para todos quando era bem novinho, com 15 anos. Há alguns meses eu passei por um momento de bastante pressão e pensei o mesmo que você, "onde está aquela pessoa corajosa, que enfrentou tudo e todos para ser quem era?". Então conversando com amigos eles me falaram algo que fez muito sentido para mim, que aquela pessoa continua dentro de nós, ainda somos ela, o que mudou foram apenas as circunstâncias, e é normal a gente se sentir com medo diante de coisas novas e desconhecidas.

Apenas gostaria de te dizer, que por mais que você pense, você não está sozinho e vai encontrar pessoas incríveis. Você ainda é corajoso, olhe para tudo que você passa e passou e veja o quanto corajoso você foi e continua sendo todos os dias. Só de ter chegado até esse fórum e ter aberto sua história já é um grande passo para uma nova vida. Eu te desejo tudo de bom, que você supere a PMO, supere as consequências dela, e foque em si mesmo, nas suas atividades pessoais, alcançando seus objetivos. Lembre-se que está tudo bem em ser você mesmo e que a nossa família de verdade é quem nos apoia e ama, e não apenas laços sanguíneos.

Espero que brilhe muitíssimo, estarei te acompanhando!

Deixarei aqui alguns links recomendados para você ficar por dentro do fórum, caso ainda não tenha lido:

Certifique-se de ler as normas do fórum por meio das Regras de Participação e das Proibições.

Para saber mais sobre o método proposto confira dúvidas básicas sobre o reboot e vício em PMO, além disso baixe o Guia Introdutório, que servirá como suporte para entender o processo de reboot, dentre outras informações importantes.

Lembre-se de estar instalando bloqueadores de P nos seus dispositivos e colocando um contador de dias na sua assinatura aqui, para te auxiliarem durante seu processo de reboot. Para instalar bloqueadores você pode seguir os tutorias dos Tópicos Recomendados, e se ficar com alguma dúvida dê uma olhadinha na Seção de Ferramentas e Bloqueadores. Para instalar um contador confira Como Instalar um Contador de Dias.

Para mais informações ou falar com a moderação visite a Seção de Orientações Básicas, e para alguma dúvida sobre o método procure, ou pergunte, na Seção de Dúvidas.

Não se esqueça de nos manter atualizados sobre seu processo aqui no seu diário.

Até maais!

_______________________________________



RECORDE SEM M.O: 51 DIAS
MEU DIÁRIO DE PRINCESA  
BSB-BRO
BSB-BRO
Mensagens : 74
Data de inscrição : 02/06/2020
Idade : 29
Localização : Brasília

Diário do Frank Empty Re: Diário do Frank

em 5/6/2020, 16:26
frankb escreveu:Oi Gente, como vocês estão? tenho 18 anos e assim como vocês, sou viciado em pornografia, vou tentar relatar aqui como se deu o meu vício e espero conseguir me expressar bem, já que ando me sentindo muito confuso sobre a minha situação atual, peço que relevem meus erros de português pois já faz algum tempo que não escrevo textos.

Bom, desde o ano passado venho lendo inúmeros textos e matérias sobre o movimento reboot, além de ver algumas palestras e relatos de viciados no YouTube, foi no meio disso que encontrei esse fórum, li várias histórias e me identifiquei com vários pontos aqui citados, mas isso de nada fez com que eu parasse de ver pornografia, parece que fez com que eu me sentisse mais culpado por vê-la. Inspirado em um relato que vi aqui, vou explicar em forma de tópicos como eu cheguei até aqui, espero que tenham paciência caso fique muito grande, e leiam já que percebi que essa aba destinada aos homossexuais não é muito frequentada.

1. O COMEÇO

Diferente de muitos aqui eu não tive nenhum contato com pornografia logo na infância, mas foi nessa época que o bullying contra mim começou, pois eu nunca me enturmei com os meninos e sempre tive trejeitos afeminados, inclusive sempre gostei de coisas consideradas femininas, como brincar de boneca, passar maquiagem, usar roupas femininas, etc.

Meu primeiro contato com a pornografia se deu por volta dos meus 12 anos, quando meus pais compraram um notebook e colocaram internet em casa. Eu não sei pq mas eu sempre soube que sou gay e em nenhum momento tive vergonha disso, portanto de início não procurei por pornografia heterossexual, comecei vendo fotos de homens pelados e logo evolui pra pornografia em vídeos, foi nessa época que o bullying contra mim aumentou, eu ganhei vários apelidos sobre minha sexualidade e aparência que me atormentam até hoje, devido a isso eu comecei a faltar na escola e minhas notas caíram muito, quase reprovei se não fosse as recuperações, tinha medo de ir pra lá, chorava pra não ir, foi nessa época que parei de me preocupar com meus estudos.

Por volta dos meus 14 anos, mesmo sofrendo bullying diariamente resolvi criar coragem e dizer pra todo mundo que sou gay, eu morava em cidade de interior então ser gay ali era quase um crime, mas bati no peito e falei sem medo, depois disso veio gente de tudo quanto é canto falar comigo, veio evangélicos rezar na minha cabeça pra eu me livrar desse "mal", veio diretora e professora de escola falar comigo, eu tinha medo de todos e ficava retraído mas mesmo assim eu insistia em não me mudar por opinião alheia, enquanto isso tudo acontecia eu consumia pornografia todos os dias antes de dormir, era o único momento do meu dia em que me sentia bem, livre, feliz, menos frustrado, era uma forma de escapar daquilo tudo.

2. MUDANÇA PRA CAPITAL

Em 2016 meu pai ficou doente e o tratamento pra ele era melhor aqui na capital, pois além de ter toda a família aqui, o tratamento em si ficaria mais fácil, eu que nunca fui bobo, sempre soube que pra mim como gay a vida seria bem melhor aqui, então tratei de convencê-los a vir pra cá, logo quando cheguei aqui esperava encontrar um mundo mais fácil pra mim, que nada, minha vida só piorou, meu pai foi ficando mais doente, eu não conseguia me enturmar com os outros gays da minha escola, não conseguia fazer amigos, a aceitação da minha família daqui como gay não foi receptiva e problemas financeiros devido a doença do meu pai que deixou a gente quase de fome, então comecei a me trancar no quarto e consumir cada vez mais pornografia, passava horas, tardes inteiras, finais de semana internos trancados no quarto vendo isso, quando eu não tava falando com estranhos sobre sexo em sites de bate-papo, tava praticando PMO.

Em 2017 já consumindo PMO duas a três vezes por dia, tive minha primeira experiência, foi numa ida a praia que esse cara bem mais velho que eu puxou assunto comigo, entrei no papo dele e acabamos ficando, não rolou sexo mas nos pegamos por umas duas horas, não sei o pq mas depois disso meu consumo em pornografia aumentou muito, provavelmente por causa da puberdade.

Passei 2018 quase inteiro só me masturbando, algumas pessoas me chamavam pra sair e eu recusava pra ficar em casa fazendo isso e não via mau nenhum nisso, foi então que no final de 2018 eu cansei e resolvi tentar sair com outros caras, baixei o famoso tinder, e mentindo a idade claro kk, consegui sair com alguns caras, mas nada de rolar sexo.

No último ano me viciei por completo, meu pai foi internado e eu ficava em casa sozinho por horas, comecei a ver pornôs bem mais pesados, comecei a sentir atração por agressão, submissão, urina, pés, sujeira, homens velhos dominando jovens, ate comecei a ver porno hetero pois amava ver a forma como aqueles homens tratavam com agressão e raiva as mulheres, com isso minha depressão foi aumentando cada vez mais, comecei a reviver o passado com maior frequência, ansiedade aumentou, fobia social, solidão, falta de interesse nas coisas que eu gostava, não consigo mais me sentir alegre e muito menos motivado, me sinto confuso e com uma constante vergonha.

3. FINAL DE 2019/ INÍCIO DE 2020

Nesses últimos meses baixei o tinder novamente, sai com um cara algumas vezes, confessei pra ele que era virgem e ele entendeu super bem, um dia ele resolveu me levar para casa dele pra transarmos, mas na hora h mesmo com muito tesão não consegui manter uma ereção, falei pra ele que talvez eu estivesse nervoso e ele entendeu, ao chegar em casa minha ereção com a pornografia foi logo rápida e muito forte, alguns dias depois resolvemos tentar de novo mas novamente eu não consegui, ele ainda tentou me convencer a ser passivo mas eu não consegui relaxar pra isso, e com remorso de fazer ele passar por isso eu apenas chupei ele e nada mais.

Cheguei a conclusão que talvez eu não consiga sentir tesão em sexo real por não ter tantos estímulos ao mesmo tempo como no porno.

No começo do ano, após sair do ensino médio, consegui um emprego, achei que isso me ajudaria pois ia passar meu tempo fora de casa além de manter minha cabeça focada em outra coisa porém com o avanço da pandemia eu acabei sendo demitido e portanto com um tempo livre de sobra em casa fui consumindo cada vez mais porno, meus dias se resumiram a isso, basicamente qualquer situação frustrante ou de desconforto recorro logo a pornografia.

Cheguei num nível onde não consigo mais ter orgasmo vendo porno, as vezes nem consigo sentir que tenho libido, vejo apenas pra suprir minha frustração, o que acaba agravando ainda mais o vício.

Já tentei fazer o reboot umas três vezes  nesse último mês, mas nunca consigo passar de 4/5 dias então eu percebi que compartilhar isso com vocês aqui vai me ajudar muito pois eu preciso ter pessoas que saibam disso.

Pode parecer estranho mas eu me sinto muito mais calmo pra fazer isso dentro de um isolamento do que forçar convivência nesse início.

Quero voltar a ser aquele menino corajoso que se assumiu em meio a tanto preconceito e ódio, quero voltar a ter amigos e quem sabe relações reais. Quero voltar também a estudar pra um futuro vestibular, minha família não tem muitas condições, então a educação é talvez minha única saída pra melhorar de vida, mas não me sinto concentrado pra isso agora.

Ando muito ansioso pensando que minha família pode morrer por causa do corona mas mesmo assim vou tentar melhorar e se eu não conseguir, pelo menos tentei.

Tentei resumir o máximo que pude mas mesmo assim ficou grande. Peço desculpas pelos erros de português, ando muito desatento e sem concentração, inclusive escrever esse texto foi um sufoco kkk.

Se alguém leu até aqui, obrigado.


Fala Frank, tudo bem?

É difícil né, quando a gente não consegue se enturmar nem com nossos pares nem com quem é diferente! Sei bem disso.

Mas vejo que você tem uma visão muito clara do seu problema, e autoconhecimento sempre é muito valioso nesse momento. Só não se sinta inferior por ter se refugiado de toda essa dor. Nosso corpo, nossa mente, só tem duas opções: Luta ou fuga. Não tem muito jeito, se não estamos preparados para lutar, só nos resta fugir. Entenda-se e perdoe-se por isso.

Sobre o bullying, meu conselho para você é que comece a internalizar que ele acabou. Ficou lá no passado e já não te alcança mais. Nós tendemos a trazer violências passadas com a gente, o que de forma nenhuma faz bem para a nossa saúde mental. Parece injusto né, sofrer uma violência e ter que deixar ela ir? Mas a alternativa a isso pode ser um sofrimento demasiadamente demorado.

Te desejo tudo de bom durante esta caminhada e sempre se lembre que só uma pessoa forte e corajosa consegue admitir que está vulnerável.

Apesar de eu estar escrevendo de um lugar provavelmente longe, sinta-se abraçado meu amigo.

_______________________________________


_______________________________________

DIÁRIO DO BRO


avatar
frankb
Mensagens : 5
Data de inscrição : 21/05/2020

Diário do Frank Empty Re: Diário do Frank

em 5/6/2020, 18:11
Rene.Gade escreveu:
Olá Frankb!

Seja muito bem-vindo ao fórum!

Poxa, colega, sinto muito por toda essa situação que você passou com o bullying e sua família. Eu passei por algo similar com a família, apesar de ter tido apoio de amigos e não ter sofrido nenhum bullying. Eu imagino o quanto tudo isso deve ter sido complicado para você, e ter feito você buscar por um refúgio como a P. Eu espero que você se sinta acolhido aqui no fórum e que possa superar esse vício.

Eu também pensei que as coisas com minha família haviam melhorado com os anos, mas ontem mesmo ouvi algumas coisas pesadas que me mostraram o contrário. Ficar em quarentena para LGBTQ+ que possuem famílias preconceituosas é bem complicado mesmo, ainda mais quando se é afeminado e isso é motivo de mais desentendimentos. Eu também contei sobre minha orientação sexual para todos quando era bem novinho, com 15 anos. Há alguns meses eu passei por um momento de bastante pressão e pensei o mesmo que você, "onde está aquela pessoa corajosa, que enfrentou tudo e todos para ser quem era?". Então conversando com amigos eles me falaram algo que fez muito sentido para mim, que aquela pessoa continua dentro de nós, ainda somos ela, o que mudou foram apenas as circunstâncias, e é normal a gente se sentir com medo diante de coisas novas e desconhecidas.

Apenas gostaria de te dizer, que por mais que você pense, você não está sozinho e vai encontrar pessoas incríveis. Você ainda é corajoso, olhe para tudo que você passa e passou e veja o quanto corajoso você foi e continua sendo todos os dias. Só de ter chegado até esse fórum e ter aberto sua história já é um grande passo para uma nova vida. Eu te desejo tudo de bom, que você supere a PMO, supere as consequências dela, e foque em si mesmo, nas suas atividades pessoais, alcançando seus objetivos. Lembre-se que está tudo bem em ser você mesmo e que a nossa família de verdade é quem nos apoia e ama, e não apenas laços sanguíneos.

Espero que brilhe muitíssimo, estarei te acompanhando!

Deixarei aqui alguns links recomendados para você ficar por dentro do fórum, caso ainda não tenha lido:

Certifique-se de ler as normas do fórum por meio das Regras de Participação e das Proibições.

Para saber mais sobre o método proposto confira dúvidas básicas sobre o reboot e vício em PMO, além disso baixe o Guia Introdutório, que servirá como suporte para entender o processo de reboot, dentre outras informações importantes.

Lembre-se de estar instalando bloqueadores de P nos seus dispositivos e colocando um contador de dias na sua assinatura aqui, para te auxiliarem durante seu processo de reboot. Para instalar bloqueadores você pode seguir os tutorias dos Tópicos Recomendados, e se ficar com alguma dúvida dê uma olhadinha na Seção de Ferramentas e Bloqueadores. Para instalar um contador confira Como Instalar um Contador de Dias.

Para mais informações ou falar com a moderação visite a Seção de Orientações Básicas, e para alguma dúvida sobre o método procure, ou pergunte, na Seção de Dúvidas.

Não se esqueça de nos manter atualizados sobre seu processo aqui no seu diário.

Até maais!

Obrigado pelas boas vindas!

Também me fiz a mesma pergunta que você se fez, queria poder trazer de volta toda aquela perseverança e coragem de antes, espero conseguir.

O bullying que eu sofri me afeta muito hoje, acho que mais que na época, meio que revivo diariamente na minha cabeça, é estanho pois essas pessoas nem fazem mais parte da minha vida, de alguns nem lembro o rosto direito mas mesmo assim me afetam.

Em relação a minha família, meus pais me aceitam muito bem, meu pai que prefere nem tocar no assunto mas eu entendo. O resto da minha família realmente não gosta do fato, meu irmão me ameaçou de morte uma vez, dizendo que ia me matar quando eu fizesse 18, agradeço por eles não morarem comigo.

Ultimamente eu tenho me sentindo muito sozinho, basicamente sem amigo nenhum, então muito obrigado pelo seu apoio, é bom saber que alguém se importa conosco, espero que tudo que você desejou pra mim volte em dobro pra você <33

BSB-BRO escreveu:
Fala Frank, tudo bem?

É difícil né, quando a gente não consegue se enturmar nem com nossos pares nem com quem é diferente! Sei bem disso.

Mas vejo que você tem uma visão muito clara do seu problema, e autoconhecimento sempre é muito valioso nesse momento. Só não se sinta inferior por ter se refugiado de toda essa dor. Nosso corpo, nossa mente, só tem duas opções: Luta ou fuga. Não tem muito jeito, se não estamos preparados para lutar, só nos resta fugir. Entenda-se e perdoe-se por isso.

Sobre o bullying, meu conselho para você é que comece a internalizar que ele acabou. Ficou lá no passado e já não te alcança mais. Nós tendemos a trazer violências passadas com a gente, o que de forma nenhuma faz bem para a nossa saúde mental. Parece injusto né, sofrer uma violência e ter que deixar ela ir? Mas a alternativa a isso pode ser um sofrimento demasiadamente demorado.

Te desejo tudo de bom durante esta caminhada e sempre se lembre que só uma pessoa forte e corajosa consegue admitir que está vulnerável.

Apesar de eu estar escrevendo de um lugar provavelmente longe, sinta-se abraçado meu amigo.

Oi BSB-BRO

Sim, é muito difícil, mas eu também não me esforçava tanto pra conseguir essas amizades, me sentia nervoso e tremia ao chegar perto deles, principalmente dos mais lindinhos, pois não sou muito bonito então a insegurança só aumenta kkk.

Sou ótimo em fazer autoanálise, passo o dia inteiro me analisando nós mínimos detalhes, acho que isso talvez gere esse autoconhecimento, mesmo eu sentindo que me conheço muito pouco ainda.

Obrigado pela sua dica, vou tentar aplicar isso em mim, agradeço também pelo seu apoio, significa muito pra mim, de verdade.
avatar
marcosbanc
Mensagens : 533
Data de inscrição : 07/01/2018

Diário do Frank Empty Re: Diário do Frank

em 6/6/2020, 10:04
Fico feliz em ver jovens dessa idade reconhecendo o problema do vício em pornografia. Quem dera há 6 anos eu tivesse tido forças pra batalhar contra esse problema.
Boa sorte querido!

_______________________________________
Visite meu diário e me ajude a vencer!

http://www.comoparar.com/t6668-reboot-marcos
David Silva
David Silva
Mensagens : 2629
Data de inscrição : 20/01/2015
Idade : 34

Diário do Frank Empty Re: Diário do Frank

em 6/6/2020, 11:06
Seja bem vindo Frank.
Só de você estar aqui um grande passo já foi dado.
Conte comigo.
Gostei muito de ler seu relato e como os amigos disseram: você não está sozinho. O sentimento de solidão é um sentimento que atrapalha muito o reboot. Então toda vez que você se sentir angustiado na solidão venha aqui, busque uma palavra por aqui, mesmo que demoremos a responder, uma hora a gente responde e você está aqui entre AMIGOS. A experiência do reboot tem acrescentado muita coisa na minha vida e não só na área da sexualidade.
Um abraço! Paz!

_______________________________________
Recordes:
90 dias - em 2015
71 dias - em 2016
32 dias - 2017 - maio
15 dias - 2017 - junho/julho
32 dias - 2017 - agosto
26 dias - 2018 - janeiro
81 dias - 2018 - julho
20 dias - 2018 - dezembro
15 dias - 2019 - janeiro/fevereiro
44 dias - 2019 - março/abril
43 dias - 2019 - julho
39 dias - 2020 - janeiro
______
Início do meu diário: http://www.comoparar.com/t206-reboot-de-david-silva
(Porque ficou muito grande e foi separado pelo próprio fórum)

avatar
frankb
Mensagens : 5
Data de inscrição : 21/05/2020

Diário do Frank Empty Re: Diário do Frank

em 6/6/2020, 18:18
marcosbanc escreveu:Fico feliz em ver jovens dessa idade reconhecendo o problema do vício em pornografia. Quem dera há 6 anos eu tivesse tido forças pra batalhar contra esse problema.
Boa sorte querido!
Oi Marcosbanc, realmente me acho bem precoce pra estar viciado em pornografia mas não se sinta culpado por ter passado um determinado tempo pra perceber isso, parece meio clichê mas acho que nunca é tarde pra tentarmos mudar, te desejo muita sorte também hehe Smile

David Silva escreveu:Seja bem vindo Frank.
Só de você estar aqui um grande passo já foi dado.
Conte comigo.
Gostei muito de ler seu relato e como os amigos disseram: você não está sozinho. O sentimento de solidão é um sentimento que atrapalha muito o reboot. Então toda vez que você se sentir angustiado na solidão venha aqui, busque uma palavra por aqui, mesmo que demoremos a responder, uma hora a gente responde e você está aqui entre AMIGOS. A experiência do reboot tem acrescentado muita coisa na minha vida e não só na área da sexualidade.
Um abraço! Paz!

Obrigado pelas boa vindas David Silva.

Antes de escrever meu relato aqui no fórum tentei fazer vários reboots porém sem sucesso, julgo que um dos problemas tenha sido por tentar fazer isso sozinho e escondido, então resolvi desabafar aqui, pois me sinto mais confiante vendo que alguém sabe e entende pelo que estou passando.
Confesso que estou meio envergonhado de escrever aqui mas vou tentar atualizar aqui sempre que puder.
avatar
frankb
Mensagens : 5
Data de inscrição : 21/05/2020

Diário do Frank Empty Re: Diário do Frank

em 6/6/2020, 18:25
No momento em que escrevi o relato estava caminhando pra meu segundo dia sem PMO, porém acabei esquecendo de citar isso no texto.
Hoje tirei o dia pra corrigir as falhas que achei em meus bloqueadores, desinstalei todas as minhas redes sociais definitivamente, sei que talvez seja meio radical fazer isso de vez, mas pra que haja mudança tenho que fazer isso.

As redes sociais são o principal problema das minhas recaídas, principalmente o twitter, mas fiquei receoso em desinstalar, pois o twitter me deixa muito informado, ainda mais na situação atual.
Hoje não tive vontade nenhuma de fazer PMO, sempre que tento executar o reboot isso acontece, sinto minha libido em zero, parece estranho mas logo quando resolvo parar me sinto meio "traumatizado" porém quando vou chegando perto do quinto dia esse sentimento começa a sumir e acabo recaindo.

Estou com muito medo recair, pois estou me sentindo meio confiante então se eu recair o misto de emoções ruins que sinto após vai voltar num minuto pra me destruir.
Estive pensando se coloco no meu perfil o contador de dias, tenho medo de ficar meio obcecado por ele, mas vou pensar sobre o assunto.
BSB-BRO
BSB-BRO
Mensagens : 74
Data de inscrição : 02/06/2020
Idade : 29
Localização : Brasília

Diário do Frank Empty Re: Diário do Frank

em 7/6/2020, 16:50
frankb escreveu:No momento em que escrevi o relato estava caminhando pra meu segundo dia sem PMO, porém acabei esquecendo de citar isso no texto.
Hoje  tirei o dia pra corrigir as falhas que achei em meus bloqueadores, desinstalei todas as minhas redes sociais definitivamente, sei que talvez seja meio radical fazer isso de vez, mas pra que haja mudança tenho que fazer isso.

As redes sociais são o principal problema das minhas recaídas, principalmente o twitter, mas fiquei receoso em desinstalar, pois o twitter me deixa muito informado, ainda mais na situação atual.
Hoje não tive vontade nenhuma de fazer PMO, sempre que tento executar o reboot isso acontece, sinto minha libido em zero, parece estranho mas logo quando resolvo parar me sinto meio "traumatizado" porém quando vou chegando perto do quinto dia esse sentimento começa a sumir e acabo recaindo.

Estou com muito medo recair, pois estou me sentindo meio confiante então se eu recair o misto de emoções ruins que sinto após vai voltar num minuto pra me destruir.
Estive pensando se coloco no meu perfil o contador de dias, tenho medo de ficar meio obcecado por ele, mas vou pensar sobre o assunto.

Oi Frank,

Nesse momento, que já é de ansiedade, o excesso de informações negativas que o Twitter traz não iria te fazer bem mesmo. Além disso, ainda tem o fato de a P ser abundante e muito fácil lá.

Sobre o medo de falhar, acho que ele faz parte do processo porque também estou sentindo o mesmo. Mantenha a mente ocupada com coisas que te levarão ao encontro de quem você quer ser. Troque o celular por um livro ou, se puder, por um Kindle que é cheio de livros e se joga em novas experiências.

Desejo que consiga ser a melhor versão de você mesmo.

_______________________________________


_______________________________________

DIÁRIO DO BRO


Rene.Gade
Rene.Gade
Moderador
Moderador
Mensagens : 1286
Data de inscrição : 06/08/2019

Diário do Frank Empty Re: Diário do Frank

em 7/6/2020, 22:52
Arrasou Frank!

Se você está bem sem as redes sociais, então acredito que vai ser de grande ajuda essa ausência. É muito bom evitarmos gatilhos, e apesar de nunca ter acompanhado o Twitter, sei que lá tem muitas coisas sexualizadas e P. Você pode encontrar também outras formas menos arriscadas de se atualizar, apesar que até mesmo se afastar um pouco das notícias faz bem para nossa saúde mental nesses dias. Muito desse medo de se afastar das redes sociais vem do "Fear of Missing Out", aquele sentimento que estamos perdendo algo, mas que no fim não irá nos fazer falta.

Não precisa ter medo de recair, pois elas fazem parte do processo e caso ocorram são apenas mais uma forma de aprendizado, para voltarmos mais fortes. Continue analisando possíveis gatilhos, e situações mais tensas, que assim você pode ir se planejando para evitar recaídas. Já sobre o contador é bem interessante no começo, mas caso sinta que irá se apegar muito com os dias, está tudo bem não querer colocá-lo agora.

Não precisa ter vergonha de postar aqui, o fórum é um local de acolhimento e não de julgamentos. Espero que consiga continuar arrasando!
Abracinhooss!!

_______________________________________



RECORDE SEM M.O: 51 DIAS
MEU DIÁRIO DE PRINCESA  
avatar
frankb
Mensagens : 5
Data de inscrição : 21/05/2020

Diário do Frank Empty Re: Diário do Frank

em 9/6/2020, 16:57
Oi diário, no meu último relato tinha dito que já tava caminhando pra alguns dias sem PMO, mas nessa madrugada de 09/06 eu recai.

1. O que me levou a queda?
Deixei a senha dos bloqueadores em mãos, completamente estúpido, né?

2. O que eu fiz pra corrigir isso?
É claro que fui bem idiota em deixar a senha dos bloqueadores em mãos, disso não há dúvida.
Então como sei que não tenho alguém de confiança o suficiente pra deixar as senhas vim até o fórum procurar uma solução pra guardar as senhas.
Achei um que Indicava o site futureme.org/.

Nesse site você programa a data e hora em que quer mandar um e-mail pra si mesmo no futuro, antes do dia programado você não tem acesso ao conteúdo do email, achei perfeito pra mim pois não quero perder as senhas mas quero ficar longe delas, já que um dia vou precisar instalar algum app ou resolver alguma coisa nas configurações. Depois que esse email chegar é só ir refazendo o processo, meu único medo é recair nesses dias em que tiver a senha, mas não quero pensar nisso.

3. Como Ficou meu psicológico depois dessa recaída?
Bom, confesso que ele tá bem destruído mas vou tentar me recuperar nesses próximos dias.

Vou ver se sigo a dica do BSB-BRO e tentar manter minha mente ocupada com coisas que serão produtivas para o meu eu pessoal, tava pensando em tentar construir novamente o hábito da leitura, algo que perdi nos últimos anos.
Vou tentar usar o celular mais só pra ouvir música, que é algo que me deixa muito conectado comigo mesmo.

Tenho lido alguns diários aqui mas tenho vergonha de comentar neles, sabe me sinto meio que invadindo um espaço de alguém que já tá aqui a bastante tempo e conhece muita gente.

Enfim, continuamos na luta, né. Tchauzinhoo!!

PS: Vou iniciar meu contador a partir de amanhã
David Silva
David Silva
Mensagens : 2629
Data de inscrição : 20/01/2015
Idade : 34

Diário do Frank Empty Re: Diário do Frank

em 9/6/2020, 18:15
Sinta-se abraçado (cotovelísticamente em tempos de quarentena rsrs)
Você caiu, mas que bom que já se levantou e está se reerguendo. Força!
Abraços! Paz
PS: Foram quantos dias longe? É seu primeiro reboot né?

_______________________________________
Recordes:
90 dias - em 2015
71 dias - em 2016
32 dias - 2017 - maio
15 dias - 2017 - junho/julho
32 dias - 2017 - agosto
26 dias - 2018 - janeiro
81 dias - 2018 - julho
20 dias - 2018 - dezembro
15 dias - 2019 - janeiro/fevereiro
44 dias - 2019 - março/abril
43 dias - 2019 - julho
39 dias - 2020 - janeiro
______
Início do meu diário: http://www.comoparar.com/t206-reboot-de-david-silva
(Porque ficou muito grande e foi separado pelo próprio fórum)

0126
0126
Mensagens : 30
Data de inscrição : 08/06/2020

Diário do Frank Empty Re: Diário do Frank

em 9/6/2020, 19:23
frankb escreveu:Oi Gente, como vocês estão? tenho 18 anos e assim como vocês, sou viciado em pornografia, vou tentar relatar aqui como se deu o meu vício e espero conseguir me expressar bem, já que ando me sentindo muito confuso sobre a minha situação atual, peço que relevem meus erros de português pois já faz algum tempo que não escrevo textos.

Bom, desde o ano passado venho lendo inúmeros textos e matérias sobre o movimento reboot, além de ver algumas palestras e relatos de viciados no YouTube, foi no meio disso que encontrei esse fórum, li várias histórias e me identifiquei com vários pontos aqui citados, mas isso de nada fez com que eu parasse de ver pornografia, parece que fez com que eu me sentisse mais culpado por vê-la. Inspirado em um relato que vi aqui, vou explicar em forma de tópicos como eu cheguei até aqui, espero que tenham paciência caso fique muito grande, e leiam já que percebi que essa aba destinada aos homossexuais não é muito frequentada.

1. O COMEÇO

Diferente de muitos aqui eu não tive nenhum contato com pornografia logo na infância, mas foi nessa época que o bullying contra mim começou, pois eu nunca me enturmei com os meninos e sempre tive trejeitos afeminados, inclusive sempre gostei de coisas consideradas femininas, como brincar de boneca, passar maquiagem, usar roupas femininas, etc.

Meu primeiro contato com a pornografia se deu por volta dos meus 12 anos, quando meus pais compraram um notebook e colocaram internet em casa. Eu não sei pq mas eu sempre soube que sou gay e em nenhum momento tive vergonha disso, portanto de início não procurei por pornografia heterossexual, comecei vendo fotos de homens pelados e logo evolui pra pornografia em vídeos, foi nessa época que o bullying contra mim aumentou, eu ganhei vários apelidos sobre minha sexualidade e aparência que me atormentam até hoje, devido a isso eu comecei a faltar na escola e minhas notas caíram muito, quase reprovei se não fosse as recuperações, tinha medo de ir pra lá, chorava pra não ir, foi nessa época que parei de me preocupar com meus estudos.

Por volta dos meus 14 anos, mesmo sofrendo bullying diariamente resolvi criar coragem e dizer pra todo mundo que sou gay, eu morava em cidade de interior então ser gay ali era quase um crime, mas bati no peito e falei sem medo, depois disso veio gente de tudo quanto é canto falar comigo, veio evangélicos rezar na minha cabeça pra eu me livrar desse "mal", veio diretora e professora de escola falar comigo, eu tinha medo de todos e ficava retraído mas mesmo assim eu insistia em não me mudar por opinião alheia, enquanto isso tudo acontecia eu consumia pornografia todos os dias antes de dormir, era o único momento do meu dia em que me sentia bem, livre, feliz, menos frustrado, era uma forma de escapar daquilo tudo.

2. MUDANÇA PRA CAPITAL

Em 2016 meu pai ficou doente e o tratamento pra ele era melhor aqui na capital, pois além de ter toda a família aqui, o tratamento em si ficaria mais fácil, eu que nunca fui bobo, sempre soube que pra mim como gay a vida seria bem melhor aqui, então tratei de convencê-los a vir pra cá, logo quando cheguei aqui esperava encontrar um mundo mais fácil pra mim, que nada, minha vida só piorou, meu pai foi ficando mais doente, eu não conseguia me enturmar com os outros gays da minha escola, não conseguia fazer amigos, a aceitação da minha família daqui como gay não foi receptiva e problemas financeiros devido a doença do meu pai que deixou a gente quase de fome, então comecei a me trancar no quarto e consumir cada vez mais pornografia, passava horas, tardes inteiras, finais de semana internos trancados no quarto vendo isso, quando eu não tava falando com estranhos sobre sexo em sites de bate-papo, tava praticando PMO.

Em 2017 já consumindo PMO duas a três vezes por dia, tive minha primeira experiência, foi numa ida a praia que esse cara bem mais velho que eu puxou assunto comigo, entrei no papo dele e acabamos ficando, não rolou sexo mas nos pegamos por umas duas horas, não sei o pq mas depois disso meu consumo em pornografia aumentou muito, provavelmente por causa da puberdade.

Passei 2018 quase inteiro só me masturbando, algumas pessoas me chamavam pra sair e eu recusava pra ficar em casa fazendo isso e não via mau nenhum nisso, foi então que no final de 2018 eu cansei e resolvi tentar sair com outros caras, baixei o famoso tinder, e mentindo a idade claro kk, consegui sair com alguns caras, mas nada de rolar sexo.

No último ano me viciei por completo, meu pai foi internado e eu ficava em casa sozinho por horas, comecei a ver pornôs bem mais pesados, comecei a sentir atração por agressão, submissão, urina, pés, sujeira, homens velhos dominando jovens, ate comecei a ver porno hetero pois amava ver a forma como aqueles homens tratavam com agressão e raiva as mulheres, com isso minha depressão foi aumentando cada vez mais, comecei a reviver o passado com maior frequência, ansiedade aumentou, fobia social, solidão, falta de interesse nas coisas que eu gostava, não consigo mais me sentir alegre e muito menos motivado, me sinto confuso e com uma constante vergonha.

3. FINAL DE 2019/ INÍCIO DE 2020

Nesses últimos meses baixei o tinder novamente, sai com um cara algumas vezes, confessei pra ele que era virgem e ele entendeu super bem, um dia ele resolveu me levar para casa dele pra transarmos, mas na hora h mesmo com muito tesão não consegui manter uma ereção, falei pra ele que talvez eu estivesse nervoso e ele entendeu, ao chegar em casa minha ereção com a pornografia foi logo rápida e muito forte, alguns dias depois resolvemos tentar de novo mas novamente eu não consegui, ele ainda tentou me convencer a ser passivo mas eu não consegui relaxar pra isso, e com remorso de fazer ele passar por isso eu apenas chupei ele e nada mais.

Cheguei a conclusão que talvez eu não consiga sentir tesão em sexo real por não ter tantos estímulos ao mesmo tempo como no porno.

No começo do ano, após sair do ensino médio, consegui um emprego, achei que isso me ajudaria pois ia passar meu tempo fora de casa além de manter minha cabeça focada em outra coisa porém com o avanço da pandemia eu acabei sendo demitido e portanto com um tempo livre de sobra em casa fui consumindo cada vez mais porno, meus dias se resumiram a isso, basicamente qualquer situação frustrante ou de desconforto recorro logo a pornografia.

Cheguei num nível onde não consigo mais ter orgasmo vendo porno, as vezes nem consigo sentir que tenho libido, vejo apenas pra suprir minha frustração, o que acaba agravando ainda mais o vício.

Já tentei fazer o reboot umas três vezes  nesse último mês, mas nunca consigo passar de 4/5 dias então eu percebi que compartilhar isso com vocês aqui vai me ajudar muito pois eu preciso ter pessoas que saibam disso.

Pode parecer estranho mas eu me sinto muito mais calmo pra fazer isso dentro de um isolamento do que forçar convivência nesse início.

Quero voltar a ser aquele menino corajoso que se assumiu em meio a tanto preconceito e ódio, quero voltar a ter amigos e quem sabe relações reais. Quero voltar também a estudar pra um futuro vestibular, minha família não tem muitas condições, então a educação é talvez minha única saída pra melhorar de vida, mas não me sinto concentrado pra isso agora.

Ando muito ansioso pensando que minha família pode morrer por causa do corona mas mesmo assim vou tentar melhorar e se eu não conseguir, pelo menos tentei.

Tentei resumir o máximo que pude mas mesmo assim ficou grande. Peço desculpas pelos erros de português, ando muito desatento e sem concentração, inclusive escrever esse texto foi um sufoco kkk.

Se alguém leu até aqui, obrigado.

Oi Frank!,

Me identifiquei bastante com sua história. As vezes a pornografia nos leva a pesquisar uns negócios bizarro né? Essa lista que tu fez de fetiche eu praticamente consumia todos. E no final eu me sentia sujo e consequentemente, indigno de uma vida. Mas são coisas que não temos escolhas, o tesão mexe com a nossa cabeça e requer muita luta pra ir contra.

Vou companhar e te desejo o melhor. Que você consiga vencer e sair dessa, vai da certo!  Wink

_______________________________________
Diário do Frank Quadro11
۩۞۩───── ✧ ───── ۩۞۩
"Fico na esperança de que, à medida que o tempo passe,
consigamos pouco a pouco readquirir a liberdade que existia entre nós"
Rene.Gade
Rene.Gade
Moderador
Moderador
Mensagens : 1286
Data de inscrição : 06/08/2019

Diário do Frank Empty Re: Diário do Frank

em 9/6/2020, 22:43
Frank!!

Amigo, uma pena que caiu, porém não se culpe, as quedas fazem parte do processo e você já fez o mais importante: identificar o motivo e encontrar uma solução para corrigi-lo, logo continue em frente sempre se aprimorando para evitar as novas quedas e sem se culpar, vá no seu tempo. Muito bom você estar se ocupando com novos hábitos e atividades, isso ajuda bastante a evitar impulsos muitos fortes.

Tudo bem se você ainda não se sente confortável em postar no diário dos amiguinhos, porém aqui no fórum e na nossa seção sempre buscamos nos apoiar, sem julgamentos, e ter contato com colegas que estão aqui mais tempo é bem proveitoso, ninguém se conhece muito e você não estará invadindo nenhum espaço. Estaremos aqui para quando você se sentir mais confortável.

Espero que arrase muito!
Abracinhoss!

_______________________________________



RECORDE SEM M.O: 51 DIAS
MEU DIÁRIO DE PRINCESA  
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum