Ir em baixo
avatar
Violeta
Mensagens : 9
Data de inscrição : 05/06/2021

Estou muito triste Empty Estou muito triste

5/6/2021, 00:26
Olá pessoal! Sou casada a 1 ano e desde o começo do relacionamento soube que meu companheiro tinha vício em pornografia. Ele contou que entrava em muitos sites pra ver vídeos, acessava grupos em redes sociais e tinha conversas com mulheres pra trocar fotos. Sei que desde que ele está comigo ele nunca mais teve essas conversas mas ele tem me dito que está cada vez mais insuportável de aguentar. Ele tem falando dessa questão com muito mais freqüência e eu já não sei mais o que fazer. Ele teve recaídas pra ver vídeos e me disse que isso faz ele querer ainda mais ter as conversas. Isso está me machucando demais! Ele está sofrendo e eu também. Preciso de ajuda!
avatar
EuBuscoaCura
Mensagens : 95
Data de inscrição : 27/02/2021

Estou muito triste Empty Re: Estou muito triste

5/6/2021, 00:37
violeta escreveu:Olá pessoal! Sou casada a 1 ano e desde o começo do relacionamento soube que meu companheiro tinha vício em pornografia. Ele contou que entrava em muitos sites pra ver vídeos, acessava grupos em redes sociais e tinha conversas com mulheres pra trocar fotos. Sei que desde que ele está comigo ele nunca mais teve essas conversas mas ele tem me dito que está cada vez mais insuportável de aguentar. Ele tem falando dessa questão com muito mais freqüência e eu já não sei mais o que fazer. Ele teve recaídas pra ver vídeos e me disse que isso faz ele querer ainda mais ter as conversas. Isso está me machucando demais! Ele está sofrendo e eu também. Preciso de ajuda!
Apresenta o reboot pra ele.

Violeta gosta desta mensagem

avatar
Recém Casada
Mensagens : 37
Data de inscrição : 03/06/2021

Estou muito triste Empty Re: Estou muito triste

5/6/2021, 00:58
Também estou passando por isso. Difícil entender em que momento a gente passa a ser menos importante do que uma conversa íntima com uma estranha ou sei lá. Queria ter a resposta pra sua pergunta. De qualquer forma, vou estar aqui e acompanhar sua história.

Mr.Titanium gosta desta mensagem

avatar
Violeta
Mensagens : 9
Data de inscrição : 05/06/2021

Estou muito triste Empty Re: Estou muito triste

5/6/2021, 02:02
Recém Casada escreveu:Também estou passando por isso. Difícil entender em que momento a gente passa a ser menos importante do que uma conversa íntima com uma estranha ou sei lá. Queria ter a resposta pra sua pergunta. De qualquer forma, vou estar aqui e acompanhar sua história.

Recém casada, estava agora mesmo deixando um comentário na sua postagem!

Olha, essa pergunta eu me faço todos os dias. O que eu tento fazer por um tempo é inverter a ordem da questão. Em relação ao meu companheiro, penso que essas conversas são algo que já existiam na vida dele há muito tempo antes da gente se conhecer e quando começamos o relacionamento, ele achou que tinha algo importante pra fazer ele ficar longe de tudo isso. Mas esse algo importante, que seria eu, não sou mais forte que um vicio, uma dependência química. Infelizmente. Pensar isso faz pelo menos eu sentir que tenho algum valor pra ele. Mas depois novamente fico triste pensando que queria apenas ser suficiente e ponto final. É triste demais, não sei quando vou chegar no meu limite de suportar ouvir ele falar as coisas que ele tem vontade e ainda ser compreensiva. Dói muito. Ele sempre foi honesto comigo mas isso não diminui minha dor. Não tem nenhum caminho fácil dentro dessa situação toda. As vezes passa o tempo e a gente está bem, tá tudo ótimo e do nada ele fala do assunto. Eu me pergunto pq?? Porque apesar de tantas experiências boas que a gente vive, isso não se cura dentro dele nunca? Tento encontrar uma resposta, vivo criando hipóteses. Me afundo em angustia novamente. Queria que tudo isso passasse, que ele ficasse em paz e conseguisse aproveitar tudo de bom que existe na vida dele, sem isso estar o tempo todo atormentando. Mas sinceramente, não sei se é possível.

Mr.Titanium e Recém Casada gostam desta mensagem

avatar
chopin
Mensagens : 121
Data de inscrição : 31/12/2020

Estou muito triste Empty Re: Estou muito triste

5/6/2021, 10:51
Não sei se posso te ajudar violeta, mas ano passado tive uma recaída depois de 9 meses livre de PMO. O motivo foi que eu estava passando por alguns problemas emocionais. Não sei o que está acontecendo com ele, mas pode ser o mesmo e ele deve estar descontando na P.

_______________________________________


Meu diário: https://www.comoparar.com/t11847-diario-do-chopin

Violeta gosta desta mensagem

avatar
Violeta
Mensagens : 9
Data de inscrição : 05/06/2021

Estou muito triste Empty Re: Estou muito triste

7/6/2021, 14:14
chopin escreveu:Não sei se posso te ajudar violeta, mas ano passado tive uma recaída depois de 9 meses livre de PMO. O motivo foi que eu estava passando por alguns problemas emocionais. Não sei o que está acontecendo com ele, mas pode ser o mesmo e ele deve estar descontando na P.

Oi Chopin, eu acho que tem a ver sim. Tem bastante relação com ansiedade. Eu consigo identificar os problemas que causam essa ansiedade, tento conversar com ele, ajudar a resolver as questões do dia a dia mas vejo que ele já esqueceu os motivos que foram gatilho e agora está só perdido com essa vontade martelando sem parar na cabeça dele. Eu já não sei o que fazer.
avatar
Recém Casada
Mensagens : 37
Data de inscrição : 03/06/2021

Estou muito triste Empty Re: Estou muito triste

8/6/2021, 05:29
violeta escreveu:
Recém Casada escreveu:Também estou passando por isso. Difícil entender em que momento a gente passa a ser menos importante do que uma conversa íntima com uma estranha ou sei lá. Queria ter a resposta pra sua pergunta. De qualquer forma, vou estar aqui e acompanhar sua história.

Recém casada, estava agora mesmo deixando um comentário na sua postagem!

Olha, essa pergunta eu me faço todos os dias. O que eu tento fazer por um tempo é inverter a ordem da questão. Em relação ao meu companheiro, penso que essas conversas são algo que já existiam na vida dele há muito tempo antes da gente se conhecer e quando começamos o relacionamento, ele achou que tinha algo importante pra fazer ele ficar longe de tudo isso. Mas esse algo importante, que seria eu, não sou mais forte que um vicio, uma dependência química. Infelizmente. Pensar isso faz pelo menos eu sentir que tenho algum valor pra ele. Mas depois novamente fico triste pensando que queria apenas ser suficiente e ponto final. É triste demais, não sei quando vou chegar no meu limite de suportar ouvir ele falar as coisas que ele tem vontade e ainda ser compreensiva. Dói muito. Ele sempre foi honesto comigo mas isso não diminui minha dor. Não tem nenhum caminho fácil dentro dessa situação toda. As vezes passa o tempo e a gente está bem, tá tudo ótimo e do nada ele fala do assunto. Eu me pergunto pq?? Porque apesar de tantas experiências boas que a gente vive, isso não se cura dentro dele nunca? Tento encontrar uma resposta, vivo criando hipóteses. Me afundo em angustia novamente. Queria que tudo isso passasse, que ele ficasse em paz e conseguisse aproveitar tudo de bom que existe na vida dele, sem isso estar o tempo todo atormentando. Mas sinceramente, não sei se é possível.

Muito obrigada pela sua mensagem.
Como estão as coisas aí ? Alguma melhora ? Dê notícias pra gente. Estamos aqui pra nós apoiar.
Eu entendo bem como se sente. Estou oscilando entre momentos de pleno otimismo, em que abraço ele, faço carinho e digo que vai ficar tudo bem, e momentos em que lembro de anos de mentira, de cinismo e hipocrisia, sem a mínima falta de consideração e amor, em que eu só queria voltar atrás e nunca ter cruzado no mesmo caminho que ele. Mas no momento estão tão apegada emocionalmente, dediquei anos e sacrifiquei tanto por ele, que a sensação que desistir agora, seria assinar carta de "trouxesse" e fracasso.

Violeta gosta desta mensagem

avatar
Violeta
Mensagens : 9
Data de inscrição : 05/06/2021

Estou muito triste Empty Re: Estou muito triste

10/6/2021, 14:25
Recém Casada escreveu:
violeta escreveu:
Recém Casada escreveu:Também estou passando por isso. Difícil entender em que momento a gente passa a ser menos importante do que uma conversa íntima com uma estranha ou sei lá. Queria ter a resposta pra sua pergunta. De qualquer forma, vou estar aqui e acompanhar sua história.

Recém casada, estava agora mesmo deixando um comentário na sua postagem!

Olha, essa pergunta eu me faço todos os dias. O que eu tento fazer por um tempo é inverter a ordem da questão. Em relação ao meu companheiro, penso que essas conversas são algo que já existiam na vida dele há muito tempo antes da gente se conhecer e quando começamos o relacionamento, ele achou que tinha algo importante pra fazer ele ficar longe de tudo isso. Mas esse algo importante, que seria eu, não sou mais forte que um vicio, uma dependência química. Infelizmente. Pensar isso faz pelo menos eu sentir que tenho algum valor pra ele. Mas depois novamente fico triste pensando que queria apenas ser suficiente e ponto final. É triste demais, não sei quando vou chegar no meu limite de suportar ouvir ele falar as coisas que ele tem vontade e ainda ser compreensiva. Dói muito. Ele sempre foi honesto comigo mas isso não diminui minha dor. Não tem nenhum caminho fácil dentro dessa situação toda. As vezes passa o tempo e a gente está bem, tá tudo ótimo e do nada ele fala do assunto. Eu me pergunto pq?? Porque apesar de tantas experiências boas que a gente vive, isso não se cura dentro dele nunca? Tento encontrar uma resposta, vivo criando hipóteses. Me afundo em angustia novamente. Queria que tudo isso passasse, que ele ficasse em paz e conseguisse aproveitar tudo de bom que existe na vida dele, sem isso estar o tempo todo atormentando. Mas sinceramente, não sei se é possível.

Muito obrigada pela sua mensagem.
Como estão as coisas aí ? Alguma melhora ? Dê notícias pra gente. Estamos aqui pra nós apoiar.
Eu entendo bem como se sente. Estou oscilando entre momentos de pleno otimismo, em que abraço ele, faço carinho e digo que vai ficar tudo bem, e momentos em que lembro de anos de mentira, de cinismo e hipocrisia, sem a mínima falta de consideração e amor, em que eu só queria voltar atrás e nunca ter cruzado no mesmo caminho que ele. Mas no momento estão tão apegada emocionalmente, dediquei anos e sacrifiquei tanto por ele, que a sensação que desistir agora, seria assinar carta de "trouxesse"  e fracasso.


Recém Casada, já vim aqui várias vezes pra te responder e não dei continuidade por não conseguir resumir toda a instabilidade que estou vivendo esses dias. As coisas aqui estão oscilando a cada minuto, uma montanha russa de emoções e dificuldades. Ele parece totalmente dominado por esses pensamentos, começou a dizer que não é viciado e que não vê nenhuma consequência ruim disso na vida dele, que está fazendo o reboot apenas por minha causa. Isso me desespera, pq não é verdade! Foi sempre ele que falou de tudo isso como um vicio, algo que sempre teve ligado a muito sofrimento, que limitava a vida dele em vários aspectos, que deixou sequelas físicas no corpo dele. Eram depoimentos que partiam dele espontaneamente, eu nunca julguei, critiquei ou cobrei nada porque eu via que era um compromisso dele com ele mesmo. Mas agora ele está dizendo que não é bem assim, que não tem certeza se tal coisa está mesmo ligada a outra. etc. Acho que o cérebro dele está na abstinência criando saídas pra justificar voltar a PMO. De tanto que ele tem tentando me convencer de coisas absurdas, estou começando a duvidar de mim mesma, é como se eu estivesse louca fantasiando um problema que não existe. Ele está oscilando entre ser carinhoso e ser distante. As vezes fica paralisado me olhando, ou olhando pra baixo, eu pergunto o que é, ele não responde. Fico desesperada! Quero falar do assunto mas estou evitando porque as conversas que tivemos recentemente geraram muito stress e a relação ficou horrível, só piorou tudo. É muito difícil porque eu gostaria de conversar pra tentar encontrar saídas junto com ele, mas ele diz que não falar do assunto é melhor. Por outro lado acho que assim ele só está fugindo do problema e não está realmente tentando solucionar ou entender, por isso a coisa está constantemente atormentando ele. Aí chega até o ponto dele ficar se enganando, como agora. Quando ele estava lúcido, isso me dava animo pra seguir mas sem ele estar consciente junto comigo isso não se sustenta. Não sei o que faço! Estou sendo paciente e vendo se tem alguma melhora. Talvez essa seja só uma fase critica da abstinência. Pode ser que passando um pouco o tempo, as idéias se arrumem melhor na cabeça dele. Quero muito que seja isso e que logo ele possa ter paz e eu tb.

um abraço!

Recém Casada gosta desta mensagem

avatar
EuBuscoaCura
Mensagens : 95
Data de inscrição : 27/02/2021

Estou muito triste Empty Re: Estou muito triste

10/6/2021, 14:54
violeta escreveu:
Recém Casada escreveu:
violeta escreveu:
Recém Casada escreveu:Também estou passando por isso. Difícil entender em que momento a gente passa a ser menos importante do que uma conversa íntima com uma estranha ou sei lá. Queria ter a resposta pra sua pergunta. De qualquer forma, vou estar aqui e acompanhar sua história.

Recém casada, estava agora mesmo deixando um comentário na sua postagem!

Olha, essa pergunta eu me faço todos os dias. O que eu tento fazer por um tempo é inverter a ordem da questão. Em relação ao meu companheiro, penso que essas conversas são algo que já existiam na vida dele há muito tempo antes da gente se conhecer e quando começamos o relacionamento, ele achou que tinha algo importante pra fazer ele ficar longe de tudo isso. Mas esse algo importante, que seria eu, não sou mais forte que um vicio, uma dependência química. Infelizmente. Pensar isso faz pelo menos eu sentir que tenho algum valor pra ele. Mas depois novamente fico triste pensando que queria apenas ser suficiente e ponto final. É triste demais, não sei quando vou chegar no meu limite de suportar ouvir ele falar as coisas que ele tem vontade e ainda ser compreensiva. Dói muito. Ele sempre foi honesto comigo mas isso não diminui minha dor. Não tem nenhum caminho fácil dentro dessa situação toda. As vezes passa o tempo e a gente está bem, tá tudo ótimo e do nada ele fala do assunto. Eu me pergunto pq?? Porque apesar de tantas experiências boas que a gente vive, isso não se cura dentro dele nunca? Tento encontrar uma resposta, vivo criando hipóteses. Me afundo em angustia novamente. Queria que tudo isso passasse, que ele ficasse em paz e conseguisse aproveitar tudo de bom que existe na vida dele, sem isso estar o tempo todo atormentando. Mas sinceramente, não sei se é possível.

Muito obrigada pela sua mensagem.
Como estão as coisas aí ? Alguma melhora ? Dê notícias pra gente. Estamos aqui pra nós apoiar.
Eu entendo bem como se sente. Estou oscilando entre momentos de pleno otimismo, em que abraço ele, faço carinho e digo que vai ficar tudo bem, e momentos em que lembro de anos de mentira, de cinismo e hipocrisia, sem a mínima falta de consideração e amor, em que eu só queria voltar atrás e nunca ter cruzado no mesmo caminho que ele. Mas no momento estão tão apegada emocionalmente, dediquei anos e sacrifiquei tanto por ele, que a sensação que desistir agora, seria assinar carta de "trouxesse"  e fracasso.


Recém Casada, já vim aqui várias vezes pra te responder e não dei continuidade por não conseguir resumir toda a instabilidade que estou vivendo esses dias. As coisas aqui estão oscilando a cada minuto, uma montanha russa de emoções e dificuldades. Ele parece totalmente dominado por esses pensamentos, começou a dizer que não é viciado e que não vê nenhuma consequência ruim disso na vida dele, que está fazendo o reboot apenas por minha causa. Isso me desespera, pq não é verdade! Foi sempre ele que falou de tudo isso como um vicio, algo que sempre teve ligado a muito sofrimento, que limitava a vida dele em vários aspectos, que deixou sequelas físicas no corpo dele. Eram depoimentos que partiam dele espontaneamente, eu nunca julguei, critiquei ou cobrei nada porque eu via que era um compromisso dele com ele mesmo. Mas agora ele está dizendo que não é bem assim, que não tem certeza se tal coisa está mesmo ligada a outra. etc. Acho que o cérebro dele está na abstinência criando saídas pra justificar voltar a PMO. De tanto que ele tem tentando me convencer de coisas absurdas, estou começando a duvidar de mim mesma, é como se eu estivesse louca fantasiando um problema que não existe. Ele está oscilando entre ser carinhoso e ser distante. As vezes fica paralisado me olhando, ou olhando pra baixo, eu pergunto o que é, ele não responde. Fico desesperada! Quero falar do assunto mas estou evitando porque as conversas que tivemos recentemente geraram muito stress e a relação ficou horrível, só piorou tudo. É muito difícil porque eu gostaria de conversar pra tentar encontrar saídas junto com ele, mas ele diz que não falar do assunto é melhor. Por outro lado acho que assim ele só está fugindo do problema e não está realmente tentando solucionar ou entender, por isso a coisa está constantemente atormentando ele. Aí chega até o ponto dele ficar se enganando, como agora. Quando ele estava lúcido, isso me dava animo pra seguir mas sem ele estar consciente junto comigo isso não se sustenta. Não sei o que faço! Estou sendo paciente e vendo se tem alguma melhora. Talvez essa seja só uma fase critica da abstinência. Pode ser que passando um pouco o tempo, as idéias se arrumem melhor na cabeça dele. Quero muito que seja isso e que logo ele possa ter paz e eu tb.

um abraço!
O cerebro faz isso mesmo, mas ai faz um desafio com ele, se ele comseguir ficar 90 dias no minimo sem pra ver o que acontece. Se ele nao consegue ficar 90 dias sem é por que ele é viciado. Meu, ele ta brigando com a esposa pra assistir estranhos transando é claro que existe um vicio aí. Quando o cara é solteiro justifica demais pensar essas coisas pq as vezes da uma carencia de sexo e da pra confundir facil isso com pornô, mas namorando ou casado nao faz sentido ficar nessa fissura a menos que vc esteja viciado.

Recém Casada e Violeta gostam desta mensagem

avatar
Violeta
Mensagens : 9
Data de inscrição : 05/06/2021

Estou muito triste Empty Re: Estou muito triste

11/6/2021, 13:55
EuBuscoaCura escreveu:
violeta escreveu:
Recém Casada escreveu:
violeta escreveu:
Recém Casada escreveu:Também estou passando por isso. Difícil entender em que momento a gente passa a ser menos importante do que uma conversa íntima com uma estranha ou sei lá. Queria ter a resposta pra sua pergunta. De qualquer forma, vou estar aqui e acompanhar sua história.

Recém casada, estava agora mesmo deixando um comentário na sua postagem!

Olha, essa pergunta eu me faço todos os dias. O que eu tento fazer por um tempo é inverter a ordem da questão. Em relação ao meu companheiro, penso que essas conversas são algo que já existiam na vida dele há muito tempo antes da gente se conhecer e quando começamos o relacionamento, ele achou que tinha algo importante pra fazer ele ficar longe de tudo isso. Mas esse algo importante, que seria eu, não sou mais forte que um vicio, uma dependência química. Infelizmente. Pensar isso faz pelo menos eu sentir que tenho algum valor pra ele. Mas depois novamente fico triste pensando que queria apenas ser suficiente e ponto final. É triste demais, não sei quando vou chegar no meu limite de suportar ouvir ele falar as coisas que ele tem vontade e ainda ser compreensiva. Dói muito. Ele sempre foi honesto comigo mas isso não diminui minha dor. Não tem nenhum caminho fácil dentro dessa situação toda. As vezes passa o tempo e a gente está bem, tá tudo ótimo e do nada ele fala do assunto. Eu me pergunto pq?? Porque apesar de tantas experiências boas que a gente vive, isso não se cura dentro dele nunca? Tento encontrar uma resposta, vivo criando hipóteses. Me afundo em angustia novamente. Queria que tudo isso passasse, que ele ficasse em paz e conseguisse aproveitar tudo de bom que existe na vida dele, sem isso estar o tempo todo atormentando. Mas sinceramente, não sei se é possível.

Muito obrigada pela sua mensagem.
Como estão as coisas aí ? Alguma melhora ? Dê notícias pra gente. Estamos aqui pra nós apoiar.
Eu entendo bem como se sente. Estou oscilando entre momentos de pleno otimismo, em que abraço ele, faço carinho e digo que vai ficar tudo bem, e momentos em que lembro de anos de mentira, de cinismo e hipocrisia, sem a mínima falta de consideração e amor, em que eu só queria voltar atrás e nunca ter cruzado no mesmo caminho que ele. Mas no momento estão tão apegada emocionalmente, dediquei anos e sacrifiquei tanto por ele, que a sensação que desistir agora, seria assinar carta de "trouxesse"  e fracasso.


Recém Casada, já vim aqui várias vezes pra te responder e não dei continuidade por não conseguir resumir toda a instabilidade que estou vivendo esses dias. As coisas aqui estão oscilando a cada minuto, uma montanha russa de emoções e dificuldades. Ele parece totalmente dominado por esses pensamentos, começou a dizer que não é viciado e que não vê nenhuma consequência ruim disso na vida dele, que está fazendo o reboot apenas por minha causa. Isso me desespera, pq não é verdade! Foi sempre ele que falou de tudo isso como um vicio, algo que sempre teve ligado a muito sofrimento, que limitava a vida dele em vários aspectos, que deixou sequelas físicas no corpo dele. Eram depoimentos que partiam dele espontaneamente, eu nunca julguei, critiquei ou cobrei nada porque eu via que era um compromisso dele com ele mesmo. Mas agora ele está dizendo que não é bem assim, que não tem certeza se tal coisa está mesmo ligada a outra. etc. Acho que o cérebro dele está na abstinência criando saídas pra justificar voltar a PMO. De tanto que ele tem tentando me convencer de coisas absurdas, estou começando a duvidar de mim mesma, é como se eu estivesse louca fantasiando um problema que não existe. Ele está oscilando entre ser carinhoso e ser distante. As vezes fica paralisado me olhando, ou olhando pra baixo, eu pergunto o que é, ele não responde. Fico desesperada! Quero falar do assunto mas estou evitando porque as conversas que tivemos recentemente geraram muito stress e a relação ficou horrível, só piorou tudo. É muito difícil porque eu gostaria de conversar pra tentar encontrar saídas junto com ele, mas ele diz que não falar do assunto é melhor. Por outro lado acho que assim ele só está fugindo do problema e não está realmente tentando solucionar ou entender, por isso a coisa está constantemente atormentando ele. Aí chega até o ponto dele ficar se enganando, como agora. Quando ele estava lúcido, isso me dava animo pra seguir mas sem ele estar consciente junto comigo isso não se sustenta. Não sei o que faço! Estou sendo paciente e vendo se tem alguma melhora. Talvez essa seja só uma fase critica da abstinência. Pode ser que passando um pouco o tempo, as idéias se arrumem melhor na cabeça dele. Quero muito que seja isso e que logo ele possa ter paz e eu tb.

um abraço!
O cerebro faz isso mesmo, mas ai faz um desafio com ele, se ele comseguir ficar 90 dias no minimo sem pra ver o que acontece. Se ele nao consegue ficar 90 dias sem é por que ele é viciado. Meu, ele ta brigando com a esposa pra assistir estranhos transando é claro que existe um vicio aí. Quando o cara é solteiro justifica demais pensar essas coisas pq as vezes da uma carencia de sexo e da pra confundir facil isso com pornô, mas namorando ou casado nao faz sentido ficar nessa fissura a menos que vc esteja viciado.

verdade! eu penso da mesma forma que vc. agora ele está fazendo o reboot e está passando por várias fases diferentes. isso pra mim já deixa claro o vicio. eu vejo bem evidente os sintomas da abstinência mas ele não vê. acho que falta um pouco de auto-conhecimento pra tudo na vida dele. é um processo dificil né, encarar as feridas pra ter uma chance de se curar. Estou tentando manter a calma e me ocupar com algo nas horas que bate a aflição e aguardando alguma melhora.

Recém Casada gosta desta mensagem

avatar
Recém Casada
Mensagens : 37
Data de inscrição : 03/06/2021

Estou muito triste Empty Re: Estou muito triste

Ontem à(s) 06:44
Violeta escreveu:
EuBuscoaCura escreveu:
violeta escreveu:
Recém Casada escreveu:
violeta escreveu:
Recém Casada escreveu:Também estou passando por isso. Difícil entender em que momento a gente passa a ser menos importante do que uma conversa íntima com uma estranha ou sei lá. Queria ter a resposta pra sua pergunta. De qualquer forma, vou estar aqui e acompanhar sua história.

Recém casada, estava agora mesmo deixando um comentário na sua postagem!

Olha, essa pergunta eu me faço todos os dias. O que eu tento fazer por um tempo é inverter a ordem da questão. Em relação ao meu companheiro, penso que essas conversas são algo que já existiam na vida dele há muito tempo antes da gente se conhecer e quando começamos o relacionamento, ele achou que tinha algo importante pra fazer ele ficar longe de tudo isso. Mas esse algo importante, que seria eu, não sou mais forte que um vicio, uma dependência química. Infelizmente. Pensar isso faz pelo menos eu sentir que tenho algum valor pra ele. Mas depois novamente fico triste pensando que queria apenas ser suficiente e ponto final. É triste demais, não sei quando vou chegar no meu limite de suportar ouvir ele falar as coisas que ele tem vontade e ainda ser compreensiva. Dói muito. Ele sempre foi honesto comigo mas isso não diminui minha dor. Não tem nenhum caminho fácil dentro dessa situação toda. As vezes passa o tempo e a gente está bem, tá tudo ótimo e do nada ele fala do assunto. Eu me pergunto pq?? Porque apesar de tantas experiências boas que a gente vive, isso não se cura dentro dele nunca? Tento encontrar uma resposta, vivo criando hipóteses. Me afundo em angustia novamente. Queria que tudo isso passasse, que ele ficasse em paz e conseguisse aproveitar tudo de bom que existe na vida dele, sem isso estar o tempo todo atormentando. Mas sinceramente, não sei se é possível.

Muito obrigada pela sua mensagem.
Como estão as coisas aí ? Alguma melhora ? Dê notícias pra gente. Estamos aqui pra nós apoiar.
Eu entendo bem como se sente. Estou oscilando entre momentos de pleno otimismo, em que abraço ele, faço carinho e digo que vai ficar tudo bem, e momentos em que lembro de anos de mentira, de cinismo e hipocrisia, sem a mínima falta de consideração e amor, em que eu só queria voltar atrás e nunca ter cruzado no mesmo caminho que ele. Mas no momento estão tão apegada emocionalmente, dediquei anos e sacrifiquei tanto por ele, que a sensação que desistir agora, seria assinar carta de "trouxesse"  e fracasso.


Recém Casada, já vim aqui várias vezes pra te responder e não dei continuidade por não conseguir resumir toda a instabilidade que estou vivendo esses dias. As coisas aqui estão oscilando a cada minuto, uma montanha russa de emoções e dificuldades. Ele parece totalmente dominado por esses pensamentos, começou a dizer que não é viciado e que não vê nenhuma consequência ruim disso na vida dele, que está fazendo o reboot apenas por minha causa. Isso me desespera, pq não é verdade! Foi sempre ele que falou de tudo isso como um vicio, algo que sempre teve ligado a muito sofrimento, que limitava a vida dele em vários aspectos, que deixou sequelas físicas no corpo dele. Eram depoimentos que partiam dele espontaneamente, eu nunca julguei, critiquei ou cobrei nada porque eu via que era um compromisso dele com ele mesmo. Mas agora ele está dizendo que não é bem assim, que não tem certeza se tal coisa está mesmo ligada a outra. etc. Acho que o cérebro dele está na abstinência criando saídas pra justificar voltar a PMO. De tanto que ele tem tentando me convencer de coisas absurdas, estou começando a duvidar de mim mesma, é como se eu estivesse louca fantasiando um problema que não existe. Ele está oscilando entre ser carinhoso e ser distante. As vezes fica paralisado me olhando, ou olhando pra baixo, eu pergunto o que é, ele não responde. Fico desesperada! Quero falar do assunto mas estou evitando porque as conversas que tivemos recentemente geraram muito stress e a relação ficou horrível, só piorou tudo. É muito difícil porque eu gostaria de conversar pra tentar encontrar saídas junto com ele, mas ele diz que não falar do assunto é melhor. Por outro lado acho que assim ele só está fugindo do problema e não está realmente tentando solucionar ou entender, por isso a coisa está constantemente atormentando ele. Aí chega até o ponto dele ficar se enganando, como agora. Quando ele estava lúcido, isso me dava animo pra seguir mas sem ele estar consciente junto comigo isso não se sustenta. Não sei o que faço! Estou sendo paciente e vendo se tem alguma melhora. Talvez essa seja só uma fase critica da abstinência. Pode ser que passando um pouco o tempo, as idéias se arrumem melhor na cabeça dele. Quero muito que seja isso e que logo ele possa ter paz e eu tb.

um abraço!
O cerebro faz isso mesmo, mas ai faz um desafio com ele, se ele comseguir ficar 90 dias no minimo sem pra ver o que acontece. Se ele nao consegue ficar 90 dias sem é por que ele é viciado. Meu, ele ta brigando com a esposa pra assistir estranhos transando é claro que existe um vicio aí. Quando o cara é solteiro justifica demais pensar essas coisas pq as vezes da uma carencia de sexo e da pra confundir facil isso com pornô, mas namorando ou casado nao faz sentido ficar nessa fissura a menos que vc esteja viciado.

verdade! eu penso da mesma forma que vc. agora ele está fazendo o reboot e está passando por várias fases diferentes. isso pra mim já deixa claro o vicio. eu vejo bem evidente os sintomas da abstinência mas ele não vê. acho que falta um pouco de auto-conhecimento pra tudo na vida dele. é um processo dificil né, encarar as feridas pra ter uma chance de se curar. Estou tentando manter a calma e me ocupar com algo nas horas que bate a aflição e aguardando alguma melhora.

Realmente, acho que a falta de auto conhecimento prejudica muito o processo. É muito cansativo ter que, além de ajudar e engolir as dores do vício, ainda descobrir pela pessoa o que ela está sentindo, ou algo assim (no meu caso, pelo menos, qualquer pergunta que eu faço acerca do que ele sente ou desse vício, a resposta é "não sei").
Uma pergunta, o que te faz achar que é melhor viver assim do que arriscar ter uma vida feliz solteira ou com uma outra pessoa ? (É realmente uma dúvida minha, em alguns momentos de lucidez me vem isso na cabeça).
avatar
Violeta
Mensagens : 9
Data de inscrição : 05/06/2021

Estou muito triste Empty Re: Estou muito triste

Ontem à(s) 13:36
Por aqui acredito que estamos passando por uma flatline. Mas não tenho certeza, pq na verdade desde que meu companheiro teve uma recaída há dois meses atrás, o interesse sexual dele por mim mudou. Noto várias diferenças no comportamento dele, além da freqüência que diminuiu muito, ele está com ER, como se não estivesse mais gostando de transar. É a primeira vez que isso acontece, pq sempre fomos tarados um pelo outro. Antes bastava eu falar qualquer coisinha, ele já tava animado. Nossa vida sexual sempre foi incrível, a gente sempre se divertiu muito juntos nesses momentos. Ele esquecia do mundo e se empenhava totalmente, era só eu e ele, dando nosso melhor um pro outro. Mas agora eu noto muitas diferenças, é como se ele tivesse me bloqueado. Se eu digo algo ou demonstro interesse, na maioria das vezes ele fica visivelmente desconfortável. É muito desesperador sentir essa rejeição. Como barrar esse desastre?!! Como impedir tanta destruição??!!! É como se eu fosse um empecilho entre ele e o que ele quer tanto fazer. Ele está obcecado pela idéia de conversar com outras mulheres. Eu vejo isso e pra mim é um sinal evidente do vicio. Viciados em PMO costumam falar de si mesmos como se fossem pessoas que gostassem muito de sexo e de putaria. Mas eu acho que se fosse verdade, ele não iria perder o interesse em transar com alguém com quem ele sabe que transar é excelente. O que na verdade o viciado gosta é da fantasia. É viciado em fantasiar algo fora da realidade. Não é a toa que vários gatilhos pra recaídas são ansiedade, frustração, tédio e ociosidade.

Depois de estar vivendo tudo isso, agora até mesmo eu já estou traumatizada. Olho pra ele e estou sempre me perguntando se ele está ali transando comigo achando tão bom quanto conversar com alguém. Penso isso e em um monte de outras coisas e acaba comprometendo minha vontade de estar com ele. Perdi a confiança e aquele sentimento gostoso e único de parceria, de quem sabia que a gente adorava fazer aquilo tudo juntos e que eu podia propor tudo que quisesse e a gente prolongaria o tempo que fosse, os dois estariam se divertindo. Mas mudou tudo, virou uma experiência que me deixa ansiosa, desconfortável e insegura. Que quero acabar rápido pra garantir que ele não vai ficar entediado, que não sei se estou agradando, que quero deixar ele com a melhor lembrança pra ter certeza que ele não vai ceder a PMO e ai nisso tudo eu nem curto de verdade mais nada. Como é possível isso acontecer?? Me sinto tão triste. O que antes era um momento muito importante de conexão entre nós se tornou uma martírio. Isso não é vida! Estava tudo tão bem entre nós até pouco tempo atrás e agora parece que a cabeça dele foi invadida e tudo desmoronou!!!

EuBuscoaCura gosta desta mensagem

Voltar ao Topo
Permissão neste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum