Ir para baixo
Vic Yusuf
Vic Yusuf
Mensagens : 245
Data de inscrição : 09/11/2021
Idade : 30
Localização : Dimensão Onírica

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

22/1/2022, 16:06
Finn escreveu:
Vic Yusuf escreveu:Olá meu caro amiguinho, como você está hã? Olha ter praticado Mo não necessariamente é motivo para achar que teve um reset e reiniciar o contador, se você notou que após a Mo não sentiu tantos efeitos(ou nenhum) negativos como acontece quando olhamos para a pornografia em si, o que se deve fazer é ter mais de um contador( no caso de você querer contar no modo hard), deve notar certas coisas sobre sua MO: Você praticou facilmente e sem dificuldades como faria se estivesse vendo P, você sentiu as mesmas sensações prazerosas e fortes que sentiria se tivesse praticado Mo sendo auxiliado diretamente por P? Porque dependendo de quanto tempo você tenha assistido P pela última vez, talvez essa memória esteja bem distante. Dá para ver que o seu ex ainda mexe com você, e você com essa carência acaba fantasiando com alguém que sequer possa existir, isso é próprio de uma carência muito forte, de se sentir só e que ninguém o ama ou nunca vai amá-lo, mas na minha opinião, deve haver sempre por aí alguém que nos queira, não vou dizer para esperar ou procurar, mas resista a tais sentimentos. E corte contato com o ex, se você já tem certeza que não tem volta e teria ciúmes dele caso ficassem só amigos. Mas se deseja reiniciar, te desejo muitas forças nesse recomeço, Shalom!!

Olá vic.

Faz muito tempo que vi P, desde antes do ano novo. Então eu não tava lembrando diretamente de P, porém adquiri alguns hábitos sobre o tipo de P que costumava assistir (ex.: orgasmo sem as mãos e estimulo da próstata). Acho que isso foi uma estratégia para sentir prazer e chegar ao orgasmo sem super estimular o pênis, para talvez assim ele não ficar sem sensibilizado e eu não ter DE durante o sexo com meu ex. Além disso, eu busquei vários outras formas, ao longo do tempo, de me estimular para que eu não tivesse DE.

Eu ainda tenho muitos receios sobre sexo, pois eu não tenho tanta energia sexual, como já descrevi em outro post. Então eu achei que se fizesse peripécias (ficar de cabeça pra baixo, em pé, de lado, de todos os jeitos) eu conseguiria sentir o prazer quando outra pessoa quisesse me oferecer. Só que tudo isso é muito confuso, pois eu acho que tenho um bloqueio de me conectar com um parceiro sexual. Eu não sei como dar prazer para as pessoas e também não sei receber prazer direito (eu fico com receito de perguntar e parecer inexperiente).
Muitas vezes eu nem senti prazer, ficava muito preocupado com o que a pessoa estava achando, se eu poderia machucar. Ao mesmo tempo eu estava louco pq não conseguia sentir as coisas direito. Tudo isso era muito frustrante. Então fui vendo esses outros P de auto prazer, como um forma de me tornar menos condicionado a certos hábitos de MO.

O que pratiquei ontem foi um desses hábitos. Além de ter sido desencadeado por todo o turbilhão de emoções que ainda tenho sobre esse término. Pensando nas muitas coisas que não foram ditas por mim e por ele. Pq eu tenho a sensação de que errei, que meu jeito de ser é errado, que meu jeito de agir é errado, que meu jeito de sentir e dar prazer é errado e que isso causou meu término.
Racionalmente eu sei que tudo isso não é culpa minha, que eu não tenho controle sobre como o outro vai agir, sentir e se expressar. Pq nem eu mesmo tenho esse controle sobre mim e talvez nunca vou ter 100%. Porém, no fundo, eu acho que é tudo culpa minha, o que ainda é um problema sério que tenho tentado tratar na terapia, aceitar que eu vou errar e que tá tudo bem errar. Que errar é uma possibilidade de mudança.

Eu disse que não me senti muito mal após o MO pq foi muito prazeroso e aliviou muito a tensão que estava, mas agora eu já nem sei mais. Não sei se olhar para o meu corpo e sentir atração por mim mesmo, até me fetichizar, é algo saudável. Pq eu tenho o corpo muito parecido com os P que costumava assistir e é um tipo de corpo que eu gosto, tipo twink, como o Troye Sivan ou Timothee Chalamet. Mas ainda não entendi bem o meu desejo.

Eu sempre observei caras másculos não com vontade de transar com eles ou dar para eles. Era sempre invejando o corpo que eu sempre quis ter. Até consumia mais P sobre daddys e tal, sempre procurando um em que o cara mais afeminado era ativo com o daddy. Pq eu queria estar nessa posição.
Por isso não sei se meu desejo atual pelo corpo twink seja apenas para suprir uma vontade de ser o ativo que nunca pude ser, devido a DE, ou se na verdade eu sou passivo mesmo e eu não deveria lutar contra esse desejo. Pq eu fui experimentar comigo mesmo prazer na próstata e gostei, mas tenho muito receio de alguém me machucar e me forçar se eu ficar nessa posição no sexo. Já que a P mostra como isso pode ser violento as vezes e como não tenho muita força física para resistir, eu fico com muito medo de ser abusado.

Eu acho que tô fazendo uma tempestade em copo d'água por causa disso, quando eu só precisava experimentar pra descobrir o que eu realmente gosto. Mas tudo isso é muito difícil pra mim.

Enfim, vou segui a dica do vic e criar outro contador, um para MO desencadeado por fetiches e um para P propriamente dita.

PS.:
- Não estou mais com o contato com meu ex, cheguei a ver alguns stories dele, mas não tive sentimentos ruins, até pq os stories não me deram gatilho, mas pretendo evitar mais eles.
- Estou puxando assunto com outras pessoas, para não focar tanto no passado e construir novas relações e amizades que deixei de lado, por tanto focar no meu ex, achando que ele precisava de mais atenção e me sentir presente na relação (um grande erro meu, pois ele não estava).
- Acabei vendo alguns gatilhos hoje, mas nada tão impactante que me levasse a PMO.
- Segui a dica do Rene sobre meditação antes de dormir, acho que ajudou um pouco, mas se alguém souber um aplicativo legal com meditação guiada, seria ótimo.
- Exercício, yoga, autoacolhimento e escrever sobre os pensamentos tem ajudado, porém ainda não é algo tão duradouro ao longo do dia. Alivia por um tempo depois tudo volta, principalmente quando estou tentando estudar e quando acordo na madrugada. Espero que isso vá melhorando aos poucos.

Bom, sua falta de confiança em uma relação, pode ser ainda induzida pela mente influenciada por P, haja visto que muitas vezes tentamos reproduzir as mesmas coisas que vemos nos vídeos, quando na vida real é mais simples e mais prático do que vemos lá, então isso acaba destruindo nossa autoconfiança, nos fazendo sentir-nos digamos "ruins ou fracos de cama", mas é tudo uma indução, com o tempo percebemos que tudo é normal, e na vida real nem sempre vamos agradar sempre um possível parceiro sexual. Confesso que me chamou a atenção sobre esse auto prazer, é algo que ainda não tenho muito conhecimento e não posso opinar sobre. Bom se você sente essa curiosidade em ser ativo, primeiro deve continuar com o reboot, e com o tempo ir tentando notar se a DE vem diminuindo e aí tentar descobrir se você gosta mesmo disso. Quando der eu termino de responder, estou fraco, não posso ficar muito tempo aqui no pc, então depois eu volto, até mais, Shalom!!!

Rene.Gade e Kravitiz Lost gostam desta mensagem

Rene.Gade
Rene.Gade
Mensagens : 1437
Data de inscrição : 06/08/2019
Localização : Running wild and running free.

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

23/1/2022, 13:05
Ei, Finn.

No início de meu reboot eu usava muito o aplicativo de meditação guiada chamado Insight Timer. Espero que possa, ajudar, tenho ele até hoje, apesar de ter um tempo que não uso, gosto muito dele e sempre tem práticas novas sendo postadas, de vários tipos e de várias pessoas.

Sobre as m.o's, eu entendo, porém é algo que só você pode entender se foi um reset ou não. Tente analisar as circunstâncias das fantasias, foram lembranças de momentos de p.? E depois você sentiu vontade de consumir p., te trouxe gatilhos ou fissuras? Talvez esses questionamentos te ajudem a compreendê-las.

Retirando a questão de ser um reset ou não, eu também me questiono sobre até que ponto algumas m.o's mais do tipo 'fast m.o' (como costumo escrever, kkkk) são saudáveis para nosso reboot ou não. Cheguei a conclusão que é mais o motivo pelo qual você fez a m.o, do que ela em si. Esses motivos podem tornar essa m.o mais perigosa no sentido de nos gerar gatilhos, ou fissuras de p., e aos poucos vamos cedendo, fazendo de maneira compulsiva e sem desejo. Quando percebo que quero me estimular, mesmo sem desejo do meu corpo, eu geralmente noto que algo de errado não está certo, kkkk, e também quando percebo que fico com cada vez mais vontade de fazer peripécias, como você mencionou, é bom fazer um esforço e ficar um tempo sem. Estou passando por isso nesse momento também.

É bom encontrar sim formas novas de autoprazer que envolva o contato do seu corpo, explorar e tudo mais, porém acredito que há tempo para tudo, ficar pensando muito nisso em início de reboot pode ser uma forma de nosso cérebro tentar encontrar brechas. Eu particularmente penso que isso pode ser adiado para um momento em que você estiver mais seguro em seu reboot, um pouco mais consolidado.

Acompanhando e forças!

_______________________________________
|| DIÁRIO RENÊ ||

ÍNDICE DO DIÁRIO.

Finn e Kravitiz Lost gostam desta mensagem

Finn
Finn
Mensagens : 58
Data de inscrição : 01/11/2021

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

23/1/2022, 19:31
Exatamente Rene, geralmente minhas vontades vem quando eu quero aliviar o estresse causado pelo trabalho e agora pelo término. O que leva a uma alívio nos pensamentos e até um entorpecimento mesmo, como uma droga. Que geralmente dura pouco tempo.

Dessa vez não senti aquele efeito de culpa ou arrependimento que vinha quando me estimulava assistindo P. Mas também não deu vontade de ver P ou praticar MO novamente. Nunca tive essas MOs compulsivas, geralmente a vontade vem depois de dois ou três dias.

Então realmente não sei quando é uma vontade natural. Esse mês minha líbido esteve baixa e as MO não foram as mais emocionalmente saudáveis. Esse desejo natural eu ainda tenho que prestar mais atenção.

Hoje não tive estímulos, gatilhos nem busquei P. Aparentemente meu corpo tá sendo o estímulo, o que é bem constrangedor de se dizer kkkkk

Ainda estou com muita dificuldade para dormir, acordei às 3 e as 4 e não consegui dormir direito depois. Tento sair das telas e ler antes de dormir e a meditação, mas minha mente ficou soterrada pelo término. Ainda tentando "consertar" as coisas, mesmo sabendo que não quero mais ele, ainda fico na vontade de consertar o meu "erro". Não sei como virar a chavinha para seguir em frente.
Vou conversar sobre isso na terapia. Mas já percebo que a minha questão com querer acertar sempre e querer saber tudo tem prejudicado também esse lado da minha vida.

Obrigado a todos pelo apoio

Rene.Gade e Kravitiz Lost gostam desta mensagem

Finn
Finn
Mensagens : 58
Data de inscrição : 01/11/2021

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

25/1/2022, 08:53
Bom dia, pessoal!

Então, aconteceram algumas coisas. O problemas de sono persistem e conversei sobre eles na terapia, o como os pensamentos sobre o término estavam construíndo um eu que deveria ter tomado a iniciativa para terminar aquela relação quando percebi os primeiro sinais de que ele não estava mais afim. Porém esse eu não existe, já que eu queria concertar as coisas e não terminá-las. Entendi que esses pensamentos são fruto de um ego ferido, o qual preciso dar tempo para se curar. Além disso, ainda existem coisas que gostaria de saber, entender sobre as atitudes dele e por isso vamos conversar em breve. Evitá-lo e evitar essas questões não estavam ajudando no meu processo de aceitação, então ele me deu abertura para conversarmos e com isso pretendo amarrar os pontos finais.
Pode ser que isso seja muito complicado para mim, mas eu prefiro ouvir todas as verdades da boca dele, do que ficar na paranóia do que aconteceu.

Porém outras questões surgiram, ontem e hoje tive sonhor eróticos com meu ex. O mais engraçaco é que no sonho eu sabia que era um sonho. Eu falava "Mas isso é só um sonho" e ele me respondia "Quero que essa seja a última lembraça que você tem da gente". Foram situações sexuais muito intensas e pensei que iria ter alguma polução, pois o prazer era muito real. Acordei excitado e liberando o pré-gozo.
Depois que acordei me deparei com outros gatilhos, estava passando um documentário sobre o Marlon Brando e ele era um gato kkk. Depois passou o comercial de um filme e tinha um cara bonitão lá. Acabei indo pesquisar sobre ele, para saber o nome e acabei vendo fotos sem camisa. Hoje novamente tive gatilhos através de uma série.
Esse gatilhos não me levaram a buscar P, mas podem ser sinais do efeito caçador. Embora não tenha me dado vontade de MO, não sei que esses estimulos estão se acumulando para explodir nos próximos dias.

Minha família está em casa e pode ser que me ajudem quanto a distração. Tenho feito yoga e exercícios alternados e tem ajudado a controla a ansiedade pela manhã. A meditação guiada ainda não está tendo o efeito que gostaria para dormir, acordei as 2 e só voltei ao sono devido a exaustão, caindo no sonho erótico. Tenho questões de saúde para resolver também, mais trabalho aparecendo e uma viagem planejada para a capital do meu estado. Vou buscar direcionar para essas coisa, que são mais importantes do que um relacionamento desgastado e um vício sem futuro.

Boa semana a todos!

PS.: tenho notado que tenho expelido liquido pré-ejaculatório algumas vezes ao longo do dia, em pouca quantidade, sem estímulos aparentes.

_______________________________________
____________________________________________________________________________

Josuez, Rene.Gade, Vic Yusuf e Kravitiz Lost gostam desta mensagem

Vic Yusuf
Vic Yusuf
Mensagens : 245
Data de inscrição : 09/11/2021
Idade : 30
Localização : Dimensão Onírica

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

26/1/2022, 11:18
Finn escreveu:Bom dia, pessoal!

Então, aconteceram algumas coisas. O problemas de sono persistem e conversei sobre eles na terapia, o como os pensamentos sobre o término estavam construíndo um eu que deveria ter tomado a iniciativa para terminar aquela relação quando percebi os primeiro sinais de que ele não estava mais afim. Porém esse eu não existe, já que eu queria concertar as coisas e não terminá-las. Entendi que esses pensamentos são fruto de um ego ferido, o qual preciso dar tempo para se curar. Além disso, ainda existem coisas que gostaria de saber, entender sobre as atitudes dele e por isso vamos conversar em breve. Evitá-lo e evitar essas questões não estavam ajudando no meu processo de aceitação, então ele me deu abertura para conversarmos e com isso pretendo amarrar os pontos finais.
Pode ser que isso seja muito complicado para mim, mas eu prefiro ouvir todas as verdades da boca dele, do que ficar na paranóia do que aconteceu.

Porém outras questões surgiram, ontem e hoje tive sonhor eróticos com meu ex. O mais engraçaco é que no sonho eu sabia que era um sonho. Eu falava "Mas isso é só um sonho" e ele me respondia "Quero que essa seja a última lembraça que você tem da gente". Foram situações sexuais muito intensas e pensei que iria ter alguma polução, pois o prazer era muito real. Acordei excitado e liberando o pré-gozo.
Depois que acordei me deparei com outros gatilhos, estava passando um documentário sobre o Marlon Brando e ele era um gato kkk. Depois passou o comercial de um filme e tinha um cara bonitão lá. Acabei indo pesquisar sobre ele, para saber o nome e acabei vendo fotos sem camisa. Hoje novamente tive gatilhos através de uma série.
Esse gatilhos não me levaram a buscar P, mas podem ser sinais do efeito caçador. Embora não tenha me dado vontade de MO, não sei que esses estimulos estão se acumulando para explodir nos próximos dias.

Minha família está em casa e pode ser que me ajudem quanto a distração. Tenho feito yoga e exercícios alternados e tem ajudado a controla a ansiedade pela manhã. A meditação guiada ainda não está tendo o efeito que gostaria para dormir, acordei as 2 e só voltei ao sono devido a exaustão, caindo no sonho erótico. Tenho questões de saúde para resolver também, mais trabalho aparecendo e uma viagem planejada para a capital do meu estado. Vou buscar direcionar para essas coisa, que são mais importantes do que um relacionamento desgastado e um vício sem futuro.

Boa semana a todos!

PS.: tenho notado que tenho expelido liquido pré-ejaculatório algumas vezes ao longo do dia, em pouca quantidade, sem estímulos aparentes.


Olá meu amigo, olha pelo jeito o seu ex ainda mexe com você, e mesmo que a carência diminua ainda tem a questão das fantasias que você tem com ele, que podem infelizmente te levar de volta a PMOE, e sobre os gatilhos bobos que foram ativados em você, com o comercial e o Doc sobre o Marlon Brando, é porque nossa mente ainda pornográfica não diferencia o que é sexo real e o que não é, logo com o tempo vamos deixando a P propriamente dita e a mente começa a racionalizar com qualquer coisa que possa servir de substituto, Redes sociais, apps, comerciais, séries com cenas eróticas, até mesmo comerciais, por isso dependendo da pessoa é um risco manter propositalmente certos gatilhos. Tem toda a razão quanto a se concentrar no que importa, se você crê que ter uma última conversa com seu ex seja o melhor, vá, é melhor que ficar pensando e martelando, admito que eu queria ter tido uma última conversa com o Well também, mas fico aguentando, e sobre sua falta de sono, infelizmente pode ser efeito também do reboot, porque nossa mente está muito volátil devido a abstinência, logo pode haver liberação de substâncias como o cortisol, que aumenta a pressão e o nível de energia do corpo, no começo aconteceu comigo também, inclusive relatei muito isso aqui, mas com o tempo a meditação irá surtir efeito e você conseguirá normalizar o seu sono. Bem estou aqui te acompanhando, acompanhando seus relatos e esperando o enredo final dessa novela com seu ex, não deixe de nos atualizar viu, forças, Shalom!!

Rene.Gade, Finn e Kravitiz Lost gostam desta mensagem

Finn
Finn
Mensagens : 58
Data de inscrição : 01/11/2021

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

26/1/2022, 14:07
Obrigado Vic!

Eu nunca tinha pensado que o Reboot me deixaria sem sono. Mas faz sentido. Pq nas primeiras semanas que comecei a observar que conseguia fazer tudo o que era obrigatório e até sobrava tempo para outras atividades, coisas que eu não percebia antes.

Além dessa maior energia tem o lance dos meus pensamentos e do término. Então toda minha energia acabou criando vários cenários de como as coisas poderia ter sido, sem conseguir focar em como poderiam ser.
Minha vida toda eu gastei energia tentando mostrar sempre ser aquilo que agradasse ou não incomodasse as pessoas. Seja meus pais, amigos e meu ex. Sempre esquecendo de quem realmente importa na minha vida, eu mesmo.
Por causa de todas as coisas ruins que já aconteceram comigo por eu não me escolher, eu fui ficando com medo das pessoas e de mim. Por isso eu ainda não sei bem como me colocar em primeiro lugar.

Sei que já estou fazendo isso, começando com o término de um relacionamento superficial que não estava nutrindo ninguém. Seja por falta de maturidade das duas partes, seja pelo tempo ou distância. O motivo realmente não importa. O que importa é que eu fique bem e talvez amarrar as últimas pontas soltas com ele seja uma solução. Talvez não, mas isso eu resolvo depois.

Até o momento não tive gatilhos sexuais externos, mas algumas fantasias brotaram na minha mente. Realmente pensei em praticar MO com os fetiches, mas sei que não vale a pena.
Tive um gatilho emocional por causa do ex novamente e meu primeiro pensamento foi buscar conversar com pessoas para ter algo sexual e até baixar um aplicativo. Tudo isso pq eu acho que ele já está seguindo em frente e buscando conhecer outras pessoas. Então não é algo genuíno da minha vontade, apenas uma forma de não me sentir deixado pra trás. Pretendo conversar mais sobre isso na terapia.

A minha última sessão me ajudou a perceber que todo peso mental, os pensamentos sobre como deveria ter sido o término e o que eu realmente queria entender das atitudes dele, mostraram que ainda há assuntos inacabados. Mudar o pensamento para que ainda posso conversar com ele, pois ele me deu abertura pra isso, melhorou um pouco o meu sono, eu acho.
Consegui dormir de forma mais profunda, mais ainda acordei cedo e comecei a pensar nas coisas que tenho a dizer. Então um passo de cada vez. Não sei se ele vai me dar todas as justificativas, já que nunca me deu nesses dois anos. Mas pelo menos estou tomando uma atitude que pode ser melhor pra mim.

Os exercícios e yoga ainda tem ajudado a conter a ansiedade que vem pela manhã. Porém hoje não consegui praticar pq estou dolorido das últimas atividades, então decidi fazer uma meditação, pois ainda estava sonolento e sem energia. Escolhi uma para lidar com a dor e encontrar a paz e durante a meditação comecei a chorar. Deixei o sentimento rolar, observando essa dor no coração e dando acolhimento. Pois isso hoje o meu dia tem sido bastante emotivo e tenho evitado ouvir minhas músicas de costume, que são bem emocionais.

No mais é isso, estou feliz pelos 26 dias sem P e ainda sem vontade de buscá-la. Os gatilhos indiretos existem, mas com o tempo estão menos fortes.

Josuez, Rene.Gade e Kravitiz Lost gostam desta mensagem

Finn
Finn
Mensagens : 58
Data de inscrição : 01/11/2021

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

27/1/2022, 21:54
Boa noite galera.

Mais um dia de relato pra dizer que não tive recaídas. Não tive gatilhos sexuais, mas sim emocionais.

Assisti aquele filme "Hoje não quero voltar sozinho". Uma história muito fofinha de romance gay. Esse foi um dos filmes que reforçam minha vontade de ter um romance bem clichê kkkkk
Mas já sei onde isso pode dar. Por isso hoje estou escolhendo a realidade e dar tempo para as coisas evoluírem, se estabilizarem ou acabarem.

Me vi bastante nostálgico esses dias, lembrando como eu era antes do namoro em 2019. Como eu estava de certa forma feliz por começar a experimentar minha sexualidade, mesmo sabendo dos problemas que a P me causaram. Mas ainda assim eu conheci pessoas novas, tive relações sexuais buscando experimentar coisas e conseguir viver essa realidade me permitiu conhecer uma pessoa legal e namorar pela primeira vez. Ainda que o ano tem sido muito intenso psicologicamente devido ao meu mestrado e me assumir, eu estava vivendo.

Só que o universo não tava colaborando e mandou logo uma pandemia pra me brochar ainda mais (desculpem kkk). E eu vejo hoje como a pandemia teve um peso bem negativo na minha força de vontade, me fazendo regredir para uma fase de adolescência. trancado em casa consumindo P, pq não se sentia desejado por outras pessoas. (Sempre o menor e o mais magrela da turma).
Por isso é algo que vou focar na terapia semana que vem, nesses sentimentos de liberdade do passado e na possibilidade de que agora, mais maduro com algumas coisas, tudo pode ser ainda melhor. Sabendo melhor que eu tenho pessoas com quem contar.

Ainda sobre hoje, acordei às 3 da manhã... Tentei meditar e meu corpo até estava relaxado e minha mente não estava pensando muitas coisas, mas não consegui cair no sono. Também não pude praticar exercícios pois fui ao médico fazer exames e tomar a 3 dose. Então o dia foi bem devagar, consegui andar com algumas coisas, mas muito sonolento e disperso.
Mandei a conversa final para o ex e vamos conversar na semana que vem, ou eu vou receber outra carta.
Não sei como essa ansiedade vai bater em mim ainda. Mas eu tenho o racional já consciente do que aconteceu e que agora é seguir em frente. Porém o emocional ainda está conectado com todos os desejos que não foram correspondidos e a ilusão de que ainda existe algo (por isso o ciúme).

Vou tentar dormir agora
Se cuidem!

Rene.Gade e Kravitiz Lost gostam desta mensagem

Josuez
Josuez
Mensagens : 1420
Data de inscrição : 15/07/2018
Idade : 20
Localização : DF

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

27/1/2022, 22:33
Parabéns pelos 27 dias, já proximo a um mês!Siga firme,essa fase complicada vai passar e vc vai conseguir vencer esse vício! Vou passar a te acompanhar.

_______________________________________

Rene.Gade, Finn e Kravitiz Lost gostam desta mensagem

Finn
Finn
Mensagens : 58
Data de inscrição : 01/11/2021

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

28/1/2022, 16:07
Olá!

Estou aqui mais cedo pois o dia está sendo complicado. Novamente acordei de madrugada, só tenho conseguido dormir no maximo 6 horas por dia, quando tenho sorte.
A falta de energia matinal foi muito grande e tentei cochilar novamente, mas sem sucesso. Fiquei quase duas horas deitado, muito cansado, mas com os pensamentos rolando. Talvez a ansiedade pelo proxima conversa com o ex. Embora não tenha tentado imaginar o que ele vai me dizer, para antecipar o sofrimento. Ainda são flashs do término e do que eu podia ter feito antes dele. O que está me deixando muito frustado por não conseguir superar, meu cérebro parecer não querer entender que eu não posso mudar o passado. Estou muito distraído e comecei a staquear ele, vendo quem comentou nas últimas fotos, quem ele começou a seguir, tentando achar um culpado ou uma traição... E eu não aguento mais isso.  

Hoje veio uma vontade mutio forte de fazer MO e literalmente me deixei levar por alguns gatilhos, um cara de sunga que passou em um vídeo e um famoso que vi em um filme. Cheguei a pesquisar, mas felizmente não cai em nenhum conteúdo com P.

Tentei tirar um cochilo depois do almoço, tentando criar uma historinha na cabeça como fazia muitas vezes (dessa vez era um romance pós apocaliptico entre dois caras que se afastaram na infancia, mas que se encontrariam, se apaixonariam e blablabla... O puro suco do clichê), mas no meio eu fui soterrado pelo mesmos pensamentos e não me lembrei mais da história.

Comecei a me estimular um pouco depois disso, mas desistir, para voltar ao trabalho. Mas sem muito sucesso com os pensamentos.
Estou com aquela sensação de saco cheio, a ponto de explodir, e tinha planejado descansar a noite e não acho que vou resistir ao MO. Aparentemente 7 dias está sendo o limite para a vontade voltar. Ainda não sei se tive desejos físicos reais, acredito que não,  todas as vontades só vem associadas a inveja, a fantasias e a esses gatilhos.

Queria ter a capacidade de conseguir colocar cada coisa em seu lugar e focar em uma por vez....

_______________________________________
____________________________________________________________________________

Josuez, Rene.Gade e Kravitiz Lost gostam desta mensagem

Josuez
Josuez
Mensagens : 1420
Data de inscrição : 15/07/2018
Idade : 20
Localização : DF

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

28/1/2022, 18:33
Sei que está sendo difícil, mas siga firme,quando estiver com a cabeça cheia, tente escrever os pensamentos que vierem, no seu caso talvez, as pautas que você quer conversar com seu ex, para não ficar martelando o tempo todo na cabeça. E já que você tem esse pressentimento que não vai resitir as Mos´s, então trace planos para evitar isso, ignorar nesse caso não vai ajudar, é preciso fazer uma ação antes que seja tarde de mais. Muitas forças pra vc, tenho certeza que você vai conseguir vencer!

_______________________________________

Rene.Gade, Finn e Kravitiz Lost gostam desta mensagem

Finn
Finn
Mensagens : 58
Data de inscrição : 01/11/2021

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

29/1/2022, 14:15
Olá pessoal!

Atualizações. Não cedi a tentação!!  

Decidi fazer uns alongamentos para coluna através da yoga e a ansiedade passou. Eu fiquei mais tranquilo, de alguma forma. Terminei umas leituras da universidade e fui ler um livro para ver se caia no sono. Pois passei o dia inteiro sonolento.

Consegui dormir, mas acordei as 2, cochilei depois, mas acordei novamente, com muita sede (já li relatos de que é comum durante o reboot). Fiquei deitado, nesse estado de semi acordado das 3 ou 4 até uma 7. Esse meu problema de sono está começando a prejudicar meu trabalho e tem tirado muito a energia. Meus pais estão preocupados e compraram um fitoterapia para ver se me ajuda. Espero que dê certo.

Os pensamentos sobre o ex ainda estão presentes. Mas é cada vez mais difícil encontrar um sentido ou propósito para eles. Um lado meu ainda está preso na ideia que criei sobre ele e sobre nossa relação e é difícil abrir mão. Enquanto o outro lado quer começar a buscar novos contatos, experiências e deixar o passado no passado. Ainda não sei como lidar com ambos.

Tenho buscado focar no que é importante para mim agora. Estudar para minha qualificação, finalizar alguns artigos, bloquear os gatilhos sexuais, focar na minha saúde pelos exercícios e alimentação (recuperar o peso que perdir com todo o stress) e conter essa ansiedade através da meditação e terapia. Mas ainda assim perco o foco muito rápido, acredito que por causa da insonia e da ansiedade.

Para aquelas pessoas que já experimentaram isso durante o reboot, existe alguma média de tempo até as coisas normalizarem ou é algo que vem e vai durante todo o processo?

_______________________________________
____________________________________________________________________________

Josuez e Rene.Gade gostam desta mensagem

Finn
Finn
Mensagens : 58
Data de inscrição : 01/11/2021

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

30/1/2022, 18:29
Olá, boa noite!

Atualizações
O sono ainda está uma merda, tomei o remédio e não deu muito certo. Sinto que a ansiedade baixa, mas a cabeça não para. Acordei às duas e meia, daí cochilei depois das 4.

Porém tive um sonho erótico muito intenso onde cheguei ao orgasmo duas vezes. Foi um gatilho forte, mas não deu vontade de praticar MO pq estava sem energia por falta de sono.

Porém eu naturalmente produzo muito esperma e passei o dia todo com o órgão me incomodando. Então resolvi praticar MO. Não pratiquei os fetiches de costume, mas tentei não me estimular do mesmo jeito de sempre. Então variei algumas posições e toques sem fantasias, nem pensando no sonho. Então foi um MO limpo e necessário pq a dor estava incomodando.

Entretanto novamente percebo que a descarga de prazer diminuiu muito minha ansiedade em relação ao término. Meus batimentos diminuem e consigo mudar o foco para outros pensamentos.
Então é algo que preciso entender melhor, que outras coisas podem me dar um alívio na ansiedade sem contar com a MO.

A questão é que não dá pra fazer a yoga ou exercícios sempre... Ainda estou confuso com isso, mas vou conversar na terapia

Rene.Gade e Kravitiz Lost gostam desta mensagem

Finn
Finn
Mensagens : 58
Data de inscrição : 01/11/2021

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

31/1/2022, 11:50
Bom dia, pessoal!

Então, as vezes a gente precisa tomar na cara para aprender as coisas, né?

Tinha pedido pra conversar com o ex e fechar alguns assuntos pendentes. Porém ele falou que esse final de semana não poderia, pois estaria muito ocupado com trabalho, coisas de casa e tal.
Porém hoje, como nos outros dias, fui olhar as redes sociais e vejo um story dele em uma cidade vizinha ontem a noite.
A cidade onde a gente se encontrou no final de ano e que ele sempre complicava para passar mais tempo, que não podia ficar um fim de semana inteiro etc.
Não precisa ser um gênio para adivinhar que ninguém vai trabalhar no fim de semana, a noite, 40 minutos longe de casa. Então ele pode estar ficando com outra pessoa...

Na hora eu fiquei louco, ansiedade foi lá em cima, comecei a stalker procurando alguém que ele seguia que postou story com ele ou no mesmo lugar, se alguém marcou ele, etc. Mas cheguei a conclusão que não valia a pena, a gente já acabou e eu devia ter seguido as dicas da galera do fórum e me afastado totalmente dele. Então deixei de segui-lo.
O engraçado é que eu estava me perguntando esses dias o que mais eu precisava para finalmente acabar com esse sentimento romântico. Já não bastava ter visto ele cantando outros caras nas redes, o jeito que ele me tratou no ano novo, como ele foi desonesto comigo por meses (ou até anos) e agora novamente. Mas saber que ele realmente é outra pessoa agora, que foge totalmente daquele cara que me fazia bem, talvez esse seja o ponto de virada.

Lembro de outro cara que me apaixonei antes dele, mas que me passava duplos sinais de interesse e medo de tentar se relacionar, o que me levou a várias dúvidas sobre quem ele realmente era. O sentimento só desapareceu quando descobri que ele preferia viver a sexualidade no sigilo e não se comprometer com ninguém. E esse tipo de relação não faz o menor sentido pra mim e é a esse eu que eu tenho que dar mais valor.

Mas infelizmente isso tudo ainda me faz me sentir insuficiente, principalmente do ponto de vista sexual. Acho que toda essas performances sexuais, onde as pessoas só buscam o prazer e não conhecer ou se preocupar com ninguém, tem colocado essa pressão em mim. Eu posso estar sendo preconceituoso ou exagerando, mas é algo que tenho que trabalhar em mim.

Enfim, o sono continua péssimo, os remédios não tem ajudado. Acho que esse aguardo da resposta dele também tem contribuído para isso. O aperto no peito voltou, mas sinto um pouco diferente, sinto que já não vale mais a pena continuar mantendo esse sentimento na busca por uma reconciliação, para manter a amizade.
Pq também na amizade tem que haver honestidade e segundo minha mãe "se a pessoa faz uma vez, ela vai fazer de novo". Agora é seguir em frente e encontrar outras pessoas.

Hoje comemoro 30 dias sem P. Um terço do processo está concluído. Infelizmente com muita dor e solidão física, mas percebendo e visualizando um futuro de possibilidades. Não pretendo parar me dar por satisfeito apenas com os 90 dias de reboot. Foram anos de compulsão por PMO, mas será uma vida inteira para lutar contra ela.

Obrigado a todos.

_______________________________________
____________________________________________________________________________

Rene.Gade e Kravitiz Lost gostam desta mensagem

Rene.Gade
Rene.Gade
Mensagens : 1437
Data de inscrição : 06/08/2019
Localização : Running wild and running free.

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

31/1/2022, 13:47
Ei Finn!

Primeiro, meus parabéns pelos 30 dias, arrasou!

Em segundo, parabéns pelas reflexões que veio tendo sobre seu ex e alguns amadurecimentos de ideias. Eu não faço ideia de como é passar por esse processo, imagino que seja tenso, espero que você consiga trabalhar cada vez mais isso dentro de você, e bloqueia ele no Instagram, menino, o que está esperando? Laughing

Eu também me sinto muito como você escreveu sobre a pandemia. Parece que ela me jogou num estado horrendo de paralização, e quando o vício voltou, as duas coisas deram as mãozinhas e me jogaram em um inferno de vida.

Sobre a sua insônia, você já tentou procurar um médico? Converse com sua psicóloga sobre e veja a possibilidade de você ir buscar esse auxílio, às vezes pode ser algo da sua saúde física. Eu estou tendo também ultimamente, porém sei que é relativo a hábitos negativos, quando eu realizo m.o antes de dormir, ou quando fico muito tempo com telas, vendo uma série, etc.

Amei o conselho da sua mãe, kkkkkk. É interessante você avaliar se realmente uma amizade com ele seria saudável, às vezes algumas pessoas não se encaixam mais com a gente e o melhor é deixá-las ir, sem ressentimentos, desejando o melhor para ela, mas sabendo que ela não faz mais parte de sua vida. Quem sabe no futuro a vida encontre vocês novamente, mais maduros, e você possam ter uma amizade. Enfim, é algo que só você pode analisar certinho, às vezes com auxílio da sua psicóloga.

É realmente um processo, as coisas são difíceis, a gente volta a sentir as coisas com mais intensidade no reboot, mas vai se encaixando com o tempo. Ele sempre será de altos e baixos. Se caso sua ansiedade e insônia for relacionado ao vício, a hábitos que você tinha, fique tranquilo que ela passa com o tempo, conforme você amadurece e inicia novos hábitos, pode ser com 90 dias, ou mais. Entretanto, vale a pena considerar outras opções, como o médico, caso estiver sendo algo grave, caso você não esteja notando nenhuma melhora com o tempo,  para conferir se não é nada biológico. Além do acompanhamento da terapia.

Boa sorte, melhoras e abracinhoos!

_______________________________________
|| DIÁRIO RENÊ ||

ÍNDICE DO DIÁRIO.

Finn e Kravitiz Lost gostam desta mensagem

avatar
Kravitiz Lost
Mensagens : 24
Data de inscrição : 13/01/2022
Idade : 36
Localização : João Pessoa/PB

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

1/2/2022, 17:54
Finn tu és fera.

Man, já pensou em parar um pouco e tentar se curtir? Se descobrir msm. Mas sem culpa e procurando não pensar no ex.

Ele parece que seguiu. Mas tenta lembrar o que fez v6 não darem certo?

Cara, tu parece ser bacana e não é preciso de muito para perceber que quem perdeu não foi vc. Às vezes, a pessoa certa na hora errada é tbm a pessoa errada.

Vai rolar e tu vai se dá bem, qdo? Não prometo. Melhor focar hj no que tu pode resolver? Os conselhos do Renê são ótimos, então estamos contigo e parabéns!

_______________________________________

Rene.Gade, Luigi e Finn gostam desta mensagem

Finn
Finn
Mensagens : 58
Data de inscrição : 01/11/2021

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

1/2/2022, 18:24
Muito obrigado Rene e Kravitz!
As palavras de vocês significam muito!!

Tive terapia ontem a noite e conversei sobre muito do que comentei com vocês durante a semana passada.

Já consigo entender o que faz sentido pra mim agora, quais são minhas prioridades. Esse mês passado busquei cuidar da minha saúde física e mental, negligenciada por muito tempo. Nessa saúde tbm incluo o vício em PMO, por isso buscar pessoas e sexo não é minha prioridade no momento. No geral, sinto que tenho me dado bem e conseguido dar conta de todos esses aspectos, com exercícios, boa alimentação e buscando ajuda de profissionais.
Hoje entro numa nova etapa, fiz uma consulta e vou começar a tratar minha ansiedade com medicação. Estou com receio para tomar esses antidepressivos leves, mas tbm com muito esperança que vai dar tudo certo.
Hoje eu sou a minha prioridade e vou trabalhar cada vez mais para me colocar em primeiro lugar.

Sobre o término. Já tenho claro pq a gente não deu certo e por que não vale a pena se prender a uma ilusão. Esses choques de realidade são difíceis, mas são importantes. Com certeza serão aprendizados. Ainda não tive notícias sobre nossa última conversa, mas sinceramente estou cada vez abrindo mão de saber a "verdade" sobre ele. Pois sinto que ele não é mais uma prioridade. Mas estou buscando respeitar meu tempo e com ele o sentimento vai se afastando cada vez mais.

Além disso, não tenho muita coisa pra falar. Não tive gatilhos, nem sonhos, nem pensamentos aleatório sobre sexo. O que foi uma surpresa na verdade, pois todos os dias eles estavam presentes.

Essa é a última semana que estarei na casa dos meus pais, vou pra capital resolver mais algumas questões de saúde, visitar amigos, comemorar meu aniversário e viajar para sul, pra andar com meu doutorado.
Muitas coisas estão para mudar e já tenho pensado em um futuro de possibilidades, no trabalho, no lazer, no prazer e no amor, com a ansiedade controlada e respeitando o tempo das coisas.

Rene.Gade gosta desta mensagem

Finn
Finn
Mensagens : 58
Data de inscrição : 01/11/2021

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

2/2/2022, 21:38
Sabem aquele ditado "Início de um sonho... Deu tudo errado"?

Foi meu dia hoje, tomei a medicação pra dormir e tive um sono até agradável. Mas ainda acordei antes das 5 e ainda estava bastante sonolento.

Teria que tomar outro durante o dia, para aumentar o foco e reduzir a ansiedade. Só que ele me deixou mais sonolento. Não consegui estudar praticamente nada, passava uma hora sentado e já começava a cochilar.
Me deitei umas 9 para ver ser descansava mais, mas depois não consegui mais levantar. A tarde tentei estudo novamente, mas só aguentei umas duas horas.
Devido aos efeitos do remédio qualquer sentimento de triste e frustração foram maximizados. Parecia até que minha pressão tava baixando. O dia inteiro os pernsamentos sobre o término foram invadindo minha mente e a noite bateu forte a sensação de abandono e todas as minhas frustrações passadas com a sexualidade e a dificuldade e medo de encontrar parceiros.
Meu corpo começou a tremer, minha mente ficou dispersa e minha vontade era sair correndo e chorando. Tive uma crise de ansiedade assim que sai do banho, corri pra minha mãe. Só consegui chorar e falei desse profundo sentimento de solidão.

Conversamos depois sobre essas crises que já tive no passado quando não era assumido (duas vezes na graduação) e que o término provavelmente reviveu isso. Falei que a solidão não é por falta de presença da família e de apoio integral que eles me dão, mas sobre a sensação de não conseguir viver minha sexualidade do jeito que eu quero, livre e medo, não viver escondido.

Racionalmente eu sei o que quero e o que osso fazer pra viver isso. Porém emocionante isso ainda é um peso, o qual foi engatilhado pelo remédio.
Vou ver se converso com o médico novamente amanhã pra suspender o remédio diurno, pois se esses efeitos persistirem não vou conseguir dar continuidade com meus trabalhos.

O remédio tbm diminuí a líbido então hoje foi um dia que literalmente não senti excitação, desejo, prazer e muito menos vontade de PMO

Luigi
Luigi
Mensagens : 22
Data de inscrição : 18/11/2020
Idade : 20

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

2/2/2022, 22:11
Opa Finn, não é a primeira vez que escuto falar sobre a relação de antidepressivos e sonolência, não entendo mt sobre o assunto mas concordo que vc faz bem em falar com seu médico sobre a possibilidade de suspender a medicação, ver o que ele fala.

Permita-se sentir a dor do término, e chore o quanto for preciso. Chorar/colocar pra fora é ótimo. Digo isso porque criei um bloqueio e não consigo chorar devido aos meus sentimentos. Só consigo chorar quando assisto algo, mas enfim...

Eu penso bastante na forma como a gnt se relaciona com o tempo, e pra mim é fácil falar pq não sou eu q tô passando, mas é isso, "frustrações passadas" estão no passado, não podemos mudar, e só nos resta aprender e tentar não repetir... Me identifiquei demais na parte da "dificuldade e medo de encontrar parceiros", e acho q td mundo partilha um pouco desse sentimento, mas eu evito pensar nisso saca? acredito mt em energia e quando a gnt tá vibrando carência/medo o universo não nos envia o que desejamos porquê não estamos vibrando na mesma frequência. Mas independente de vc acreditar nisso ou não, vc acabou de sair de um relacionamento, está em pedaços e deve focar em se reconstruir... não fica pensando mt nisso não.

No mais, queria te parabenizar pelo doutorado, quando vc mencionou a pós, achei q tava falando de um mestrado (devido a sua idade)... espero que as coisas se encaixem e como tudo está interligado, que tudo comece a fluir de uma forma melhor.

Forte abraço!

Finn gosta desta mensagem

Finn
Finn
Mensagens : 58
Data de inscrição : 01/11/2021

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

4/2/2022, 12:27
Muito obrigado, Luigi, pelas palavras de conforto!

Não escrevi no diário ontem pq tomei novamente o remédio diurno e fiquei sem energia. Ainda consegui fazer algumas coisas pela manhã, mas a tarde eu tive que deitar. Não cheguei a dormir. Vários pensamentos rolando, que eu nem lembro mais sobre o que eram. Acho que deve ser por causa dos remédios.

Conversei com o médico e ele disse pra eu tomar os dois a noite, em horários diferentes, pra não me atrapalhar durante o dia. Ainda assim o remédio pra dormir não tá funcionando. Acordei novamente às três, ele falou que provavelmente vai dobrar a dosagem, mas só se isso se manter por duas semanas.

Levantei às 5:30 o corpo muito sonolento e fiquei refletindo sobre tudo o que aconteceu e como eu tenho a tendência de buscar acolhimento nas outras pessoas e a expectativa de que as pessoas vão me tratar com a prioridade que eu as trato.
Como se só elas pudessem me dar o que eu preciso. Um carinho, um conforto, um elogio.... Parece que eu sempre precisei de alguém pra me dizer quem eu sou. Ou eu sempre deixei que alguém me dissesse quem eu sou.
Me respeitar e respeito o meu tempo são as prioridades (acho que já repeti isso várias vezes kk mas é pra ver se eu consigo absorver).

Decidi mudar um pouco os caminhos da minha mente. Ao invés de ficar me perguntando porque as pessoas fizeram coisas comigo (me trataram mal, me traíram), eu vou dar as respostas que eu sei, os fatos reais. Ao invés de buscar algo de alguém, eu vou buscar/fazer aquilo que me faz bem na hora. (No momento descansar, por causa do remédio. Buscar um abraço da minha mãe, quando estiver angustiado).

Parece até meio ridículo alguém com 26 anos ainda ter esse tipo de dependência das pessoas e é algo que me deixa angustiado também, o fato de não ser diferente.
Mas meu lado lógico sabe que eu já conquistei tanta coisa, que tive tantas oportunidades e que posso ter muito mais. Que basta apenas olhar pra frente e me esforçar. Lembro que durante a graduação, quando havia algo que eu não sabia fazer, eu sempre dizia: Não tempo problema, eu aprendo.

Se eu posso aprender qualquer coisa da minha área de trabalho, pq eu não posso aprender sobre eu mesmo?
A questão mais difícil é que não tem nenhum manual kkkkk e aprender na prática ainda é assustador. Mas tenho esperança, principalmente com o tratamento da minha ansiedade.

Agora sobre o Reboot. O único momento que tive alguma excitação foi relembrando o último sexo com meu ex. Não tive mais sonhos eróticos, ou sonhos no geral, acho que por causa do remédio. Nesse estado de semi-acordado minha mente parece um feed do instagram, eu vou scrollando mas nunca presto atenção em nada, tudo passa rápido e sem foco.

Vamos ver como isso se dá com o tempo
Abraços!

Luigi gosta desta mensagem

Finn
Finn
Mensagens : 58
Data de inscrição : 01/11/2021

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

9/2/2022, 13:25
Olá pessoal

Estive ausentes esses dias. Não tem bem um motivo, mas não tava muito afim de escrever, ainda lidando com a medicação.

Mas vim aqui, pois hoje se iniciam o 40° dia sem P. Não to conseguindo processar bem as melhoras dos sintomas causados pelo vício. Não tenho buscado sexo, por todas as questões que você tem acompanhado, mas principalmente a questão de me entregar apenas para sexo e não estar com muito ânimo para me deslocar, conversar com alguém e construir alguma intimidade para transar.

Estou na capital do meu estado e seria bem mais fácil só baixar um app e escolher qualquer um. Não quero fazer isso. Mas não nego que gostaria de ficar com alguém, dormir de conchinha e acordar para um sexo matinal com alguém que eu confie.
Mas tenho prioridade mais urgentes da universidade e vou focar nisso.

Tive gatilhos com atores em séries e filmes. Até busquei fotos deles, mas não nudes nem nada sexual. Só pra ver os caras bonitos.
Muitas fantasias também apareceram, lembraças de sexos passados e fantasias com casos futuros com pessoas reais. Pensei em até praticar meus antigos MOs com fetiches, mas não fiz.

Ainda é um pouco confuso para mim o desejo sexual natural, sem nenhum estimulo visual ou lembrança, por exemplo. Eu sei que meu corpo parece sentir mais prazer com a imaginação do que com o ato em si. Mas não sei até que ponto optar por não fazer sexo durante o reboot vai apenas manter o prazer ligado a imaginação e não ao ato real, entendem?

Mas enfim, foram 40 dias até fáceis, pois não tive vontade para buscar P.
Parece até uma promessa que fiz pra mim mesmo e eu sou bom em manter promessas. Estou com sentimento de realização ou dever cumprido.
Embora o outro lado desse processo tenha sido difícil. Então tenho que ser honesto comigo e dizer que não estou totalmente feliz. Mas vamos vendo um dia de cada vez.

Pra finalizar, sobre o término, sair de casa e ter contato com amigos, conversas descompromissadas e interagir socialmente tem ajudado com os pensamentos (quem diria? kkkk). Mas nos momentos de solidão a tristeza, decepção e sentimento de traição batem. Mas tenho buscado internalizar que fiz tudo o que pude e que não posso esperar mais pelos outros.



_______________________________________
____________________________________________________________________________

Josuez gosta desta mensagem

Josuez
Josuez
Mensagens : 1420
Data de inscrição : 15/07/2018
Idade : 20
Localização : DF

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

10/2/2022, 18:30
Parabéns pelos 40 dias, se mantenha firme e não baixe a guarda. Forças para você continuar cada vez mais e mais.

_______________________________________
Finn
Finn
Mensagens : 58
Data de inscrição : 01/11/2021

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

11/2/2022, 07:11
Olá!

Tô aqui bem cedo pra concentrar meu foco no que realmente importa.

Ontem não tive um noite legal, ainda sem dormir direito e passei boa parte da manhã tentando descansar. Mas sem sucesso. Pratiquei MO assim que acordei, não tive um sonho sexual, mas sonhei que um antigo crush beijava meu pescoço e era muito bom kkk.
Não acordei pensando nisso, mas comecei a tocar meu corpo e tava com uma sensação boa. Então pratiquei, demorei pra chegar ao orgasmo, mas não sei se foi por causa da medicação. Mas não tive sentimentos ruins após o ato, então foi um MO limpa.

A questão principal veio a tarde. Tava conversando com um amigo e ele dizendo pra eu baixar o Tinder só pra me distrair. Refleti bastante do pq eu lutar tanto contra os apps e decidi tentar, uma experimentação.
Porém gastei energia demais excluindo as pessoas por n motivos e perdi muito o foco dos estudos. Ainda dei match com algumas pessoas e comecei uma conversa com um. Mas o papo não foi muito bom, consegui pesar o clima fácil. Mas como disseram se sua energia não tá boa, a situação não vai ser boa.
Mas uma coisa interessante foi que estar buscando outras conversas fez minha mente se distrair sobre o término. Mas acredito que será só uma forma de afastar a dor e não processar ela. Vou ver se converso isso melhor na terapia.

Não tive gatilhos sexuais, nem no Tinder, embora tivessem uns descamisados. Então por enquanto tudo tranquilo

Josuez gosta desta mensagem

Finn
Finn
Mensagens : 58
Data de inscrição : 01/11/2021

Relato do Finn - Página 3 Empty Conclusões sobre o término

12/2/2022, 17:46
Olá, pessoal

Então, tô aqui hoje para (talvez) fechar o ciclo sobre o meu término.

Recebi a resposta dele na hora do almoço li algumas vezes para processar todas as informações e vou relatar aqui as coisas que pretendo levar para a terapia.

Assim que mandei minhas dúvidas para ele, fiquei matutando o quanto daquilo era só para reforçar as minhas inseguranças. Mas contando que eu talvez tivesse uma resposta honesta, não deixei de perguntar. Até para conseguir lidar sozinho com essa insegurança. Após ler a resposta eu fiquei me sentindo muito culpado e comecei a chorar, pois ele enfatizou que eu estava colocando ele em um papel de terapeuta e não de namorado , que eu queria saber sobre a vida dele (as questões complicadas que afetavam o relacionamento) mas que eu não estava disposto a escutar o que ele realmente estava me dizendo, que eu não consegui respeitar o tempo dele, que invadi o espaço dele de uma forma muito ruim e que nem tudo era sobre mim, pois tinha coisas que ele não conseguia conversar com ninguém e nem comigo.

Estava me sentindo culpado e rapidamente minha mente começou a fazer flashbacks das situações onde eu podia ter reagido diferente para resolver esses problemas. Porém depois de um banho comecei a levantar esses pontos principais, justamente para aplicar essa questão de nem tudo é sobre mim. Analisando as coisas de outro ponto de vista.

1. Eu sei que minha insegurança é sobre mim, minha vontade de consertar e entender as coisas é sobre mim. Mas a falta de diálogo, de abertura e de honestidade não são sobre mim. Nisso eu estou seguro

2. Eu sempre busquei conversar sobre meus problemas pois assim eu conseguia organizar eles, nunca levei nada para ele buscando que ele me ajudasse, mas que me acolhesse e me incentivasse talvez. Mas ele que se colocou na posição de meu psicólogo e não eu. Nisso eu estou seguro.

3. O fato de buscar saber mais sobre ele é o que fazem as relações se sustentarem, não? Para assim a gente conhecer os limites das pessoas. Eu já sabia os limites sexuais dele, os limites da família dele e os limites da vida pessoal dele. Até por isso eu nunca insisti para ele falar sobre, mas dei abertura para ele falar. Porém compreender que essas coisas estavam afetando minha segurança no relacionamento, me fez apenas buscar conversar para realinhar os limites, não que ele me contasse a vida inteira dele e todos os traumas. Então eu entendi muito bem onde eu podia pressionar ou não, mas será que ele realmente "ouviu" e "compreendeu" o que eu estava dizendo? Mas se eu não entendi, será que ele falou de forma clara? Na minha perspectiva eu só ouvi "eu acho", "estou confuso", "não sei". Então nisso eu estou seguro.

4. Respeitar o tempo dele. Eu estive respeitando o tempo dele por dois anos. Não tive ferramentas para mostrar o que eu precisava da relação no começo, por não querer forçar os limites que eu já sabia que ele tinha. Mas admito que meus problemas de ansiedade, causados por N motivos, tentaram resolver isso dentro de um mês. Então compreendo que isso precisa ser melhor trabalhado em mim, processar o meu tempo e dar o tempo que o outro precisa para processar também.

5. Não invadir o espaço/privacidade do outro por causa da insegurança. De fato esse foi meu pior erro nessa relação e é uma ação que eu já tinha praticado em outra situação onde eu não tinha segurança na pessoa por quem eu estava apaixonado. Entendo que é algo que preciso trabalhar muito mais, como questionar e conversar quando perco a confiança em alguém.

Outros pontos sobre a forma como ele foi grosseiro comigo e me tratou não merecem nem o mérito de um ponto, pois ele nem percebeu que estava sendo grosseiro ao minimizando várias questões importantes. Estou seguro que isso reflete a forma como ele reage a pressão. Mas do que a forma como eu o pressionei. ao buscar uma conversa sobre qualquer coisa. Mais uma vez ele não conseguiu ser sincero sobre muitas perguntas, e eu não esperava que fosse pois eram mais sobre mim do que sobre ele, mas ele vestiu a roupa de psicólogo novamente. Tentando analisar o que eu devia fazer nos meus próximos relacionamentos.

Acredito que com isso encerro essa história sobre ele e começo uma nova história sobre mim. Agora sei muito mais o que eu preciso trabalhar em mim, minha ansiedade, minha forma de comunicação, respeitar o tempo das coisas e os limites.
Não sei como isso vai bater nos próximos dias, pois minha mente ainda tem a tendência de me culpar por tudo. Mas acho que estou menos preocupado.

Agora sobre o reboot
Tudo segue bem, mas o Tinder realmente é uma armadilha. Nem falo do outro app por causa dos nudes. Mas é um jogo muito estranho, pois você vai só reforçando o pior do seu próprio interesse nas pessoas (gostar apenas pela aparência) e vai diminuindo sua auto estima, pois você vê os gostosões lá e dá like já pensando que esse cara nunca vai curtir você ou esperar um match ou conversa que nunca chega ou não avança pq é só pegação. Passei dois dias e desinstalei, mas admito que adicionei umas duas pessoas no instagram. Para ver se rola algum papo no futuro.

Fiquem bem!

_______________________________________
____________________________________________________________________________

Josuez gosta desta mensagem

Finn
Finn
Mensagens : 58
Data de inscrição : 01/11/2021

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

13/2/2022, 17:49
Boa tarde pessoal

Hoje tive a pior noite de todas. Mesmo tomando o remédio acordei às 1:30 da manhã. Pensando em várias coisas que nem lembro mais.
Tentei focar nas coisas que relatei ontem, mas não consegui relaxar. Me mexi tanto na cama que o lençol quase deu um nó.
Acho que só fui dormir quando tava amanhecendo, mais por exaustão. Tive um sonho muito esquisito e acordei na mesma hora. Era 5:30, fiquei deitando ainda lembrando as coisas, levantei pra comer umas frutos, depois voltei pra cama. Fiz uma meditação pra tentar guiar os pensamentos ruins, mas não deu muito certo.
Decidi estudar alguma coisa, mas sem muito foco.
Mas pelo menos consegui finalizar as pendências da sexta feira, que não consegui fazer ontem por causa da resposta dele.

A tarde foi ainda pior. Muito quente, tentando estudar, com os pensamentos rodando na cabeça. Processando se eu realmente minimizei os traumas dele. Se fiquei seguindo o mesmo padrão inconsciente de testar as pessoas até elas mostrarem seu pior lado ou se eu manipulei a situação toda para que ele me desse o que eu precisava...

Enfim, parece que eu tô sempre sabotando minha autoestima e em uma competição contra mim mesmo.
Estou fazendo o máximo que eu consigo pra lidar com tudo isso, buscando ajuda, tomando remédio, mas parece que se sentir mal e reclamar da vida são minhas especialidades.

O único sucesso que estou tendo é com a P (45 dias) e MO. O que já é um gigantesco passo, mas eu nem me permito ser grato pelas minhas conquistas e oportunidades. Essa é a pior parte.

Minha psicóloga pediu pra que eu fizesse um teste de personalidade, para encontrar meus pontos fortes. O primeiro deles foi honestidade, eu sempre lutei muito contra mim mesmo e por muito tempo fui desonesto comigo mesmo. Mas sei que sempre me fez mal enganar as pessoas. Mesmo cometendo erros e até sendo desonesto em alguns momentos eu sempre busquei ser o mais honesto e corrigir meus erros.
Outros pontos positivos foram senso de justiça, humildade, prudência e amor ao aprendizado. São todos pontos incríveis e pretendo me concentrar neles sempre que algo ruim acontecer.
Por outro lado, os pontos mais negativos foram a gratidão, esperança, vitalidade, bravura e espiritualidade. Características que devem observadas com mais carinho por mim.

Não sou psicólogo kkk, mas quem tiver interesse em fazer esse teste pode pesquisar viacharacter. O site é em inglês, mas tem como mudar a língua. Requer cadastro.

Fiquem bem

Josuez e Vic Yusuf gostam desta mensagem

Finn
Finn
Mensagens : 58
Data de inscrição : 01/11/2021

Relato do Finn - Página 3 Empty Re: Relato do Finn

16/2/2022, 16:37
Boa tarde, pessoal!

As coisas estão bem por aqui. Ontem foi meu aniversário e foi um dia tranquilo. Conversei com antigos amigos, com a família, tive uma festinha no fim da noite. Foi bem legal!
Ver, sentir e reconhecer que existem pessoas que me querem bem dá uma boa sensação. Algo que tenho que ser mais grato, sabe?
Embora eu reconheça que as vezes eu tenha essa expectativa que as pessoas tem que estar disponíveis para mim sempre. Meio que para aprovarem todas minhas atitudes e pensamentos. O que mostra que uma necessidade de autoaprovação, que eu preciso olhar com mais atenção.

Hoje essa coisas esteve muito presente na forma de uma carência afetiva, romantica. Não sexual.
Estive conversando com um cara do tinder, ele parecer ser bem legal e estar bem interessado. Todo esse flerte dá uma sensação muito boa, saber que você é desejado, era algo que eu estava precisando. Além de uma conversa livre, sem amarras, onde a pessoa realmente permite ser conhecida. Porém o cara deu uma sumida ontem e eu entrei no mesmo fluxo de pensamento. Pensando que ele tinha perdido o interesse... Ai, percebo como a terapia tem me ajudado a ver que eu não preciso ficar preso nessa autoimagem de indesejado, que eu posso focar em mim, nas coisas que eu tenho para fazer e não esperar um retorno ou que alguém tome iniciativa.
Ai puxei conversa, dizendo que achei ele interessante e que queria manter o contato, sair um dia e tal. Ele me mandou o whatsapp dele! Então só sucesso. kkkk

Outro cara também puxou assunto comigo, um da época do meu ensino médio. Acho que tinha um interesse mútuo, ele flertou comigo um tempo depois, mas eu não era assumido e me afastei. Ele perguntando se eu tava na cidade e tal, vocês devem saber como funciona kkkk

Ter voltado pro instagram e até la no tinder me deixou em alerta por causa dos gatilhos. Mas até ver eles, não despertou nenhuma ansiedade ou tesão. Mas não vou arriscar. Acredito que a medicação tem baixado minha libido, principalmente agora que o corpo está mais acostumado, mas ainda sinto desejo nas pessoas, mas nada que desencadeia a compulsão. Ainda tenho algumas ereções, vez ou outra, mas não vontade de MO. Então já percebo grandes mudanças nesse reboot.

Mas enfim, to bem, feliz até!
Claro que os sentimentos mal ainda aparecem de vez em quando, uma decepção, pena e arrependimento, mas tá passando.

Tudo está mudando. Rumo aos 50 dias


_______________________________________
____________________________________________________________________________

Vic Yusuf gosta desta mensagem

Ir para o topo
Permissões neste sub-fórum
Não podes responder a tópicos