Diário - Vierkenes

+108
Caio_o
Samir
chopin
Drew
Unknown Guy
Dead
PILGRIM
Origami
Logos
Gracinha
Rocketman
Muskel94
Karnall
DarthVaderMax99
Lima Gomes
Taurus
o2Lázaro
Gardenzio Angelone
MEMENTO MORI
Lucas6
DarkSlayer
Léo123
Felipe33
VanGogh
Spartacuz
deltagama_0236
MascaradeFerro
parbat
LikeAStone
PEDRO TRINDADE
TexugoVoador
Guerreiro73
FirmeForte
balboa08
brfreedom
fc1992
Vitrola
gokusaiyajin26pmo
Tendel
Moinho
Rottweiler
Kusmin
Flying
Raposo
emoruw
Nino
Master
Eddie Red Pill
Samurai_Bushido
Mike
Ikki De Fênix
Justiceiro do Sertão
headbanger
Paladino91
Alexandretj
potiguar
The Change
..Heitor..
gustav000
MoonWolf
Leao-lipe
Alan Turing
Marker
Beren Erchamion
Urso Polar
Thor_02
PauloXXX
Seeker
vierkenes
Heitor..
Tiago M
Buda
Marco
Coymacoy
Batman23
mocaccino
Vencedor1989
Bolseiro_carioca
Anti-PMO!
Sevenfalls
Ragnar
CinquentaDias
salazaryuri
Budista Rebooter
Kal-el
masterfigher
Alexei I.
Black Skull
Henrique G
Mega Man
Broda
moonshine
Renovatio
Vladislau
Brit
dragon
Ed_Fenix
muleke doido
Soli Deo Gloria
Blpr
Tom
couto94
Senhor X
Kuroro
HenriqueT
Toguro
Indiolouco
Randy
112 participantes
Ir para baixo
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 743
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

9/7/2021, 11:39
Amigos, cai miseravelmente no dia 13. O contador já está atualizado.

Como já tenho algum tempo de caminhada no reboot, não vou me culpar. O negócio é entender o que está acontecendo e tocar a bola pra frente.

Sobre a queda, poderia falar muitas coisas. Na minha opinião, é fruto de desarmonia interna comigo mesmo. Acreditem, poucas coisas são mais dolorosas do que você não conseguir ser você mesmo. Vício é o mínimo que se espera de alguém assim. Talvez tenha tido até sorte. Podia ter me matado, surtado, etc.

Estou muito mal, mas gostaria de deixar uma palavra de esperança.

Pra tudo tem um jeito, menos pra morte. Não se desesperem. Ao contrário: trabalhem duro e do modo adequado, pois desse modo, COM CERTEZA ABSOLUTA é possível se livrar do vício ou de qualquer outra coisa que esteja atrapalhando nossa vida.]

No mais, digo que estou , temporariamente, em um lugar que eu odeio. Que só me prejudicou. Um lugar do qual não levo nenhuma lembrança boa. E olha que eu vivi aqui por quase 15 anos. Perfeitamente compreensível que eu estivesse mergulhado no vício do porn, ou do álcool. Nem todos vão entender, mas o único modo de existência nesse lugar, para minha pessoa, é chapado de algum modo.

Ontem sai com uma amiga. Ela é muito atraente, e temos uma certa intimidade, então eu pensei em dar em cima dela de algum modo. Porém, o encontro não foi bem o que eu esperava. Não tinha clima, nem nada, então eu fiquei tranquilo.

Acontece que essa amiga começou a falar de outra pessoa, com a qual ela está ficando.

Sabem, até aí nenhum problema. Eu realmente não teria nenhum problema de ouvir uma amiga falar sobre um cara que ela tá ficando. Nenhum problema mesmo.

A questão é que se trata de uma pessoa que abusou de mim psicologicamente por muitos e muitos anos seguidos.

Foram anos tendo a auto estima sistematicamente destruída por essa pessoa. Quando eu tinha 14 anos de idade, essa pessoa me humilhou, dizendo pra mim que eu não ia conseguir ficar com mulher nenhuma, porque não era pra mim. Logo em seguida, beijou uma menina que eu era afim, apenas com o intuito de me humilhar.

Isso é passado, vejam, mas eu levei 14 FODENDOS ANOS pra beijar uma mulher na boca e ter uma constatação que fosse na direção contrária do massacre psicológico que essa pessoa me fez.

O cara chegou na casa dela. E eu, temendo uma explosão de ódio, uma agressão violenta ou algo assim, saí cautelosamente da casa dela. Simplesmente fiquei com medo de fazer merda. Porque eu realmente seria capaz de ter um comportamento irracional com essa pessoa. Se ele fizesse algum tipo de brincadeira e gracejo comigo, e eu estando com um canivete ou com uma garrafa por perto, facilmente esfaquearia ele. Ou enfiaria a garrafa no pescoço dele. Sabem quando alguém representa uma ameaça pra sua vida? Pra sua integridade física, psicológica ou emocional? Pois é esse o caso. Saí da casa dela tremendo.

Antes disso, eu ainda falei pra ela todas as coisas que essa pessoa me fez, em detalhes. Sabem, talvez ele não seja abusador com todas as pessoas, mas me provocou danos muito graves, extremamente severos, que me deixaram marcas tão profundas que até hoje eu tento me desfazer dessas coisas. Achei que era meu dever alertar ela para o fato de que o cara é um abusador, uma pessoa cruel e perversa, com histórico inclusive de violência sexual. O que ela vai fazer com isso - se vai continuar com ele ou não - aí já é problema particular dela. Por mim, não to nem aí, honestamente.

Só quem já passou por abuso sabe como é. É muito foda. Esse é um tema que até hoje me toca muito. Eu não sou mulher. Mulheres sofrem 100x mais com abuso, violência psicológica, estupro. Porém, mesmo não sendo mulher, eu sei perfeitamente como funciona essas coisas. Minha total solidariedade a todas as pessoas, homens ou mulheres, que foram vítimas de abuso psicológico ou sexual. Só quem passou por isso sabe o peso das marcas que a gente carrega.

Em resumo, a conversa com a tal menina serviu de gatilho pra mim. Pois ela começou a falar de alguém que praticamente destruiu a minha vida.

Sonhei ontem que dava facadas no tal cara. Sonhei que torturava ele. Etc.

O impacto negativo dessas coisas é BRUTAL. É quase como que cair em porn, em termos de negatividade. Acho realmente semelhante. A gente atrai uma nuvem sombria pra perto da gente. A luz diminui. Tudo vira ódio. O amor não tem lugar em alguém que tem esse tipo de pensamento na cabeça.

O cenário perfeito pra uma punheta com porn. Simplesmente isso.

No mais, estou indo embora do inferno hoje. Cometi um erro fatal ao voltar pra esse lugar.

Cada dia que eu passo aqui, meu estado piora muito. Isso é visível, claro e óbvio.

Retomando o reboot imediatamente.

Ainda estou LONGE, MUITO LONGE MESMO de fazer o suficiente pra acabar de vez com o vício.

Não superei o ódio, ainda.

Cai com 97 dias a pouco tempo, cai mais algumas vezes de lá pra cá, porém ainda posso PERFEITAMENTE retomar o fio da meada.

Não vou de jeito nenhum, retornar pra vida que eu tinha antes. Aquilo acabou. Não faz mais parte de minha vida. Me refiro aos tempos pré fórum, onde só existia sombra, ignorância, desprezo e dor dentro de mim.

Depois que entrei no fórum, entendi que é possível se sentir bem.

Continuarei caminhando nessa trilha, amigos.

Desejo um ótimo reboot para todos.

_______________________________________

DarthVaderMax99, chopin e Super Vegeta gostam desta mensagem

avatar
Eddie Red Pill
Mensagens : 150
Data de inscrição : 11/04/2019
Idade : 30

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

9/7/2021, 13:34
Cara, sei bem como é essa questão do abuso, temos que ser muito fortes para superar isso.

to aqui na torcida, boa sorte !
avatar
chopin
Mensagens : 229
Data de inscrição : 31/12/2020

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

11/7/2021, 08:07
vierkenes escreveu:Amigos, cai miseravelmente no dia 13. O contador já está atualizado.

Como já tenho algum tempo de caminhada no reboot, não vou me culpar. O negócio é entender o que está acontecendo e tocar a bola pra frente.

Sobre a queda, poderia falar muitas coisas. Na minha opinião, é fruto de desarmonia interna comigo mesmo. Acreditem, poucas coisas são mais dolorosas do que você não conseguir ser você mesmo. Vício é o mínimo que se espera de alguém assim. Talvez tenha tido até sorte. Podia ter me matado, surtado, etc.

Estou muito mal, mas gostaria de deixar uma palavra de esperança.

Pra tudo tem um jeito, menos pra morte. Não se desesperem. Ao contrário: trabalhem duro e do modo adequado, pois desse modo, COM CERTEZA ABSOLUTA é possível se livrar do vício ou de qualquer outra coisa que esteja atrapalhando nossa vida.]

No mais, digo que estou , temporariamente, em um lugar que eu odeio. Que só me prejudicou. Um lugar do qual não levo nenhuma lembrança boa. E olha que eu vivi aqui por quase 15 anos. Perfeitamente compreensível que eu estivesse mergulhado no vício do porn, ou do álcool. Nem todos vão entender, mas o único modo de existência nesse lugar, para minha pessoa, é chapado de algum modo.

Ontem sai com uma amiga. Ela é muito atraente, e temos uma certa intimidade, então eu pensei em dar em cima dela de algum modo. Porém, o encontro não foi bem o que eu esperava. Não tinha clima, nem nada, então eu fiquei tranquilo.

Acontece que essa amiga começou a falar de outra pessoa, com a qual ela está ficando.

Sabem, até aí nenhum problema. Eu realmente não teria nenhum problema de ouvir uma amiga falar sobre um cara que ela tá ficando. Nenhum problema mesmo.

A questão é que se trata de uma pessoa que abusou de mim psicologicamente por muitos e muitos anos seguidos.

Foram anos tendo a auto estima sistematicamente destruída por essa pessoa. Quando eu tinha 14 anos de idade, essa pessoa me  humilhou, dizendo pra mim que eu não ia conseguir ficar com mulher nenhuma, porque não era pra mim. Logo em seguida, beijou uma menina que eu era afim, apenas com o intuito de me humilhar.

Isso é passado, vejam, mas eu levei 14 FODENDOS ANOS pra beijar uma mulher na boca e ter uma constatação que fosse na direção contrária do massacre psicológico que essa pessoa me fez.

O cara chegou na casa dela. E eu, temendo uma explosão de ódio, uma agressão violenta ou algo assim, saí cautelosamente da casa dela. Simplesmente fiquei com medo de fazer merda. Porque eu realmente seria capaz de ter um comportamento irracional com essa pessoa. Se ele fizesse algum tipo de brincadeira e gracejo comigo, e eu estando com um canivete ou com uma garrafa por perto, facilmente esfaquearia ele. Ou enfiaria a garrafa no pescoço dele. Sabem quando alguém representa uma ameaça pra sua vida? Pra sua integridade física, psicológica ou emocional? Pois é esse o caso. Saí da casa dela tremendo.

Antes disso, eu ainda falei pra ela todas as coisas que essa pessoa me fez, em detalhes. Sabem, talvez ele não seja abusador com todas as pessoas, mas me provocou danos muito graves, extremamente severos, que me deixaram marcas tão profundas que até hoje eu tento me desfazer dessas coisas. Achei que era meu dever alertar ela para o fato de que o cara é um abusador, uma pessoa cruel e perversa, com histórico inclusive de violência sexual. O que ela vai fazer com isso - se vai continuar com ele ou não - aí já é problema particular dela. Por mim, não to nem aí, honestamente.

Só quem já passou por abuso sabe como é. É muito foda. Esse é um tema que até hoje me toca muito. Eu não sou mulher. Mulheres sofrem 100x mais com abuso, violência psicológica, estupro. Porém, mesmo não sendo mulher, eu sei perfeitamente como funciona essas coisas. Minha total solidariedade a todas as pessoas, homens ou mulheres, que foram vítimas de abuso psicológico ou sexual. Só quem passou por isso sabe o peso das marcas que a gente carrega.

Em resumo, a conversa com a tal menina serviu de gatilho pra mim. Pois ela começou a falar de alguém que praticamente destruiu a minha vida.

Sonhei ontem que dava facadas no tal cara. Sonhei que torturava ele. Etc.

O impacto negativo dessas coisas é BRUTAL. É quase como que cair em porn, em termos de negatividade. Acho realmente semelhante. A gente atrai uma nuvem sombria pra perto da gente. A luz diminui. Tudo vira ódio. O amor não tem lugar em alguém que tem esse tipo de pensamento na cabeça.

O cenário perfeito pra uma punheta com porn. Simplesmente isso.

No mais, estou indo embora do inferno hoje. Cometi um erro fatal ao voltar pra esse lugar.

Cada dia que eu passo aqui, meu estado piora muito. Isso é visível, claro e óbvio.

Retomando o reboot imediatamente.

Ainda estou LONGE, MUITO LONGE MESMO de fazer o suficiente pra acabar de vez com o vício.

Não superei o ódio, ainda.

Cai com 97 dias a pouco tempo, cai mais algumas vezes de lá pra cá, porém ainda posso PERFEITAMENTE retomar o fio da meada.

Não vou de jeito nenhum, retornar pra vida que eu tinha antes. Aquilo acabou. Não faz mais parte de minha vida. Me refiro aos tempos pré fórum, onde só existia sombra, ignorância, desprezo e dor dentro de mim.

Depois que entrei no fórum, entendi que é possível se sentir bem.

Continuarei caminhando nessa trilha, amigos.

Desejo um ótimo reboot para todos.

Situação muito tensa vierkenes, muita sacanagem o que esse cara fez contigo.
Eu sei que você ainda não superou essa situação, mas talvez seja interessante trabalhar isso e deixar a emoção ir, embora seja mais fácil falar do que fazer. Sem contar que as merdas que esse cara fez e o que ele representou para você no passado pode não ser o que ele é hoje, já faz 14 anos que tudo ocorreu, cara, é muito tempo, eu mesmo já fiz algumas besteiras, nada grave como o que ele te fez, mas são coisas que me arrependo e que não faria novamente.

Você é totalmente capaz de se reerguer, já foram 13 dias de vitória e você vai voltar aos trilhos novamente, se mantenha firme, até mais.

_______________________________________


Meu diário: https://www.comoparar.com/t11847-diario-do-chopin
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 743
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

12/7/2021, 09:47
Obrigado pelo apoio, meus nobres colegas Chopin e Eddie!

Indo pro dia 3 do reboot

Retornei pra cidade onde estou morando. Aqui é muito mais saudável pra mim.

Poderia falar muitas e muitas coisas.

Primeiro, que estou com uma vontade inabalável de me desenvolver e de levar a coisa toda a sério.

Segundo, que irei permanecer no hard mode o máximo de tempo que der. E se bater fissura, ainda faço umas flexões, kkk.

Esses dias eu pensei que eu queria ter um orgasmo com sexo. Digo isso porque só tive um na minha vida. Quando namorava, passei 6 meses com uma vida sexual bem ativa e só fui ter um orgasmo na última vez que transei com ela. 6 meses tendo ER.

É curioso, porque a mulher tende a achar que é culpa dela. Acha que não a desejamos suficiente ou algo do tipo. Eu sei que no meu caso, a ER está diretamente associada a masturbação, e o único jeito de curar isso é ficar uns 30 a 40 dias no hard mode.

Percebo que, mesmo que eu ainda tenha alguns desafios no quesito timidez com mulheres, eu estou pouco a pouco evoluindo.

Nível de procrastinação muito extremo. Isso é o que está me prejudicando mais.

Eu tenho minhas ferramentas terapêuticas e de cura a disposição. Usarei elas afim de obter harmonia, movimento e uma certa paz interior.

Arranjei também um daqueles quadros onde se penduram avisos. Caras, isso pra mim é uma mão na roda, porque realmente consigo me organizar muito melhor. Posso escrever em letras bem grandes as coisas importantes, ou simplesmente fazer uma checklist do dia. Muito bom!

Tenho planos e projetos para um futuro próximo. Começarei por exemplo, um curso online de uma área que muito me interessa, e terminando esse curso, posso trabalhar com isso e ganhar uma grana a mais.

Por enquanto, é isso.

Até a próxima.

_______________________________________

Rottweiler gosta desta mensagem

avatar
Samir
Mensagens : 65
Data de inscrição : 08/04/2021

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

13/7/2021, 17:09
Vamos que vamos mano. Traçar novas metas é muito saudável. Vamos educando o nosso cérebro de que existem outras formas de encontrar satisfação e felicidade.

Desejo tudo de bom para si.
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 743
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

17/7/2021, 00:01
Muito obrigado, Samir! Tudo de bom pra você também!

Dia 7 do reboot.

Hoje, venci o ego e arrumei a casa toda. Lavei o banheiro, fiz comida. Tinha tempo que eu não fazia isso. Talvez eu seja meio deprimido. Tinha um bom tempo que eu não fazia uma refeição decente, por exemplo.

É evidente que o vício em pornografia tem relação com isso. Em resumo, só pra deixar bem claro: com pornografia= ficar sem lavar o banheiro, comendo macarrão com molho pronto. Sem pornografia: tudo perfeitamente limpo, e comer do bom e do melhor.

Caras, o reboot não resolve tudo, porém, sem ele tudo fica fodido e na merda. Caiam fora disso de pornografia. Não conheço nada que atrase mais a vida da gente do que isso.

E olha que estou só no dia 7! Quero passar dos 13, minha ultima queda, passar dos 21 e retomar meu caminho de antes. Cai dia desses, com 97 dias.

Não tenho palavras por ter descoberto esse fórum. Foi uma luz na minha vida, e honestamente, o melhor meio que encontrei pro meu auto desenvolvimento - largar a pornografia.

Esse investimento vale ouro, amigos. Não percam a oportunidade! E não se envergonhem de cair! Ao contrário, é o sinal dos que querem ficar fortes e firmes.

Quem é firme e forte já caiu muito. Cair é parte do caminho pra vitória. Não estou falando que é pra cair, kkk. Estou falando que não há motivo para desespero.

Reconhecer autenticamente a fraqueza é sinal de coragem, amigos.

Refletir sobre a fraqueza é o caminho parar ficar forte.

Tenham confiança em vocês mesmos. Se lembrem que somos sempre muito mais do que nossa pequena consciência consegue alcançar.

Sobre o dia de hoje, disse que arrumei a casa inteira. Ponto positivo pra mim.

Vi que tinha várias coisas pra resolver.

Me inscrevi em um curso online (sinal positivo, pois é um compromisso muito importante pra mim!). Resolvi umas coisas.

De tarde, aconteceu algo que acabou sendo um gatilho pra mim. Por motivos inconscientes.

Moro numa área que tem uma casa bem em frente. A dona do espaço alugou essa casa em frente pra uma família. Dai tem o filho, que tem uma namorada.

Sabem, eu não tenho o hábito nem o costume de ficar "secando" as mulheres por aí, mas não sei o que aconteceu que essa mulher me despertou um tesão muito grande. É uma situação um pouco incômoda. Ela não me deu nenhuma ousadia pra isso. E tem um namorado. Mas senti um tesão muito grande nela.

No final da noite, o pessoal se reuniu bem na frente da minha janela. Eu me incomodei um pouco com isso. Abri a janela pra ventilar, e do quarto vi uma calcinha dela pendurada corrimão, bem na frente do quarto dela. Bizarro, caras. Mas isso foi um gatilho pra mim.

Senti uma vontade de beber - não foi por isso, acreditem!, hehe, mas por vários fatores. Sabia que deveria resistir o quanto fosse possível. Que as coisas fluem melhor sem o álcool. Sabia mesmo que deveria resistir, mas acabei indo beber.

Estou agora bebendo água, e só vou dormir depois de beber muita água, pra diluir o álcool e evitar ressaca.

Estou pra elaborar uma rotina. Colar na parede coisas para se fazer todos os dias. As quais envolvem exercícios físicos.

Estou pra começar leituras muito benéficas. No momento estou lendo uns romances bem densos, mas quero ler algumas coisas sobre bioenergética. É uma área que me interesso muito, e da qual sinto que posso tirar um grande proveito.

Por fim, queria dizer que meus traumas sexuais parecem estar se diluindo com o tempo.

Quem acompanha meu diário sabe o quanto eu já sofri com isso. Mas esse sofrimento parece estar diminuindo.

No momento, estou de paquera com a mina com quem transei pela última vez. Ela não tá aqui, e esse é o único motivo pelo qual não estou falando todo tipo de safadeza e libertinagem que vocês possam imaginar, pra ela. Por whats app pra mim não tem graça. Quero fazer isso ao vivo.

Pra mim, ficar excitado por uma mulher, fazer safadezas e coisas do tipo são sinal de saúde. Eu digo isso por que vocês não tem noção do quanto eu me reprimi sexualmente ao longo de minha vida. Me reprimi MUITO MESMO. Durante boa parte de minha vida, eu não me permiti relaxar, gozar e sentir prazer. Esse é o motivo pelo qual dou tanto valor a essas coisas.

Mas evidentemente, levar a coisa pelo lado saudável. Dar em cima da menina que sou afim e falar pra ela que ela é uma delícia e que eu lamberia o corpo dela inteiro é sinal de saúde. (eu tenho intimidade pra falar isso pra ela). Ficar de olho em uma mulher aleatória, que nem olha pra mim e tem namorado, e ficar olhando a calcinha dela, é sinal de distúrbio. Ou pelo menos, de muita pornografia na cabeça.

Sei que ando sexualmente sensível. Na verdade, 7 dias não é suficiente pra avaliar essas coisas. Pelo menos não pra mim. Pornografia confunde muito as coisas, e eu preciso de mais tempo longe disso pra ver as coisas como elas são, ao invés de ver peitos e bundas em toda parte. Acaba que é isso que a pornografia faz. Todo o universo - o amor, a fraternidade, altruísmo; toda a beleza do mundo - tudo isso vira uma gozada e nada mais.

Vamos largar a pornografia, meus amigos. Vamos juntos largar esse peso.

Largar a pornografia pra amar mais. É disso que se trata.

E se vocês experimentarem o amor, vão ficar ainda mais empenhados em ficar longe disso.

Enfim, fico por aqui.

Se cuidem, um forte abraço pra todos vocês, e bom reboot!

_______________________________________

Rottweiler, Drew e chopin gostam desta mensagem

vierkenes
vierkenes
Mensagens : 743
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

21/7/2021, 05:24
Dia 11 do reboot

Aconteceram várias coisas nos últimos dias.

Primeiro, que eu tive estímulos moderados/fortes no que diz respeito a porn. Quer dizer, não foram coisas muito explícitas.

Tudo começou quando eu fui atrás de "sexting" (pois é, sexo por texto, entro em um chat aleatório e falo várias putarias pra alguma mulher que também goste dessa prática). Bom, não vou mentir que acho prazeroso, mas isso é o caminho certeiro pra recair em porn. Sem sombras de dúvidas. Como vários desses sites estão bloqueados, eu entrei em alguns em inglês. Meu inglês não é tão bom, ainda mais pra esse tipo de conversa, kkk, conversei um pouco com algumas pessoas e cai fora.

Depois, cai num site de web cam, só que não era explicito. Basicamente, o esquema eram as mulheres na web cam, com chat e tudo, e ai conforme as pessoas iam pagando, ela poderia fazer uma sessão privada, só com os pagantes, onde faria tudo.

Sabem, foi bem estranho. Eu achei um pouco diferente de pornografia convencional. Dá pra interagir ao vivo com a modelo. Cheguei a perguntar a uma mulher asiática se ela achava aquilo ruim, enquanto mulher. E ela falou que não. Sem contar que dá pra ver bem o rosto e a reação da modelo. Sei lá. É menos frio que a pornografia. Dá pra enxergar uma pessoa ali, ao invés de só uma vagina. Sempre que a coisa esquentava, a sessão ficava privada pros pagantes. Ai eu caia fora.

Achei que é uma forma razoável de ganhar dinheiro. Pensei: "gente, uma mulher, do outro lado do mundo, exibe um pouco o corpo e ganha alguns dólares por sessão. Nada mal, pra quem não tem problema com isso".

Bom, o fato é que ambas as coisas são merda pura. O prelúdio da queda, simplesmente isso. Queda anunciada. E olha que eu realmente gosto muito do "sexting". Pra mim é tão viciante quanto pornografia.

Sabendo desses problemas, peguei a senha afim de bloquear esses sites e também palavras chave relacionadas a essas coisas. Se eu não fizer isso, vai ser queda atrás de queda, e isso é certo.

No dia seguinte, apesar dos estímulos fortes em direção a pornografia, eu consegui fazer uma bela sessão de calistenia. E calistenia, pra mim, vai na contramão de todos os vícios.

Depois de fazer flexões, abdominais, e várias outras coisas, o vício vai pro espaço. É sem erro!

De onde se conclui que boa vontade e um pouco de firmeza são suficientes pra acabar com o vício. Treinasse eu com frequência, e já teria alcançado marcas bem maiores.

O treino me deixou legal. Depois, assisti um filme com uns amigos e ocorreu tudo bem.

Hoje, tive uma experiência mais interessante, digamos assim.

Sai com mais 4 amigos pra fazer trilha. 5 no total. 3 mulheres e 2 homens;

Como a gente foi pra um lugar distante e reservado, acabou que todo mundo ficou nu lá. Eu também. Gosto desses momentos.

Bom, fora o fato de ver 3 mulheres muito bonitas e atraentes nuas, na minha frente (fora de contexto sexual, é naturismo e não suruba), houve mais algumas coisas. Aliás, fora não. Sei lá, eu não tenho muito contato com corpos femininos. Transei só com duas mulheres. Então pra mim é curioso pode ver uma mulher nua de perto. Entendem? Eu de uma boa olhada nas três. Porém, o contexto não era sexual. Vejam que mesmo tendo um histórico de vício em porn, eu consigo diferenciar as coisas.

A mulher A era uma menina de 18 anos, muito bonitinha e fofinha.

A mulher B é linda e muito atraente, mas é irmã da mina que eu gosto. Então eu desconsidero ela nesse sentido, já que na minha cabeça, eu gosto mesmo é da irmã dela.

A mulher C é que é o problema, porque ela me atrai muitíssimo.

Convivi com ela por 4 meses, e não dei em cima dela.

Isso me feriu, porque além de me atrair muito (muito gostosa mesmo, muito linda!) é também uma mulher incrível, em todos os sentidos. Ela tem a minha admiração. Nos damos bem. E poderíamos - quem sabe - ter transado gostoso.

Mas nunca vou saber, porque não tentei.

Ela seria sem dúvidas uma ótima amante. Gosto dela em todos os sentidos. Do cabelo as pontas dos pés. Poxa vida, é difícil encontrar uma mulher assim. Muito sábia! Além de atraente demais!

Ela vai embora amanhã.

Achei que não teria o mínimo sentido eu "me declarar" (digamos assim) pra ela, uma vez que ela vai embora amanhã, e mora do outro lado da América.

Prefiro me despedir dela de forma amigável, dizer que a acho incrível, e que sentirei falta dela. Isso me parece suficiente. Não vou mais ver ela mesmo. Fazer o que. Paciência.

Isso me afetou negativamente, amigos.

Fiquei chupando dedo diante de minha fraqueza.

Apesar de ter caminhado o dia todo (por umas 8 horas, no total, quase), ainda assim bebi umas latas de cerveja quando cheguei.

Acho que tem a ver com o exercício. As vezes, quando faço essas coisas, fico muito ansioso, e isso aumenta a chance de recaída. Porém, essa ansiedade só se manifesta nos primeiros dias de exercício. Depois de alguns dias, ela desaparece.

Bom, estou meio zoado hoje.

Ainda preciso urgente bloquear todos esses sites de sexting, porque isso é a perdição pra mim. O farei logo.

Sinto que corro algum risco, mas 11 dias ainda dá pra segurar a onda.

Levar o barco adiante e passar dos 14.

Até a próxima!

_______________________________________

chopin gosta desta mensagem

vierkenes
vierkenes
Mensagens : 743
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

22/7/2021, 02:12
Zerando o contador, e ampliando o post anterior.

Bom, hoje pratiquei "sexting" (masturbação com troca de mensagens pornográficas) e troquei nudes com uma mulher aleatória do Brasil. Curiosamente, acho que foi a primeira vez na minha vida que troquei nudes. E achei excitante, não vou mentir.

Mas a questão, sendo bem grosso e curto é: não existe reboot com essas coisas. Não da pra ser permissivo com certas coisas só porque não são exatamente vídeos. Viciam igual. Eu digo a vocês que o potencial de vício do sexting pra mim é extremamente alto. Em pouco tempo, estaria trocando tomar banho de rio de manhã por sessões de masturbação em interação virtual com outras pessoas.

Conclui que se eu não sentir o cheiro da vagina da mulher, então não é sexo. Se não der pra tocar no corpo com minhas mãos, não é sexo. E ponto final (pra mim, ao menos).

Vejam que tipo de coisa absurda anos de vício em pornografia e de repressão sexual nos levam a pensar.

Enfim, pura furada, esses estímulos. Então, não serei permissivo com isso. Bloquearei tudo relativo a isso, e se porventura eu recair com isso, irei zerar o contador também.

Tenho mais algumas coisas pra falar, em relação ao post anterior.

Primeiro, que a tal experiência que relatei na trilha foi forte pra mim. Por vários motivos. Também por estar nu em um grupo de outras 3 mulheres, em uma situação de intimidade. Bom, esse tipo de intimidade não é algo muito comum na minha vida. Acredito que faz parte dos meus desafios lidar melhor com essa questão.

Por exemplo, em um momento elas começaram a falar de sexo, e de interações com outros caras, etc. Admito que foi extremamente proveitoso ouvir isso, porque a gente aprende sobre como as mulheres pensam. E isso é profundamente enriquecedor, meus amigos.

Por outro lado, esse é um tema que toca um pouco em minhas feridas. Claro que é um pensamento equivocado, que tem que ser combatido, mas vejam o que me veio na cabeça: "cara, elas são livres e transam com quem elas querem. Conseguem se conectar a isso. Putz cara. Eu sou apaixonado pela mulher do meio, adoraria transar com ela, mas não fui capaz de ter essa liberdade interior, não tive a coragem necessária e perdi essa possível oportunidade de transar com essa mulher absolutamente maravilhosa, uma das pessoas mais incríveis que eu conheci nos últimos tempos. Agora ela tá nua na minha frente, e vai embora amanhã".

É, foi forte pra mim.

Hoje ainda me encontrei com ela, pela última vez. É amigos, eu fiquei apaixonado por essa mulher. Acho que demorei pra perceber isso, sabem?

Quando ela foi embora, simplesmente abracei ela o mais forte que pude, e ela correspondeu a força do meu abraço. Coloquei as mãos na cabeça dela. E apertei as mãos. E desejei tudo de bom.

Sabem, é tudo muito complicado pra mim. Isso não tem a ver com ela, mas eu sinto que falhei mais uma vez em um certo desafio que a vida colocou pra mim.

O fato deu não ter me expressado pra ela teve um efeito nefasto sobre mim. É sinal de intensa desarmonia. Enfim, estou fodido. É como se o que eu não consegui falar pra ela estivesse me sufocando por dentro. Vocês entendem? Acho que é uma comparação clara e justa. Meu coração realmente está doendo um pouco com isso.

Bom amigos, o primeiro passo essencial - e aqui com certeza estarei sendo útil pra outros rebooters - é se perdoar pelos erros passados. Eu considero que errei de forma grave. Porém, passou. Não tenho o que fazer. Tem que ter o perdão e o aprendizado nisso. Se eu ficar remoendo isso, to lascado, kkk.

O segundo passo é olhar pra frente, entender que ótimas e maravilhosas oportunidades me esperam no futuro. Muito especialmente se eu entender de forma clara qual foi o erro que eu cometi. O que me levou a falhar. Fazer até um estudo disso. Como no reboot, de certa forma.

Eu estou certo de que outras pessoas muito incríveis, incluindo mulheres lindas e maravilhosas, vão aparecer na minha vida em algum momento. É, a gente sempre pode se apaixonar, na realidade.

Mas o lance é olhar pra frente. É isso. Sobre essa mulher, daqui a pouco eu esqueço ela. Não é a primeira pessoa que tenho uma experiência intensa nessa cidade, e que vai embora. E nem será a primeira.

No mais, quero urgentemente retornar a rotina de calistenia. Hoje o dia foi de ressaca. É isso que dá ficar se masturbando. Horrível.

Novamente, rumo aos 10 dias.

Vou curtir minha desilusão amorosa. De mim pra mim mesmo. É isso que eu acho foda. Não é como se eu tivesse tentado ficar com a mulher e ela tivesse me recusado. Na verdade, eu mesmo que me recuso. Eu devo estar desiludido comigo mesmo, e jamais com ela. Ao contrário. Ela é uma mulher muito sábia.

Isso tudo é minha sina psicológica, meus amigos. Acredito ter deixado bem claro, pra aqueles que leiam essas palavras. Por ainda estar no calor do momento, digamos assim, considero tudo isso insuportável, burro, estúpido e irracional. Estou exausto dessa merda. De perder essa batalha pra mim mesmo.

Se eu estou frustrado e decepcionado comigo mesmo - e apenas comigo mesmo, só pra deixar claro - apenas eu e mais ninguém pode conseguir sair de tal estado e mudar. Mais ninguém.

Isso é bom por trazer um senso fundamental de auto responsabilidade. Só nós mesmos podemos nos erguer e seguir em frente.

Bom amigos, tudo dando certo, entrarei num hard mode por um tempo. Sem nenhum tipo de estímulo pornográfico ou sexual. Zero. E fazendo uns treinos de calistenia.

Um bom reboot pra todos.

_______________________________________

DarthVaderMax99 e Rottweiler gostam desta mensagem

DarthVaderMax99
DarthVaderMax99
Mensagens : 296
Data de inscrição : 02/11/2015
Idade : 28
Localização : MG

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

22/7/2021, 09:13
Continue firme vc consegue cara, mesmo tendo recaídas vc vai conseguir, todos nós somos capazes! Mantenha forte sua determinação em vencer o vicio que a vitória virá, é apenas uma questão de tempo. Abraços e fique com Deus!

_______________________________________
ACESSE MEU DIÁRIO! DARTH VADER TAMBÉM PRECISA DE AJUDA!

"O anjo de Jeová acampa ao redor dos que O temem,
E ele os socorre." (Salmos 34:7)



Recorde sem PMO: 57 dias
Data da última recaída: 15/09/2021 as 23:18
Último melhor streak do ano: 7 dias

METAS (dias):  ( Very Happy ) 57  (  ) 69  (  ) 90   (  ) 120  (  ) 150  (  ) 180  (  ) 210  (  ) 365
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 743
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

23/7/2021, 05:04
Obrigado pela mensagem, Dathvader!

Amigos, estou bem na merda. Um pouco de desespero me faz postar aqui hoje.

Primeiro, que esse negócio de sexo virtual - seja por texto, por zap, etc - representa algo MORTÍFERO pra mim. MORTÍFERO. Tá parecendo, infelizmente, uma escalada do vício, isso sim. A diferença é que não fui pra outros gêneros de vídeo, mas pra outra forma de pornografia. TEM QUE MANTER DISTÂNCIA DE QUALQUER COISA RELACIONADA A ISSO!

Segundo, que hoje entrei numa fissura, consegui baixar um navegador pra ver porn, acabei desbloqueando afim de mexer na configuração, mas como já ia cair mesmo...aconteceu.

Foram várias horas fazendo sexo virtual, e assistindo porn ao mesmo tempo.

Quando faço sexo por texto, fico um tempão mexendo no pênis, e segurando pra gozar. Com isso, provavelmente piorei 100x mais a ER. A impressão que tenho é que não vou mais consegui gozar fazendo sexo. Isso, é claro, se eu fizesse sexo. Mas quase não faço. Foda-se.

Sexo por texto também me faz muito mal do ponto de vista psicológico, porque eu falo várias coisas pra mulheres que eu nunca vi nem conheço....falo TUDO de sexo.

Isso é altamente doentio, ainda mais no meu caso, pois não consigo nem chegar na mulher que me atrai e dizer que ela é muito linda.

Sexo virtual me faz parecer 100x mais covarde. Fica a impressão de que fora de casa, sou 100% fraco e covarde, enquanto que na internet, eu tiro uma de garanhão, de conquistador, ou algo do tipo. Isso realmente é um abalo muito pesado na minha já enfraquecida auto estima.

Infelizmente, sem perspectiva de melhoras. Nem de sexo. Falo isso porque eu não tenho nenhuma dúvida de que transar um pouco seria totalmente VITAL pra eu recuperar minha saúde nesse sentido. Fica muito difícil fazer o reboot, quando eu mal sei o que é tocar numa mulher. Consumir porn e transar de vez em quando é uma coisa, consumir porn e transar quase nunca, é outra bem diferente.

Graças a Deus que eu não namoro. Eu não teria coragem, acho.

Porra, estou o bagaço.

A essa altura, perdi totalmente os benefícios que conquistei ao chegar a marca de 97 dias. Foi muita punheta.

Esse escalonamento pra sexo virtual me fodeu. Parece que meu cérebro descobriu algo 100x mais prazeroso do que os velhos vídeos.

Cheguei naquele ponto em que ficar 7 dias limpo parece muito.

Quem diria. De novo nessa. Porra.

Isso me faz pensar como esse vício é cruel, e como ele pode nos dominar novamente se a gente vacilar. Me parece mesmo uma condição crônica. Sei lá. É como se eu fosse ter que conviver com isso o resto da minha vida.

Caras, eu fodi a porra toda.

Quem pode mudar isso? Somente eu.

O que estou fazendo de fato? Nada. Só afundando.

É vício em porn. É vício em álcool. E ainda, até hoje, com problemas muito sérios e graves em relação a conseguir uma parceira real.

Eu nem sei como consegui ir pra trilha com aquelas 3 mulheres, todas nuas. O tipo de coisa que faz um viciado em porn passar mal. E ainda ouvi elas falando de sexo. Sexo pra cá. Transei com fulano ontem. O outro fulaninho é gatinho. É bom transar assim, ou assado. Eu gosto de ser o biscoito. Etc. Fiquei ouvindo esse tipo de coisa.

Se eu tivesse uma vida sexual razoável, eu não deveria me importar com isso. Mas é muito complicado, quando 99% de minha vida sexual se resume a uma interação com uma tela. As vezes fica parecendo que eu nem sou gente. Sei lá. Eu me sentiria confortado se alguém dissesse que entende bem esse ponto. Enquanto ficaria com raiva, se alguém dissesse que eu me preocupo demais com isso. Que eu penso demais nisso. Bom, cada um é um, podem falar o que quiserem. Mas eu digo, pela minha experiência, que é realmente doloroso se sentir excluído da uma parte tão vital da vida humana. Ouvir amigos e amigas falarem disso com naturalidade - porque é natural mesmo!. Mas nunca foi natural pra mim. Enquanto pras outras pessoas, sexo significa prazer, bem estar, namorar, curtir, gozar, ficar tranquilo, pra mim, parece que tudo relacionado a isso se resume a duas coisas: punheta com vagabundas na internet, ou angústia, dor e frustração. Eu muito mal sei o que é esse lance de relaxar, de gozar, ficar tranquilo, etc. Isso me faz muito mal, e é, pra mim, uma questão grave. Meu corpo só fica mais enrijecido, e se eu continuar assim, aos 40 não vou nem conseguir mexer os quadris pra transar. Vão estar travados e paralisados. Isso se não tiver uma doença mais grave. Como a gente sabe, enrijecimento e estagnação é sinônimo de doença. Enquanto que movimento é sinônimo de saúde.

Bom, mergulhei fundo na merda.

Diria que preciso de pelo menos, no mínimo, uns 14 dias de absoluto hard mode, pra conseguir voltar a uma certa normalidade e a um certo bem estar.

Pior que os estímulos foram muito pesados. Então é possível que com 2 ou 3 dias eu já esteja com fissuras terríveis.

Eu não consigo acreditar que estou de novo nesse lugar. Não consigo acreditar que estou mais uma vez nessa situação.

Sei que talvez vocês não entendam, mas se eu tivesse dado em cima da mulher que falei uns posts atrás, mesmo que ela me recusasse, eu estaria muito mais em paz. E certamente, estaria bem mais distante do vício.

Quantas vezes mais vou ter que passar pela mesma situação, pra aprender?

Estou totalmente afastado de Deus.

Sabemos que pornografia é isso. Egoísmo. Maldade. Ignorância. Miséria espiritual. Pirraça. Infantilidade. Fraqueza. Porn é isso aí tudo.

Porn é o câncer da sociedade moderna. Putz.

Faz parte do desafio da minha vida acabar com esse vício.

Deus colocou isso no meu caminho pra eu superar.

Eu não iria morrer em paz, se perto da morte, ainda estivesse preso a esse vício.

Espero viver mais, pra poder obter a vitória sobre esse demônio que habita em mim.

Não sei se vou ficar postando muito. De nada adianta.

O negócio é humildemente pedir ajuda divina, ter MUITA PACIÊNCIA. Ir dia após dia, literalmente. As vezes ficar 7 ou 10 dias longe disso é um desafio e tanto.

Logo eu, que já atingi 120 dias. E que a cerca de 1 mês atrás, mais ou menos por ai, estava com 97 dias.....

Estou muito decepcionado comigo mesmo, amigos.

Desejo um bom reboot pra todos.

Não desistam, que ai a coisa fica FEIA MESMO.

Vamos continuar na batalha.

Um abraço pra quem acompanha.

_______________________________________

Gardenzio Angelone gosta desta mensagem

Rottweiler
Rottweiler
Mensagens : 1110
Data de inscrição : 22/07/2019
Idade : 30

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

23/7/2021, 17:02
Blz vierkenes, vendo a sua situação, pensei bem no que dizer, e vou fazer uma analogia meio nerd. Você parece viver em dois mundos e alternar entre eles. O do "vício" e o do "Paraíso sem PMO", por assim dizer. As vezes nas suas histórias acontece algo que você nem percebe o qual surreal é. Tipo esse evento da cachoeira. Cara, tomar banho pelado acompanhado, e com três mulheres ainda. Mas é impossível estar em dois lugares ao mesmo tempo. E creio que ao escolher um mundo, terá que abrir mão do outro (muito marvel, tipo Thor kkkkkk). Brincadeiras a parte, só você pode fazer essa escolha. E com grandes poderes, vem grandes responsabilidades... hehehe. Desejo o melhor a você e estou por aqui te acompanhando.

vlw,
abraço.

_______________________________________
REBOOT: https://www.comoparar.com/t11634p375-diario-do-rottweiler#355547

"Um rottweiler nunca desiste..."





chopin gosta desta mensagem

Tiago M
Tiago M
Moderador
Moderador
Mensagens : 2028
Data de inscrição : 31/07/2016

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

23/7/2021, 17:27
Spoiler:

vierkenes escreveu:Obrigado pela mensagem, Dathvader!

Amigos, estou bem na merda. Um pouco de desespero me faz postar aqui hoje.

Primeiro, que esse negócio de sexo virtual - seja por texto, por zap, etc - representa algo MORTÍFERO pra mim. MORTÍFERO. Tá parecendo, infelizmente, uma escalada do vício, isso sim. A diferença é que não fui pra outros gêneros de vídeo, mas pra outra forma de pornografia. TEM QUE MANTER DISTÂNCIA DE QUALQUER COISA RELACIONADA A ISSO!

Segundo, que hoje entrei numa fissura, consegui baixar um navegador pra ver porn, acabei desbloqueando afim de mexer na configuração, mas como já ia cair mesmo...aconteceu.

Foram várias horas fazendo sexo virtual, e assistindo porn ao mesmo tempo.

Quando faço sexo por texto, fico um tempão mexendo no pênis, e segurando pra gozar. Com isso, provavelmente piorei 100x mais a ER. A impressão que tenho é que não vou mais consegui gozar fazendo sexo. Isso, é claro, se eu fizesse sexo. Mas quase não faço. Foda-se.

Sexo por texto também me faz muito mal do ponto de vista psicológico, porque eu falo várias coisas pra mulheres que eu nunca vi nem conheço....falo TUDO de sexo.

Isso é altamente doentio, ainda mais no meu caso, pois não consigo nem chegar na mulher que me atrai e dizer que ela é muito linda.

Sexo virtual me faz parecer 100x mais covarde. Fica a impressão de que fora de casa, sou 100% fraco e covarde, enquanto que na internet, eu tiro uma de garanhão, de conquistador, ou algo do tipo. Isso realmente é um abalo muito pesado na minha já enfraquecida auto estima.

Infelizmente, sem perspectiva de melhoras. Nem de sexo. Falo isso porque eu não tenho nenhuma dúvida de que transar um pouco seria totalmente VITAL pra eu recuperar minha saúde nesse sentido. Fica muito difícil fazer o reboot, quando eu mal sei o que é tocar numa mulher. Consumir porn e transar de vez em quando é uma coisa, consumir porn e transar quase nunca, é outra bem diferente.

Graças a Deus que eu não namoro. Eu não teria coragem, acho.

Porra, estou o bagaço.

A essa altura, perdi totalmente os benefícios que conquistei ao chegar a marca de 97 dias. Foi muita punheta.

Esse escalonamento pra sexo virtual me fodeu. Parece que meu cérebro descobriu algo 100x mais prazeroso do que os velhos vídeos.

Cheguei naquele ponto em que ficar 7 dias limpo parece muito.

Quem diria. De novo nessa. Porra.

Isso me faz pensar como esse vício é cruel, e como ele pode nos dominar novamente se a gente vacilar. Me parece mesmo uma condição crônica. Sei lá. É como se eu fosse ter que conviver com isso o resto da minha vida.

Caras, eu fodi a porra toda.

Quem pode mudar isso? Somente eu.

O que estou fazendo de fato? Nada. Só afundando.

É vício em porn. É vício em álcool. E ainda, até hoje, com problemas muito sérios e graves em relação a conseguir uma parceira real.

Eu nem sei como consegui ir pra trilha com aquelas 3 mulheres, todas nuas. O tipo de coisa que faz um viciado em porn passar mal. E ainda ouvi elas falando de sexo. Sexo pra cá. Transei com fulano ontem. O outro fulaninho é gatinho. É bom transar assim, ou assado. Eu gosto de ser o biscoito. Etc. Fiquei ouvindo esse tipo de coisa.

Se eu tivesse uma vida sexual razoável, eu não deveria me importar com isso. Mas é muito complicado, quando 99% de minha vida sexual se resume a uma interação com uma tela. As vezes fica parecendo que eu nem sou gente. Sei lá. Eu me sentiria confortado se alguém dissesse que entende bem esse ponto. Enquanto ficaria com raiva, se alguém dissesse que eu me preocupo demais com isso. Que eu penso demais nisso. Bom, cada um é um, podem falar o que quiserem. Mas eu digo, pela minha experiência, que é realmente doloroso se sentir excluído da uma parte tão vital da vida humana. Ouvir amigos e amigas falarem disso com naturalidade - porque é natural mesmo!. Mas nunca foi natural pra mim. Enquanto pras outras pessoas, sexo significa prazer, bem estar, namorar, curtir, gozar, ficar tranquilo, pra mim, parece que tudo relacionado a isso se resume a duas coisas: punheta com vagabundas na internet, ou angústia, dor e frustração. Eu muito mal sei o que é esse lance de relaxar, de gozar, ficar tranquilo, etc. Isso me faz muito mal, e é, pra mim, uma questão grave. Meu corpo só fica mais enrijecido, e se eu continuar assim, aos 40 não vou nem conseguir mexer os quadris pra transar. Vão estar travados e paralisados. Isso se não tiver uma doença mais grave. Como a gente sabe, enrijecimento e estagnação é sinônimo de doença. Enquanto que movimento é sinônimo de saúde.

Bom, mergulhei fundo na merda.

Diria que preciso de pelo menos, no mínimo, uns 14 dias de absoluto hard mode, pra conseguir voltar a uma certa normalidade e a um certo bem estar.

Pior que os estímulos foram muito pesados. Então é possível que com 2 ou 3 dias eu já esteja com fissuras terríveis.

Eu não consigo acreditar que estou de novo nesse lugar. Não consigo acreditar que estou mais uma vez nessa situação.

Sei que talvez vocês não entendam, mas se eu tivesse dado em cima da mulher que falei uns posts atrás, mesmo que ela me recusasse, eu estaria muito mais em paz. E certamente, estaria bem mais distante do vício.

Quantas vezes mais vou ter que passar pela mesma situação, pra aprender?

Estou totalmente afastado de Deus.

Sabemos que pornografia é isso. Egoísmo. Maldade. Ignorância. Miséria espiritual. Pirraça. Infantilidade. Fraqueza. Porn é isso aí tudo.

Porn é o câncer da sociedade moderna. Putz.

Faz parte do desafio da minha vida acabar com esse vício.

Deus colocou isso no meu caminho pra eu superar.

Eu não iria morrer em paz, se perto da morte, ainda estivesse preso a esse vício.

Espero viver mais, pra poder obter a vitória sobre esse demônio que habita em mim.

Não sei se vou ficar postando muito. De nada adianta.

O negócio é humildemente pedir ajuda divina, ter MUITA PACIÊNCIA. Ir dia após dia, literalmente. As vezes ficar 7 ou 10 dias longe disso é um desafio e tanto.

Logo eu, que já atingi 120 dias. E que a cerca de 1 mês atrás, mais ou menos por ai, estava com 97 dias.....

Estou muito decepcionado comigo mesmo, amigos.

Desejo um bom reboot pra todos.

Não desistam, que ai a coisa fica FEIA MESMO.

Vamos continuar na batalha.

Um abraço pra quem acompanha.

Oi, amigo.

Lendo com mais profundidade algumas postagens suas eu realmente não acho que você leva esse problema com sexo a sério demais. Penso que você não iria se apegar a algo que te faz sofrer por puro masoquismo.

Seu problema é real. As humilhações e experiências negativas parecem ter feito com que sua mente colasse um selo de negatividade no campo sexual. Talvez por isso você não consiga encarar essas coisas de forma natural, como disse.

Como a energia sexual é algo muito forte em nós, de uma forma ou de outra ela acaba extravasando. Aí entram os vícios com suas variantes.

Sinceramente eu não sei muito bem como sanar isso. Até porque eu também tenho muita dificuldade nessa área. Mas uma coisa que dá pra perceber é que a energia sexual não flui apenas através do ato sexual. Então abrir outros meios para que ela circule talvez possa desafogar um pouco essa busca insaciável por orgasmos.

Lógico que aí entra tbm o fator psicológico que pode foder com tudo. Enfim, não é algo simples. São várias nuances.

Te desejo melhoras.

Abs.

_______________________________________


Diário: parte 1 | parte 2
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 743
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

25/7/2021, 14:25
Caro Rottweiler, obrigado pela mensagem! Essa evento da cachoeira é até normal pra mim. Já presenciei outros momentos como esse. Porém, esse ao qual me referi foi mais forte, porque entre as 3 mulheres, tinha uma que me atraía demais. E ela foi embora logo no dia seguinte. Enfim.

Esse lance de que você fala, da escolha de um dos mundos, é totalmetne vital. Muito obrigado pela sua presença aqui!

Voltando aqui pra mais um post. Vou tentar ser útil e instrutivo pra quem ler. Acabou que ficou um pouco longo. Mas espero que alguém aprenda algo com minha partilha.

Primeiro, apenas para ser claro. Talvez quem leia ache que eu falo apenas de transar, de fazer sexo. Falo disso, mas também de outras coisas bem mais profundas. Que se manifestam em todos os campos da minha vida.

O medo, de vivenciar e experimentar as coisas da vida. O medo é uma merda.

A dor, que vem depois da constatação de que não agi por causa do medo ou da insegurança.

A timidez e a vergonha, que me impedem de brilhar. Atrapalham meu contato com os outros.

A baixa auto estima, que basicamente muitas vezes faz você achar que aquilo não é pra você. Que você não merece.

A rigidez mental, que cria padrões ilusórios, absurdos, que só trazem sofrimento.

Uma ideia de "pureza" que ferrou minha cabeça. De que sexo é impuro e sujo. De que eu sou impuro e sujo. De que é incorreto dar em cima de uma mulher, porque isso é "indevido". Ou de que não mereço as coisas boas, porque sou impuro. (isso fodeu com minha cabeça, amigos, sério mesmo).

A negação do prazer. A todo tipo de prazer, não só fazer sexo. Eu sinto muito pouco prazer na minha vida, de modo geral. (mas quando eu estou longe de porn, lá pro dia 50, eu começo a ficar mais aberto pra essas coisas).

A um corpo enrijecido e rígido. Que não só não faz sexo, como não é fléxivel nem forte. Um corpo que trabalha pouco, de pouca força, pouca vida.

É disso tudo que eu falo. Se parece que eu falo apenas de transar, foi um equívoco de comunicação.

Agora, ao post de hoje. Dia 0.

Ontem foi o dia da farra masturbatória. Realmente me masturbei muito. Talvez mais de 10 vezes, quem sabe.

Fiquei em chats na internet atrás de sexo virtual. Sem dúvidas, algo capaz de fazer meu cérebro entrar em pane. Pior que crack. Em algum momento consumi os velhos vídeos também.

Fazendo sexo virtual com mulheres na internet, consegui aprender alguma coisa, por incrível que pareça. De um certo modo, existe uma interação ali. É diferente de estar sozinho sem comunicação, diante de um vídeo. Com sexo virtual dá até pra convesar com uma pessoa de verdade.

A primeira coisa que percebo é que sexo e "putaria", digamos assim, são realmente coisas normais e até banais. Da mesma forma que eu entro no chat atrás disso, outras pessoas - incluindo mulheres - querem exatamente o mesmo. É muito curioso, porque como a internet as vezes é anonima, dá pra revelar algumas coisas aqui. É quase (ao extremo, vejam bem), como se toda mulher tivesse uma grande "p" dentro de si, em algum lugar nela.

A outra coisa é que também dá pra treinar um pouco o "labeado". Por incrível que pareça. Tem vários modos de chegar em alguém pra conversar. Ser educado é sempre bom, por princípio. Mas bom mesmo, de verdade, é ser ousado. Não ficar com medo de falar certas coisas. Quem não tem isso sai perdendo no princípio dos relacionamentos. Ainda por cima, se toda mulher tem um lado "p", é absolutamente tranquilo falar coisas mais ousadas nos momentos certos. Se nós homens gostamos, elas também gostam muito. Mas o fato é que dá pra aprimorar a habilidade, de alguma forma. Ainda que de forma virtual.

Outro benefício - poder trocar um papo honesto com uma mulher. Sobre sexo. Relacionamentos. Etc. Eu até tenho algumas amigas com quem falo sobre essas coisas, mas acho que na internet dá pra se abrir mais. É também é diferente falar disso com alguém que você acabou de trocar intimidade, ainda que virtual.

Bom, o fato certo é que tem que abolir isso. Eu não quero passar 4 ou mais horas do meu dia atrás de sexo na internet. Pra mim é pior que crack. Eu sem dúvidas iria já acordar e ir fazer isso. Nem dormir talvez. Caras, nunca encontrei um troço mais perigoso pra mim do que isso aí. E olha que eu só fui fazer essa modalidade de pornografia agora, recentemente. Nunca tinha trocado nudes antes.

Ontem portanto, depois de mais de 10 punhetas, eu comecei a sentir o efeito de uma terapia que estou fazendo.

Entendi que não existe para desespero.

Senti uma grande quantidade de energia ser liberada em mim.

As 3 da manhã, arrumei a casa quase toda. Agora de manhã fui no supermercado umas coisas. Vou lavar roupa porque estou precisando.

A sensação, acreditem, é que algo destravou na minha cabeça.

Agora a pouco fiz vários alongamentos. Todos eles com uma respiração correta - ainda que fraca, porque eu fumo muito. Percebi também que posso perfeitamente fazer 5 flexões em algum momento do dia. Não necessariamente preciso fazer isso em 1 hora. Claro, de modo contínuo é melhor, mas por exemplo, se eu tiver aqui na frente do pc e bater uma fissura, eu posso me levantar na hora e fazer 5 ou 10 flexões. Perfeitamente. É muito reconfortante perceber isso.

Eu não quero de jeito nenhum, vejam bem, ser rígido. Nem o corpo, nem a mente. Claro que é algo da minha cabeça, algo particular, mas eu simplesmente não quero de jeito nenhum continuar a ser assim.

Só um longo processo de educação - de exercícios para ir destravando todos esses malditos bloqueios - podem me salvar.

Antes de dormir, fiz várias orações.

O próprio pai nosso, se rezarmos com atenção e vontade, é muito útil. É simplesmente bonito e reconfortante. Vamos humildemente agradecer o pão nosso de cada dia. Todas as coisas boas que nos são oferecidas, e que muitas vezes não vemos ou recusamos.

Sem dúvidas, essa reconexão é o que representa de mais importante na vida de um ser humano. Na minha, pelo menos. Porque será que muitas vezes esquecemos isso, e viramos as costas pra simplicidade das coisas?

Eu não tenho nenhuma dúvida de que todo o sofrimento pode ser eliminado através do esforço.

Não acreditem em soluções fáceis.

Jamais tenham vergonha de estar aqui a muito tempo, de recair, etc. Apenas se perguntem quanto esforço tem feito, e então tudo vai ficar claro.

Quem quer, simplesmente quer, amigos. É preciso querer com toda a completude do ser. É preciso experimentar na própria vivência, esse querer. Quem entender bem essa questão do querer, vai atingir marcas altas.

Vou ficando por aqui amigos.

Apesar da farra masturbatória de ontem, por incrível que pareça, eu estou me sentindo ótimo, e com excelentes perspectivas.

Vou evitar ficar muito no fórum pra evitar ansiedade. O processo é longo. Bem longo. É muito bom relaxar e se desligar um pouco da palavra "porn", por exemplo.

Não tenham dúvidas de que vou seguir no HARD MODE. Por no mínimo uns 10 dias. Mais até. Me masturbei de um modo impressionante nos últimos dias. Vou dar esse descanso ao meu corpo. Não vou permitir que o vício crie raízes de novo. Se eu porventura cair, é isso que vai acontecer. Posso voltar a viver o inferno de antes. Isso não, amigos. Sigo no hard mode, na firmeza e na fé.

Mais uma coisa é que eu de fato, quase não tenho vida sexual. Porém, sofro de ER. Severa. Só tive um único orgasmo com penetração na minha vida. Eu realmente gostaria muito de experimentar essa sensação de novo. Mas não é só questão de transar. É questão de ter a sensibilidade de volta. Minha última transa (deve ter uns 5 meses) foi bem boa, mas minha sensibilidade peniana estava quase 0. Senti muita dor. Sabem, foi bom, foi legal, mas eu não senti muita coisa. Fora a impossibilidade de um orgasmo.

Único remédio pra isso, e possibilidade de ter um orgasmo com penetração, é ficando uns 40-50 dias longe de porn. Se for no hard mode, melhor ainda.

Agora sim, ficarei por aqui.

Não se desesperem. Se esforçando, a gente realmente consegue as coisas.

Fiquem bem.

Um ótimo reboot para todos.

_______________________________________
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 743
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

30/7/2021, 20:30
Dia 0 de novo

Estou preocupado comigo. Muitas recaídas. O vício em porn voltou a me rondar. Eu não vou retornar para a vida que eu tinha antes deu descobrir o fórum. Aliás, isso é impossível, uma vez que tenho comigo a experiência, e isso é algo que ninguém pode tirar de mim.

Fazendo muito "sexo" virtual, incluindo masturbação com vídeo. Caras, eu não quero me aprofundar nisso. Não mesmo. De jeito nenhum. O potencial de vício disso é tão alto quanto o de porn. É diferente de porn, porque existe a interação com uma pessoa, mas ainda assim. Eu me pergunto: como, com meu histórico de viciado em pornografia, eu vou dizer que isso é uma coisa boa? Impossível. Deve ser algum truque da mente justificando tudo, dizendo que é ok eu me masturbar junto com uma mulher do outro lado do país. Fora que honestamente, isso nem mesmo combina comigo. Isso não tem nada a ver com o que eu quero pra minha vida, simplesmente.

No entanto, eu até que aprendi alguma coisa. Houve aprendizado nisso, por incrível que pareça.

No entanto, se trata de uma prática meio destrutiva e doentia. Sozinho no quarto. Janela fechada. Sem beijo na boca de verdade, sem sentir o cheiro da vagina, não é sexo. Foda-se esse negócio. To fora.

Admito que vai dar trabalho entrar nos eixos de novo.

Eu novamente recai na lama, estou nessa a um tempo. Ainda não consegui me erguer dignamente.

Tenho algo de bom pra compartilhar.

Depois de pensar sobre trabalho, conclui que não tenho como trabalhar por conta própria no momento. Eu até queria, mas não tenho como.

Logo, voltarei a pedir trabalho aqui na cidade, mais uma vez.

Se não fiz isso antes, é porque acreditava que poderia desenvolver outras coisas. No entanto, como em termos práticos não está dando certo, eu não tenho opção.

Eu nunca quis ser um cara que não trabalha, e que só é bancado. Eu tenho meu senso de honra. Eu quero ter autonomia em relação a minha família. Também quero trabalhar, contribuir de algum modo, ao invés de não fazer nada. Ganhar dinheiro também é bom. Posso comprar uns equipamentos mais caros também, por exemplo.

Na semana que vem, rodarei a cidade distribuindo currículo.

Eu não tenho NENHUMA dúvida de que eu estaria MUITO MELHOR com um trabalho desses, do que como estou agora.

No mais, percebo que consegui diminuir bastante minha severidade para comigo mesmo.

Acaba que recaio do mesmo jeito. Antigamente eu achava que a rigidez e a punição eram o caminho correto. Pra "corrigir" a má conduta. No entanto, isso é pura furada. Quem vai aprender melhor tomando pedrada? Não é muito melhor ser calmo e tranquilo com o erro, convidando amorosamente a tentar de novo? É muito melhor. Realmente.

Isso certamente corrigiu um pouco minhas energias. Mesmo eu caindo hoje.

Estou me sentindo estranho, porque tenho tido momentos de grande clareza, no entanto eu logo mergulho nas trevas, e fico só chapado.

Meu nível de resistência interna também está MUITO alta.

Convém investigar essas coisas.

Álcool ta foda. To bebendo com frequência. Álcool não dá muito certo.

Eu nem mesmo sei porque escrevo. Uma vez que sei que só depende de minha vontade mesmo, e de mais ninguém. Foda.

Decerto que eu ainda não quero com força suficiente sair disso. Uma parte ta confortável.

Bom, estou bastante vulnerável - apesar de ter tido algumas ideias muito boas esses dias.

Vou tentar bloquear o celular, que é o lugar onde tenho caído. Eu troquei de aparelho. Quem sabe eu não consigo bloquear esse decentemente? Vou ver o que consigo fazer.

Como estou muito viciado, convém guardar o computador e o celular em outro compartimento da casa. Colocar dentro de uma mochila. Na verdade, não me sinto capaz de fazer isso...mas dou a dica pra quem quiser.

Realmente não sei o que fazer. Mas sei no meu íntimo, que estou vacilando bastante comigo mesmo. Estou agindo com preguiça, desdém. Esforço zero.

Caras, não existe liberdade com o porn. Lembrem sempre disso. Sempre. Não existe desculpa.

Vamos seguir com o reboot.

A partir de segunda, procurar trabalho. Isso é VITAL pra mim.

No mais, meus amigos, tenham fé em Deus.

Desesperar jamais, hein.

Ainda é tempo de lutar.

Boa noite pra todos.

_______________________________________
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 743
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

1/8/2021, 12:48
Dia 1 do reboot

Continuo na tentativa de me reerguer de forma digna.

Percebo que meu cérebro está com muitas desculpas furadas, pra me fazer pensar que é normal se satisfazer com porn ou masturbação...

De um certo modo, é como se o bem estar de estar com muitos dias tivesse sido esquecido.

Foram muitas recaídas, muitas punhetas, etc.

Apesar da "ressaca", eu não me sentindo mal. Talvez esteja um pouco, mas predomina uma vontade de continuar meus planos.

O fato de que quero definitivamente ir atrás de trabalho me deu um novo ânimo. O fato de estar a muito tempo parado está me corroendo. Um trabalho iria me salvar. Se não conseguir, pelo menos vou ter tentado. Única forma de conseguir é tentando.

Ontem sai pra rua, e apesar de ter me masturbado bastante nos últimos dias, sinto que minha confiança com interação com mulheres - com fins sexuais, inclusive - parece ter aumentado.

Isso me deixou surpreso....e também alivia uma parte de meu sofrimento. Quem acompanha meu diário sabe o quanto sofri com isso.

Claro, minha energia não estava alta. Mas eu tava me sentindo livre pra dar em cima de uma mulher. Isso é maravilhoso. Isso é viver. Assim é possível largar o porn. Dominado pelo medo, que paralisa a ação e acaba com qualquer possibilidade de se entregar a experiências prazerosas, fica realmente muito difícil. Muito mesmo, vocês não tem ideia.

Sabem, tem uma menina que mora aqui que acredito estar louca pra transar comigo.

Inicialmente eu não dei muita atenção a ela, porque ela veio com um papo bem estranho e nada a ver. Dai eu meio que cortei ela um pouco...porque a conversa dela era bizarra.

Mas ontem, vendo ela de novo, vejo que posso ter sido enganado pela minha mente. Claro, ela pode ter falado besteira, mas isso não significa que ela não seja interessante. Nem significa que eu não possa transar com ela. E ela é atraente mesmo.

Bom, nunca mais quero passar 5 anos sem sexo - é, eu passei 5 anos na seca. Eu acho isso PÉSSIMO, apenas porque eu ADORO sexo. Como eu AMO sexo, acho algo saudável e importante pra vida, não quero ficar 5 anos sem de novo.

E surgindo uma mulher atraente, não vou dispensar. Se eu ficar colocando barreiras e desculpas nisso - se eu for dominado pelo medo, pelo excesso de racionalização, ou qualquer outra coisa - isso vai acabar me ferindo profundamente. E aí corro o risco até de recair em porn.

Vou ser o mais direto que puder com ela. Até mesmo porque ela é assim, bem direta. Vou chamar ela pra sair. Se ela topar, é quase certo que ela quer ficar comigo - digo isso pelo jeito que ela me olha e tudo o mais. Aí é partir pro abraço.

Pra não ter ER, só depois de um tempo de reboot. Vai demorar um pouco ainda.

E também, apesar deu nunca ter sofrido de DE ou algo do tipo, o fato de estar com poucos dias de reboot me deixa um pouco inseguro pra dar em cima de uma mulher. Pra transar ainda mais. No entanto, não quero ser refém desse medo. Já fui refém demais do medo...não vou deixar isso acontecer de novo.

Como estou vindo de uma grave série de recaídas, e meu cérebro está claramente enfraquecido, vou abdicar o máximo dos aparelhos. Vou guarda-los na mochila. Tanto o computador quanto o celular. Vou usar? Ok, tira da mochila. Terminou de usar? Guarda tudo na mochila de novo. Nada de deixar esses dispositivos ao alcance da mão, do lado da cama. Não posso, nem tenho como.

Infelizmente, não consegui bloquear o celular. Acredito que não tem como bloquear ele. Todas minhas últimas recaídas aconteceram pelo celular.

Então o negócio é deixar ele fora do alcance pelo máximo de tempo que der.

Pra terminar, saiba que a vitória está ao nosso alcance.

Peçam ajuda de forma honesta e sincera, e receberão.

Fico por aqui.

Bom reboot pra todos.

_______________________________________

chopin gosta desta mensagem

vierkenes
vierkenes
Mensagens : 743
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

6/8/2021, 14:42
Dia 6 do reboot

Ainda muito pouco. Ainda estou na zona de risco. 6 dias não é se levantar de forma digna. Ficar num ciclo de recaídas, ainda que com um intervalo maior de dias entre as quedas, também é vício do mesmo jeito. Também atrasa a vida.

Bom amigos, vejo uma melhora psicológica em relação a alguns pontos. Estou mais tranquilo em relação a sexo. Minha confiança aumentou, e estou conseguindo ver tudo relacionado a isso com mais naturalidade, e sem tanta ânsia. Isso pra mim é importante, pois representa um desvio de energia inútil.

Em outros pontos, ainda estou um tanto quanto estagnado. Principalmente em relação aos exercícios físicos, os quais tenho realmente o intuito de incorporar a minha vida. Infelizmente, tenho uma tendência grande a imobilidade. Ou talvez felizmente, pois é a vida me mostrando onde não sou forte o suficiente, o que tenho que fortalecer.

Acredito que os méritos e coisas boas vem com uma boa dose de esforço. Acho que é a lei da vida. Não vou arranjar um trabalho se eu não correr atrás. Não vou conseguir um relacionamento, por exemplo, se eu não superar meu medo e conseguir me expressar, falar o que eu julgue necessário para tal.

Ainda não sai pra procurar trabalho. Esse ponto é fundamental amigos. Sem dúvidas. Acho até que meu progresso depende disso. Ta horrível ficar parado a tanto tempo.

Tenho trocado mensagens bonitas e fofas com a última mulher com quem transei. Eu gosto muito dela, sabem. Mas ela não tá aqui, e nem sei quando ela volta. E também ela acabou de sair de um relacionamento de vários anos. Ou seja, deve estar pensando e refletindo. Talvez nem queira um envolvimento com alguém. São coisas compreensíveis. No entanto, as vezes mando uma mensagem pra ela. Não falo "oi, tudo bem?", por entender que mesmo com boas intenções, é uma fala meio vazia. Ao contrário disso, escrevo coisas boas, que busquem elevar ela. Coisas úteis, de fato. E ela gosta muito. É algo benéfico no final das contas, tanto pra mim quanto pra ela. Estar em contato com ela me ajuda a perder o medo de mulher. De falar as coisas. Sei lá. Não deixo de experimentar uma certa intimidade e um certo carinho, mesmo que a distância. E isso pra mim é quase que um remédio.

Bom, 6 dias não é nada pra mim.

Nos últimos dias tenho tido ereções constantes. Muitas vezes penso em me masturbar, mas acredito que esse não é o caminho correto. Afinal, quanto mais eu resistir, melhor. Fora que posso fazer essa vontade passar fazendo outras coisas. Essa é a chave. Estivesse eu em uma rotina boa de treinos, conseguiria ficar um bom tempo em hard mode.

Bem longe de "sexo" virtual e afins. Essas coisas são minha ruína. Vou abolir essas coisas da minha vida.

Infelizmente, tenho passado muito tempo no computador. Eu gosto de política sabem, então vejo constantemente as notícias. O problema é que as vezes meu cérebro vê nisso uma fuga, uma descarga de dopamina. Isso é péssimo. Uma coisa é eu ler um jornal e tirar 20 ou 30 minutos pra ver algum vídeo. Outra coisa é eu passar o dia inteiro vendo várias coisas na internet. Isso na verdade tem cheiro de pré-queda, de uma certa forma. Além de ser ruim pro meu cérebro. Mais ainda com tão pouco tempo distante de porn.

As vezes parece que estou longe dos meus objetivos, mas isso não é verdade. Só preciso de uma dose de boa vontade. Aquele lance de "levantar e ir fazer", simplesmente.

Também preciso me mudar de casa. Moro numa área que a dona da casa e sua família moram em frente a minha. Hoje acordei com gritaria de mãe com filho, etc. Bem na frente de minha janela. Isso está me deixando desconfortável e sendo uma fonte de estresse. Eu não to afim de ir procurar casa, mas terei que fazer isso alguma hora.

Procrastinação continua muito alta. Muito tempos sem fazer nada.

Por fim, estou a uns 3 dias sem beber. Outra coisa da maior importância. Estava bebendo quase todo dia....e aí as coisas vão necessariamente dar errado. Digo isso por anos de prática com o reboot. Comigo, nunca dá certo quando eu fico bebendo sempre. Ao contrário, sempre dá errado.

Agradeço a Deus simplesmente por estar mais um dia sóbrio e sem beber. Pode parecer simples pra alguns, mas pra mim é muito importante.

Objetivos principais:

1 - ir atrás de trabalho
2 - me manter no hard mode, resistir a vontade de me masturbar
3 - continuar sem beber por um tempo

Tenham calma e sigam, meus amigos, pois o futuro é glorioso - sem vício em porn.

Hoje fico por aqui. Até a próxima!

_______________________________________
freedom.ever
freedom.ever
Mensagens : 196
Data de inscrição : 30/07/2021

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

6/8/2021, 15:35
Que bom que segurou por 6 dias. Importante continuar. Só não concordo com você dizendo, "6 não é nada pra mim". Reflete um pouco... Você prefere esses 6 dias sem PMO ou ter praticado 6 dias com PMO? Claro que eu entendo o que você quis dizer, mas acredito que nosso cérebro é muito traiçoeiro. Com essas palavras vai chegar um momento que seu inconsciente vai dizer: "7 dias sem PMO, grande coisa! Praticou mais de 10 anos agora quer resolver em 7 dias. Isso serve pra nada, melhor continuar como antes!"
E aí é onde mora o perigo. Então meu conselho, comemora essas pequenas vitórias. São poucos dias, sim, mas são melhores do que se você tivesse praticado PMO em um dia.
Mantém sua cabeça com pensamentos positivos, sensações boas.
Eu estou no início, mas estou tentando não me prender aos dias... Apenas penso que vou resistir só hoje, apenas hoje. E a cada dia busco apenas esse objetivo.

Sigamos firmes!
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 743
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

8/8/2021, 04:10
Caro freedom.ever, fico muito contente com suas palavras, e em saber que você acompanha meu diário.

Sobre o que você falou, é bem simples. Eu falo essas coisas porque não quero me contentar com migalhas, entende? Eu já fiquei 110 dias, já passei dos 90 por 4 vezes. Eu sei o que é passar um tempo razoável longe do vício. Sabendo disso, não posso me nivelar por baixo. Oras, com 5 anos de reboot, e passando dos 90 por 4 vezes, eu posso muito mais do que míseros 7 ou 8 dias. Entende? Mas eu entendi o que você quis dizer. Sem dúvidas, um dia sem pornografia é realmente maravilhoso.

Dia 8 do reboot

Ainda em zona de risco. 8 dias é muito pouco. Meu cérebro ainda não está totalmente recuperado das quedas, e possíveis fissuras ou turbulências ainda podem acontecer. Meu porto seguro é 21, no sentido de que depois dos 21 dias (e os 5 anos de experiência no reboot), as coisas vão estar realmente encaminhadas.

Bom, reforço que ir atrás de trabalho É VITAL, TOTALMENTE FUNDAMENTAL E URGENTE.

Já deu meu tempo, entendem? Eu sou bancado por minha família. Eu já consegui me curar de boa parte dos meus graves problemas psicológicos. Eu cheguei nessa cidade 100% adoecido, sem conseguir abrir a boca pra falar com as pessoas, olhando sempre pra baixo. Eu cheguei aqui no lixo, amigos.

Porém, hoje entendo que sou capaz de qualquer coisa. Consigo desempenhar qualquer função. Eu não tenho problemas de aprendizado, então com um pouco de prática eu aprendo. Consigo falar e me comunicar perfeitamente. Posso sentir um pouco de nervosismo no início, mas isso é normal. É só ir e pronto. Em suma, meus amigos, estou exausto de não fazer nada. Quero fazer qualquer coisa, ser útil, ganhar dinheiro, ganhar autonomia financeira (fundamental!), etc.

Na verdade, eu até faço um trabalho por conta própria. Mas por se tratar de um trabalho muito particular, que envolve um certo contato e proximidade, eu estou optando por ainda não retornar a ele. É certo que a pandemia está se encaminhando para um possível fim (aqui estão vacinando quem tem 33 anos de idade), mas eu quero esperar mais. Eu ainda não me vacinei. Enfim, com boas perspectivas, certamente no ano que vem estará tudo normal, como antes.

Também estou com um produto muito bom, meu mesmo! Porém, tenho que ir atrás de viabilizar materialmente o produto. Admito que não estou muito afim de ir atrás disso (não é a minha área, eu só criei a concepção, mas não sou eu que materializo a coisa). Eu teria que ir atrás de preço, fazer pesquisa, etc. Sabem, até é algo que eu consigo fazer. Na verdade, seria muito bom. Mas estou, quem sabe, resistindo, ou simplesmente com preguiça. É o tipo de coisa que eu delegaria a outra pessoa para fazer por mim.

De modo que, como no momento meus planos particulares estão se mostrando inviáveis, eu vou procurar trabalho em quem tem algum estabelecimento. O velho "distribuir currículo".

Admito que eu tinha a ilusão de que uma vez eu entrasse nessa (de carteira assinada, etc) seria como ficar escravo daquilo. Mas isso não é verdade. Nada me impede de ir me organizando no meu tempo livre, para depois de um tempo trabalhando no que for, eu consiga fazer meu projeto. Eu teria até grana pra investir nele!

Enfim, o fator trabalho é fundamental.

Agora são quase 4 da manhã, e eu bebi álcool hoje. O dia de hoje está praticamente perdido. Eu não recaindo em porn, e não bebendo de novo, vai estar bem demais.

Sabem, até que houve um gatilho para eu ir beber hoje. Mas no fundo, eu simplesmente me entreguei de graça, porque pude visualizar com frieza como a minha mente estava me jogando para o vício. Vi perfeitamente. Então de certa forma, eu fui beber de livre e espontânea vontade. Conscientemente.

Eu vi no facebook que uma certa mulher, que era muito afim de mim, retornou para a cidade hoje.

Eu passei algumas situações constrangedoras com ela. Coisas sombrias, típicas do meu passado. Meu diário está cheio desses relatos.

No final das contas eu acabei não ficando com ela. Sabem, eu não sou louco e apaixonado por ela, porém, eu transaria facilmente com ela. Com certeza absoluta. Naquela época, eu não pude fazer isso. A insegurança extrema, a paralisia do corpo, neuroses e outros problemas me impediram de fazer sexo durante quase toda a minha vida. E além de não ter feito sexo com ela, também passei por umas situações um tanto quanto chatas.

De modo que saber que ela tá aqui na cidade serviu como gatilho pra mim.

Minha mente começou a pensar todas as coisas que aconteceram no passado. As humilhações. As dezenas de oportunidades perdidas. O constrangimento em tudo relacionado a área sexual. Até o fato de que eu me considerava o segurador de vela oficial. Antigamente, nos tempos sombrios, eu dizia que faria um pós doutorado em segurar vela. Que eu seria o melhor professor da área, e ganharia bem com isso. Sem pegar ninguém, é claro.

Bom, esses tempos passaram (vivaaaaaaaaaaaaaaaa Very Happy Very Happy Very Happy Very Happy Very Happy ). Ainda tenho algum resquício dessa época, mas definitivamente são apenas resquícios. E olhem quem eu só transei com 2 mulheres, num período de 4 anos entre uma e outra.

A última mulher com que eu transei me ajudou bastante. Na verdade, foi um tanto quanto casual, porém, foi um momento de empoderamento para mim. É algo simples para muitos, mas para mim foi uma conquista muito grande.

Eu quero deixar uma coisa clara.

Meu problema não é ficar muito tempo sem sexo. Meu problema é encontrar uma possível parceira e não conseguir me expressar para ela. Entendem a diferença?

Retornando da digressão, a tal menina serviu de gatilho para mim. No entanto amigos, eu consegui enxergar com clareza total como todos esses pensamentos do passado eram meras armadilhas, meras desculpas para me jogar no buraco.

É como eu sempre digo: APRENDAM A OLHAR PARA FRENTE.

Admito que ver a coisa com clareza foi fundamental. Me deu a base para agir. E eu fui beber, vejam só.

Na rua, eu percebi que realmente, minha auto confiança aumentou consideravelmente. Com mulheres, inclusive. Caras, eu estou muito feliz com isso. Muito mesmo. Vocês não tem ideia!

Eu comecei a conversar com uma mulher, super legal. Em algum momento ela me tocou (apenas me tocou mesmo, normalmente). Percebo que isso é linguagem corporal. É sinal de contato, de alguma proximidade. Etc. Eu percebi que ela era bonitinha. Mas o que me atraiu mesmo foi a conversa. Uma mulher extremamente bacana.

Sabem, nesse tipo de situação, se eu estiver afim da mulher, eu mantenho um contato visual constante, e observo qualquer possível sinal que possa ser uma "deixa". Dá pra se aproximar fisicamente, tocar a pessoa de alguma forma. Se ela estiver correspondendo muito ao contato visual, e principalmente, se estiver sorrindo, talvez seja só dar a ideia e pronto. E ficar tranquilo se colar ou não. É bem simples. É realmente bem simples mesmo. Eu fico surpreso que só esteja descobrindo essas coisas depois dos 30 anos. Porém, não vou me julgar. Cada um é um. Não devemos nunca nos diminuir por não saber tal coisa, por não ter experiência em alguma área ou algo do tipo. Cada um que sabe o que passou e ninguém mais.

Bom, nem sempre eu achei isso simples. Na verdade, durante uma boa parte de minha vida, essas coisas simples e banais foram fonte de intenso sofrimento para mim. Nessas situações, minha alma foi esticada até o limite do estresse. Não era a toa que eu bebia todos os dias e achava minha vida insuportável.

Eu achei que eu super ficaria com a tal mulher, por ser uma pessoa absolutamente incrível, mas ai, como eu tinha suspeitado antes, ela já estava ficando com outro cara. Sem problemas.

Tinha alguns casais por perto. Minha mente tentou mais uma vez me jogar pra um estado negativo, mas eu tive clareza, e apenas ri disso.

Fiquei pensando que já estou maduro suficiente pra conseguir lidar com essas coisas de forma adulta. Ou o máximo que eu me aproximar disso.

A solidão é a condição básica da nossa vida. Eu digo para os possíveis carentes que estão lendo. Ou para aqueles que não conseguem ficar só. Aceitem isso que doí menos!

No mais, meus objetivos permanecem os mesmos do post anterior.

Eu acabei me masturbando ontem. Pensando justamente na última transa que tive (faz uns 5 meses, se não me engano). Porém, como eu disse antes, não considero que isso seja o caminho.

Acho que seria vital pra mim passar um tempo no hard mode. Simplesmente isso.

Fico por aqui, amigos.

Um ótimo reboot para todos!

_______________________________________

Mike e chopin gostam desta mensagem

Zaheer
Zaheer
Mensagens : 94
Data de inscrição : 26/03/2020

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

9/8/2021, 10:49
siga firme
avatar
chopin
Mensagens : 229
Data de inscrição : 31/12/2020

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

9/8/2021, 15:58
vierkenes escreveu:Caro freedom.ever, fico muito contente com suas palavras, e em saber que você acompanha meu diário.

Sobre o que você falou, é bem simples. Eu falo essas coisas porque não quero me contentar com migalhas, entende? Eu já fiquei 110 dias, já passei dos 90 por 4 vezes. Eu sei o que é passar um tempo razoável longe do vício. Sabendo disso, não posso me nivelar por baixo. Oras, com 5 anos de reboot, e passando dos 90 por 4 vezes, eu posso muito mais do que míseros 7 ou 8 dias. Entende? Mas eu entendi o que você quis dizer. Sem dúvidas, um dia sem pornografia é realmente maravilhoso.

Dia 8 do reboot

Ainda em zona de risco. 8 dias é muito pouco. Meu cérebro ainda não está totalmente recuperado das quedas, e possíveis fissuras ou turbulências ainda podem acontecer. Meu porto seguro é 21, no sentido de que depois dos 21 dias (e os 5 anos de experiência no reboot), as coisas vão estar realmente encaminhadas.

Bom, reforço que ir atrás de trabalho É VITAL, TOTALMENTE FUNDAMENTAL E URGENTE.

Já deu meu tempo, entendem? Eu sou bancado por minha família. Eu já consegui me curar de boa parte dos meus graves problemas psicológicos. Eu cheguei nessa cidade 100% adoecido, sem conseguir abrir a boca pra falar com as pessoas, olhando sempre pra baixo. Eu cheguei aqui no lixo, amigos.

Porém, hoje entendo que sou capaz de qualquer coisa. Consigo desempenhar qualquer função. Eu não tenho problemas de aprendizado, então com um pouco de prática eu aprendo. Consigo falar e me comunicar perfeitamente. Posso sentir um pouco de nervosismo no início, mas isso é normal. É só ir e pronto. Em suma, meus amigos, estou exausto de não fazer nada. Quero fazer qualquer coisa, ser útil, ganhar dinheiro, ganhar autonomia financeira (fundamental!), etc.

Na verdade, eu até faço um trabalho por conta própria. Mas por se tratar de um trabalho muito particular, que envolve um certo contato e proximidade, eu estou optando por ainda não retornar a ele. É certo que a pandemia está se encaminhando para um possível fim (aqui estão vacinando quem tem 33 anos de idade), mas eu quero esperar mais. Eu ainda não me vacinei. Enfim, com boas perspectivas, certamente no ano que vem estará tudo normal, como antes.

Também estou com um produto muito bom, meu mesmo! Porém, tenho que ir atrás de viabilizar materialmente o produto. Admito que não estou muito afim de ir atrás disso (não é a minha área, eu só criei a concepção, mas não sou eu que materializo a coisa). Eu teria que ir atrás de preço, fazer pesquisa, etc. Sabem, até é algo que eu consigo fazer. Na verdade, seria muito bom. Mas estou, quem sabe, resistindo, ou simplesmente com preguiça. É o tipo de coisa que eu delegaria a outra pessoa para fazer por mim.

De modo que, como no momento meus planos particulares estão se mostrando inviáveis, eu vou procurar trabalho em quem tem algum estabelecimento. O velho "distribuir currículo".

Admito que eu tinha a ilusão de que uma vez eu entrasse nessa (de carteira assinada, etc) seria como ficar escravo daquilo. Mas isso não é verdade. Nada me impede de ir me organizando no meu tempo livre, para depois de um tempo trabalhando no que for, eu consiga fazer meu projeto. Eu teria até grana pra investir nele!

Enfim, o fator trabalho é fundamental.

Agora são quase 4 da manhã, e eu bebi álcool hoje. O dia de hoje está praticamente perdido. Eu não recaindo em porn, e não bebendo de novo, vai estar bem demais.

Sabem, até que houve um gatilho para eu ir beber hoje. Mas no fundo, eu simplesmente me entreguei de graça, porque pude visualizar com frieza como a minha mente estava me jogando para o vício. Vi perfeitamente. Então de certa forma, eu fui beber de livre e espontânea vontade. Conscientemente.

Eu vi no facebook que uma certa mulher, que era muito afim de mim, retornou para a cidade hoje.

Eu passei algumas situações constrangedoras com ela. Coisas sombrias, típicas do meu passado. Meu diário está cheio desses relatos.

No final das contas eu acabei não ficando com ela. Sabem, eu não sou louco e apaixonado por ela, porém, eu transaria facilmente com ela. Com certeza absoluta. Naquela época, eu não pude fazer isso. A insegurança extrema, a paralisia do corpo, neuroses e outros problemas me impediram de fazer sexo durante quase toda a minha vida. E além de não ter feito sexo com ela, também passei por umas situações um tanto quanto chatas.

De modo que saber que ela tá aqui na cidade serviu como gatilho pra mim.

Minha mente começou a pensar todas as coisas que aconteceram no passado. As humilhações. As dezenas de oportunidades perdidas. O constrangimento em tudo relacionado a área sexual. Até o fato de que eu me considerava o segurador de vela oficial. Antigamente, nos tempos sombrios, eu dizia que faria um pós doutorado em segurar vela. Que eu seria o melhor professor da área, e ganharia bem com isso. Sem pegar ninguém, é claro.

Bom, esses tempos passaram (vivaaaaaaaaaaaaaaaa Very Happy Very Happy Very Happy Very Happy Very Happy ). Ainda tenho algum resquício dessa época, mas definitivamente são apenas resquícios. E olhem quem eu só transei com 2 mulheres, num período de 4 anos entre uma e outra.

A última mulher com que eu transei me ajudou bastante. Na verdade, foi um tanto quanto casual, porém, foi um momento de empoderamento para mim. É algo simples para muitos, mas para mim foi uma conquista muito grande.

Eu quero deixar uma coisa clara.

Meu problema não é ficar muito tempo sem sexo. Meu problema é encontrar uma possível parceira e não conseguir me expressar para ela. Entendem a diferença?

Retornando da digressão, a tal menina serviu de gatilho para mim. No entanto amigos, eu consegui enxergar com clareza total como todos esses pensamentos do passado eram meras armadilhas, meras desculpas para me jogar no buraco.

É como eu sempre digo: APRENDAM A OLHAR PARA FRENTE.

Admito que ver a coisa com clareza foi fundamental. Me deu a base para agir. E eu fui beber, vejam só.

Na rua, eu percebi que realmente, minha auto confiança aumentou consideravelmente. Com mulheres, inclusive. Caras, eu estou muito feliz com isso. Muito mesmo. Vocês não tem ideia!

Eu comecei a conversar com uma mulher, super legal. Em algum momento ela me tocou (apenas me tocou mesmo, normalmente). Percebo que isso é linguagem corporal. É sinal de contato, de alguma proximidade. Etc. Eu percebi que ela era bonitinha. Mas o que me atraiu mesmo foi a conversa. Uma mulher extremamente bacana.

Sabem, nesse tipo de situação, se eu estiver afim da mulher, eu mantenho um contato visual constante, e observo qualquer possível sinal que possa ser uma "deixa". Dá pra se aproximar fisicamente, tocar a pessoa de alguma forma. Se ela estiver correspondendo muito ao contato visual, e principalmente, se estiver sorrindo, talvez seja só dar a ideia e pronto. E ficar tranquilo se colar ou não. É bem simples. É realmente bem simples mesmo. Eu fico surpreso que só esteja descobrindo essas coisas depois dos 30 anos. Porém, não vou me julgar. Cada um é um. Não devemos nunca nos diminuir por não saber tal coisa, por não ter experiência em alguma área ou algo do tipo. Cada um que sabe o que passou e ninguém mais.

Bom, nem sempre eu achei isso simples. Na verdade, durante uma boa parte de minha vida, essas coisas simples e banais foram fonte de intenso sofrimento para mim. Nessas situações, minha alma foi esticada até o limite do estresse. Não era a toa que eu bebia todos os dias e achava minha vida insuportável.

Eu achei que eu super ficaria com a tal mulher, por ser uma pessoa absolutamente incrível, mas ai, como eu tinha suspeitado antes, ela já estava ficando com outro cara. Sem problemas.

Tinha alguns casais por perto. Minha mente tentou mais uma vez me jogar pra um estado negativo, mas eu tive clareza, e apenas ri disso.

Fiquei pensando que já estou maduro suficiente pra conseguir lidar com essas coisas de forma adulta. Ou o máximo que eu me aproximar disso.

A solidão é a condição básica da nossa vida. Eu digo para os possíveis carentes que estão lendo. Ou para aqueles que não conseguem ficar só. Aceitem isso que doí menos!

No mais, meus objetivos permanecem os mesmos do post anterior.

Eu acabei me masturbando ontem. Pensando justamente na última transa que tive (faz uns 5 meses, se não me engano). Porém, como eu disse antes, não considero que isso seja o caminho.

Acho que seria vital pra mim passar um tempo no hard mode. Simplesmente isso.

Fico por aqui, amigos.

Um ótimo reboot para todos!

Olá vierkenes. Fico feliz pelo seu relato, espero que, com a confiança que anda sentindo, faça novas amizades com mulheres e quem sabe você não entra em um relacionamento.
E que bom que você sabe que é capaz. Há pouco tempo atrás, quando conversamos, você estava completamente inseguro. É excelente ver a sua mudança de mentalidade.

_______________________________________


Meu diário: https://www.comoparar.com/t11847-diario-do-chopin
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 743
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

11/8/2021, 11:23
Zaheer e chopin, fico muito feliz com a visita de vocês ao meu diário! Valeu pelo apoio. Em breve, estarei dando uma força no diário de vocês.

Dia 11, indo pro dia 12 do reboot

Ontem estava lendo meu diário e vendo que eu não estou tão mal assim. Na verdade, fazem 2 meses que eu cai com 97 dias. E nesses 2 meses, consegui a marca de 14 dias, e agora estou no dia 12. Provavelmente, se eu for fazer uma análise estatística, verei que certamente me recuperei em menos tempos do que nas outras vezes que cai com mais de 90 dias.

O que quero dizer é que o reboot é que nem academia. Vamos aos poucos levantando peso maiores. Só não pode é largar de vez e faltar demais o treino. Mas se continuar o reboot, as coisas se estabilizam. Portanto, continuem, que a coisa funciona.

Bom, parando pra pensar, minha vida está bem boa. Claro, alguns problemas emocionais e psicológicos são internos, não dependem de onde você tá, nem mesmo de sua estrutura física. Mas eu não posso reclamar, amigos. Talvez seja mesmo tempo de progredir e construir boas bases, pois sabemos que a vida vai colocando novos desafios pra gente com o tempo.

Ontem consegui arrumar boa parte da casa. Vou finalizar o resto agora de manhã.

Também ontem, tomei a primeira dose da vacina pra covid. Vamos que vamos.

De noite, encontrei por acaso uma mulher que eu sou afim. Conversamos um pouco. Me senti totalmente seguro pra dar em cima dela - coisa rara no meu histórico de vida, mas que eu espere que se torne cada vez mais comum daqui em diante. No fim, ela disse que tava cansada porque tinha trabalhado o dia inteiro, e dai foi embora.

Eu fiquei pensando que vou chegar nela. Quem sabe não transo com ela? Sabem, acho que o aumento da minha segurança nessa área deve acabar de vez com uma certa obsessão minha. Mulher, tem muita. É o que não falta. Acho que não preciso me preocupar com isso. Na verdade, minha preocupação sempre foi interna (eu e minha confiança, eu e minha capacidade de abrir a boca, de me expressar) e quase nunca externa. Com o reboot então, acho que vou ficar bem tranquilo.

O que a gente conquista - internamente - ninguém tira da gente. Podemos perder casa, carro, namorada, etc, mas o auto conhecimento sobre quem somos e onde podemos chegar, isso é impossível de ser tirado.

E me falta também romper os resquícios que me ligam ao passado. De certo modo, é até natural. Foi mais da metade da minha vida sem saber quem eu sou, vivendo num lugar que sempre me fez mal, totalmente apagado. Isso pra não falar dos aproximadamente 13 anos consumindo porn todos os dias. Porém, a realidade nua e crua é que a cada dia eu estou mais distante e mais longe desse tal passado.

Já estou em outro lugar, que não é o lugar que me fez sofrer por anos a fio. Adoro o lugar que estou. É maravilhoso. Tenho amigos aqui. A única coisa que me falta é estabilidade em termos de trabalho e finanças, mas isso eu vou atrás. De relacionamento eu nem vou falar, porque sei que minha hora vai chegar. Eu sou um cara super legal, as pessoas que andam comigo sabem disso. Então o negócio é continuar o reboot pra conquistar meus sonhos. Porque como sabemos, as coisas só dão certo com o reboot. Fiquem recaindo em porn constantemente, e tudo que vocês querem e sonham vai ser destruído. Simplesmente isso.

São 5 anos de fórum. Já deve fazer um tempo que o porn não faz mais parte da minha vida como rotina. Posso ter recaído, etc, mas ter isso como rotina mesmo, como dia a dia, já deve ter um tempo.

Parando pensar, isso é motivo para soltar fogos, simplesmente.

Eu não vou cair por agora, amigos. Ainda tenho desafios pela frente.

Como tenho dito nos últimos posts, o lance agora na minha vida é pensar em TRABALHO. Minha alma está literalmente, queimando, desejando ardentemente trabalhar. Sinal extremamente positivo! Eu simplesmente passei muito tempo parado. Mas não to morto. Mãos a obra, amigos!

Hoje a tarde vou distribuir currículo. Até a sexta feira, pretendo rodar boa parte da cidade, deixando meu nome em todos os lugares possíveis. Assim, atirando pra todos os lados, algum lugar deve me chamar. E como tudo é aprendizado e experiência, eu toparei. Eu com um trabalho aqui, vou estar realmente bem demais.

Na vida, a gente não perde nada, amigos. Só aprendemos.

Se a gente acha que perdeu, é porque estamos apegados.

Mas no final das contas, vão-se os anéis e ficam os dedos. Os anéis podem ser agradáveis, podem ter algum valor, ser bonitos, etc. Mas não são realmente necessários. Os dedos ficam.

Refletindo sobre os motivos que me atrapalharam tanto a trabalhar, encontrei os seguintes motivos:

1) perfeccionismo - tenho que fazer perfeito, se não é um lixo
2) não tenho experiência suficiente, preciso aprender antes, me fortalecer antes - quando na verdade se aprende fazendo, ora porra!
3) excesso de racionalização - ficar pensando um milhão de coisas, ao invés de simplesmente ir e fazer algo

Percebam que esses padrões são MUITO ANTIGOS, e que eu já venho trabalhando essas coisas a algum tempo.

Me recordo perfeitamente que deixei de participar de muitos trabalhos durante a época de faculdade, justamente porque essas características estavam entranhadas em meu ser de tal modo, que me impediram quase que 100% de fazer qualquer coisa que fosse, durante a minha graduação. Não fiz quase nada no período de faculdade.

Mas tudo bem. Passou. Estou em outro lugar. Consegui me formar. O conhecimento que adquiri ninguém tira. E nada, absolutamente, me impede de retornar pra área que eu sou formado. Porém, não é nesse meu desejo nesse momento. O que não significa que abandonei totalmente a ideia.

No mais, eu já estou sentindo minha energia aumentar. Estou sentindo a "força" do reboot.

Quero seguir no hard mode. Vou resistir no hard mode o máximo que der. Quero muito sentir essa energia circulando em mim.

Devo ficar atento a aplicativos e sites de chat. Essas coisas podem ser a minha ruína. Todo o cuidado é pouco. É sempre um risco extremamente alto pra mim se envolver com essas coisas.

Por fim, pretendo começar mais um desafio dos 30 dias - fazer algo todos os dias, por 30 dias. Recomendo que pesquisem sobre esse "método". É simplesmente muito útil, e pra um rebooter, realmente é tudo de bom.

O hábito que escolhi foi fazer alongamentos. Sim, isso mesmo! Eu tenho problemas com rigidez, sabem? Meu corpo é bastante travado. Estou cansado de viver assim, rígido, duro, e com pouco movimento. (dai vocês vem que a parte sexual também entra nisso. As coisas ficam mais difíceis quando você se mexe muito pouco). Mas não to falando de transar, kkk. To falando de alongar mesmo. Conseguir sentir o relaxamento dos músculos, e com o tempo, sentir que a amplitude dos movimentos aumentou. Isso é vital pra minha saúde, pra viver bem. As vezes tenho medo de virar uma pedra aos 40 anos de idade.

Mas seguindo com o reboot, vou conseguir o que quero.

A condição: seguir com o reboot.

Seguirei.

Espero que os últimos posts não estejam muito repetitivos. Escrevo pra alcançar metas maiores.

Um ótimo reboot para todos.

_______________________________________

chopin e freedom.ever gostam desta mensagem

Tiago M
Tiago M
Moderador
Moderador
Mensagens : 2028
Data de inscrição : 31/07/2016

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

11/8/2021, 23:33
vierkenes escreveu:Zaheer e chopin, fico muito feliz com a visita de vocês ao meu diário! Valeu pelo apoio. Em breve, estarei dando uma força no diário de vocês.

Dia 11, indo pro dia 12 do reboot

Ontem estava lendo meu diário e vendo que eu não estou tão mal assim. Na verdade, fazem 2 meses que eu cai com 97 dias. E nesses 2 meses, consegui a marca de 14 dias, e agora estou no dia 12. Provavelmente, se eu for fazer uma análise estatística, verei que certamente me recuperei em menos tempos do que nas outras vezes que cai com mais de 90 dias.

O que quero dizer é que o reboot é que nem academia. Vamos aos poucos levantando peso maiores. Só não pode é largar de vez e faltar demais o treino. Mas se continuar o reboot, as coisas se estabilizam. Portanto, continuem, que a coisa funciona.

Bom, parando pra pensar, minha vida está bem boa. Claro, alguns problemas emocionais e psicológicos são internos, não dependem de onde você tá, nem mesmo de sua estrutura física. Mas eu não posso reclamar, amigos. Talvez seja mesmo tempo de progredir e construir boas bases, pois sabemos que a vida vai colocando novos desafios pra gente com o tempo.

Ontem consegui arrumar boa parte da casa. Vou finalizar o resto agora de manhã.

Também ontem, tomei a primeira dose da vacina pra covid. Vamos que vamos.

De noite, encontrei por acaso uma mulher que eu sou afim. Conversamos um pouco. Me senti totalmente seguro pra dar em cima dela - coisa rara no meu histórico de vida, mas que eu espere que se torne cada vez mais comum daqui em diante. No fim, ela disse que tava cansada porque tinha trabalhado o dia inteiro, e dai foi embora.

Eu fiquei pensando que vou chegar nela. Quem sabe não transo com ela? Sabem, acho que o aumento da minha segurança nessa área deve acabar de vez com uma certa obsessão minha. Mulher, tem muita. É o que não falta. Acho que não preciso me preocupar com isso. Na verdade, minha preocupação sempre foi interna (eu e minha confiança, eu e minha capacidade de abrir a boca, de me expressar) e quase nunca externa. Com o reboot então, acho que vou ficar bem tranquilo.

O que a gente conquista - internamente - ninguém tira da gente. Podemos perder casa, carro, namorada, etc, mas o auto conhecimento sobre quem somos e onde podemos chegar, isso é impossível de ser tirado.

E me falta também romper os resquícios que me ligam ao passado. De certo modo, é até natural. Foi mais da metade da minha vida sem saber quem eu sou, vivendo num lugar que sempre me fez mal, totalmente apagado. Isso pra não falar dos aproximadamente 13 anos consumindo porn todos os dias. Porém, a realidade nua e crua é que a cada dia eu estou mais distante e mais longe desse tal passado.

Já estou em outro lugar, que não é o lugar que me fez sofrer por anos a fio. Adoro o lugar que estou. É maravilhoso. Tenho amigos aqui. A única coisa que me falta é estabilidade em termos de trabalho e finanças, mas isso eu vou atrás. De relacionamento eu nem vou falar, porque sei que minha hora vai chegar. Eu sou um cara super legal, as pessoas que andam comigo sabem disso. Então o negócio é continuar o reboot pra conquistar meus sonhos. Porque como sabemos, as coisas só dão certo com o reboot. Fiquem recaindo em porn constantemente, e tudo que vocês querem e sonham vai ser destruído. Simplesmente isso.

São 5 anos de fórum. Já deve fazer um tempo que o porn não faz mais parte da minha vida como rotina. Posso ter recaído, etc, mas ter isso como rotina mesmo, como dia a dia, já deve ter um tempo.

Parando pensar, isso é motivo para soltar fogos, simplesmente.

Eu não vou cair por agora, amigos. Ainda tenho desafios pela frente.

Como tenho dito nos últimos posts, o lance agora na minha vida é pensar em TRABALHO. Minha alma está literalmente, queimando, desejando ardentemente trabalhar. Sinal extremamente positivo! Eu simplesmente passei muito tempo parado. Mas não to morto. Mãos a obra, amigos!

Hoje a tarde vou distribuir currículo. Até a sexta feira, pretendo rodar boa parte da cidade, deixando meu nome em todos os lugares possíveis. Assim, atirando pra todos os lados, algum lugar deve me chamar. E como tudo é aprendizado e experiência, eu toparei. Eu com um trabalho aqui, vou estar realmente bem demais.

Na vida, a gente não perde nada, amigos. Só aprendemos.

Se a gente acha que perdeu, é porque estamos apegados.

Mas no final das contas, vão-se os anéis e ficam os dedos. Os anéis podem ser agradáveis, podem ter algum valor, ser bonitos, etc. Mas não são realmente necessários. Os dedos ficam.

Refletindo sobre os motivos que me atrapalharam tanto a trabalhar, encontrei os seguintes motivos:

1) perfeccionismo - tenho que fazer perfeito, se não é um lixo
2) não tenho experiência suficiente, preciso aprender antes, me fortalecer antes - quando na verdade se aprende fazendo, ora porra!
3) excesso de racionalização - ficar pensando um milhão de coisas, ao invés de simplesmente ir e fazer algo

Percebam que esses padrões são MUITO ANTIGOS, e que eu já venho trabalhando essas coisas a algum tempo.

Me recordo perfeitamente que deixei de participar de muitos trabalhos durante a época de faculdade, justamente porque essas características estavam entranhadas em meu ser de tal modo, que me impediram quase que 100% de fazer qualquer coisa que fosse, durante a minha graduação. Não fiz quase nada no período de faculdade.

Mas tudo bem. Passou. Estou em outro lugar. Consegui me formar. O conhecimento que adquiri ninguém tira. E nada, absolutamente, me impede de retornar pra área que eu sou formado. Porém, não é nesse meu desejo nesse momento. O que não significa que abandonei totalmente a ideia.

No mais, eu já estou sentindo minha energia aumentar. Estou sentindo a "força" do reboot.

Quero seguir no hard mode. Vou resistir no hard mode o máximo que der. Quero muito sentir essa energia circulando em mim.

Devo ficar atento a aplicativos e sites de chat. Essas coisas podem ser a minha ruína. Todo o cuidado é pouco. É sempre um risco extremamente alto pra mim se envolver com essas coisas.

Por fim, pretendo começar mais um desafio dos 30 dias - fazer algo todos os dias, por 30 dias. Recomendo que pesquisem sobre esse "método". É simplesmente muito útil, e pra um rebooter, realmente é tudo de bom.

O hábito que escolhi foi fazer alongamentos. Sim, isso mesmo! Eu tenho problemas com rigidez, sabem? Meu corpo é bastante travado. Estou cansado de viver assim, rígido, duro, e com pouco movimento. (dai vocês vem que a parte sexual também entra nisso. As coisas ficam mais difíceis quando você se mexe muito pouco). Mas não to falando de transar, kkk. To falando de alongar mesmo. Conseguir sentir o relaxamento dos músculos, e com o tempo, sentir que a amplitude dos movimentos aumentou. Isso é vital pra minha saúde, pra viver bem. As vezes tenho medo de virar uma pedra aos 40 anos de idade.

Mas seguindo com o reboot, vou conseguir o que quero.

A condição: seguir com o reboot.

Seguirei.

Espero que os últimos posts não estejam muito repetitivos. Escrevo pra alcançar metas maiores.

Um ótimo reboot para todos.


Que bom que está mais disposto. Ótimas metas!

_______________________________________


Diário: parte 1 | parte 2
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 743
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

14/8/2021, 13:57
Eu nem ia postar, porque não adianta nada. Talvez eu tenha mesmo que me desligar um pouco do fórum. Vou tentar resumir tudo, vai que alguém me diz algo bom.

Cai com 14 ou 15 dias, de um modo brutal. Tudo começou com os famosos chats...

A tolerância TEM QUE SER ZERO COM ISSO, NÃO TEM JEITO. É foda, porque meu cérebro FICA BUSCANDO JUSTIFICATIVAS PRA RECAIR NISSO. Algo do tipo: "não é imagem, não tem problema. Dá pra ficar só conversando. É só pra distrair um pouco". Mas o que eu percebo é que NUNCA FUNCIONA ASSIM.

Estou ficando bom em entender essas frases pelo que elas realmente são: desculpas furadas pra chafurdar na lama.

Pouco tempo depois de conversas quentes e algumas punhetas com mulheres do outro lado do Brasil, lá estava eu consumindo porn pelo celular. Celular que não tem como bloquear. Acredito que os fabricantes devem fazer isso de propósito. O capitalismo precisa de homens fracos, que só fazem se masturbar, assim vão continuar consumindo, na zona de conforto, e sem força nenhuma pra fazer algo de diferente. Não é possível que uma falha dessas, tão estúpida e óbvia, permaneça sem solução. Eu já pesquisei na internet toda, não encontrei nada. Não tem como bloquear essa porra e fodeu. Eu tenho certeza que eles devem fazer de propósito.

Aparentemente, eu enlouqueci com duas coisas: a possibilidade de me masturbar por chat, com mulheres (ou chamada de vídeo, etc) e um vídeo de uma "dama", de um país que não vou citar o nome, que ficou na minha cabeça como nenhum outro vídeo tinha ficado.

Some-se a isso o fato deu praticamente não ter vida sexual. Minha religação é, literalmente ZERO. Não só no sentido sexual, mas em outros também.

Ontem, eu ainda bebi, sozinho é claro. Isso é que dá ser uma pessoa doente. Se eu ao menos bebesse com boas companhias. Se ao menos eu conseguisse dançar bêbado. Ou ficar com alguma mulher, quando alcoolizado. Mas não, essas coisas eu conheci pouco. Meu negócio sempre foi beber SOZINHO. Isso é FODA. Na grande maioria das vezes, eu bebo pra me isolar, não pra interagir e descontrair. TEM UMA DIFERENÇA ENORME ENTRE UMA COISA E OUTRA.

Cheguei em casa e mais punheta.

Lá pras 3 da manhã, bêbado, eu fiquei assistindo uns vídeos aleatórios no youtube, enquanto (eu juro pra vocês) eu senti um pouco a morte perto de mim.

Eu fiquei de tal modo fraco, que senti a morte me rondar.

Respiração tão fraca e rasa que mal dava pra ver a barriga ou o peito mexendo.

O corpo totalmente parado. É sério. Uma rigidez meio assustadora.

Pensei que podemos morrer a qualquer momento. Que se fosse o caso, eu iria morrer fazendo merda. Sei lá caras, eu simplesmente senti um pouquinho de energia de morte em mim. Fiquei pensando que deve ser mais ou menos isso que se experimenta com uma overdose de drogas. Há um ponto em que você não consegue fazer nada a não ser consumir mais e mais droga. No nosso caso, pornografia.

Peço que não levem a sério todas as coisas que eu falar aqui agora, porque estou em um estado altamente negativo, causado em parte pelo consumo de pornografia.

Ontem acordei afim de ir no rio. Eu tava me sentindo morto por dentro (juro...morto mesmo, ou quase). Fui pro rio justamente pra ver se conseguia tirar um pouco dessa energia, e ganhar mais vida. Chegando lá, encontrei uns amigos, incluindo uma menina muito bonita. Reparei que ela tava olhando muito pra mim. No meu pessimismo, e estado pós queda em porn, eu pensei: "será que essa vagabunda quer dar pra mim? A essa altura, eu já posso ter desenvolvido uma DE. Isso implicando que eu pego alguém. Não pego ninguém. Minha vida sexual é com uma tela. Minha sexualidade não tem contato, é só eu comigo mesmo. Foda-se essa vagabunda, apesar dela ser muito bonita. Meu cérebro, corpo, espírito ou seja lá o que for, prefere uma tela. Foda-se ela."

Vejam como as coisas ficam depois de passar uma noite na farra da pornografia. Tivesse eu continuado no reboot e estivesse com 16 dias, EU NUNCA ESTARIA PENSANDO ESSE TIPO DE COISA. NUNCA MESMO. É o tipo de coisa totalmente impossível de pensar, quando estou bem encaminhado no reboot.

Eu fumei um beck com eles, pulei na água, tomei sol e depois praticamente apaguei. Eles ficaram até preocupados com o modo como eu me deitei e dormi. E mesmo depois de dormir por mais de 1 hora, eu ainda tava meio atordoado. A mulher tava sorrindo pra mim (sabe Deus porque). Eu pensei que tenho algum problema muito sério e muito grave com mulher. Pedi por um momento ajuda espiritual pra superar isso. Não quero ser nenhum misógino, sabem? Não estava em condições de reagir ao sorriso dela.

Mais tarde, mais punheta.

Em um momento, coloquei pra tocar a trilha sonora de um jogo antigo....donkey kong 2. Muita gente aqui nesse fórum deve ter jogado. O famoso SNES.

Qual não foi a minha surpresa ao perceber que essa trilha sonora me despertou facilmente um longo e copioso choro...

E parte de mim ainda queria fumar cigarro. E mais maconha.

Porra....meu organismo tava fazendo um movimento emocional - chorar. Mobilizado. A secreção escorrendo naturalmente para fora. O choro é uma catarse. E eu querendo fumar cigarro? Uma parte de mim pensou: "aproveita que essa música te tocou de alguma forma, levanta, vai tomar um banho, fazer uns movimentos com o corpo que facilitem essa catarse e esse expurgo, vamos nos mover pra chorar mais e ficar mais aliviado. Vamos chorar, porra! Chorar alivia! Chorar é bom demais!". No entanto, a outra opção ganhou. A outra opção é anti vida.

Não sei se vocês entenderam o que eu falei, mas o fato é que chorar É BOM E ALIVIA, enquanto que trancar e impedir o choro, mesmo que seja com fumaça de cigarro, É VENENOSO E MORTIFÉRO.

Bom, antes de dormir - lá pelas 4 da manhã, eu pensei que preciso guardar o computador e o celular bem longe do quarto, porque infelizmente, ME ENCONTRO ALTAMENTE VICIADO NO COMPUTADOR. Em notícias, em youtube, em rede social, em QUALQUER COISA QUE VENHA DA TELA. Isso tá me fodendo.

Isso que dá a religação ser zero.

To sentindo meu corpo MORTO. Minha respiração tá muito fraca. Eu mal to me mexendo.

Acho que é isso, amigos. Mais uma vez cai antes dos 20 dias.

Bom, vou continuar tentando. O que fazer, não é mesmo? Deus me leva embora a hora que ele quiser. Se ele achar que mereço outra chance, fico satisfeito. Eu gostaria de estar bem distante desse vício, antes de minha morte.

Também, preciso parar de beber URGENTE.

A questão é que sem fazer porra nenhuma fica difícil. Difícil mesmo!

Estou com uma extrema resistência em seguir a minha vida. Deve ser medo da felicidade (sim, isso também existe!).

As vezes, quando temos alguma coisa boa ao nosso alcance, uma parte de nós pode simplesmente dizer: "você não merece isso". Ou então, podemos ser dominados pelo MEDO. Acho que é meu caso. Talvez eu esteja com medo de romper os últimos grilhões que me atam ao meu antigo "eu".

Sigo, tentando.

Obrigado pra quem leu.

Até a próxima.

_______________________________________

Rottweiler gosta desta mensagem

avatar
chopin
Mensagens : 229
Data de inscrição : 31/12/2020

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

14/8/2021, 23:33
vierkenes escreveu:Eu nem ia postar, porque não adianta nada. Talvez eu tenha mesmo que me desligar um pouco do fórum. Vou tentar resumir tudo, vai que alguém me diz algo bom.

Cai com 14 ou 15 dias, de um modo brutal. Tudo começou com os famosos chats...

A tolerância TEM QUE SER ZERO COM ISSO, NÃO TEM JEITO. É foda, porque meu cérebro FICA BUSCANDO JUSTIFICATIVAS PRA RECAIR NISSO. Algo do tipo: "não é imagem, não tem problema. Dá pra ficar só conversando. É só pra distrair um pouco". Mas o que eu percebo é que NUNCA FUNCIONA ASSIM.

Estou ficando bom em entender essas frases pelo que elas realmente são: desculpas furadas pra chafurdar na lama.

Pouco tempo depois de conversas quentes e algumas punhetas com mulheres do outro lado do Brasil, lá estava eu consumindo porn pelo celular. Celular que não tem como bloquear. Acredito que os fabricantes devem fazer isso de propósito. O capitalismo precisa de homens fracos, que só fazem se masturbar, assim vão continuar consumindo, na zona de conforto, e sem força nenhuma pra fazer algo de diferente. Não é possível que uma falha dessas, tão estúpida e óbvia, permaneça sem solução. Eu já pesquisei na internet toda, não encontrei nada. Não tem como bloquear essa porra e fodeu. Eu tenho certeza que eles devem fazer de propósito.

Aparentemente, eu enlouqueci com duas coisas: a possibilidade de me masturbar por chat, com mulheres (ou chamada de vídeo, etc) e um vídeo de uma "dama", de um país que não vou citar o nome, que ficou na minha cabeça como nenhum outro vídeo tinha ficado.

Some-se a isso o fato deu praticamente não ter vida sexual. Minha religação é, literalmente ZERO. Não só no sentido sexual, mas em outros também.

Ontem, eu ainda bebi, sozinho é claro. Isso é que dá ser uma pessoa doente. Se eu ao menos bebesse com boas companhias. Se ao menos eu conseguisse dançar bêbado. Ou ficar com alguma mulher, quando alcoolizado. Mas não, essas coisas eu conheci pouco. Meu negócio sempre foi beber SOZINHO. Isso é FODA. Na grande maioria das vezes, eu bebo pra me isolar, não pra interagir e descontrair. TEM UMA DIFERENÇA ENORME ENTRE UMA COISA E OUTRA.

Cheguei em casa e mais punheta.

Lá pras 3 da manhã, bêbado, eu fiquei assistindo uns vídeos aleatórios no youtube, enquanto (eu juro pra vocês) eu senti um pouco a morte perto de mim.

Eu fiquei de tal modo fraco, que senti a morte me rondar.

Respiração tão fraca e rasa que mal dava pra ver a barriga ou o peito mexendo.

O corpo totalmente parado. É sério. Uma rigidez meio assustadora.

Pensei que podemos morrer a qualquer momento. Que se fosse o caso, eu iria morrer fazendo merda. Sei lá caras, eu simplesmente senti um pouquinho de energia de morte em mim. Fiquei pensando que deve ser mais ou menos isso que se experimenta com uma overdose de drogas. Há um ponto em que você não consegue fazer nada a não ser consumir mais e mais droga. No nosso caso, pornografia.

Peço que não levem a sério todas as coisas que eu falar aqui agora, porque estou em um estado altamente negativo, causado em parte pelo consumo de pornografia.

Ontem acordei afim de ir no rio. Eu tava me sentindo morto por dentro (juro...morto mesmo, ou quase). Fui pro rio justamente pra ver se conseguia tirar um pouco dessa energia, e ganhar mais vida. Chegando lá, encontrei uns amigos, incluindo uma menina muito bonita. Reparei que ela tava olhando muito pra mim. No meu pessimismo, e estado pós queda em porn, eu pensei: "será que essa vagabunda quer dar pra mim? A essa altura, eu já posso ter desenvolvido uma DE. Isso implicando que eu pego alguém. Não pego ninguém. Minha vida sexual é com uma tela. Minha sexualidade não tem contato, é só eu comigo mesmo. Foda-se essa vagabunda, apesar dela ser muito bonita. Meu cérebro, corpo, espírito ou seja lá o que for, prefere uma tela. Foda-se ela."

Vejam como as coisas ficam depois de passar uma noite na farra da pornografia. Tivesse eu continuado no reboot e estivesse com 16 dias, EU NUNCA ESTARIA PENSANDO ESSE TIPO DE COISA. NUNCA MESMO. É o tipo de coisa totalmente impossível de pensar, quando estou bem encaminhado no reboot.

Eu fumei um beck com eles, pulei na água, tomei sol e depois praticamente apaguei. Eles ficaram até preocupados com o modo como eu me deitei e dormi. E mesmo depois de dormir por mais de 1 hora, eu ainda tava meio atordoado. A mulher tava sorrindo pra mim (sabe Deus porque). Eu pensei que tenho algum problema muito sério e muito grave com mulher. Pedi por um momento ajuda espiritual pra superar isso. Não quero ser nenhum misógino, sabem? Não estava em condições de reagir ao sorriso dela.

Mais tarde, mais punheta.

Em um momento, coloquei pra tocar a trilha sonora de um jogo antigo....donkey kong 2. Muita gente aqui nesse fórum deve ter jogado. O famoso SNES.

Qual não foi a minha surpresa ao perceber que essa trilha sonora me despertou facilmente um longo e copioso choro...

E parte de mim ainda queria fumar cigarro. E mais maconha.

Porra....meu organismo tava fazendo um movimento emocional - chorar. Mobilizado. A secreção escorrendo naturalmente para fora. O choro é uma catarse. E eu querendo fumar cigarro? Uma parte de mim pensou: "aproveita que essa música te tocou de alguma forma, levanta, vai tomar um banho, fazer uns movimentos com o corpo que facilitem essa catarse e esse expurgo, vamos nos mover pra chorar mais e ficar mais aliviado. Vamos chorar, porra! Chorar alivia! Chorar é bom demais!". No entanto, a outra opção ganhou. A outra opção é anti vida.

Não sei se vocês entenderam o que eu falei, mas o fato é que chorar É BOM E ALIVIA, enquanto que trancar e impedir o choro, mesmo que seja com fumaça de cigarro, É VENENOSO E MORTIFÉRO.

Bom, antes de dormir - lá pelas 4 da manhã, eu pensei que preciso guardar o computador e o celular bem longe do quarto, porque infelizmente, ME ENCONTRO ALTAMENTE VICIADO NO COMPUTADOR. Em notícias, em youtube, em rede social, em QUALQUER COISA QUE VENHA DA TELA. Isso tá me fodendo.

Isso que dá a religação ser zero.

To sentindo meu corpo MORTO. Minha respiração tá muito fraca. Eu mal to me mexendo.

Acho que é isso, amigos. Mais uma vez cai antes dos 20 dias.

Bom, vou continuar tentando. O que fazer, não é mesmo? Deus me leva embora a hora que ele quiser. Se ele achar que mereço outra chance, fico satisfeito. Eu gostaria de estar bem distante desse vício, antes de minha morte.

Também, preciso parar de beber URGENTE.

A questão é que sem fazer porra nenhuma fica difícil. Difícil mesmo!

Estou com uma extrema resistência em seguir a minha vida. Deve ser medo da felicidade (sim, isso também existe!).

As vezes, quando temos alguma coisa boa ao nosso alcance, uma parte de nós pode simplesmente dizer: "você não merece isso". Ou então, podemos ser dominados pelo MEDO. Acho que é meu caso. Talvez eu esteja com medo de romper os últimos grilhões que me atam ao meu antigo "eu".

Sigo, tentando.

Obrigado pra quem leu.

Até a próxima.

Vierkenes, a vida está passando por você e você está deixando ela ir embora. É isso.

_______________________________________


Meu diário: https://www.comoparar.com/t11847-diario-do-chopin
avatar
Convidado
Convidado

Diário - Vierkenes - Página 43 Empty Re: Diário - Vierkenes

15/8/2021, 03:01
Toguro escreveu:Por mais estranho que pareça, seu caso é bem mais fácil de se resolver que o da maioria aqui do fórum. Basta focar nessas duas horas que você fica sozinho, montar estratégias e seu problema estará 90% resolvido.

Quanto ao tópico que você abriu, será seu diário. Mantenha seu diário atualizado, com relatórios, dúvidas e progresso, para que tenhamos um histórico de sua luta contra o vício e possamos te ajudar caso você esteja cometendo algum erro. Ao menos nos primeiros 15 dias, e até completar 15 dias de reboot, poste diariamente. Depois disso, se quiser, pode diminuir a frequência.

Instale um contador de dias na sua assinatura, para medir seu progresso.

Leia o ebook, para conhecer melhor o problema com que você está lidando.

Instale bloqueadores, para não ter mais acesso à PMO.

Corte redes sociais, facebook incluso. Se você tem contatos no whats que te mandam pornografia, corte estes contatos.

Arrume atividades que te afastem do PC e que te façam se aproximar das pessoas. Em especial, arrume atividades exatamente nessas horas que você fica sozinho. Exercícios e cursos são os mais indicados, porque te aproximam de pessoas e te fazem evoluir.

Também arrume atividades que te façam relaxar e que inibam sua ansiedade. Meditação é o mais recomendado. Mas pode recorrer a outras, como yoga, massagem, entre outras.

Paquere. Vá abordar mulheres.

E, se recair, nada de sentimentos de culpa. Identifique os erros que te fizeram recair, corrija-os e não os cometa mais. Faça isso todas as vezes, e, em algum momento, recair será impossível.

Toguro, antes de criar esse perfil eu já lia as suas mensagens e durante meses foi o que me ajudou a sair do inferno em que vivia. É muito admirável a sua dedicação, sério mesmo irmão. Obrigado.
Ir para o topo
Permissão neste fórum:
Você não pode responder aos tópicos