Ir em baixo
VanGogh
VanGogh
Mensagens : 110
Data de inscrição : 25/05/2020

Diário - Vierkenes - Página 32 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 25/7/2020, 21:23
Olá, Amigo Vierkenes!

Vim aqui ao forum e passei a última hora a ler o seu diário. Li principalmente as últimas páginas e então decidi deixar-lhe uma mensagem.

Em primeiro lugar, dar os meus parabéns pela sua perseverança e constante luta apesar de todas as dificuldades que se atravessam no seu caminho. É sempre um sinal muito positivo quando nós nos analisamos com tanta honestidade como tu fazes em todos os teus registos aqui no diário. O caminho é mesmo esse. É uma luta constante, segundo a segundo, baseada em inúmeras novas aprendizagens e conflitos interiores com realidades que estavam de tal forma enraizadas em nós mesmos que a angustia, a compulsão e o desânimo são "sintomas" comuns da reestruturação.

De tudo o que li, eu dou principal e grande destaque à tua última mensagem. Eu acho que aqui disseste coisas muito essenciais. Eu notei, ao ler o seu diário, bastantes coisas com as quais me identifiquei e com as quais também convivo, em parte. A partir do que li parece-me que o Vierkenes é alguém que, com a sua história particular, as suas vivências especificas e o caminho que foi seguindo, se tornou em alguém pouco confiante consigo mesmo, com inseguranças várias e, a partir daí ou não, estabeleceu contacto com algumas realidades aparentemente "atenuantes" ou "anestesiantes" dessas fragilidades que foi sentindo. Incluo nesses "atenuantes" e "anestesiantes, todo o tipo de substância que dá a sensação prazerosa e que, com o tempo, se torna viciante, onde incluo P. O que me parece que aconteceu é que o uso dessas substâncias acabou por gerar o tal ciclo de "quebra" > tentativa de "recompensa"/prazer > "quebra" e assim por diante. Acontece com todos os viciados. Por outro lado, como você é alguém muito meditativo em tudo, muito perfecionista consigo mesmo, eu acredito que, a maioria dos processos de queda tenham sido autodestrutivos, como disse nessa tal última mensagem. Acredito também que em determinadas alturas tudo estava numa confusão e, ao ver tudo isso, pensou "Isto está tudo mal, portanto vou me entregar". No entanto, sempre se nota no seu discurso que tem a esperança numa libertação e isso é fundamental.

Fiz este pequeno raciocínio escrito para me ajudar no que quero dizer em seguida e quem tem muito a ver com a sua última mensagem. Eu acho que aí tocou num ponto essencial. A queda, nestes casos, não deve ser aceite de ânimo leve como se fosse algo bom (embora todos saibamos que por vezes a nossa mente viciada nos "diz" isso), deve ser entendida como uma parte no processo e todos temos processos diferentes. Aceitar os momentos menos bons com humildade e acolhe-los sem pensamentos ou ideias pessimistas auto-destrutivas é crucial. Imagine, você só cai porque tem consciência do que é a queda, ou seja, tem o conhecimento sobre o certo e o errado. Só isso já é um ponto positivo e cada energia gasta para atingir o maior afastamento de coisas que o impeçam de chegar ao "certo" é uma vitória, por mais pequena que seja.

Outro ponto interessante é que quase todos nós nos defrontamos com muito mais problemas do que PMO. Ou temos essas inseguranças, ou não temos vida sexual nem afetiva, ou somos viciados em outras coisas, ou passamos tempo a mais a procrastinar na internet, ou temos pouco foco no que fazemos e etc, etc... A lista é longa.... Mas, na minha opinião nós temos que ter a consciência que não conseguiremos mudar tudo de uma vez. Ou seja, devemos sim, pensar em mudar tudo mas ter a ideia de que teremos que ir alterando as coisas pouco a pouco e não desanimar por não estar tudo como gostaríamos. Aí temos uma vantagem. É que quando vamos alterando, por exemplo, o vicio em PMO, nós vamos melhorando automaticamente em outros problemas e isso deve ser também um foco. Devemos colocar prioridade em determinadas "resoluções" e perceber que para que aconteçam temos que analisar pequenas outras coisas que, não estando intrinsecamente ligadas a elas, são gatilhos ou incentivos a elas. Ter rigor é algo urgente nestes casos e devemos ser honestos em reconhecer que para "um grande mal" temos que usar um "grande remédio" e sabemos bem que os efeitos colaterais se sentem e devemos aceitá-los como parte do caminho.

Um dos outros pontos que me identifiquei consigo foi a questão da interacção com mulheres. Eu nunca namorei com ninguém. Nunca fiquei com ninguém. Nunca beijei ninguém. Nunca tive contacto intimo com ninguém. Eu já senti muito do que relatou em anteriores mensagens e aproveito para deixar um pensamento. Nós, antes de estarmos com alguém, ou, em instâncias maiores, antes de amarmos alguém, temos que nos estruturar como homens. Ou seja, neste momento, eu estou a focar-me totalmente em me livrar deste vício, em lutar contra o que acho que está mal e então eu ir reestruturando o meu ser de modo a que eu seja realmente alguém que valha a pena. Claro que quando falo em reestruturar, incluo não só o lutar contra os vícios mas também ir alimentando coisas boas para substituir as más, tentar quebrar algum comodismo. Por exemplo, quando se é tímido, ou inseguro, tentar falar com alguém, sem o foco em futuros relacionamentos sexuais ou afetivos, mas simplesmente o dizer um "bom dia" ou falar com alguém na paragem do ónibus, e etc. (sei que neste momento de pandemia é dificil) Mas o que me refiro é, pouco a pouco, ir fazendo coisas que talvez não fizéssemos por não nos querermos sentir incomodados ou fora de zona de conforto. Quebrar essas barreiras ajudará a confiança a firmar.

Depois, outros pontos importantes e que já falou. Ritmos de sono são importantes, ter objetivos concretos, nem que seja uma tarefa doméstica ou coisas simples... tudo isso ajuda a manter um ritmo saudável. Sei que a situação em sua casa não é fácil mas tente fazer o melhor que puder. Se tiver oportunidade de ficar num sitio mais saudável, mais arrumado e com mais "energia positiva" é melhor, mas não sei o seu contexto. Tente, ao máximo, puxar pensamentos positivos, ver o positivo mesmo nas situações difíceis, pois o desânimo é um combustível para as quedas.

Eu já exagerei na mensagem mas sinto que teria muito mais a dizer. O que mais posso acrescentar é que me emocionei em algumas partes do seu diário, que estou a torcer por si, para que leve esta luta em frente e pela sua vitória! Estará presente nas minhas orações e meditações diárias. Desejo-lhe tudo de bom e espero vir a acompanhar mais vezes o seu diário.

Um grande abraço, meu Amigo e muita força! Você é capaz de tudo!

É melhor coxear pelo caminho do que avançar a grandes passos fora dele. Pois quem coxea no caminho, ainda que avance pouco, atem-se à meta,enquanto quem vai fora dele, quanto mais corre, mais se afasta.
Santo Agostinho


A verdadeira medida de um homem não é como ele se comporta em momentos de conforto e conveniência, mas como ele se mantém em tempos de controvérsia e desafio.
Martin Luther King Jr.

Os vícios sufocam os homens e andam à sua volta, não lhes permitindo levantar nem erguer os olhos para distinguir a verdade. Permanecem imersos, presos às paixões, não favorecendo um voltar-se para si próprio. Mesmo encontrando alguma paz, eles continuam sendo levados por suas ambições, não achando tranquilidade, tal como o fundo do mar que, depois da tempestade, ainda continua agitado.
Séneca

_______________________________________



---------------->     Diário de VanGogh     <----------------


Se você perdeu dinheiro, perdeu pouco.
Se perdeu a honra, perdeu muito.
Se perdeu a coragem, perdeu tudo.
Vincent Van Gogh


---------

Reboot:
02.06.2020 - 25.06.2020
26.06.2020 - 05.07.2020
06.07.2020 - 19.07.2020
20.07.2020 - 08.07.2020
09.07.2020 - ∞

Vitoriosa e Rottweiler gostam desta mensagem

vierkenes
vierkenes
Mensagens : 498
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 32 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 30/7/2020, 01:30
Amigo, eu gostei muitíssimo de suas palavras. Lendo, eu fiquei imaginando que você deve ser escritor. Você deve ser um cara incrível (e digo isso mesmo sem ter nenhuma ideia de quem você é).

Não vou comentar sua mensagem. Apenas saiba que me fez um bem danado. Me senti confiante, confortado e feliz. Em algum momento, lerei seu diário e escrevo algo lá.

Ao post de hoje.

Poderia escrever muitas coisas.

Ontem eu estava retornando pra casa quando repentinamente peguei um caminho totalmente diferente do normal. Eu tinha que seguir em frente e dar na cidade, mas virei a direita e tive que entrar no mato. Digo isso porque fiz de propósito. Senti necessidade de desafiar a mim mesmo, tirar meu cérebro do lugar comum. Enfrentar um pouco de medo. Tomar um caminho novo, ao invés de seguir por aquele já conhecido.

Bom, digo que isso faz muito bem. Recomendo que experimentem isso (pode ser pequenas coisas).

Acredito que estou em um processo forte e intenso de auto conhecimento, de expressão de mim mesmo, crescimento da auto estima e outras coisas. Atribuo isso a um exercício que tenho feito, que consiste em escrever 3 páginas todos os dias de manhã. Pra quem gosta de escrever, eu recomendo, pois isso é capaz de mexer com a mente da gente, altera nossa percepção das coisas. É um tipo de auto terapia com escrita.

Tenho planos e projetos absolutamente pessoais, coisas que eu sempre quis fazer, mas por motivos diversos (principalmente uma auto estima esmigalhada, reduzida a pó), eu nunca consegui realizar.

Creio que é próxima a hora em que vou realizar meus sonhos e ambições. Ainda tenho barreiras a quebrar, mas estou firme. E vencer o vício em P é vital, porque na pornografia, você fica um total inútil. Preciso produzir, criar, estabelecer relações. Ser útil, ao invés de inútil.

Claro, a quarentena está realmente complicada. Imagino que muita gente deve estar afundada nesse momento, porque não está nada fácil. Embora eu enfrente alguns incovenientes, não devo deixar de reconhecer que minha situação é extremamente privilegiada.

As vezes penso em retornar pra minha cidade natal, perto de minha família. Tem muito tempo que não os vejo. Aqui é infinitamente mais saudável do que lá, em todos os sentidos. Lá eu ficaria trancado boa parte do tempo em um apartamento de cidade grande, enquanto aqui eu posso fazer corrida em meio a árvores e depois mergulhar na água e nadar. Isso conta muito.

No mais, reflito também sobre a dor no dia de hoje.

Hoje de noite, eu tive contato com uma situação muito triste e bastante pesada, com uma pessoa próxima e íntima. Eu não tinha o que fazer, simplesmente aconteceu. Eu acolhi ela da melhor forma que pude, e agi corretamente, mas não soube me blindar da dor profunda dela. Eu meio que senti como se fosse em mim, sabem. Isso me doeu. E eu não soube lidar com isso na hora, e simplesmente recorri a drogas pra me aliviar. Ok, sem culpa. Aconteceu. E estou plenamente consciente que bebi e fumei maconha pra abafar um processo natural. E sei até mesmo, no fundo de mim, que eu não tenho porque temer esses sentimentos ou fugir deles.

Estou, pouco a pouco e degrau a degrau, adquirindo confiança na vida e nos seus processos.

Hoje percebi que uso muito o celular pra tentar aplacar uma sensação de solidão. Na verdade, eu e uma boa porcentagem da população mundial. Senti como se o celular estivesse roubando o meu tempo de mim mesmo, o tempo em que eu deveria estar sozinho, refletindo sobre a solidão. Mas ao invés disso, a fuga, e consequentemente, mais solidão. Ainda mais em rede social.

Ok, sem culpa. Porém com consciência. Cada vez mais consciência.

Sigo firme no propósito.

Totalmente fundamental eu passar dos 21 dias. Na verdade, não é tanto assim (já fiquei 60, 70, até 100 dias longe disso, numa boa). Porque eu digo isso? Porque acredito firmemente que depois desse período, o grosso da compulsão vai desaparecer.

Devo brandir a espada contra os sentimentos ou ideias de entrega. Parecem muito tentadores. Eu sinto esses momentos bem antes, quando tô assistindo vídeos na internet. É como se, ao assistir vídeos ou lives relacionada a política, por exemplo, em algum momento eu dissesse pra mim mesmo: "você já assistiu 40 minutos disso, já está informado das notícias. Se ficar mais tempo assistindo, é por algum tipo de fissura".

Acho que falei o suficiente por hoje.

Boa noite e bom reboot pra todos!

_______________________________________

Master, Vitoriosa, Rottweiler e VanGogh gostam desta mensagem

vierkenes
vierkenes
Mensagens : 498
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 32 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 6/8/2020, 19:53
Dia 13 do reboot.

Ta tudo bem comigo.

Inabalável até os 21 e depois 30 dias, quando o grosso da compulsão desaparece.

Aqui tá muito frio! Vou comer algo quente e ficar tranquilo.

Até a próxima e bom reboot para todos!

_______________________________________

Spartacuz gosta desta mensagem

avatar
Spartacuz
Mensagens : 188
Data de inscrição : 17/10/2016

Diário - Vierkenes - Página 32 Empty Re: Diário - Vierkenes

Ontem à(s) 08:39
Parabéns pelos 13 dias! Li aqui um pouco da sua história e posso dizer que também tive e tenho problemas com mulheres, na epoca que eu estava afundado na PMO algumas meninas chegavam em mim porém como eu estava sem libido divido a horas constantes em pmo eu nao dava atenção ou simplesmente dava um jeito de me afastar por falta de segurança.

_______________________________________
Meu diário: https://www.comoparar.com/t4225-led-diario

avatar
Coragem123
Mensagens : 263
Data de inscrição : 19/12/2019
Idade : 25

Diário - Vierkenes - Página 32 Empty Re: Diário - Vierkenes

Ontem à(s) 13:17
Parabéns vierk,

Siga firma na sua luta contra o vício... Não tenha medo de enfrentar os desafios...

Confie no Senhor e aja virilmente!!!
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 498
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 32 Empty Re: Diário - Vierkenes

Ontem à(s) 23:08
Obrigado pelas palavras, caro Spartacuz. Cara, admito que muitas das vezes em que me vi diante de mulheres interessantes e atraentes, eu estava totalmente drenado pela pornografia. Isso é foda. E pelo menos comigo, isso tira qualquer possibilidade de vida sexual. Fora DE, ER e outras coisas.

Minha questão com sexo é a seguinte. É algo que eu gosto MUITO. Tem gente que gosta pouco. Um amigo que namora me falou uma vez que eles transam 1 vez por mês! E isso porque ela não gosta muito de sexo! Mas eu não sou assim. Se eu tivesse uma parceira fixa, eu ia transar um monte. Porém, apesar de gostar muito, é algo que eu quase que não experimentei em minha vida. Seria como alguém que ama viajar, que se sente realmente muito bem fazendo isso, mas que passasse 10 ou 12 anos sem fazer isso. É muito tempo pra ficar sem se permitir uma experiência boa e revigorante.

Ainda sobre isso, eu desencanei de vez e adquiri tranquilidade. Com a pandemia, não tem jeito. Porém, tem uma menina aqui da cidade por quem muito me interesso. Ela é muito linda e fofa, e eu faria sexo facilmente com ela. Se ela vai querer também? Só tenho como descobrir se eu me aproximar dela! Terei oportunidades para isso.

Coragem, eu sigo firme mesmo. Reboot é o caminho da vida.

Ao post de hoje.

Começo falando que ontem eu fiz uso de drogas psicodélicas. Comi os famosos cogumelos mágicos.

A experiência foi boa. Eu tenho me interessado cada vez mais por essas coisas. Acredito que tais substâncias tem um potência terapêutico e espiritual forte. Ampliam nossa percepção. E é possível resolver algumas coisas com o uso dessas substâncias. O cogumelo me fez bem, e eu me sinto melhor.

Tenho mais notícias.

A cidade em que eu to vai reabrir em breve. Isso significa trabalho e retorno a uma certa rotina. Trabalho é uma questao fundamental pra mim. Meus problemas de auto estima atrapalharam de forma extrema a minha vida. Uma vez eu fui pra uma entrevista de emprego, e em pouco tempo eu praticamente entrei e sai correndo de lá! Devia estar com a cabeça cheia de pornografia, a entrevistadora era uma mulher loira, muito bonita. Eu entrei, olhei pra ela, gaguejei alguma coisa e sai correndo! Vocês acreditam nisso?

De modo que parece que minha vida foi um lixo e eu me sentia um completo inútil até pouco tempo atrás.

Como superar a pornografia assim? Eu acho que é impossível. Tem que ir viver um pouco, descobrir o próprio valor. Recuperar a auto estima. É o que estou fazendo a quase 1 ano.

Meu momento fundamental foi quando decidir sair da casa de minha mãe. Eu nunca gostei daquele lugar. Eu me sentia muito infeliz naquela cidade. Se eu tivesse lá esse tempo todo, eu acho que já teria me matado.

É aí que entra a questão do trabalho. A coroa me bancou esse tempo todo. Eu sou muito grato a ela. O universo me deu essa oportunidade, e eu aproveitei da melhor forma que pude. Eu ainda posso contar com a ajuda dela, mas sinto que já é hora de começar a caminhar com minhas próprias pernas. Eu me já me sinto capaz de fazer isso. Estou recebendo esse chamado, e vou realizar essa tarefa.

Devo agradecer sempre, porque sou muito privilegiado. Honrar a minha mãe, que no final das contas só quer me ver bem, independente do que eu faça. A velha só não iria gostar se eu fosse bandido ou traficante. Mas eu poderia estar viajando o mundo, se eu dissese que eu estou bem e feliz, ela iria estar do meu lado. Minha mãe é sensacional.

Divaguei um pouco...

E digo que o reboot é totalmente fundamental.

Eu vou aguardar esse retorno a uma certa normalidade, seguindo com o Reboot.

Por hoje é só.

Até a próxima!


Medo

_______________________________________
avatar
Felipe33
Mensagens : 129
Data de inscrição : 06/01/2020
Idade : 33

Diário - Vierkenes - Página 32 Empty Re: Diário - Vierkenes

Ontem à(s) 23:32
vierkenes escreveu:Olá a todos.

Estou feliz de ter encontrado esse site e perceber que esse mal assola uma quantidade significativa de pessoas no mundo. Aqui é mesmo o lugar de compartilhar esse assunto que costuma ficar no âmbito privado das pessoas.

Tenho 27 anos, e consumo pornografia há uns 14 anos, mais ou menos. No início não era problema, era divertido e não havia tantos danos pro corpo e mente. Mas o tempo passou e a situação se agravou. Creio que minha timidez quando mais novo (e até hoje, na verdade) contribuiu pra esse vício.

Sou virgem e tenho problemas moderados de ansiedade (piora em alguns momentos e inclusive atrapalha algumas atividades do meu dia a dia). Inclusive, percebi que o consumo de pornografia piora significativamente a ansiedade. A questão é que tenho certeza absoluta que o vício em pornografia foi um fator de extrema relevância no fracasso absoluto de minha vida afetiva e sexual. Há alguns meses que estou numa situação deplorável com relação a isso. Moro com minha família e todo dia de tarde estou livre e a casa fica vazia. Todo dia de tarde, quase sempre no mesmo horário, fico de 1 a 2 horas, no máximo, vendo pornografia. Fico passando vários e vários vídeos, vendo trechos, por muito tempo, como se estivesse em busca de algo que não vai chegar nunca. As vezes vejo tanta pornografia que sinto até mesmo a minha percepção alterada; meus olhos ficaram viciados, e sempre que saio na rua, sempre coloco os olhos onde uma pessoa saudável não colocaria - mulher virou objeto para mim. Esse é um dos piores efeitos no vício em pornografia, na minha opinião, pois afeta fortemente a vida social, e isso chega a ser tão evidente que tenho certeza de que algumas mulheres com quem convivo percebem o que se passa na minha mente, além dos meus olhos. Pra piorar a situação, recentemente passei a consumir material com modelos menores de idade (9-12 anos) e isso foi uma desgraça na minha vida, pois agora toda criança que eu vejo, eu já fico fantasiando e olhando de forma indevida. Morro de medo que alguém perceba meus olhares (mais jamais faria absolutamente nada com uma criança, o problema tá na minha cabeça mesmo).

Sinto a pornografia como um verdadeiro tóxico mental, envenena minha cabeça, meus sentidos, minha percepção e reação e até mesmo minha vida social.

Na verdade, meu vício é meio em ciclos; as vezes diminui, outras vezes aumenta. No exato momento, estou numa fase bem acentuada dessa questão. Estou sofrendo bastante, e criei consciência de que para uma vida normal e saudável (um dos meus sonhos) é imperioso parar com a pornografia. Tenho certeza absoluta que isso trara benefícios quase que inimagináveis para mim. Estou há 3 dias sem pornografia, e me masturbando dia sim, dia não, sempre tentando usar somente a imaginação e não pensando em pornografia.

Quero apenas meu cérebro reagindo normalmente, limpo e operante.

E ae Vierkenes fmza mano? Cara me identifiquei com alguns trechos da sua história, pra mim a P e M tbem jogaram um balde de água fria nos meus relacionamentos, fiquei introvertido buscando apenas o lrazer na solidão, entre quatro paredes. Esse vício destrói a gente! Mano sou virgem ainda msm tendo mais de 30 anos cara, vejo hoje o quanto isso me afetou, eu acredito no seguinte, não posso consumir P nem praticar a M pq no meu caso uma coisa chama a outra, eu prefiro me abster de tudo por um tempo, é difícil demais mano, mas é o que pode funcionar pra mim, do contrário eu cairia novamente como tantas outras vezes. Penso que deixar totalmente PMO seria o ideal, mas como um amigo ai de cima disse, isso é meio polêmico, alguns pensam de outro jeito, embora grande maioria vejo que barra PMO geral mesmo. Mas cara vc ta no caminho mano, é isso ai, foca na missão, seja livre desse mal e bora ser feliz, to completando daqui a pouco 20 dias limpo de tudo e fera hahahaha é tooop demais, o HOCD que desenvolvi está sumindo, só to pensando em mulher, fantasio ainda com elas mano, mas vei é sensacional, confiança, auto estima, alegria, disposição, paz... cara isso e muito mais é o que estou reconquistando com esse reboot, mano vai fundo cara, não vai se arrepender... sucesso pra ti fera, abraço.
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum