Ir para baixo
avatar
Meu Consagrado
Mensagens : 4
Data de inscrição : 06/10/2019
Idade : 30
Localização : Guarulhos/SP

26/10/2019 - Iniciando a Caminhada Empty 26/10/2019 - Iniciando a Caminhada

26/10/2019, 11:03
Senhores, muito bom dia.

Sou viciado em pornografia desde a adolescência. Fui uma criança obesa e muito tímida, o que me gerou dificuldades em socializar e me relacionar com pessoas. Além de ter participado de determinada religião durante toda a minha juventude, um ambiente que incentivava a repressão da curiosidade e do desejo do sexo. Eu me tornei uma pessoa preguiçosa e acomodada que, na espera de 'uma pessoa perfeita para ser meu par', ia me satisfazendo com masturbação e pornografia para aplacar meu desejo.

Hoje, um homem em pleno fulgor da juventude, convivo com os fantasmas da disfunção erétil e da ejaculação precoce.

Não pratico mais a religião alguns anos, e desenvolvi traquejo social suficiente para me aproximar de pessoas, conquistar mulheres e até ter experiências sexuais, porém até o presente momento, ainda consumia pornografia e me satisfazia com masturbação, ainda condicionando meu cérebro ao prazer preguiçoso imediatista.

Em 2017 conheci uma garota muito bonita. Ficamos e, na ansiedade da minha carência afetiva, ela aceitou meu pedido de namoro em 2 semanas de relação. Ela era muito experiente sexualmente e, hoje eu consigo reconhecer, muito madura afetivamente. Durante nosso curto período de relacionamento, em praticamente 90% das nossas relações, eu broxei. Digo que ela era uma mulher muito, muito madura pela forma como ela lidava com isso, sempre arrumando uma solução para me satisfazer com sexo oral, aceitando de minha parte 'outras soluções' que não envolvessem penetração para satisfazê-la também... mas era nítido que ela, como mulher, esperava mais. Uma das lembranças mas vívidas desse período foi um momento em que ela me disse: "tudo bem você não gostar de sexo". Isso me magoou, porque eu gostava, gosto de sexo, e queria muito ser um 'homem completo', alguém que conseguisse satisfazê-la como parceiro.
Nosso relacionamento acabou, não justificado pela minha disfunção, mas é óbvio que, no final das contas, teve peso fundamental no término.

Eu só fui transar de novo em 2019.

No início desse ano de 2019, eu realizei um sonho de infância de morar sozinho. Na primeira vez que trouxe uma garota pra casa (moça essa que conheci por aplicativos), eu broxei novamente. Vale ressaltar uma observação aqui: eu estava tão ansioso por transar e por ter a oportunidade de 'performar', de mostrar pra essa garota como eu poderia ser fodão na cama, que tracei uma estratégia 'jenial': eu me masturbei várias vezes nesse dia, horas antes de encontrá-la, na intenção de deixar meu pênis 'menos sensível' e durar mais. Hoje eu entendo como essa 'estratégia' foi imbecil, e se eu tivesse feito o contrário, poderia até não ter tido uma disfunção, mas isso mostra o tamanho da minha imaturidade e ansiedade.
Especialmente esse episódio foi muito triste, porque diferente da ex namorada, que compreendia e lidava com minha disfunção, essa moça do aplicativo não tinha intimidade comigo, e ficou super-constrangida no momento, nossa relação acabou ali e ela nunca mais me deu papo.

Pra vocês verem como a vida é uma coisa maluca, eu desbloqueei uma conquista da vida nessa mesma semana da broxada com a moça do aplicativo: uma 'amiga' de vários anos, que eu era a fim e fiquei a muito tempo atrás (mas nunca tínhamos transado) resolveu me dar bola. Conversa vai, conversa vem, consegui trazê-la pra casa e transamos. Duas garotas em menos de 7 dias, legal né? Pena que meu vício destruiu qualquer possibilidade de prazer nessa 'conquista da vida'. Nessa ocasião eu não broxei, mas tive ejaculação precoce. Eu estava tão destruído naquele momento que até fiquei feliz por ter sido capaz de ficar duro e gozar... mas só de olhar para a cara de decepção dela ao perceber que 'acabou', essa pequena alegria foi varrida do universo.

Procurei ajuda na terapia com Psicólogo (coisa que recomendo aos caros que me leem, ajuda mesmo), e encontrei esse fórum.

Eu quero me sentir um homem completo e saudável, eu quero que meu corpo funcione em seu potencial, quero ser capaz de ter prazer genuíno e dar prazer para uma parceira.
Eu não deixei de ter desejo de me masturbar ou interesse em ver pornografia, porém maior que o meu desejo de me satisfazer temporariamente, é 'consertar' meu cérebro viver o sexo de uma forma completa.
Os relatos dos senhores neste site aponta que para com a pornografia e a masturbação pode reprogramar meu cérebro, pode me fazer um homem mais viril, podem me fazer ter ereções mais duras, mais firmes, mais duradouras, sem ejaculação precoce. E eu estou disposto a pagar qualquer preço nesse mundo, fazer qualquer coisa, para ter isso.
É por isso que me inscrevi nesse site, é por isso que estou iniciando meu reboot e é por isso que vou compartilhar a caminhada neste 'diário'.

Agradeço ao homem que iniciou tudo isso aqui, e agradeço aos caros que compartilham suas histórias para ajudar os demais.
Me junto hoje à caminhada rumo a uma vida melhor.
Seguimos!


Última edição por Meu Consagrado em 8/11/2019, 06:29, editado 1 vez(es)
coronel
coronel
Mensagens : 128
Data de inscrição : 05/07/2019

26/10/2019 - Iniciando a Caminhada Empty Re: 26/10/2019 - Iniciando a Caminhada

26/10/2019, 12:18
Senhores, muito bom dia.

Eu tenho 28 anos, sou de Guarulhos/SP, trabalho com informática e sou um homem frustrado afetiva e sexualmente.
Sou viciado em pornografia desde a adolescência. Fui uma criança obesa e muito tímida, o que me gerou dificuldades em socializar e me relacionar com pessoas. Além de ter participado de determinada religião durante toda a minha juventude, um ambiente que incentivava a repressão da curiosidade e do desejo do sexo. Eu me tornei uma pessoa preguiçosa e acomodada que, na espera de 'uma pessoa perfeita para ser meu par', ia me satisfazendo com masturbação e pornografia para aplacar meu desejo.

Hoje, um homem em pleno fulgor da juventude, convivo com os fantasmas da disfunção erétil e da ejaculação precoce.

Não pratico mais a religião alguns anos, e desenvolvi traquejo social suficiente para me aproximar de pessoas, conquistar mulheres e até ter experiências sexuais, porém até o presente momento, ainda consumia pornografia e me satisfazia com masturbação, ainda condicionando meu cérebro ao prazer preguiçoso imediatista.

Em 2017 conheci uma garota muito bonita. Ficamos e, na ansiedade da minha carência afetiva, ela aceitou meu pedido de namoro em 2 semanas de relação. Ela era muito experiente sexualmente e, hoje eu consigo reconhecer, muito madura afetivamente. Durante nosso curto período de relacionamento, em praticamente 90% das nossas relações, eu broxei. Digo que ela era uma mulher muito, muito madura pela forma como ela lidava com isso, sempre arrumando uma solução para me satisfazer com sexo oral, aceitando de minha parte 'outras soluções' que não envolvessem penetração para satisfazê-la também... mas era nítido que ela, como mulher, esperava mais. Uma das lembranças mas vívidas desse período foi um momento em que ela me disse: "tudo bem você não gostar de sexo". Isso me magoou, porque eu gostava, gosto de sexo, e queria muito ser um 'homem completo', alguém que conseguisse satisfazê-la como parceiro.
Nosso relacionamento acabou, não justificado pela minha disfunção, mas é óbvio que, no final das contas, teve peso fundamental no término.

Eu só fui transar de novo em 2019.

No início desse ano de 2019, eu realizei um sonho de infância de morar sozinho. Na primeira vez que trouxe uma garota pra casa (moça essa que conheci por aplicativos), eu broxei novamente. Vale ressaltar uma observação aqui: eu estava tão ansioso por transar e por ter a oportunidade de 'performar', de mostrar pra essa garota como eu poderia ser fodão na cama, que tracei uma estratégia 'jenial': eu me masturbei várias vezes nesse dia, horas antes de encontrá-la, na intenção de deixar meu pênis 'menos sensível' e durar mais. Hoje eu entendo como essa 'estratégia' foi imbecil, e se eu tivesse feito o contrário, poderia até não ter tido uma disfunção, mas isso mostra o tamanho da minha imaturidade e ansiedade.
Especialmente esse episódio foi muito triste, porque diferente da ex namorada, que compreendia e lidava com minha disfunção, essa moça do aplicativo não tinha intimidade comigo, e ficou super-constrangida no momento, nossa relação acabou ali e ela nunca mais me deu papo.

Pra vocês verem como a vida é uma coisa maluca, eu desbloqueei uma conquista da vida nessa mesma semana da broxada com a moça do aplicativo: uma 'amiga' de vários anos, que eu era a fim e fiquei a muito tempo atrás (mas nunca tínhamos transado) resolveu me dar bola. Conversa vai, conversa vem, consegui trazê-la pra casa e transamos. Duas garotas em menos de 7 dias, legal né? Pena que meu vício destruiu qualquer possibilidade de prazer nessa 'conquista da vida'. Nessa ocasião eu não broxei, mas tive ejaculação precoce. Eu estava tão destruído naquele momento que até fiquei feliz por ter sido capaz de ficar duro e gozar... mas só de olhar para a cara de decepção dela ao perceber que 'acabou', essa pequena alegria foi varrida do universo.

Procurei ajuda na terapia com Psicólogo (coisa que recomendo aos caros que me leem, ajuda mesmo), e encontrei esse fórum.

Eu quero me sentir um homem completo e saudável, eu quero que meu corpo funcione em seu potencial, quero ser capaz de ter prazer genuíno e dar prazer para uma parceira.
Eu não deixei de ter desejo de me masturbar ou interesse em ver pornografia, porém maior que o meu desejo de me satisfazer temporariamente, é 'consertar' meu cérebro viver o sexo de uma forma completa.
Os relatos dos senhores neste site aponta que para com a pornografia e a masturbação pode reprogramar meu cérebro, pode me fazer um homem mais viril, podem me fazer ter ereções mais duras, mais firmes, mais duradouras, sem ejaculação precoce. E eu estou disposto a pagar qualquer preço nesse mundo, fazer qualquer coisa, para ter isso.
É por isso que me inscrevi nesse site, é por isso que estou iniciando meu reboot e é por isso que vou compartilhar a caminhada neste 'diário'.

Agradeço ao homem que iniciou tudo isso aqui, e agradeço aos caros que compartilham suas histórias para ajudar os demais.
Me junto hoje à caminhada rumo a uma vida melhor.
Seguimos!


Pois bem amigo, você tem a história parecida com a de tantos outros aqui, Quero te dizer que você não está sozinho, não será o primeiro nem o ultimo a ser vítima desse vício maldito, te digo, bloqueie totalmente qualquer tipo de acesso a pornografia que você tiver, celular, computadores, tablets e tantos outros, use o qustodio e blocksupreme, não deixe a fissura tomar conta de você, e saiba que esse vício é traiçoeiro e difícil de ser vencido, no mais bom reboot e guarde essa data, 26/10/2019 como uma data de redenção, é isso.

_______________________________________
MEU DIÁRIO: http://www.comoparar.com/t9308-diario-do-coronel-um-mes-apos-anos
Dante Auditore
Dante Auditore
Mensagens : 832
Data de inscrição : 18/08/2019
Idade : 35

26/10/2019 - Iniciando a Caminhada Empty Re: 26/10/2019 - Iniciando a Caminhada

26/10/2019, 12:22
Seja muito bem vindo ao fórum meu caro, fique a vontade para relatar seus problemas e compartilhar conosco suas dores, estamos todos nesse mesmo barco e cada um possui seus problemas de forma variada, esse fórum é que nem uma família, relate todos os dias a sua trajetória para que possamos te ajudar, coloque um contador para sabermos do seu progresso, busque ler o diário dos demais e também os ajude na medida do possível, uma palavra de motivação e de apoio surte efeitos incríveis naqueles que estão enfrentando esse maldito vicio.

Não importa quantas vezes você recaia, o importante é você lutar e não desistir, continue firme nesse proposito e lute bravamente, estamos aqui para nos ajudar.

Abraços

_______________________________________
Meu diário: https://www.comoparar.com/t9560-diario-do-dante-auditore         

"Abençoado é aquele que resiste a tentação, pelo julgamento ele recebera a coroa da vida"  

"Lute, lute e lute novamente ate cordeiros se tornem leões"
avatar
Meu Consagrado
Mensagens : 4
Data de inscrição : 06/10/2019
Idade : 30
Localização : Guarulhos/SP

26/10/2019 - Iniciando a Caminhada Empty 02/11/2019 - Uma semana de Reboot

2/11/2019, 23:05
Senhores, saudações!

Estou a uma semana sem PMO. Descobri que a ocupação ajuda muito a evitar o vício. Estou num período intenso de trabalho, chego cansado em casa e nem penso em recorrer à PMO durante a semana. Nos fins de semana, descansado e com bastante tempo livre, a tentação vem acionada por gatilhos ou lembranças de ex-namoradas... mas até o momento, tenho conseguido evitar com ocupação em outras atividades, focando minha atenção e concentração em outras coisas.

Com ajuda da terapia com Psicólogo, estou descobrindo que, para mim, o vício em PMO não é apenas uma satisfação fisiológica: é um consolo para aplacar a carência. Descobri recentemente que uma garota com quem estava saindo, e logo depois misteriosamente parou de responder minhas mensagens, está com outro cara. Esse tipo de situação, que gera mágoa e faz doer a carência afetiva, me faz ter vontade de recorrer à PMO. Porque, refletindo sobre minhas preferências de conteúdo pornográfico, eu percebo que, inconscientemente, usava a pornografia como consolo para aplacar minha carência afetiva: nunca me atraiu material erótico bizarro, exótico, fora do convencional, violento etc... Eu sempre procurava ver os atos entre casais, a coisa mais normal e possível do mundo, e estou descobrindo que isso é porque eu queria me identificar com aquilo que estava vendo, eu desejava viver a relação que aquele casal estava vivendo (mesmo sabendo que o material erótico era uma encenação). E esses momentos, como hoje, em que me sinto rejeitado e carente, eram os momentos em que eu mais me entregava à PMO.

Me sinto muito fraco por perceber como me entreguei a um vício para aplacar uma carência afetiva. Mas me sinto bem por conseguir enxergar isso hoje, tenho certeza que isso é sinal de que estou no caminho certo para me libertar do vício.

Agradeço o apoio de todos. Seguimos firmes na caminhada!

P.S.: Srs, uma das maiores máculas do vício na minha vida tem sido a EP. Condicionei meu cérebro ao estímulo artificial da masturbação, e quando estou com uma mulher, pra mim é muito difícil segurar, 'chego lá' excessivamente rápido.
Na experiência de vocês, o Reboot vai mesmo me ajudar a 'reprogramar' meu cérebro e eliminar a EP? Porque às vezes me parece uma causa perdida...


Última edição por Meu Consagrado em 8/11/2019, 06:29, editado 1 vez(es)
Ultima chance
Ultima chance
Mensagens : 26
Data de inscrição : 20/10/2019

26/10/2019 - Iniciando a Caminhada Empty Re: 26/10/2019 - Iniciando a Caminhada

3/11/2019, 02:09
A ep está relacionada a ansiedade, conforme esse mau seja erradicado o beneficio virá sim. Com todos os viciados em pmo ocorre o mesmo, me refiro a ansiedade e a ep é mais uma das formas de manifestaçao da mesma. O tempo te tornara mais forte psicologicamente, apenas mantenha firme a decisão e continue, entenda q não há mais nada a perder. Um dia de cada vez, tenha paciência e quando a duvida bater lembre da promessa q nos foi deixada, aquele q se arrepende e deixa alcançará misericordia. Apenas continue, não há mais nada a perder.

_______________________________________



Aquele que se arrepende e deixa alcançará misericórdia... Laughing
avatar
Meu Consagrado
Mensagens : 4
Data de inscrição : 06/10/2019
Idade : 30
Localização : Guarulhos/SP

26/10/2019 - Iniciando a Caminhada Empty 09/11/1990 - 15 dias de reboot

9/11/2019, 19:53
Caros, boa noite!

Quinze dias de reboot hoje. Acho que estou atravessando um momento de 'fissura'. Conheci uma garota pela internet, fui encontrá-la ontem, ficamos mas não transamos. Porém nos demos muito bem, rolou vários amassos e eu voltei pra casa com o saco doendo de tanto tesão. Cheguei em casa resoluto a quebrar uma no banho pra aliviar, mas de algum modo, segurei a vontade e não rompi o reboot.

Toda vez que lembro dela, a vontade volta... desafios do reboot. Mas lembrar do porquê estou fazendo reboot me anima a continuar. Eu só quero reprogramar o meu cérebro e me livrar da ejaculação precoce!

É possível que acabe transando com essa garota em breve, e isso me causa ansiedade em saber se terei EP novamente ou não. Na experiência de vocês, 15 dias já dá um bom resultado na luta contra EP? Ou essa minha 'ansiedade' para descobrir que pode ocasionar EP novamente? hahaha

Seguimos, meus caros!
Vitrola
Vitrola
Mensagens : 204
Data de inscrição : 10/11/2019

26/10/2019 - Iniciando a Caminhada Empty Re: 26/10/2019 - Iniciando a Caminhada

11/11/2019, 10:02
Fala, Meu Consagrado!

Acompanhando seu diário, a partir de hoje.

Precisando de ajuda, estamos aí !

Ah, cara, com relação à EP, acho que você precisa primeiro se acalmar. Se você ficar pensando demais na EP, vai acontecer.

Uma das coisas que aprendi recentemente estudando hipnose é o quão forte nosso subconsciente é. Quanto mais acreditamos em algo,
maiores são as chances dessa parada acontecer.

Força na caminhada, não deixe de postar aqui no seu diário e instala o contador pra gente acompanhar com mais precisão seus relatos.

Boa sorte com a gatinha, meu velho!


_______________________________________









Acompanhe Minha Jornada   >>> http://www.comoparar.com/t9766-diario-do-vitrola-primeiro-passo-para-a-liberdade-mental-10-11-19   cheers  cheers


Oração da Serenidade: "Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária para aceitar as coisas que não podemos modificar, coragem para modificar aquelas que podemos e sabedoria para distinguir umas das outras".


"Aquele que tem um porque para viver, pode enfrentar quase todos os comos."( Nietzsche)
Ir para o topo
Permissão neste fórum:
Você não pode responder aos tópicos