Compartilhe
Ir em baixo
avatar
Vimes
Mensagens : 644
Data de inscrição : 28/12/2016
Idade : 40
Localização : São Paulo

Re: Desesperança

em 29/7/2017, 04:13
Elizabeth de Cássia escreveu:Ahh, pensei um pouco mais sobre o que você falou e me preocupei com mais um ponto sobre fantasias.

Vc falou que garotas reais não são gatilhos naturais para pmo. Mas se isso tem acontecido durante o reboot do meu namorado, isso implica que ele manteve o alimento do vício sempre com ele? O que se pode falar de ficar sem ver pmo, mas manter isso? Não houve avanços?

Na prática, no dia a dia, quando há o contato com algo provocativo, algum gatilho de alguma forma, seja garotas reais, sejam anúncios provocativos, o que dá para fazer contra isso na hora?

Tipo, mesmo que ele comece uma atividade física que ele goste, comecei a ter receios de que ele sempre mantenha algum problema com fantasias, já que tem dificuldade para paralisar elas no dia a dia qd tem algum estímulo...

Desculpe te encher com mais uma pergunta... mas deu um pane na minha cabeça quanto a isso... Vc msm já mencionou que chegar aos noventa dias nessas condições não deve ser a prioridade, mas sim lutar contra esse problema.

Seres humanos são máquinas de hábitos. Tudo aquilo que fazemos com frequência, nos habituamos a fazer.

Primeira vez que você dirige um carro é a coisa mais complicada do mundo. Tem que prestar atenção nos pedais, na troca de marcha, na direção, no sujeito que achou uma boa idéia atravessar a rua bem na tua frente, no passageiro que não para de falar... tudo muito complexo.

Depois de um ano dirigindo, cê já vai fazer tudo isso automaticamente sem nem perceber. Vai fazer a curva, trocar a marcha, mandar o passageiro parar de encher o saco e fazer um sinal não tão educado ao pedestre, tudo ao mesmo tempo.

É tudo hábito.

Nós aqui, viciados, passamos muito tempo da nossa vida usando a PMO para relaxar, para compensar alguma frustração, para matar o tédio, etc. Em alguns casos - como o meu, por exemplo - estamos falando de mais de duas décadas de PMO, o que é muito, muito tempo.

Ou seja, esse lance de viver o virtual, de imaginar, de fantasiar, de criar diálogos mentais, isso faz parte da gente. Não desaparece de uma hora pra outra, e - pra complicar tudo - acontece automaticamente, sem que a gente se dê conta.

Por isso tanta gente vê uma senhorita atraente pela rua, e começa a fantasiar. Não porque seja natural, mas porque estão habituados a fazê-lo.

E o que dá pra fazer contra isso?

O primeiro passo é reconhecer o problema e não alimentá-lo. Ou seja, se o viciado percebe que começou a fantasiar, tem que cortar a fantasia o quanto antes, ou seja, olhar pro lado, mudar o foco, pensar em outra coisa, distrair a mente, qualquer coisa do tipo.

Alguns aqui usam a técnica do elástico, que é usar um elástico como pulseira e, quando alguma fantasia aparece, puxar o elástico e dar uma estilingada.

Eu mesmo, quando as fantasias começam a encher o saco, começo a imaginar formas geométricas. Pode parecer estranho, mas funciona.

Algo tipo "olha lá aquela gostosa, imagina se ela TRIÂNGULO... QUADRADO... DECÁGONO..." Very Happy

Isso é algo da pessoa mesmo, ela mesma tem que se policiar e cortar o estímulo assim que ele aparece. Pode parecer algo inofensivo, mas para quem é viciado, certamente não é. Smile

_______________________________________
Know, of course, thine enemy. But in knowing him do not forget above all to know thyself. The commander who embraces this totality of battle shall win even with the inferior force.

http://www.comoparar.com/t4912-diario-de-vimes

avatar
Elizabeth de Cássia
Mensagens : 76
Data de inscrição : 07/04/2017

Re: Desesperança

em 31/7/2017, 13:18
Vimes escreveu:

Ou seja, esse lance de viver o virtual, de imaginar, de fantasiar, de criar diálogos mentais, isso faz parte da gente. Não desaparece de uma hora pra outra, e - pra complicar tudo - acontece automaticamente, sem que a gente se dê conta.

Por isso tanta gente vê uma senhorita atraente pela rua, e começa a fantasiar. Não porque seja natural, mas porque estão habituados a fazê-lo.

E o que dá pra fazer contra isso?

O primeiro passo é reconhecer o problema e não alimentá-lo. Ou seja, se o viciado percebe que começou a fantasiar, tem que cortar a fantasia o quanto antes, ou seja, olhar pro lado, mudar o foco, pensar em outra coisa, distrair a mente, qualquer coisa do tipo.

Alguns aqui usam a técnica do elástico, que é usar um elástico como pulseira e, quando alguma fantasia aparece, puxar o elástico e dar uma estilingada.

Eu mesmo, quando as fantasias começam a encher o saco, começo a imaginar formas geométricas. Pode parecer estranho, mas funciona.

Algo tipo "olha lá aquela gostosa, imagina se ela TRIÂNGULO... QUADRADO... DECÁGONO..." Very Happy

Isso é algo da pessoa mesmo, ela mesma tem que se policiar e cortar o estímulo assim que ele aparece. Pode parecer algo inofensivo, mas para quem é viciado, certamente não é. Smile

Sim... Essa treta de ter vivido tanto com o vício e começar a fantasiar no automático é uma merda...

Eu entendo que não é trivial lutar e vencer esse hábito ruim.

Atualmente meu namorado está com o elástico. Torço para que funcione, conversamos bastante sobre isso, estávamos pensando em separar os contadores dele, pmo msm e os deslizes grandes com fantasias...

Achei muito criativo sua forma de lidar com isso. Smile

Estou me sentindo mais otimista hoje, meu namorado sugeriu levar a questão para a família dele, para a tia , que tambem é madrinha dele.

Foi uma conversa bem tensa, mas sinto que agora ele poderá ter mais apoio para lidar com os pais dele.

Sei que não será simples nem fácil. Mas acredito que com alguém da família o ajudando e apoiando na luta ele terá mais forças.

Obrigada pelos esclarecimentos, Vimes!

Desejo muita força sua luta! Vc parece um cara muito bom e merece uma vida livre!

Com carinho,

Beth
avatar
Elizabeth de Cássia
Mensagens : 76
Data de inscrição : 07/04/2017

Coração frágil, mas vivo...

em 1/8/2017, 22:28
Olá, eventual leitor desse diário...

Acho que finalmente chegou um dia onde não há dúvidas ou questionamentos específicos, apenas um leve cansaço e dor que obrigaram a parar para escrever aqui.

Tenho 22 anos, mas hoje me senti uma idosa, com o coração todo quebrado, sem muito ânimo para lidar com as dificuldades de um relacionamento.

Quando postei aqui a primeira vez me informaram que quase nenhuma namorada ou esposa permanece no fórum muito tempo. Entendo perfeitamente o porquê disso. Por mais que amemos nossos parceiros, o desgaste de lembrar constantemente que ele não é livre para estar com a gente é enorme.

De modo que é mais fácil fugir dessa realidade. Eu mesma fiz isso algumas vezes, não colhi resultados positivos dessa experiência...

Quando eu fingia que tava tudo bem, meu namorado tinha mais dificuldade para partilhar e acabava entrando nesse jogo de enganação... Problemas se acumulavam, no caso do meu amado, fantasias e frustrações, busca por gatilhos, e bang, uma queda estrondosa acontecia...

Honestamente, isso é assustador.

Mesmo com muito tempo de reboot quedas acontecem. E pior, moços que completaram o reboot, ficaram bem e longe de pmo por anos podem acabar voltando ao vício se cometerem deslizes sucessivos...  Tentar entender essa realidade não foi fácil... Trata-se de uma luta diária pelo resto da vida pela liberdade e pelo amor.

O exercício de voltar a confiar no meu parceiro também é um desafio...  

Querer perdoar, compreender e seguir em frente nem sempre é fácil...

As marcas pesam, e as vezes vc começa a se questionar o que é amor? O que é isso que eu sinto? Estou passando dos meus limites?

Enfim... meu relacionamento não tem sido muito fácil nos últimos dois dias...

Espero que as coisas melhorem... Estou rezando e lutando ao máximo para tentar ser útil para meu Uzumaki e sobreviver a dor que assombra meu coração...

Não consegui ficar sem ao menos botar para fora isso...


Beth
avatar
Vimes
Mensagens : 644
Data de inscrição : 28/12/2016
Idade : 40
Localização : São Paulo

Re: Desesperança

em 2/8/2017, 04:22
Desabafar faz bem, você fez bem em botar tudo pra fora. Smile

Existe algo muito importante a ser considerado, e que eu percebi que faltou na sua mensagem:

Nós, viciados, podemos nos fortalecer. Very Happy

Não é o reboot que muda o viciado. O reboot apenas dá uma direção. Todo o objetivo do reboot é exatamente o fortalecimento da nossa personalidade, o nosso desenvolvimento, especialmente o social.

Os maiores gatilhos da PMO são frustração e tédio.

Tédio é eliminado com atividades, com preencher a vida, com sair da zona de conforto, com parar de ficar sentado na frente do computador embaçando, moscando, ao invés de curtir o mundo lá fora.

Eu, por exemplo, atualmente faço diariamente exercícios ao acordar (estando bem ou não, me forço mesmo), pratico Capoeira, pratico dança (normalmente salsa), nado um pouco no fim de tarde, e socializo o mais que posso.

Resultado: a cada tentativa de reboot que faço eu me sinto mais forte e sinto menos necessidade de PMO. Nas minhas recaídas anteriores, eu imediatamente sentia uma vontade desgraçada de aproveitar e me afundar de vez. Nessa última recaída eu não tive vontade nenhuma de continuar, só queria voltar o mais cedo possível ao reboot.

Frustração é mais complicado - e ao mesmo tempo não é. Frustração não tem a ver com coisas ruins acontecendo. Frustração tem a ver com expectativas e como você reage ao que está acontecendo.

Primeira vez que eu fui chefe de equipe eu acabei demitido. Meu pior funcionário era amigo de infância da minha chefe, mas eu não pegava leve com ele, muito pelo contrário. Daí já viu, acabei sendo chutado por uma questão puramente pessoal.

Aquilo me pegou de um modo muito escroto. Fiquei mal por mais de um ano. Muita expectativa, querendo mostrar muito serviço, fracasso total.

Segunda vez que fui chefe, três anos depois, cheguei sossegado e sem vontade nenhuma de ser o super chefe, como na outra vez, "vou só fazer o meu trabalho e moda-se". Resultado, tive um contrato bem tranquilo e, mesmo com diversos problemas, não rolou frustração.

Ou seja, o vício em PMO pode até ser pra sempre. Como um alcoólatra é pra sempre alcoólatra.

Mas os gatilhos não duram pra sempre. Se trabalhados do modo correto, eles podem ser diminuídos até desaparecerem completamente. Very Happy

Acho que um ótimo exemplo é o do Antônio, que teve tantos problemas, e mesmo assim conseguiu eliminar não o vício, mas os gatilhos, e hoje tem uma excelente qualidade de vida e não sente nenhuma falta da PMO.

E isso é algo que eu quero para mim também. Estou me fortalecendo, um pouquinho a cada dia, até poder chegar nesse nível.

E, sinceramente, desde que eu comecei a participar desse fórum, os resultados tem sido absolutamente positivos. Very Happy

_______________________________________
Know, of course, thine enemy. But in knowing him do not forget above all to know thyself. The commander who embraces this totality of battle shall win even with the inferior force.

http://www.comoparar.com/t4912-diario-de-vimes

avatar
Torneira
Mensagens : 248
Data de inscrição : 05/08/2016

Re: Desesperança

em 2/8/2017, 08:10
Elizabeth, dá pra entender toda a sua frustração de desanimo.
Sem dúvida, é um momento delicado e que, aparentemente, você está desgastada pelo esforço que tem feito.
Uma pena por um lado. Lembrando que o reboot não é mágica. Assim como mágica não existe na vida real, menos ainda para problemas. O que quero dizer é que só o reboot não parece surtir efeito no caso dele. É preciso algo mais. Talvez seja dedicação, disciplina, domínio emocional, ajuda de um profissional, enfim. Não cabe a avaliação aqui.
MAs veja só o quanto você pode aproveitar por outro lado. Esse período também é um aprendizado dos grandes pra você. Entende melhor o que se passa com ele, com o seu relacionamento e, o que é muito bom, já sabe avaliar o que se passa levando em consideração um problema extremamente grave como é o vício.
POrnografia estraga mesmo a vida de qualquer um. E dos próximos. Reflita, avalie, analise. E considere que seu esforço não é em vão. O destino da relação, da sua vida, da vida dele estão relacionados somente ao problema do vício? Há algo mais? Além disso, é proveitoso? Não quero colocar em xeque a relação. Sugiro apenas que faça uma análise bem cuidadosa, de alguns dias, sobre o que tem sido causado pelo problema e o que tem de vida nessa relação além do problema.
Espero que encontre forças pra seguir em frente.
e mande notícias

_______________________________________
avatar
Esposa deseperada
Mensagens : 44
Data de inscrição : 24/07/2017
Idade : 31

Re: Desesperança

em 2/8/2017, 09:29
Elizabeth de Cássia escreveu:Olá, eventual leitor desse diário...

Acho que finalmente chegou um dia onde não há dúvidas ou questionamentos específicos, apenas um leve cansaço e dor que obrigaram a parar para escrever aqui.

Tenho 22 anos, mas hoje me senti uma idosa, com o coração todo quebrado, sem muito ânimo para lidar com as dificuldades de um relacionamento.

Quando postei aqui a primeira vez me informaram que quase nenhuma namorada ou esposa permanece no fórum muito tempo. Entendo perfeitamente o porquê disso. Por mais que amemos nossos parceiros, o desgaste de lembrar constantemente que ele não é livre para estar com a gente é enorme.

De modo que é mais fácil fugir dessa realidade. Eu mesma fiz isso algumas vezes, não colhi resultados positivos dessa experiência...

Quando eu fingia que tava tudo bem, meu namorado tinha mais dificuldade para partilhar e acabava entrando nesse jogo de enganação... Problemas se acumulavam, no caso do meu amado, fantasias e frustrações, busca por gatilhos, e bang, uma queda estrondosa acontecia...

Honestamente, isso é assustador.

Mesmo com muito tempo de reboot quedas acontecem. E pior, moços que completaram o reboot, ficaram bem e longe de pmo por anos podem acabar voltando ao vício se cometerem deslizes sucessivos...  Tentar entender essa realidade não foi fácil... Trata-se de uma luta diária pelo resto da vida pela liberdade e pelo amor.

O exercício de voltar a confiar no meu parceiro também é um desafio...  

Querer perdoar, compreender e seguir em frente nem sempre é fácil...

As marcas pesam, e as vezes vc começa a se questionar o que é amor? O que é isso que eu sinto? Estou passando dos meus limites?

Enfim... meu relacionamento não tem sido muito fácil nos últimos dois dias...

Espero que as coisas melhorem... Estou rezando e lutando ao máximo para tentar ser útil para meu Uzumaki e sobreviver a dor que assombra meu coração...

Não consegui ficar sem ao menos botar para fora isso...


Beth


Bom dia minha querida Beth!!!

Como me doeu ler seu desabafo do dia de ontem  Sad  
Angustiada em saber que uma jovem de 22 anos tem enfrentado isso com tanta maturidade e fé.

Continue segurando firme nas mãos de Deus que olhaa só  Ele para nos dar amparo nestes momentos.

Estamos todos aqui no mesmo barco, mas como sinto a dor em ler suas palavras de tristeza e cansaço.

Realmente é um mundo horrendo novo para mim, não tenho nem base para aprofundar no assunto, mas muito sensatas as colocações dos moços guardiões do fórum Vimes e  Torneira. Eu, por exemplo, observei no meu marido que a frustração do desemprego e a ociosidade (tédio) dentro de casa o levaram ao descontrole do vício, porque acredito que desde a adolescência ele tem isso. E ele também conseguiu enxergar quais os gatilhos principais e ele vinha dando sinais dos gatilhos - reclamando que não conseguia nem uma entrevista de emprego (expectativa) e que não aguentava mais ficar em casa.

Então, reforço as palavras do guardião Torneira, para que faça uma análise bem cuidadosa, de alguns dias, sobre o que tem sido causado pelo problema e o que tem de vida nessa relação além do problema.

Torço muito que vocês encontrem forças, mantendo a fé e a esperança.

P.S: você não imagina como foram importantes e aconchegantes suas palavras quando cheguei aqui no fórum sem saber o que fazer ou como lidar com isso.

Mantenha a paz,porque Deus está com você!!

Abraços carinhosos e afetuosos,

Esposa esperançosa
avatar
Elizabeth de Cássia
Mensagens : 76
Data de inscrição : 07/04/2017

Re: Desesperança

em 2/8/2017, 22:15
Vimes escreveu:
Nós, viciados, podemos nos fortalecer. Very Happy

Não é o reboot que muda o viciado. O reboot apenas dá uma direção. Todo o objetivo do reboot é exatamente o fortalecimento da nossa personalidade, o nosso desenvolvimento, especialmente o social.

Ohh prezado Vimes,

Suponho que com isso você está querendo dizer que falta esperança de que vcs podem ficar mais fortes com o tempo no meu desabafo, né?

Vc está certo, acredito nisso.

Meu coração que não está muito otimista no momento. Apesar de racionalmente saber tudo que implica ser viciado, conhecer todas as principais consequências de ficar anos enfiado em pmo, ainda me machuca. De segunda para cá eu realmente afundei um cadinho na dor.

Passo o dia em casa estudando para concurso, então é fácil me perder por alguns momentos em pensamentos ruins, infelizmente minhas aulas de karatê são só duas vezes por semana, não tenho como aumentar a quantidade de dias.

Acredito que não há nenhum relato de namoradas com seus parceiros aqui no fórum que tenha dado certo, né? Eu andei lendo algumas e não encontrei nada muito animador. Não sei se isso se deve ao fato de as parceiras não aguentam ficar por aqui muito tempo...

Eu acho o máximo o seu esforço e a sua maturidade para acolher e aconselhar sobre o reboot !! Vc sabe pelo o que lutar e está dando a sua vida por isso, isso é admirável e contagiante..

Enfim, tem mais de um ano que sei dos problemas do meu namorado com pmo e apenas agora estou tendo consciência plena do custos disso para nosso relacionamento.

Obrigada pelas sugestões de reflexão Torneira.
Tanto segunda quanto hoje ele não quis falar comigo, porque disse que precisa ficar um tempo sozinho. Se ele vai ficar bem nesse tempo, se fará bem, não sei...
Apesar de estar fragilizada, eu sei que não tem sido fácil para ele, não é justo exigir ou esperar algo dele agora...

Só Deus sabe o futuro desse relacionamento...

Obrigada minha cara irmãzinha!  Gostaria de estar mais animada e poder te dar mais força, acabei só choramingando nas últimas postagens... Só Deus para consolar nossos corações mesmo. Só Ele...

Com enorme gratidão pelas mensagens,

Beth
avatar
Esposa deseperada
Mensagens : 44
Data de inscrição : 24/07/2017
Idade : 31

Re: Desesperança

em 4/8/2017, 09:42
Elizabeth de Cássia escreveu:
Vimes escreveu:
Nós, viciados, podemos nos fortalecer. Very Happy

Não é o reboot que muda o viciado. O reboot apenas dá uma direção. Todo o objetivo do reboot é exatamente o fortalecimento da nossa personalidade, o nosso desenvolvimento, especialmente o social.

Ohh prezado Vimes,

Suponho que com isso você está querendo dizer que falta esperança de que vcs podem ficar mais fortes com o tempo no meu desabafo, né?

Vc está certo, acredito nisso.

Meu coração que não está muito otimista no momento. Apesar de racionalmente saber tudo que implica ser viciado, conhecer todas as principais consequências de ficar anos enfiado em pmo, ainda me machuca. De segunda para cá eu realmente afundei um cadinho na dor.

Passo o dia em casa estudando para concurso, então é fácil me perder por alguns momentos em pensamentos ruins, infelizmente minhas aulas de karatê são só duas vezes por semana, não tenho como aumentar a quantidade de dias.

Acredito que não há nenhum relato de namoradas com seus parceiros aqui no fórum que tenha dado certo, né? Eu andei lendo algumas e não encontrei nada muito animador. Não sei se isso se deve ao fato de as parceiras não aguentam ficar por aqui muito tempo...

Eu acho o máximo o seu esforço e a sua maturidade para acolher e aconselhar sobre o reboot !! Vc sabe pelo o que lutar e está dando a sua vida por isso, isso é admirável e contagiante..

Enfim, tem mais de um ano que sei dos problemas do meu namorado com pmo e apenas agora estou tendo consciência plena do custos disso para nosso relacionamento.

Obrigada pelas sugestões de reflexão Torneira.
Tanto segunda quanto hoje ele não quis falar comigo, porque disse que precisa ficar um tempo sozinho. Se ele vai ficar bem nesse tempo, se fará bem, não sei...
Apesar de estar fragilizada, eu sei que não tem sido fácil para ele, não é justo exigir ou esperar algo dele agora...

Só Deus sabe o futuro desse relacionamento...

Obrigada minha cara irmãzinha!  Gostaria de estar mais animada e poder te dar mais força, acabei só choramingando nas últimas postagens... Só Deus para consolar nossos corações mesmo. Só Ele...

Com enorme gratidão pelas mensagens,

Beth


Bom dia minha querida irmã Beth,

Que seu coração esteja otimista e a angústia tenha melhorado. Sempre um dia após o outro, dias bons....dias ruins e dias bons.

E com fé e esperança de dias melhores.

Acredito que esse tempo que seu namorado pediu para ficar sozinho seja um bom sinal. Acredito que ele está tentando "organizar as ideias" e o silêncio e solidão são necessários para isso.

Digo isso, pois sou adepta da meditação e eu preciso ficar sozinha ou em silêncio para organizar as ideias e "resetar" e deixar o cérebro respirar rsrs

Espero do fundo do coração que você esteja bem e que seu moço esteja melhor na luta interna dele.

Ótimo sexta feira e um abençoado final de semana,
Abraços afetuosos e carinhosos.


Esposa esperançosa
avatar
Elizabeth de Cássia
Mensagens : 76
Data de inscrição : 07/04/2017

Vício em pmo e sexo

em 4/8/2017, 10:21
Prezados,

Estou muito muito muito MUITO I-N-D-I-G-N-A-D-A !

Após uma longa conversa com meu namorado ontem fiquei sabendo que a estimada psicóloga dele não acredita que ele tenha algum vício em pmo.

É isso mesmo camaradas... Não tenho ideia do que rola nessas sessões há sete meses, mas ou a mulher é cega ou ele n é muito honesto com ela...

Ela acredita que o desejo do meu namorado por ver pmo deve-se ao fato dele n ter vida sexual ativa. E que se ele começar a transar, PING, todos os problemas dele com pmo estarão resolvidos...

Para ser generosa com ela, devo admitir que ela desconhece alguns efeitos físicos do vício que ficaram evidentes no meu relacionamento com o Uzumaki.

Ele tem 24 anos e antes de começar a namorar comigo estava há cinco anos sem se relacionar com nenhuma garota real, cinco anos sem beijar ninguém.

Mesmo assim, no início do nosso namoro, quando éramos bem irresponsáveis enquanto cristãos, rolava muuuuita pegação, e ele nunca ficava excitado, tipo nem um pouco...  Isso me incomodava, mas na época tentei me apegar a ilusão de que ele me via de forma muito pura, sei lá...

Olha, eu n sou nenhuma beldade, é super possível q algum cara fique comigo sem nada disso, mas no caso do nosso namoro, era muita coisa mesmo, a ponto de que eu ficava extremamente alterada e ele indiferente.

Isso continuou por SEIS MESES.

Por favor, alguém concorde comigo que isso não é normal...

E quando foi que essa realidade mudou?

Depois que ele reconheceu que não conseguia ficar sem pmo e permitiu que eu instalasse os bloqueadores pela primeira vez. Foi a nossa primeira tentativa, eu ainda não conhecia o site, mas havia visto algumas coisas sobre o assunto e instalei os bloqueadores e conversamos sobre algumas atividades para ele fazer para se distrair.

Eu instalei os bloqueadores em maio de 2016, a primeira vez que o corpo dele reagiu às nossas pegações foi em meados de julho... E desde então, com o avanço das tentativas do reboot o corpo dele está beem mais sensível a nós dois...

Não preciso nem enumerar todos os diversos sintomas do vício de pmo que meu namorado tem além da questão física, de dificuldades para se relacionar, perda de motivação, todos conhecem aqui...

Mas, cara, eu estou muito irritada com o trabalho dessa psicóloga...
Na boa, eu acredito que todo mundo busca ser feliz da forma como entende e como consegue. Mas me incomoda muito essa senhora vir dizer que sexo é a solução para vida do meu namorado...

Eu sei que para muitos namorar sem sexo é algo absurdo, mas acredito por tudo que li e entendi que isso nunca foi a causa do vício do meu namorado.

Afinal com os 10,11 anos, idade que ele começou o vício, ele não estava precisando transar... E eu sei que, no pior do pior dos casos, se ele chegar a transar com uma prostituta, os problemas dele com pmo não sumirão, acredito que ficaram piores...

A psicóloga dele defende que é impossível saber se ele está viciado em pmo se ele nunca teve uma relação sexual...

Não importa se ele tem todos os sintomas e passou a adolescência enfiado no quarto vendo pmo e se masturbando, não importa se ele não sabe lidar com algum problema sem já querer fantasiar e fugir p pmo, não importa....

Por favor, alguém sabe de algum material além do ebook que eu possa passar para essa mulher? Porque o Uzumaki já falou do ebook para ela, mas pelo visto ela n está interessada em ler alguma coisa. Pensei em alguns artigos científicos?

Eu vou dar uma pesquisada hoje, mas qualquer ajuda é bem-vinda...

Meu namorado se comprometeu a expor para ela as consequências de pmo nas reações do corpo dele a pessoas reais.

O que mais me irrita nessa história toda é que ele, assim como todos aqui, tem dificuldade ainda de aceitar que é um viciado. Então quando a psicóloga diz que ele não tem problema, é muito difícil para ele ir contra o que ela está falando...

Ahhhhhh, perdoe-me se eu estiver falando merda de tão alterada que estou...

E sim, eu sei que não ter sexo após finalizar o reboot pode ser uma dificuldade a mais para ele, mas acredito, de todo meu coração, que é possível sim fazer o reboot e vencer o vício sem precisar de sexo.

Me assusta uma sociedade que coloca os homens como escravos de sua vida sexual...

Desculpe o tamanho da mensagem...


Beth


Última edição por Elizabeth de Cássia em 4/8/2017, 11:47, editado 2 vez(es)
avatar
Elizabeth de Cássia
Mensagens : 76
Data de inscrição : 07/04/2017

Re: Desesperança

em 4/8/2017, 10:29
Esposa deseperada escreveu:
Bom dia minha querida irmã Beth,

Que seu coração esteja otimista e a angústia tenha melhorado. Sempre um dia após o outro, dias bons....dias ruins e dias bons.

E com fé e esperança de dias melhores.

Acredito que esse tempo que seu namorado pediu para ficar sozinho seja um bom sinal. Acredito que ele está tentando "organizar as ideias" e o silêncio e solidão são necessários para isso.

Digo isso, pois sou adepta da meditação e eu preciso ficar sozinha ou em silêncio para organizar as ideias e "resetar" e deixar o cérebro respirar rsrs

Espero do fundo do coração que você esteja bem e que seu moço esteja melhor na luta interna dele.

Ótimo sexta feira e um abençoado final de semana,
Abraços afetuosos e carinhosos.


Esposa esperançosa

Bom dia minha irmã,

Vc é uma fofa... Me alegra muito suas mensagens smp com otimismo e esperança!

Ahh como eu estaria feliz se ele estivesse ficando sozinho para meditar ou algo assim....

Ele estava mesmo chateado comigo e fragilizado com ter falado com a madrinha dele, e por isso ele quis fugir de tudo o que estava pesando no coração dele. Graças a Deus, ele falou q n foi por meio de pmo ou fantasias.

Enfim, estamos tentando caminhar ainda juntos, não está nada fácil, muitas feridas escancaradas em ambos...

Parece uma guerra interminável, e os pais dele não o apoiam nisso. Eu espero que a madrinha dele o ajude, de todo meu coração, e que os próximos dias sejam melhores...

Também espero que as coisas estejam melhores para ti e para seu marido!

Um abraço gigante para você,

Com gratidão,

Beth
avatar
Broda
Mensagens : 1696
Data de inscrição : 10/12/2015

Re: Desesperança

em 4/8/2017, 10:44
Fala!

Primeiramente: calma hehehe. O que não falta são profissionais ruins e o principal: profissionais desatualizados. A questão do vício só veio a ser estudada deve fazer mais ou menos uns 5 anos e tudo isso é extremamente novo em todas as áreas da ciência. Estão começando a ter consciência de que o vício existe só por agora e de forma ainda muito porca, como é comum com qualquer descoberta recente.

Simplesmente não houve ainda o devido tempo para que tudo seja atualizado. É possível notar que os profissionais brasileiros possuem uma defasagem muito grande quanto às novas atualizações das áreas que prestam serviços, não sabem dos novos lançamentos e na verdade pouco se interessam. Estamos desatualizados em uns 50 anos em algumas áreas, sendo que estes profissionais só sabem o que já está extremamente consagrado, o que ainda não é o caso do vício em PMO.

Se essa psicóloga se recusa a ler o e-book, melhor trocar logo de psicóloga. Não adianta insistir em alguém que não quer conhecer o problema a fundo, pois só quem lê o e-book entende a gravidade da questão. Isso que ela falou de que ele não tem como saber se é viciado porque não transou é uma das maiores idiotices que eu já li, e olha que eu estou no fórum há mais de um ano e eu já li MUITA coisa.

Ninguém se torna viciado em pornografia por conta de uma questão dessas, senão não teríamos tantos viciados que inclusive são casados e que tem vida sexual muito ativa aqui no fórum. Sexo serve no máximo como atividade de religação, mas não é a cura do problema e nem nunca será, como podemos constatar em milhares de relatos espalhados aqui no fórum. Bem como ninguém se torna viciado em pornografia exclusivamente por ser virgem, já que vários aqui também após transarem não conseguiram sair do vício.

O vício se caracteriza de forma muito simples, é simplesmente a compulsão e a falta de auto-controle para com a pornografia. Se ele se sente compulsivo e ele não tem controle para se manter longe da pornografia por vontade própria, ele claramente é um viciado e ponto final. Discutir esse ponto é um retrocesso na questão dele e se ainda estamos nessa parte, isso é um péssimo sinal e devemos partir para o próximo passo, seja procurar um profissional que já está ciente de como funciona o vício ou algum profissional que esteja aberto a ler o e-book e se atualizar quanto a tudo isso.

Não se desespere, convença seu namorado a ser mente forte e não ceder às ideias imbecis da psicóloga, que demonstrou total falta de conhecimento do assunto. O que não faltam são profissionais despreparados e sem noção, que acham que tudo se resolve na base da libertinagem. Tenha certeza de que seu namorado não é o primeiro a ter esse tipo de problema com psicólogos, inclusive esse é um problema constante aqui no fórum, vira e mexe alguém relata coisa parecida.

Esperando futuras atualizações do caso, abraços!

_______________________________________


Meu diário I > http://www.comoparar.com/t2081-virando-homem
Meu diário II > http://www.comoparar.com/t5904-virando-homem (continuação)
avatar
Renovatio
Moderador
Moderador
Mensagens : 264
Data de inscrição : 11/01/2017

Re: Desesperança

em 4/8/2017, 13:13
Beth, desejo-lhe muita paciência e força nessa sua luta.
Seu amor é ímpar, admirável, mostra a grandeza de sua alma.
Torço para que seu namorado leve a sério esse reboot. Mesmo recaindo (esperemos que não), a gente torce para que o intuito dele seja de se desintoxicar desse mal.
Torço por você também, para que Deus seja o seu conforto nessa tribulação.
avatar
Esposa deseperada
Mensagens : 44
Data de inscrição : 24/07/2017
Idade : 31

Re: Desesperança

em 4/8/2017, 14:28
Elizabeth de Cássia escreveu:Prezados,

Estou muito muito muito MUITO I-N-D-I-G-N-A-D-A !

Após uma longa conversa com meu namorado ontem fiquei sabendo que a estimada psicóloga dele não acredita que ele tenha algum vício em pmo.

É isso mesmo camaradas... Não tenho ideia do que rola nessas sessões há sete meses, mas ou a mulher é cega ou ele n é muito honesto com ela...

Ela acredita que o desejo do meu namorado por ver pmo deve-se ao fato dele n ter vida sexual ativa. E que se ele começar a transar, PING, todos os problemas dele com pmo estarão resolvidos...

Para ser generosa com ela, devo admitir que ela desconhece alguns efeitos físicos do vício que ficaram evidentes no meu relacionamento com o Uzumaki.

Ele tem 24 anos e antes de começar a namorar comigo estava há cinco anos sem se relacionar com nenhuma garota real, cinco anos sem beijar ninguém.

Mesmo assim, no início do nosso namoro, quando éramos bem irresponsáveis enquanto cristãos, rolava muuuuita pegação, e ele nunca ficava excitado, tipo nem um pouco...  Isso me incomodava, mas na época tentei me apegar a ilusão de que ele me via de forma muito pura, sei lá...

Olha, eu n sou nenhuma beldade, é super possível q algum cara fique comigo sem nada disso, mas no caso do nosso namoro, era muita coisa mesmo, a ponto de que eu ficava extremamente alterada e ele indiferente.

Isso continuou por SEIS MESES.

Por favor, alguém concorde comigo que isso não é normal...

E quando foi que essa realidade mudou?

Depois que ele reconheceu que não conseguia ficar sem pmo e permitiu que eu instalasse os bloqueadores pela primeira vez. Foi a nossa primeira tentativa, eu ainda não conhecia o site, mas havia visto algumas coisas sobre o assunto e instalei os bloqueadores e conversamos sobre algumas atividades para ele fazer para se distrair.

Eu instalei os bloqueadores em maio de 2016, a primeira vez que o corpo dele reagiu às nossas pegações foi em meados de julho... E desde então, com o avanço das tentativas do reboot o corpo dele está beem mais sensível a nós dois...

Não preciso nem enumerar todos os diversos sintomas do vício de pmo que meu namorado tem além da questão física, de dificuldades para se relacionar, perda de motivação, todos conhecem aqui...

Mas, cara, eu estou muito irritada com o trabalho dessa psicóloga...
Na boa, eu acredito que todo mundo busca ser feliz da forma como entende e como consegue. Mas me incomoda muito essa senhora vir dizer que sexo é a solução para vida do meu namorado...

Eu sei que para muitos namorar sem sexo é algo absurdo, mas acredito por tudo que li e entendi que isso nunca foi a causa do vício do meu namorado.

Afinal com os 10,11 anos, idade que ele começou o vício, ele não estava precisando transar... E eu sei que, no pior do pior dos casos, se ele chegar a transar com uma prostituta, os problemas dele com pmo não sumirão, acredito que ficaram piores...

A psicóloga dele defende que é impossível saber se ele está viciado em pmo se ele nunca teve uma relação sexual...

Não importa se ele tem todos os sintomas e passou a adolescência enfiado no quarto vendo pmo e se masturbando, não importa se ele não sabe lidar com algum problema sem já querer fantasiar e fugir p pmo, não importa....

Por favor, alguém sabe de algum material além do ebook que eu possa passar para essa mulher? Porque o Uzumaki já falou do ebook para ela, mas pelo visto ela n está interessada em ler alguma coisa. Pensei em alguns artigos científicos?

Eu vou dar uma pesquisada hoje, mas qualquer ajuda é bem-vinda...

Meu namorado se comprometeu a expor para ela as consequências de pmo nas reações do corpo dele a pessoas reais.

O que mais me irrita nessa história toda é que ele, assim como todos aqui, tem dificuldade ainda de aceitar que é um viciado. Então quando a psicóloga diz que ele não tem problema, é muito difícil para ele ir contra o que ela está falando...

Ahhhhhh, perdoe-me se eu estiver falando merda de tão alterada que estou...

E sim, eu sei que não ter sexo após finalizar o reboot pode ser uma dificuldade a mais para ele, mas acredito, de todo meu coração, que é possível sim fazer o reboot e vencer o vício sem precisar de sexo.

Me assusta uma sociedade que coloca os homens como escravos de sua vida sexual...

Desculpe o tamanho da mensagem...


Beth




Beth, faço das palavras do Broda as minhas.

Sim, isso é um absurdo e ela está desatualizada.
Inclusive eu passei por isso, a psicologa me falou que é normal fantasiar e assistir p, por causa da rotina do casamento.

Falou para eu assistir com ele e manter relações sexuais enquanto assistíamos (rindo para não chorar). Até ela entender que o vício dele em pornografia era bemmmm pesado (sem julgamento de moralidade) e que ele assistindo vídeo era como se eu estivesse invisível - ele preferia viver a fantasia do que a realidade, uma coisa assustadora, porque ele não tinha a sensibilidade física de prazer da relação sexual......a mente dele estava focada em avançar o filme para alguma cena que pudesse fantasiar. E que a consequência disso era que hoje ele tem ER durante as relações.

Alguém qui no fórum já tinha dito que era preciso cuidado com psiquiatras e psicólogos.

Realmente não vai ser qualquer profissional que vai entender esse vício.

Aah também estou procurando artigo científicos sobre o vício e seus efeitos no corpo e psicológico.

Mas calma e paciência querida!!

Beijos
avatar
Renovatio
Moderador
Moderador
Mensagens : 264
Data de inscrição : 11/01/2017

Re: Desesperança

em 4/8/2017, 15:04
Beth, não tinha lido o seu desabafo em relação à psicóloga. Existe muita ignorância sobre o tema e uma tendência a relativizar a pornografia/masturbação e vê-la como algo saudável.
Existe pouquíssima literatura sobre o tema em português. Acredito que no site https://yourbrainonporn.com/ tem uma série de artigos sobre o tema, mas estão em inglês. Tem o livro do próprio Gary Wilson (do mesmo nome do site) que trata exaustivamente sobre o tema, abordando-o por uma perspectiva científica.
Além disso, existem diversos vídeos no youtube de palestras do Dr Italo Marsili, psiquiatra, que trata desse tema. Ele é católico, mas nesses vídeos ele aborda o tema a partir de uma perspectiva científica, na condição de psiquiatra. Como estou sem acesso ao youtube agora, não tenho os links, mas posso te passar quando chegar em casa, se não os tiver encontrado. As palestras são muito boas e claras.
Ah, Beth, e posso garantir que é possível, sim, levar o reboot adiante mesmo sem ter relações sexuais. É falacioso o discurso da psicóloga. Quando estava afundado na P, achava que o namoro ia me fazer parar... não parei. Estou há alguns anos namorando e, por opção, eu e minha namorada não fazemos sexo. E posso garantir que é possível se manter firme quando se quer. Não é fácil, mas é possível.

Edit: buscando no google, encontrei este link (https://www.youtube.com/watch?v=yJgzfRI7Rog). Veja, por favor, se ele funciona. Se não coloque no google "italo marsili pornografia youtube" e vão aparecer alguns vídeos. Acho que são eles.
avatar
Vimes
Mensagens : 644
Data de inscrição : 28/12/2016
Idade : 40
Localização : São Paulo

Re: Desesperança

em 4/8/2017, 15:52
Elizabeth de Cássia escreveu:Mas, cara, eu estou muito irritada com o trabalho dessa psicóloga...
Na boa, eu acredito que todo mundo busca ser feliz da forma como entende e como consegue. Mas me incomoda muito essa senhora vir dizer que sexo é a solução para vida do meu namorado...

Complicado, não? Very Happy

Antes de conhecer esse fórum eu fui a três médicos para entender por que a PMO me dava tantas sequelas. Nenhum deles fazia a mínima idéia do que eu tava falando, e até me olhavam meio torto. "Esse cara deve ser maluco".

Fiz várias sessões com uma psicóloga ano passado. Ela era muito boa. Eu expliquei que a razão para começar o tratamento era exatamente tentar entender as sequelas que a PMO me trazia. Ela nunca tocou, nem mencionou qualquer coisa sobre vício em P.

É um fator muito desconhecido, infelizmente.

Elizabeth de Cássia escreveu:Por favor, alguém sabe de algum material além do ebook que eu possa passar para essa mulher? Porque o Uzumaki já falou do ebook para ela, mas pelo visto ela n está interessada em ler alguma coisa. Pensei em alguns artigos científicos?

Eu não me daria a tanto trabalho se fosse você.

Existe um outro fator nisso tudo que complica a situação. Existem vários péssimos profissionais por aí.

Sinceramente, pelas cagadas que essa psicóloga já falou, eu diria que ela é um deles. Smile

Quando eu era moleque tinha vários problemas na escola, então meus pais foram forçados a me levarem a psicólogos. Fui num total de sete psicólogos diferentes. Apenas o último deu resultados.

Seis deles eram incompetentes. Very Happy

Elizabeth de Cássia escreveu:O que mais me irrita nessa história toda é que ele, assim como todos aqui, tem dificuldade ainda de aceitar que é um viciado. Então quando a psicóloga diz que ele não tem problema, é muito difícil para ele ir contra o que ela está falando...

Ele é um viciado sim. Como todos nós aqui. Ele pode não aceitar o quanto quiser, mas vai continuar viciado do mesmo jeito.

O cachaceiro pode até dizer "eu não sou alcoólatra, eu paro quando eu quero". Mas coincidentemente ele nunca quer parar. Very Happy

Sinceramente, não é hora de trocar de psicóloga não?

Elizabeth de Cássia escreveu:E sim, eu sei que não ter sexo após finalizar o reboot pode ser uma dificuldade a mais para ele, mas acredito, de todo meu coração, que é possível sim fazer o reboot e vencer o vício sem precisar de sexo.

É possível sim. Com sexo é melhor, mas é possível. Smile

Na verdade um homem absolutamente saudável pode passar a vida toda sem sexo nem MO. É possível, e o corpo não vai sofrer nenhuma consequência complicada por isso. Não vai "subir pra cabeça", como diz a sabedoria popular, Very Happy

A única consequência é que vai deixar a vida menos divertida. Smile

Mas esse é um assunto delicado e pessoal, então é melhor a gente deixar pra outra hora. Very Happy

_______________________________________
Know, of course, thine enemy. But in knowing him do not forget above all to know thyself. The commander who embraces this totality of battle shall win even with the inferior force.

http://www.comoparar.com/t4912-diario-de-vimes

avatar
M.V
Moderador
Moderador
Mensagens : 1739
Data de inscrição : 02/10/2015
Idade : 37

Re: Desesperança

em 4/8/2017, 19:29
Bom a maioria dos psicólogos de hoje estão voando quanto ao vício em pornografia, acho sem valor algum uma consulta sobre questão de vício em pornografia com um psicologo (a) que não tenha conhecimento sobre o assunto.

Na verdade o objetivo do reboot é religar reiniciar, deixar os estímulos artificiais e se ligar a estímulos reais, o mundo é muito sexualizado e as pessoas abusam do prazer sexual e tudo isso dentro de um contexto de estímulos artificiais que é pornografia. Sexo é importante é uma necessidade de primeira ordem na vida de um ser vivo, pois é através dele que as espécies se reproduzem e claro que a nível molecular isso está programado em nossas células para buscar essa prática, mas claro que somos seres vivos diferentes dos demais temos um cérebro pensante com um centro executivo (inteligência) e isso nos faz ou usar racionalmente o sexo ou abusar dele como um primata que não tem cérebro pensante. Claro que o que discutimos aqui é buscar o equilíbrio, reiniciar para buscar os estímulos reais, buscar a afetividade dentro de uma relação, não pregamos a castidade, sabemos que o sexo é importante mas que deve ser utilizado com amor, afetividade, equilíbrio para que faça os seres envolvidos crescer como pessoas envolvidas na relação e não serem escravos do sexo e muito menos da ridícula pornografia.

Abçs

Sucesso!!!


_______________________________________
Veja Meu Diário e Histórias de Sucesso
http://comoparar.forumeiros.com/t1587-novo-tempo-nova-vida
http://comoparar.forumeiros.com/t3600-300-dias-de-reboot-novo-tempo-nova-vida


" A PORNOGRAFIA MATA O AMOR" ...

NÃO PERMITA QUE SEU CÉREBRO PRIMITIVO LHE COMANDE E TE DEIXE EM ESTADO DE HIPOFRONTALIDADE.

..."É MELHOR SER ESCRAVO DOS BLOQUEADORES QUE SER ESCRAVO DA PORNOGRAFIA"... (PROJETO, TOGURO)

ABÇS E SUCESSO NESSA JORNADA!!!

avatar
Elizabeth de Cássia
Mensagens : 76
Data de inscrição : 07/04/2017

Re: Desesperança

em 4/8/2017, 21:39
Bem,

Obrigada a todos que responderam... Olhando agora até me assustei um pouco, eu estava muito revoltada ontem a noite e hoje de manhã...

Broda,

Cara, valeu, sua resposta ajudou a me acalmar... Porque eu estava começando a pirar um cadinho. Acho que vc resumiu tudo, profissionais desatualizados!!! Acredito que isso seja o caso dela. Não ouso dizer quanto a competência dela, o meu namorado gosta da forma como ela trabalha os relacionamentos familiares dele...

Mas quando se trata do reboot e de pmo ela realmente vacila muito, e já soltou várias besteiras quanto a isso.

A dificuldade para a gente é dupla porque nós dois somos estudantes, sem independência financeira, Então, dois desafios: achar um profissional que tenha condições de trabalhar o vício + que seja acessível financeiramente.

A psicóloga dele é pelo plano de saúde, como os pais dele se recusam aceitar que ele tem problema com pmo, eles não vão pagar por outra psicóloga fora do plano, mas não vão meeesmo.

Ainda assim, levando em conta tudo que vc, Broda, a Esposa, o  Renovatio, o Vimes e o M.V falaram, iremos tentar procurar por outra pessoa para ajudar.

Com isso, ao menos por enquanto, meu namorado ainda vai tentar com ela e por isso, Renovatio muuuuito obrigada pelo link, eu já tinha visto há muito tempo atrás a chamada do vídeo, mas na época acabei não assistindo. Eu estou vendo agora Very Happy

Também pretendo junto a ele catalogar os sintomas presentes ainda hoje e outros que ele teve antes e durante nosso namoro. Agora que estou mais serena, consigo ter alguma esperança de que ela possa tentar entender nem que seja para não perder o paciente/cliente.

É triste demais isso, como Vimes e a Esposa testemunharam, até procurar psicólogo que compreenda a questão do vício em pmo é difícil...

Renovatio escreveu:
Ah, Beth, e posso garantir que é possível, sim, levar o reboot adiante mesmo sem ter relações sexuais. É falacioso o discurso da psicóloga. Quando estava afundado na P, achava que o namoro ia me fazer parar... não parei. Estou há alguns anos namorando e, por opção, eu e minha namorada não fazemos sexo. E posso garantir que é possível se manter firme quando se quer. Não é fácil, mas é possível.

Ahh, obrigada por reforçar isso, Renovatio!!!  

E prezados Vimes e M.V. não sou puritana, eu realmente acho sexo muito importante e que é preciso ter vocação específica para viver a vida toda sem isso, tipo padres ou freiras... Não é o meu caso Very Happy  

Apenas acredito em um caminho mais tradicional de se relacionar,  que envolve se doar por alguém por inteiro, corpo e alma, antes de chegar ao sexo, que seria a representação física dessa entrega... Enfim... pode parecer besteira, e talvez alguém pense, 'coitado do seu namorado!' haha Essa é a única forma que sexo faz sentido para mim. Respeito com todo carinho quem pensa diferente, que todos alcancem a felicidade  Smile

Ahhh cara, estou mais aliviada com essa história, muito obrigada a todos pelas considerações levantadas!

De fato, apesar da dor, esse fórum tem ajudado a acalmar meu coração quanto aos mil desafios que tenho que enfrentar com meu namorado!

Sou grata demais por isso,

Boa noite e um maravilhoso fim de semana para vocês!!

Atualizarei quanto o desenrolar dessa história com a psicóloga...

Abçs

Beth
avatar
Esposa deseperada
Mensagens : 44
Data de inscrição : 24/07/2017
Idade : 31

Esperança e força

em 8/8/2017, 13:57
Minha querida Beth, espero que a paz de Deus esteja em seu coração.
Desejo do fundo do coração que o período difícil logo passe e que seu amado moço seja livre para estar em seus braços.
Não deixe de dar notícias.

Abraços com muito carinho,

Esposa esperançosa
sarahackles
Mensagens : 14
Data de inscrição : 07/08/2017

Re: Desesperança

em 9/8/2017, 16:07
Ei Liz, acabei de ler o seu diário e a história com seu namorado. Estou impressionada com a similaridade entre nós duas. Além das nossas idades, o fato de você querer um namoro cristão assim como tenho com o meu namorado. A sua rotina também parece similar a minha, passo o dia todo estudando assim como você para o concurso, eu estou estudando para o meu mestrado, então eu tenho bastante tempo para me "desvirtuar" para pensamentos ruins assim como ocorrem contigo também. Enfim, eu estou realmente muito SURPRESA por encontrar outra mulher que esteja passando pelo mesmo que eu!!

Acredito que entendo você perfeitamente, sabe? Todos os seus sentimentos de persistir, de estar ao lado do seu namorado, tudo isso em nome do AMOR e somos tão jovens, em parte, nos considero tão ingenuas e ao mesmo tempo tão maduras para lidar com isso com tanta coragem. Já cansei de ouvir de pessoas mais velhas: "se livre dele, você não merece isso!"; "você é jovem, tem tudo pela frente, pense em você!" e mais frases desse tipo, que faziam com que eu me sentisse tão ingenua, como se não soubesse absolutamente nada da vida e estivesse perdendo meu tempo com ele.  

Quando eu descobri sobre o meu namorado, eu orei muito sabe? Se Deus estava querendo tirar ele da minha vida ou se eu deveria passar por isso ao seu lado, porque frases como "pelo menos você descobriu no namoro, imagina se tivesse casado?", "você sabe que ele não serve para ser seu marido né, isso é só um namoro", quer dizer?!?! Isso mexe com qualquer pessoa. Mas hoje enxergo que ninguém teria levado tão a sério esse assunto de vício quanto eu. Tantas pessoas estão tão alheias sobre as informações do prejuízo a pornografia, que elas simplesmente pensam "coisa de homem, pare de drama!" e NÃO! NÃO É COISA DE HOMEM! Não deveria ser. Não banalizem algo que vocês desconhecem!!!!

Como disse lá em cima, eu faço mestrado, portanto, sou pesquisadora por consequência e desenvolvo ciência e acredito totalmente nela! Quando eu li sobre os artigos científicos do Gary Wilson, minha convicção foi ainda maior! Pois ele me deu a teoria para aquilo que eu estava vivenciando na prática com o meu namorado. Foi um verdadeiro choque! Meu namorado tirou chacota de mim na primeira vez, mas a segunda aconteceu e eu realmente demonstrei com fatos, argumentos e que não era só um "ciuminho" das atrizes porno e da pornografia. Ou insegurança, como alguns adoram dizer por aí. "Todo homem vê porno, não ligue para isso, elas são artificiais e ele namora você! Você é a real, isso não muda em nada."      

Portanto te digo Liz, não desanime. Não sabemos o que o futuro pode reservar para nós, não há como saber se o relacionamento vai durar para sempre. Podemos esperar por isso e torcermos por isso e tentar. Te sugiro sempre manter o diálogo, além dos passos do reboot que são indicados, é claro. Meu namorado e eu estamos rezando o terço 1x na semana juntos e indo as missas juntos também aos domingos, para nós que acreditamos em Deus, é uma força a mais para fortalecer a relação, certo? Vocês podiam tentar. Eu me sinto um pouco melhor após rezar junto com ele. É um compromisso que fizemos, talvez os ajude também.

E a troca dessa psicóloga que parou nos anos 2000 também, por favor! Do jeito que ela saiu com o diploma, parece que ela ficou né? Deplorável! Como os colegas disseram, existem profissionais habilitados e os incompetentes. O meu namorado teve tanta sorte, que a psicóloga dele, na primeira sessão já afirmou "você tem um vício em PMO sim!". De tão sério que ela leva o assunto, meu namorado não poderia pagar 4 sessões por mês como ela queria, que seria 1 por semana, então ele começou a fazer 2 sessões por mês, de 15 em 15 dias. Mas na segunda sessão dele, ela disse que era muito tempo para eles ficarem sem conversar, então ela abaixou o valor da consulta e ofereceu uma sessão de graça para ele. Agora ele paga 3 e ganha 1 de graça e faz as 4 sessões por mês como ela queria. Fomos realmente muitos felizes em ter encontrado uma profissional como ela! Então sugiro que seu namorado procure outra, a psicóloga deve servir de apoio e auxilio e não atrapalha-lo por pura falta de conhecimento no assunto.    

Espero que tudo dê certo para ti Liz, estou na torcida por você e pelo seu namorado! Que vocês consigam superar e vencer essa batalha juntos! Vencer o vício é matar um leão por dia, mas com apoio e força, quem não seja mais fácil faze-lo certo?

Conte com meu carinho e força nessa,

Sarah.
avatar
Elizabeth de Cássia
Mensagens : 76
Data de inscrição : 07/04/2017

Re: Desesperança

em 10/8/2017, 12:46
sarahackles escreveu:
Acredito que entendo você perfeitamente, sabe? Todos os seus sentimentos de persistir, de estar ao lado do seu namorado, tudo isso em nome do AMOR e somos tão jovens, em parte, nos considero tão ingenuas e ao mesmo tempo tão maduras para lidar com isso com tanta coragem. Já cansei de ouvir de pessoas mais velhas: "se livre dele, você não merece isso!"; "você é jovem, tem tudo pela frente, pense em você!" e mais frases desse tipo, que faziam com que eu me sentisse tão ingenua, como se não soubesse absolutamente nada da vida e estivesse perdendo meu tempo com ele.  

Querida Sarah,

Eu fiquei muito surpresa também, quando postei no seu diário, tanto que escrevi muuuuito, porque me identifiquei demais contigo! Tempo de relacionamento, idade, agora também, a questão dos estudos...

Acho que foi um mimo de Deus para mim encontrar alguém em posição tão semelhante a minha porque ultimamente tenho estado muito abalada e cansada. Ouvi da madrinha do meu namorado, que recentemente ficou sabendo do vício, que eu sou apenas namorada dele e que não deveria estar lidando com tudo isso. Uma verdade que doeu.

E sim, é como vc falou, ingênuas e ao mesmo tempo com alguma maturidade e força para lidar com todo este problema que é o vício em pmo...

Eu também já escutei discurso semelhante,  "você é jovem, tem tudo pela frente, pense em você!". Eu nunca falei do vício dele para minhas amigas, mas em decorrência do vício tive que lidar com situações bem tristes ao longo do nosso namoro e minhas amigas ficam escandalizadas de como eu aguentava algumas coisas.

Semestre passado, por exemplo, tinha uma moça em uma das turmas dele que lembrava a ele muuuuuito pmo. Então ele n conseguia ver ela sem ficar extremamente alterado e fantasiando mil e uma coisas com ela... Eu não ideia de como suportei lidar com isso, tanto a partilha dele, quanto a situação toda, eu realmente não tenho ideia até hoje de como aguentei... Lembro que uma vez eu fui para adoração do Santíssimo no mesmo horário que ele tinha aula na sala dessa moça, fiquei na adoração o tempo todo da aula, porque ao menos ali eu sabia que estava com Alguém que me amava de forma inteira...

Tira a nossa paciência, né? Ouvir alguém dizer que pmo é só no âmbito virtual e que não terá consequências para o relacionamento. A maioria dos jovens de hoje começaram a ver pmo ainda quando crianças e mesmo que não acreditem ter problemas, dificilmente eles conseguiram parar de ver com facilidade se tentarem algum dia...

sarahackles escreveu:Quando eu descobri sobre o meu namorado, eu orei muito sabe? Se Deus estava querendo tirar ele da minha vida ou se eu deveria passar por isso ao seu lado, porque frases como "pelo menos você descobriu no namoro, imagina se tivesse casado?", "você sabe que ele não serve para ser seu marido né, isso é só um namoro", quer dizer?!?! Isso mexe com qualquer pessoa. Mas hoje enxergo que ninguém teria levado tão a sério esse assunto de vício quanto eu. Tantas pessoas estão tão alheias sobre as informações do prejuízo a pornografia, que elas simplesmente pensam "coisa de homem, pare de drama!" e NÃO! NÃO É COISA DE HOMEM! Não deveria ser. Não banalizem algo que vocês desconhecem!!!!

Isso me lembra algo que a Esposa certa vez falou, sobre ter sentido estar ao lado deles e dar apoio hoje, mesmo que o relacionamento acabe ou que eles escolham não lutar. Estamos dando a oportunidade e o apoio necessário para que eles reconheçam e possam viver uma vida livre, isso já é muita coisa, independente do resultado, sabemos que fizemos o que estava ao nosso alcance por quem amamos hoje.

E de fato, os pais do meu namorado não reconhecem que ele tem problema, sequer levam a sério as quedas dele. A mãe condena o uso de bloqueadores, diz que se ele quiser parar é só ter força de vontade. Ela tem muita dificuldade para lidar com o vício dele, registro aqui que ela sabia quando ele era adolescente e não conseguiu fazer nada para efetivamente pará-lo.  

Eu fui a primeira pessoa que entrou nesse mundo com ele na busca de como vencer esse vício. É como você falou, fazemos parte de um pequeno grupo de pessoas que consegue entender o quão sério isso é e podemos ajudá-los com nosso apoio seja para conhecer mais o vício seja para construir melhores estratégias para vencê-lo...

Pensar no que você falou agora me traz certo pesar... Quando comecei a namorar com Uzumaki, tinhamos 4 anos de amizade, e já começamos o namoro falando de casamento e rezando juntos diariamente, o terço da misericórdia e uma oração pelo nosso namoro, super empolgados e certos de que havíamos encontrado o amor de verdade. Afinal, o que poderia dar errado? Já conhecíamos o gênio um do outro há 4 anos, não havia dúvidas sobre os interesses que eram distintos e os que eram comuns, o que nos impediria de ficar juntos o resto da vida?

Falamos demais sobre casamento, sonhamos muito, esse sonhos permaneceram parte do nosso namoro msm após eu saber de pmo. O problema foi que com o tempo tudo ficou mais complicado, a certeza de que casaríamos e seríamos felizes juntos começou a se abalar com as quedas, mentiras, e o receio de que ele nunca se livraria desse vício e que isso poderia levar a uma traição real. Não sei se lembra, mas comecei esse diário após uma queda dele que o levou a ligar para uma garota de programa com o desejo real de ir concretizar com ela as fantasias de pmo dele.

Foi a oração que me manteve firme nesse namoro até hoje, que me fez suportar todas as quedas e mentiras dele. Infelizmente, não rezamos mais juntos todos os dias como antes, o desgaste de pmo alcançou também esse aspecto, meu namorado começou a se sentir controlado por ter compromissos fixos diariamente, seja com a oração, seja por ter que falar como estava com relação a pmo. Só hoje que vejo com clareza os danos que pmo trouxe para meu namoro, estamos ambos machucados e exaustos.

Eu adoraria fazer como você sugeriu, ir a missas juntos, porém, é um pouco complicado para mim e o Uzumaki porque moramos em cidades diferentes e nem sempre conseguimos nos ver em dias e horários que tenha missa. Quero tentar mais, apesar da dificuldade, obrigada por reforçar essa sugestão!

De fato, fico muito feliz por ti, espero que consiga manter as missas com seu moço... A fé é essencial para vencer qualquer vício... E acredito que não há remédio melhor do que estar juntos rezando com quem amamos... A Eucaristia então... nem se fala! !!

Desculpe ter me excedido na resposta, acabou sendo um pequeno desabafo também..

Com carinho,

Liz

_______________________________________
Meu diário:
http://comoparar.forumeiros.com/t5491-desesperanca
avatar
Elizabeth de Cássia
Mensagens : 76
Data de inscrição : 07/04/2017

Re: Desesperança

em 10/8/2017, 12:53
Esposa deseperada escreveu:Minha querida Beth, espero que a paz de Deus esteja em seu coração.
Desejo do fundo do coração que o período difícil logo passe e que seu amado moço seja livre para estar em seus braços.
Não deixe de dar notícias.

Abraços com muito carinho,

Esposa esperançosa

Prezada amiga,

Obrigada pelo carinho e pela preocupação... De fato, me escondi um pouco do fórum, a dor tava tamanha que evitei pensar muito nisso nos últimos dias... Eu amo meu namorado e conseguimos ter momentos maravilhosos quando estamos juntos fisicamente conversando, namorando, estudando...

Por outro lado, quando estamos longe, tem sido bem difícil todas as conversas, parece que tudo está contaminado de controle, sabe? Eu sugiro que ele saia um pouco e ele pira achando que eu estou tentando controlar todas as ações dele. Eu não estou, mas ele está bem fragilizado quanto toda a exposição recente do vício e com a necessidade urgente de atividades de religação, e tem sobrado para mim...

Acabei por adquirir algum receio de como falar com ele, nos machucamos bastante com conversas bobas por mensagens nos últimos dias, é muito triste...

Mas e você? Espero que esteja bem... Avanços com seu marido na luta? Ele tem mantido a terapia?

Muita força para vocês, estou na torcida e rezando também!!

Com carinho,

Beth

_______________________________________
Meu diário:
http://comoparar.forumeiros.com/t5491-desesperanca
avatar
Torneira
Mensagens : 248
Data de inscrição : 05/08/2016

Re: Desesperança

em 14/8/2017, 10:10

Elisabeth, tudo bem contigo?
Alguma avaliação nova, algo mudou por aí?
Estamos sempre no apoio e na torcida!

_______________________________________
avatar
Elizabeth de Cássia
Mensagens : 76
Data de inscrição : 07/04/2017

Sobre confiança, esperança e futuro...

em 15/8/2017, 18:45
Hey torneira,

Obrigada pelo cuidado!
Acabei me afastando porque queria mudar o foco um pouco. Deu e não deu certo... Estudei mais e vi séries coreanas, são bobas mas eficientes para ocupar a cabeça... Coração continua dolorido...

Meu namorado e eu chegamos a considerar a possibilidade de q eu fosse conversar com a psicóloga dele, mas desistimos porque eu não estava em condições de ser paciente e calma o suficiente para lidar com ela.

Ahh deu umas tretas com o plano de saúde e ele meio que desistiu da vaga com ela. Então, no momento, ele está sem psicóloga.

Infelizmente, meu namoro continua em uma situação um pouco desagradável, há um cansaço e um desgaste persistente sob nós dois...

Sei pela voz dele quando ele não está bem, mas nem sempre posso ou consigo fazer algo para ajudar ele.

Como vcs bem sabem, hoje, meu namorado não tem tanta dificuldade em ficar longe de pmo em si, já que os bloqueios estão razoáveis, as dificuldades dele até onde ele me atualizou continuam com relação a fantasias com as garotas q ele se sente atraído por aí...

Se isso é avanço em algum nível eu n sei...

Para mim, já não sei o que é mais desgastante pensar que qualquer par de peitos e bunda de pessoas reais o atrai ou lembrar q isso é motivado por um vício em algo virtual...

Sinto saudades da época em que ele ainda era apaixonado por mim e tenho muita dificuldade hoje de acreditar em meu coração que ele realmente se importe e se sinta atraído por mim.

Minha mente insistiu em ir para lugares ruins nos últimos dias, como se ele estivesse prestes a me trair ou a se apaixonar por alguém...

E isso acaba com meu ânimo para continuar lutando...

Porque é impossível, humanamente falando, alguém se sentir atraente namorando com um moço viciado em pmo que continua fantasiando com outras moças q vê nas aulas...

Em teoria, eu tenho 22 anos, eu ainda sou ok, meu corpo ainda é alguma coisa. Que perspectiva terei qd estiver velha, como poderei aguentar continuar com ele? Se hoje aparentemente qq opção parece mais atraente?  É preciso muita esperança e luta da parte dele para chegarmos em uma situação onde haja perspectivas futuras novamente...

Sim, estou choramingando aqui, mas sei que o problema também está em mim, preciso lidar com minha auto estima, que nunca foi muito boa, ao menos isso eu posso mudar...

Enfim, estou bem bostinha... Ahh, entendam, eu sei que essas coisas não implicam que ele não goste de mim, ou que eu não seja atraente, ou qq coisa do gênero, as consequências do maldito do vício e de uma cultura hiper sexualizada, além dos próprios impulsos alimentados por ele...

Quem está machucado é meu coração, porque mesmo em toda essa merda, eu ainda sou extremamente apaixonada pelo meu namorado... E independente de todas as razões e motivos que ele teve para se perder em pmo ao longo da história dele. Oh que mundo ideal seria se ele fosse livre para me amar!!!! Como meu coração anseia por isso!!

Minhas postagens sempre gigantes, perdoem-me todos aqueles que se esforçam para ler... provavelmente exagerei em algum ponto...  Coração é um trem bobo, né?

Meu único consolo e que sei em quem colocar esse coração machucado, Deus vai cuidando da gente, mesmo com tanto choro e tanto erros bobos, ao menos acredito nisso...


Com carinho,

Beth

_______________________________________
Meu diário:
http://comoparar.forumeiros.com/t5491-desesperanca
_Anonymus
Mensagens : 126
Data de inscrição : 08/06/2017

Re: Desesperança

em 16/8/2017, 08:48
Olá, Elizabeth!

Lendo o seu relato, percebo o quanto este vício afeta de forma direta e indiretamente nossas parceiras. Dá pra sentir a tristeza pelo teor de suas palavras, e imagino o quanto deve ser difícil superar todo esse medo e essa angústia.



Última edição por _Anonymus em 28/8/2017, 13:29, editado 1 vez(es)
avatar
Esposa deseperada
Mensagens : 44
Data de inscrição : 24/07/2017
Idade : 31

Re: Desesperança

em 16/8/2017, 13:07
Bom tarde minha irmãzinha de luta!!!

Olha como Deus é maravilhoso, olha que palavras do Anonymus, estou em prantos.

Gratidão é essa palavra, por Deus ser misericordioso e tocar as pessoas para que nos motivem a  continuar na luta de namorada/esposa de viciados.

Como Deus vai provendo nossa força e segurando nas nossas mãos não?

Não esqueça de cuidar de você, ame-se e sinta-se bonita, porque você é linda e perfeita do jeito que Deus te fez  Very Happy

......apesar de ser quase impossível isso neste momento,  somos humanas.

Te falei né? Hoje só seguro a onda um pouco melhor porque estou fazendo terapia, apeguei- me com força em Deus, na academia e no yoga.

Muitos abraços carinhosos e não se esqueça....você não está sozinha, estamos aqui!!!

beijos,

esposa esperançosa
Conteúdo patrocinado

Re: Desesperança

Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum