Ir em baixo
avatar
SrDesespero
Mensagens : 32
Data de inscrição : 13/01/2019

Diário de um Desesperado  - Página 3 Empty Re: Diário de um Desesperado

em 7/4/2020, 07:13
Oii peço desculpas por sumir, não estive bem esses dias e estou fazendo TCC o que tá acabando comigo vou tentar responder as perguntas no geral.
Gillys, meu pai era aposentado aí o INSS entrou com um recurso e suspenderam a aposentadoria dele, ele recorreu mas o processo tá a anos na justiça e sinceramente ninguém tem mais esperança de que vai sair alguma coisa, ainda estão piorando e querendo que ele devolva todo o dinheiro durante o período que ele recebeu o benefício. É uma história bem triste. Sobre o outro ponto sim eu saio umas 2 ou 3 vezes no ano, meus amigos me apoiam nesse ponto sempre que podem mas sinto muito desconfortável, eu quando eu saio com eles pra algum lugar meu gasto é minúsculo geralmente gasto só com transporte e pra ser sincero vou para a alegria deles porque não gosto de sair de casa ( ou pelo menos acho que não gosto, não sei até que ponto a pornografia roubou isso de mim também e se eu uso isso como desculpa pra não sair de casa).
David, já fiquei com homens sim nem sou virgem (se eu fosse acho que seria melhor, por outro lado penso que eu estaria surtando por me achar o bizarro mais que já acho). Com mulheres nunca eu tenho uma certa admiração irracional por elas (acho que devido a minha criação). Meu irmão é um cara hetero, 10 meses mais novo que eu (atualmente eu 21 e ele 20 anos) nossas conversas não são tão profundas ele me apoia(como todo mundo na família) mas não conversamos sobre caras/garotas ou coisa do tipo, esse é nosso jeito. Ele parece ser o irmão mais velho e e eu o caçula problemático. Em questão de postura e respeito ninguém é melhor que ele. Minha mãe é católica (não muito praticante mas ela acredita e segue o que é possível seguir dentro do nosso contexto de vida.
Oi Ventura obrigado cara, acompanharei você também valeu pela mensagem.
Pessoal obrigado pelo apoio, atualizarei meu status ainda hoje.
avatar
SrDesespero
Mensagens : 32
Data de inscrição : 13/01/2019

Diário de um Desesperado  - Página 3 Empty Re: Diário de um Desesperado

em 7/4/2020, 08:26
Então pessoal, estou sumido eu sei, felizmente não volto trazendo a notícia de que recaí. Estou a 64 dias longe da pornografia quase a metade do tempo do meu último reboot. Bom como eu falei anteriormente meu TCC e o sistema de vida remota estão acabando comigo por isso sumi.
Continuo na mesma luta de sempre mas passei a adotar o mantra "Eu não sou um pau" sempre que sinto que estou "bitolando" com isso e tem tido resultados ou pelo menos uma mudança. Percebi que minha objetificação era voltada a mim mesmo, enquanto eu enxergava nas pessoas que elas eram mais que um pênis eu estava internalizando toda essa questão eu me tratava como um pênis e uma bunda ambulantes. Ainda me sinto inferior por causa do meu corpo não só por aspectos que eu posso mudar (meu peso por exemplo) mas principalmente pelo que eu não posso mudar (cor dos meus olhos, o tipo de cabelo, meu nariz, meus pêlos, minhas costas, minha boca, minha voz, minha imagem e por aí vai). Acredito que todo pensamento de cunho sexista, machista, de objetificação e até mesmo racista(me dói admitir mas a maioria é por questões da estrutura que fui criado) eu internalizei, trouxe pra mim. Ao invés de eu ser sexista, machista e objetificar outros pessoas, eu estava fazendo isso comigo mesmo. Sou extremamente tolerante e me policio constantemente para não reproduzir nada disso com os OUTROS mas comigo... Tudo era ao mesmo tempo. Meu tom de pele não é o que mais agrada, meu cabelo (nossa eu realmente tenho problemas com meu cabelo e pelos no geral, ele é crespo a propósito) minha voz é feminina demais, meu pênis é pequeno demais, sou impotente aos 21 anos, não tenho certeza se consigo dar prazer pra alguém, constantemente acho que estão mentindo sobre minha postura na cama. Todas essas questões estão na minha cabeça e são meio paralisantes. Sempre pensei isso antes mesmo da pronografria entrar na minha vida, ela só acentuou esse meu problema de auto estima. Umas das minhas lembranças mais antigas envolve não me identificar com a imagem que vejo no espelho, a ponto da minha auto imagem ser totalmente deturpada (isso aconteceu quando eu era bem criança) até já falei isso aqui no diário antes. Com o tempo isso diminuiu seja porque eu passei a ignorar esses pensamentos ou suprimi-los de alguma forma, eu achava que tava tudo bem mas parece que não tá. Já cheguei a conversar com um psicólogo sobre essas questões de auto imagem, ele chegou a achar que fosse uma pessoa trans (?), O que pra mim não faz muito sentido pois acredito que a única coisa mais ou menos compatível em mim é o meu gênero. Enfim agora que percebo isso e estou realmente assustado e um pouco descrente de que as coisas funcionem pra mim.
Nesse tempo em que eu sumi, eu pensei em desistir de tudo, tudo mesmo, a vontade sempre esteve comigo a vida toda (aparentemente eu cresci sentindo que se não posso atender minimamente as minhas vontades, não se vale a pena viver) mas isso é tópico para outra hora (ou nunca quem sabe, nenhum profissional, 3 deles, gosta de discutir isso comigo não sei porque).
Essa vontade de desistir passou perto de voltar pra masturbação mas meu corpo aparentemente rejeita a masturbação até certo ponto, por exemplo por algum motivo rapazes os quais eu converso resolveram que seria uma ótima ideia para alguém como eu (inexperiente, problemático e inseguro) assitir pornografia pra "aprender" o que deve ou não ser feito, isso me tirou do sério porque mandam links de jeito que não consigo ver o site antes de clicar, aconteceu de eu abrir, o que me surpreendeu foi a forma como meu corpo reagiu, primeiro tive calafrios sensação de que estava fazendo algo perigoso e que deveria sair dali o mais rápido possível mas estranhamente ao mesmo tempo tive uma calma de sair da situação tranquilamente como quem fecha um site de receitas. Não tive ereção diante dos segundos que eu analisava o que tava acontecendo (não passei nem perto), muito menos vontade de me masturbar, isso é real achei surpreendente. Não sinto muitas vezes fissura pela pornografia e masturbação, desde o outro Reboot, já vontade de transar eu sinto as vezes.
Algo que me assustou foi que todo homem que eu conheci "aprendeu" com a pornografia o que fazer e não fazer no sexo. Ainda estou aceitando a ideia de que não sou um super homem e que pessoas reagem de formas diferentes quando expostas a um estímulo viciante, o que é bem difícil pra mim visto que minha vida é totalmente baseada em comparação e análise, pois comparo tudo comigo com os outros. Isso é errado eu sei mas como desconstruir 21 anos de uma criação que eu passei a vida inteira achando ser perfeita?
A minha vontade de desistir de tudo continua comigo e os motivos pelos quais ainda não cedi são bem "altruistas" mas tristes, penso na minha família, com o fato deles passarem necessidades, amo cada um deles mas me sinto refém das necessidades deles. Não gosto da sensação de que minha vida é essencial somente para que outra pessoa viva. Por favor não pensem que sou egoísta ou algo do tipo mas é que passei a vida toda pensando nos outros, vivendo pros outros e isso me assusta demais.
Estou aqui no Reboot como a única coisa que faço pensando em mim e até fazendo ele também penso nos outros, o medo de decepcionar sexualmente, de ser rejeitado mais uma vez pelo meu corpo e minhas incapacidades momentâneas ou não.
Sentimentos de hoje são: medo, raiva, angústia e desespero.
Obrigado por lerem ou não, se fui repetitivo me perdoem, eu sou bastante repetitivo mesmo.
Abraços.
ANDRÉ-
ANDRÉ-
Mensagens : 131
Data de inscrição : 06/04/2020
Localização : Belo Horizonte

Diário de um Desesperado  - Página 3 Empty Re: Diário de um Desesperado

em 7/4/2020, 08:40
SrDesespero escreveu:Oi me chamo E., Tenho 21 anos, sou gay e estou escrevendo, sem brincadeira, por causa de desespero, eu me sinto atualmente o pior homem do planeta, se é que eu consigo dizer que  sou homem mesmo.
Eu sou viciado em PMO desde muito pequeno. Sempre fui tímido e isso me deu uma vida sexual relativamente tarde, dei meu primeiro beijo e e tive minha primeira relação sexual com 18 anos na faculdade, traumática.
Eu tive 6 relações sexuais na minha vida e 95% delas eu fui passivo.
Mas eu percebi que durante minhas relações sexuais eu não sentia nada que chegasse perto da M. Durante minhas sessões intermináveis (eu praticava edging durante no mínimo 1 hora e 30 mas já fiz durante 3 horas), era eu comigo mesmo e a Tela do celular no banheiro e eu achava que o sexo seria do mesmo jeito mas não foi.
Eu já fiz o Reboot antes fiquei 5 meses exatos de Reboot no modo hard, eu desviava de tudo que era sexual e tava tudo bem mas devido as situações da vida eu tive uma recaída e tudo começou a se perder.
Voltei a perder minhas ereções espontâneas levantava e ia dormir pensando na hora que eu ia voltar pro banheiro pra conseguir ter 6 segundos de prazer depois de 2 horas de "sessão" eu repetia isso umas 2 vezes no dia. Minha baixa autoestima me dava uma justificativa pra continuar fazendo: "ninguém vai me querer mesmo", "eu não tenho nenhum prazer na vida então tudo bem eu me dar esse prazer", esse tipo de pensamento que eu usava pra justificar meus atos.
O impacto veio logo nas minhas primeiras experiências durante a relação eu desligava parecia que eu saía de órbita e me via fora do meu corpo, e não sentia prazer Absolutamente nenhum mas eu era passivo e quando se é passivo mesmo que não se sinta muita coisa (como no meu caso) o sexo não parava (deveria eu sei mas não sabia como falar), agora quando eu tentei ser ativo a coisa se desandou e pela primeira vez encarei o que eu acho que é a minha maior cruz, não consigo manter ereções, nada me excita, nem toque nem beijo, nem nada, eu sentia que os meus parceiros estavam excitados mas eu não tinha a mesma reação biológica ao ato, a dor de  passar por isso é indescritível.
A partir disso fui sempre mais passivo mas de verdade não gosto da experiência não me sinto completamente confortável, eu me considero versátil mas não sei se posso me descrever assim talvez sexo não seja pra mim.
Mas continuando, essa semana tive minha primeira tentativa de ter uma relação sexual sendo ativo indo exclusivamente pra isso (eu sendo o ativo da relação), foi a experiência mas esmagadoramente triste da minha vida, minha masculinidade foi a zero no dia (logo eu que achava que tinha uma masculinidade forte), eu não só não  conseguia atingir a penetração eu não sentia prazer nenhum, foram as piores 1 hora e 30 minutos da minha vida, eu tremia e não conseguia nada.
Digo pra vocês o desespero bateu muito forte mas não só ele a raiva também, eu queria gritar e esmurrar a parede.
Eu não consigo descrever o que um jovem de 21 anos sentiu ao perceber que qualquer um consegue fazer o que eu não podia fazer, eu frustrei o dia de alguém (ele foi muito gentil mas mesmo assim), dei pra uma pessoa a pior relação da vida dela, além de eu ter virado história porque tenho certeza que ele numa roda de amigos vai contar dessa experiência e eles vão rir.
Quando penso na vergonha que eu passei e "neles" rindo eu tenho vontade de morrer e não digo isso como exagero eu realmente penso em morrer.
Fico pensando o que eu fiz de errado pra merecer isso não numa visão religiosa ou coisa do tipo mas fico pensando porque os outros conseguem e eu não.
O mundo gay é tão selvagem e intolerante.
Eu já sou um cara gordinho, com muitos pêlos no corpo e pra piorar não consigo transar. Sou o esteriótipo encarnado daquela idéia que todo mundo tem de pessoas como eu.
Isso não podia estar acontecendo comigo tinha que ser natural e eu não consigo ser natural.
Eu tenho fobia social mas consigo conversar superficialmente com as pessoas mas não consigo ir no supermercado, no shopping, no banco sozinho, a ideia de ir na farmácia comprar um lubrificante me parece utópica e é mesmo.
Meu vício não ajudou nada nisso.
Eu escrevo isso chorando igual um bebê, eu não sei o que fazer além de óbvio iniciar o Reboot de novo.
Eu só quero ser normal ou melhor me sentir normal, tô muito perto do meu limite, muito perto mesmo.
Eu tô implorando ajuda porque cada dia que passa tá mais difícil e perigoso pra mim.
Esse é um pedaço da minha história, se alguém puder me ajudar vocês são minha última esperança de apoio.

Obrigado pela atenção.

OLÁ MEU CARO.
LI SEU RELATO E SAIBA QUE NÃO ESTÁ SOZINHO NESSE PROBLEMA.
TE ACHEI BASTANTE ESGOTADO COM A SITUAÇÃO.
PENSE SERIAMENTE EM PROCURAR AJUDA MÉDICA. ÀS VEZES, A DEPRESSÃO CAUSADA PELA PORNOGRAFIA RETROALIMENTA O PROBLEMA E NÃO NOS DEIXA MELHORAR. NÃO NECESSARIAMENTE VC IRÁ FALAR DE INÍCIO O SEU PROBLEMA, MAS PODE SER QUE O MÉDICO PRESCREVA PARA VC UM ANTIDEPRESSIVO QUE PODE AJUDAR NO PROCESSO , JUNTO COM O REBOOT.

ABS
avatar
marcosbanc
Mensagens : 533
Data de inscrição : 07/01/2018

Diário de um Desesperado  - Página 3 Empty Re: Diário de um Desesperado

em 7/4/2020, 19:47
Querido, quanto mais você se cobra, mais problemática fica nossa mente. Sexo não é nada estático, não é padronizado, há coisas que eu gosto e outras pessoas não, posições que me favorecem e outras não. A pornografia só empurra goela a baixo que nosso pênis precisa estar 100% ereto todo o tempo, que necessitamos transar todo dia, N padrões de beleza inalcançáveis.
Eu parto da premissa que: se eu puder melhorar algo, irei correr atrás disso. E você pode fazer isso.
A pornografia não é um passa-tempo, é uma doença. E a gente precisa se curar disso, parar de alimentar nosso cérebro com rios de dopamina, isso que nos adoece.

Coloca isso na sua cabeça: nosso cérebro é burro e facilmente manipulável. O que você precisa é cortar esse maná de dopamina e alimentá-lo de outra forma que não a pornografia, entende?

Pense nisso.

_______________________________________
Visite meu diário e me ajude a vencer!

http://www.comoparar.com/t6668-reboot-marcos
avatar
Gillys La Vie
Mensagens : 50
Data de inscrição : 17/03/2020
Idade : 36
Localização : Rio de Janeiro

Diário de um Desesperado  - Página 3 Empty Olá!!!

em 7/4/2020, 20:58
Realmente Tcc é um parto a fórceps!
De fato o Inss complica a vida de quem necessita
Mesmo que saía para satisfazer seu amigos vá mesmo assim é importante para vc.
Fiquei contente com seu textão pois ainda que existam elementos que demonstrem sua baixa- auto estima consegui percebe uma mudança de atitudes. Parabéns por vc não ser um pau ou uma bunda isso é muito importante pra nós. Acredito que vc expor sua insatisfação quanto ao seu corpo é importante, pois quando falamos libertamos algo que está dentro de nós. O caminho da aceitação não é fácil. TMbm já tive neuras com minha altura, tamanho do meus pés, meu pelos é depois fui vendo que ser fora do "padrão " era um plus. Na minha adolescência ser liso era obrigação no entanto hoje pelos é barba estão na moda. Tem gosto pra tudo!
Cra, se quando vc fala de desistir de tudo estiver falando de suicido, te digo que esse não é o melhor caminho, pq vc se livra dos seus problemas neste mundo mas condena sua família a conviver que este ato e se culparem por isso. Se vc tiver alguma espiritualidade saiba que todas as religiões condenam e o espiritismo diz que para quem faz esta passagem é uma agonia imensa vivida no outro lado. Então sua opção é desabafar conosco e buscar forças para vencer essa fase de sua vida. Apóie-se no seu irmão e pense como ele ficaria caso vc desistisse de tudo. Bjs

_______________________________________
avatar
SrDesespero
Mensagens : 32
Data de inscrição : 13/01/2019

Diário de um Desesperado  - Página 3 Empty Re: Diário de um Desesperado

em 8/4/2020, 01:34
Oi obrigado a todos pelo engajamento e apoio. Vou responder cada um.
André: eu sei que preciso de ajuda médica mas as circunstâncias da minha vida me fizeram afastar dessa possibilidade (e nem tô falando de Corona) eu sei que preciso de ajuda médica especializada urgente mas é complexo. Obrigado pelo apoio.
Marcos: sim entendo perfeitamente o que quis dizer, ainda não encontrei com o que substituir o prazer errado que a pornografia me dava, me sinto constantemente vazio mas continuo firme forçando minha convivência com esse vazio, sei que não vou voltar pra pornografia porque dessa vez se eu voltar provavelmente vai ser a última. Obrigado pelo apoio.
Gillys: tá bem complicada minha situação. Me forço a ir em encontros sociais mesmo que seja uma tortura sem fim (ainda não sei se gosto ou se é a fobia social que a pornografia trás falando). Acho nunca vou superar minhas neuras e falar "nossa eu me amo", se eu conseguir viver uma vida normal com elas provavelmente vai o máximo que vou conseguir. Como conseguiu perceber que ser fora do padrão era um "plus" porque pra mim tá sendo uma "cruz". Ah e sobre ser liso... Ainda é obrigação entre os caras da minha idade pelo só se for na barba e eles tem que ser lisos e cirurgicamente aparados. Mas é verdade tem gosto pra tudo.
Minha relação com a ideia de morte é bem difícil de explicar, mas lido com pensamentos suicidas desde muito novo eu era obcecado com o que tinha depois da morte(acho que até já falei sobre isso em algum momento), mas um eu continuo vivendo só por causa da minha família e é meio bizarro viver pro outro, os dias são extremamente parecidos mudam acho que só as datas. Ah eu não tenho uma religião ou algo do tipo, queria muito conseguir lidar com essas questões mas eu racionalizo demais (muitas vezes do jeito errado é verdade). Não funciona comigo. Pode não parecer mas estou tentando é que é difícil achar a luz no fim do túnel quando se é cego.

Bom espero que eu não tenha desanimado ninguém com relação a mim, espero estar melhor amanhã do que hoje. Estou triste agora de madrugada.
Mas obrigado pelo apoio de todos vocês.
avatar
SrDesespero
Mensagens : 32
Data de inscrição : 13/01/2019

Diário de um Desesperado  - Página 3 Empty Re: Diário de um Desesperado

em 8/4/2020, 11:23
Bom olha eu de novo, provavelmente o cara mais diferente aqui. Hoje vai ser mais um desabafo se quiserem podem ignorar acho que não vai acrescentar muito ao meu reboot., Mas é aquela história "Quem gostou bate palma, quem não gostou paciência" (brincadeira).
Acho que estou bem só cansado. Estou pensando em mim e meu Reboot. Fui ler diversos diários e percebi que tenho uma história parecida com a da maioria mas percebi que tenho diferenças(óbvio ninguém é igual), eu não sei se posso chamar de privilégios.
Sou viciado em pornografia, masturbação e orgasmo tenho plena certeza disso mas percebi que reajo de forma diferente da maioria, o Reboot em si não é uma dificuldade absurda pra mim, tem suas dificuldades com certeza mas não me sinto compelido a masturbação durante grande parte do dia. O que quero dizer é que a sensação que tenho é que a minha fissura age sobre mim de maneira diferente. Pensei em todas as vezes que eu perdi meu Reboot. Foi praticamente voluntária eu podia ter continuado mais mas eu simplesmente joguei fora porque estava com medo do que estava por vir.
Sempre que penso que vou perder o Reboot, nunca é porque houve um gatilho sexual pra isso e sim porque eu quis me sentir livre do medo e me sentir "normal" (sim eu sei que normal é uma palavra perigosa e meio estranha).
Onde eu quero chegar é que eu fico pensando se alguns rebooters tivessem essa "vantagem" o quanto eles estariam melhores e felizes com a vida. Vejo a luta de tantas pessoas indo com garra e coragem e eu aqui. Não acho justo com elas, sei que a vida é injusta mas não consigo parar de pensar nisso. Acho que tem algo de errado comigo. Eu poderia estar bem melhor mas não estou, fico preocupado até onde isso vai.
Queria explicar melhor mas não consigo.
Por outro lado vem a minha mente que talvez essa "vantagem" que tenho pode ser reflexo de problemas que eu ainda não descobri, sinto que não sou merecedor do sucesso.
Espero não estar sendo confuso demais, estou com medo de parecer condescendente ou metido.
Estou indo um dia de cada vez.
Tive diversas melhorias, minha ereções matinais voltaram um pouco, tive relações sexuais (de 0 a 100 eu daria uns 35), mas continuo sempre vazio, falta motivos pra continuar.
Cheguei aos 21 anos percebendo que não aprendi nada que importa. Consigo calcular uma integral tripla mas não consigo me relacionar afetivamente com alguém. Não consigo comprar camisinhas (e muito menos usá-las diga-se de passagem, o que é muito perigoso eu sei) parece brincadeira mas não é. Acho que ainda sou uma criança num corpo adulto, lidando com responsabilidades maiores que eu mesmo ao mesmo tempo que penso em formas de alguém gostar de mim, igual um adolescente.
Essa discrepância me irrita, tem uma lacuna na minha vida entre a infância e a fase adulta que não sei como resolver, me faltam experiências empíricas que me dariam ferramentas pra lidar com a fase adulta, já queimei muito neurônio pensando nisso e nunca chego numa resposta ou pelo menos parte de uma.
Fico pensando de quem é a culpa disso tudo. Minha? Por não ter percebido antes o que me atrapalharia hoje? Dos meus pais, pela forma como fui criado, mesmo sabendo que eles deram o melhor que podiam? Da minha sexualidade? Porque sei que provavelmente estaria namorando hoje se eu fosse hétero ou pelo menos já teria namorado (já fui pedido em namoro pela "mulher da minha vida")
Acho que pensar nisso não ajuda muito mas a vida inteira fiz isso, nunca tive experiências suficientes, levantava o máximo de informações com outras pessoas que tinham passado pela situação e toma uma decisão. Foi assim a vida inteira.
Queria quebrar esse ciclo, fazer uma mudança total, me redescobrir. A pergunta é por onde? Acho que já cavei minha própria cova sem nem ver.
Estou exausto diante de tudo isso.
Parando pra pensar acho que vocês devem me achar uma pessoa triste, quieta no meu canto, que chora da madrugada todo. O pior que não sou assim: sou muito comunicativo, gosto de dar atenção as pessoas, amo ouvir histórias e de fazer as pessoas rirem, por mais que não goste de ambientes lotados de pessoas, sou muito sociável (o paradoxo do cara que diz ser sociável mas que tem vergonha de comprar camisinha na farmácia, ou qualquer outra coisa). Não sei porque mas minha escrita é sempre triste ainda mais falando de mim.
Bom desculpa pelo texto não tenho a quem dizer isso sem me mandarem calar a boca ou soltarem um "foda né cara".
Obrigado pelo apoio.
ANDRÉ-
ANDRÉ-
Mensagens : 131
Data de inscrição : 06/04/2020
Localização : Belo Horizonte

Diário de um Desesperado  - Página 3 Empty Re: Diário de um Desesperado

em 8/4/2020, 15:05
SrDesespero escreveu:Oi obrigado a todos pelo engajamento e apoio. Vou responder cada um.
André: eu sei que preciso de ajuda médica mas as circunstâncias da minha vida me fizeram afastar dessa possibilidade (e nem tô falando de Corona) eu sei que preciso de ajuda médica especializada urgente mas é complexo. Obrigado pelo apoio.
Marcos: sim entendo perfeitamente o que quis dizer, ainda não encontrei com o que substituir o prazer errado que a pornografia me dava, me sinto constantemente vazio mas continuo firme forçando minha convivência com esse vazio, sei que não vou voltar pra pornografia porque dessa vez se eu voltar provavelmente vai ser a última. Obrigado pelo apoio.
Gillys: tá bem complicada minha situação. Me forço a ir em encontros sociais mesmo que seja uma tortura sem fim (ainda não sei se gosto ou se é a fobia social que a pornografia trás falando). Acho nunca vou superar minhas neuras e falar "nossa eu me amo", se eu conseguir viver uma vida normal com elas provavelmente vai o máximo que vou conseguir. Como conseguiu perceber que ser fora do padrão era um "plus" porque pra mim tá sendo uma "cruz". Ah e sobre ser liso... Ainda é obrigação entre os caras da minha idade pelo só se for na barba e eles tem que ser lisos e cirurgicamente aparados. Mas é verdade tem gosto pra tudo.
Minha relação com a ideia de morte é bem difícil de explicar, mas lido com pensamentos suicidas desde muito novo eu era obcecado com o que tinha depois da morte(acho que até já falei sobre isso em algum momento), mas um eu continuo vivendo só por causa da minha família e é meio bizarro viver pro outro, os dias são extremamente parecidos mudam acho que só as datas. Ah eu não tenho uma religião ou algo do tipo,  queria muito conseguir lidar com essas questões mas eu racionalizo demais (muitas vezes do jeito errado é verdade). Não funciona comigo. Pode não parecer mas estou tentando é que é difícil achar a luz no fim do túnel quando se é cego.

Bom espero que eu não tenha desanimado ninguém com relação a mim, espero estar melhor amanhã do que hoje. Estou triste agora de madrugada.
Mas obrigado pelo apoio de todos vocês.

FALA MEU CARO.
COMECEI AGORA  MEU PRIMEIRO REBOOT E NÃO SEI SE TEREI RECAÍDAS. MAS SE TIVER, TEMOS QUE ACEITAR QUE SOMOS HUMANOS.
QUANDO PUDER PENSE COM CARINHO DE TER A  AJUDA DE UM PROFISSIONAL. SE EU NÃO ESTIVESSE TOMANDO ANTIDEPRESSIVO PROVAVELMENTE TODOS ESSES ANOS TERIAM SIDO MUITO MAIS PENOSOS PARA MIM.

INICIEI JUNTO COM O REBOOT A MEDITAÇÃO ( QUE NUNCA FIZ NA MINHA VIDA ). SEMPRE ACHEI QUE FOSSE ALGO QUE NÃO AJUDASSE OU PARA ADEPTOS DO ESOTERISMO...

HJ TEM VÁRIOS VIDEOS NA INTERNET PARA AJUDAR A MEDITAR. SÓ SEI QUE QUANDO ME DEU FISSURA DE PMO , FIZ MEDITAÇÃO E A VONTADE PASSOU. FICA A DICA ( ACHO QUE É BOA E SEM CUSTO).

TENTE LER O LIVRO ATENÇÃO PLENA ( MINDFULNESS). VAI AJUDAR BASTANTE TB.

ABRAÇO FRATERNO
avatar
SrDesespero
Mensagens : 32
Data de inscrição : 13/01/2019

Diário de um Desesperado  - Página 3 Empty Re: Diário de um Desesperado

em 9/4/2020, 16:48
Obrigado André,
Eu já cheguei a usar ansiolítico durante um tempo, de verdade não senti praticamente nada. E pra ser sincero eu fujo de qualquer tipo de remédio nesse sentido porque se funcionar, eu provavelmente vou usar de muleta e com certeza corro grande risco de num belo dia eu tomar todos de uma vez.
Eu preciso sim de ajuda profissional e quero muito mas minha realidade torna isso quase impossível.
Muito obrigado pelo apoio, de verdade.
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum