Ir em baixo
avatar
Esposa
Mensagens : 105
Data de inscrição : 20/07/2020

Diário do Red Angus - Página 3 Empty Re: Diário do Red Angus

em 16/8/2020, 13:48
Red Angus escreveu:
Esposa escreveu:      Olá, Red Angus! Entrei no seu diário por acaso e fui me prendendo a tudo o que você veio descrevendo. A princípio quero me apresentar a você e falar sobre o meu caso, tá bem?
     Tenho 32 anos e meu esposo tem 45. Estamos juntos há 7 anos, sendo 2 anos de casamento. Bem, desde o início do namoro ele nunca demonstrou muito interesse em sexo, normalmente era apenas uma vez no fim de semana, e eu por vergonha (ele foi meu segundo namorado com relação sexual) nunca tive coragem de cobrar nada dele, mas eu sempre tive vontade de mais. Muitas vezes que íamos ter relação ele tinha DE e acabava chorando, isso foi criando mais um bloqueio em mim que eu comecei a nem demonstrar que queria, sempre esperava pelo momento dele, para não deixar ele constrangido.
      O meu esposo é obeso e 13 anos mais velho que eu, eu achava que isso poderia ser por esse motivo, tentei apoiar dieta, pedi que ele fosse em urologista e ele nunca dava bola, nunca deu continuidade. Aí fui deixando, ele sempre foi um parceiro maravilhoso pra tudo, eu abri mão das minhas vontades e comecei a procurar enxergar outras qualidades nele pra me contentar da lacuna que ele deixava na nossa relação.
    Além da quantidade escassa, chegando ao ponto de ser uma vez por mês, também existia o problema de não ter variedade, ele nunca tentou nada diferente e eu sempre quis, mas nunca falei pra não pressionar ele.
      Há 6 meses descobri o vício do meu esposo, depois disso desabafei tudo o que estava engasgada, falei dos meus desejos e de como ele me deixava de lado, sem eu me sentir desejada, isso sempre me desencorajou a tanta coisa. A nossa relação está totalmente aberta, pelo menos da minha parte, ele ainda continua bem bloqueado, mas espero que com o tempo ele melhore. Ele continua na luta contra o vício, já teve recaída e eu inclusive saí de casa, mas resolvi voltar e tentar apoiar ele de todas as formas, pq amo o meu marido e quero ele completo pra mim. Não há necessidade de buscar nada de forma virtual.
    Estou falando esse textão pra você, apenas para que você avalie um pouco se essa falta de interesse da sua esposa não pode ser resolvida com o diálogo, converse, exponha suas vontades. Toda mulher gosta de variedade, sim! Toda mulher ama se sentir desejada. Se for o caso, procurem alguma terapia de casal. Pode ter certeza que a sinceridade e a conversa é a melhor opção para resolver as coisas. Qualquer coisa, conte comigo, tá?


Olá Esposa,

Agradeço muito pelo seu depoimento. É muito importante ter conhecimento sobre “o outro lado” da relação para que eu consiga perceber mais claramente onde estou errando e, com isso, tentar melhorar.

Lendo o seu relato, começo a refletir se, aqui em casa, tanto eu como minha esposa também não fomos criando um bloqueio um com relação ao outro que está nos atrapalhando.
Mais ou menos na mesma linha sua, tenho uma ótima companheira para quase todos os aspectos da minha vida. Acho-a bonita, atraente e interessante. Tenho efetivamente uma esposa que, até hoje, “esteve comigo na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza”.

No entanto, tem um ponto que realmente as coisas não funcionam como eu talvez gostaria, que você, que leu meu relato, sabe bem qual é.

Tal como você, geralmente acabo demonstrando pouco interesse para evitar ter de enfrentar aquela sensação que eu já referi no post anterior, ou seja, de achar que minha esposa simplesmente não gosta de transar comigo. E pode ser que isso talvez também aconteça por parte dela com relação a mim.

Isso certamente vai gerando aquele círculo vicioso, se refletindo, tal como para você, em falta de variedade e escassez (também estou nessa de uma vez por mês), que vão minando a relação.

E nem posso colocar a culpa disso tudo no vício da PMO, pois meus problemas decorrentes disso não foram físicos e sim psicológicos (vocês não tem – ou tem – ideia das crises existenciais que vinham depois de alguma sessão de M).

Sinto até nojo de mim mesmo ao comentar isso por ser mesquinho ao extremo, mas não foram poucas as ocasiões que pensei que o divórcio seria a melhor solução, pois só assim eu poderia me reinventar.

Conversar realmente talvez seja o melhor caminho, mas você não tem noção do tamanho do bloqueio que eu tenho com relação a isso. É um assunto que jamais discuti e, para piorar, acho que esse também é um problema que aflige minha esposa, pois dela também nunca partiu nada nesse sentido.

Nisso, esse diário está sendo ótimo, pois pela primeira vez na vida estou me concedendo algum tipo de abertura para falar, mesmo que de maneira anônima sobre o tema.

Só que, para tirar essa abertura do anonimato e levá-la para a vida real e, principalmente para minha cama, vai exigir de mim uma envergadura que eu ainda não tenho. Tomara que um dia eu alcance o grau de evolução necessária para tanto... até lá, vou tentando progredir.

Quanto ao seu esposo, se ele teve a humildade para reconhecer a existência do problema, não o abandone. Provavelmente o que está faltando para ele, assim como eu noto comigo muitas vezes, é a autoconfiança necessária para saber que ele também é uma pessoa digna das coisas boas da vida.

Precisando, também estou a sua disposição.


Pois é, eu estou firme e forte ao lado dele pra vencer isso. A princípio eu estava muito magoada, me senti ridicularizada, pois ele tinha conversas intimas pedindo nudes com "amigas" dele, que inclusive me conheciam. Aí imagina como a gente de sente? Saber que essas mulheres me olhavam com cara de pena, por saber que tinha ele "nas mãos". Mas eu estou superando isso, pois como ele me explicou, ele só as via como objetos e que me amava de verdade. Eu converso com ele, deixo ele totalmente aberto pra falar comigo quando sentir alguma ameaça de recaída pra que a gente faça alguma coisa pra distrair, estou chamando ele pra fazer exercícios e comer de uma forma mais saudável, pois eu li que essas coisas também afetam, mas o problema é que não vejo nele muita força de vontade, sabe? Mas vou fazer meu máximo. Você teria alguma recomendação de como posso ajudá-lo? Ele não consegue se abrir comigo, eu sinto isso. Se fosse você, sua esposa sabendo, o que você gostaria de pedir a ela que você acha que te ajudaria a combater isso?

Red Angus gosta desta mensagem

Red Angus
Red Angus
Mensagens : 50
Data de inscrição : 08/06/2020

Diário do Red Angus - Página 3 Empty Re: Diário do Red Angus

em 17/8/2020, 18:33
Olá!
Hoje finalmente consegui tirar um tempo para escrever aqui no meu diário e também dar um apoio para alguns amigos aqui do fórum.
Fiquei bem feliz em ver que meu diário chegou na página 3 de comentários. Para mim, isso significa que não estou apenas jogando palavras ao vento. É uma sensação diferente, pois, como já disse, nunca expus (mesmo de maneira anônima) minha vida dessa forma. É, de certo modo, até libertador.
Venci o fim de semana sem dificuldades e, inclusive, tive um excelente resultado em um teste de fogo domingo: passei o dia inteiro absolutamente sozinho e, para a minha felicidade, nem mesmo passou pela minha cabeça fazer uso da PMO. Gastei meu tempo para fazer manutenções no jardim, pensar e comer bem. E a noite, aliviei minha tensão sexual do modo correto.
Durante a relação, me esforcei ao máximo para estar presente de corpo e alma no momento, o que dá outro enfoque à coisa. Chega a ser impressionante como o aspecto sensorial do sexo muda quando passamos um bom tempo sem M e O.
Um aspecto que acho importante registrar é que hoje percebi uma certa tendência ao chamado "efeito caçador". Por isso, é bom ficar alerta para não acabar escorregando por alguma besteira.
Já passei dos 25% do meu reboot e não pretendo reiniciar esse contador, ainda mais por alguma besteira.

_______________________________________

Rottweiler gosta desta mensagem

Red Angus
Red Angus
Mensagens : 50
Data de inscrição : 08/06/2020

Diário do Red Angus - Página 3 Empty Re: Diário do Red Angus

em 17/8/2020, 18:35
Esposa escreveu:
Red Angus escreveu:
Esposa escreveu:      Olá, Red Angus! Entrei no seu diário por acaso e fui me prendendo a tudo o que você veio descrevendo. A princípio quero me apresentar a você e falar sobre o meu caso, tá bem?
     Tenho 32 anos e meu esposo tem 45. Estamos juntos há 7 anos, sendo 2 anos de casamento. Bem, desde o início do namoro ele nunca demonstrou muito interesse em sexo, normalmente era apenas uma vez no fim de semana, e eu por vergonha (ele foi meu segundo namorado com relação sexual) nunca tive coragem de cobrar nada dele, mas eu sempre tive vontade de mais. Muitas vezes que íamos ter relação ele tinha DE e acabava chorando, isso foi criando mais um bloqueio em mim que eu comecei a nem demonstrar que queria, sempre esperava pelo momento dele, para não deixar ele constrangido.
      O meu esposo é obeso e 13 anos mais velho que eu, eu achava que isso poderia ser por esse motivo, tentei apoiar dieta, pedi que ele fosse em urologista e ele nunca dava bola, nunca deu continuidade. Aí fui deixando, ele sempre foi um parceiro maravilhoso pra tudo, eu abri mão das minhas vontades e comecei a procurar enxergar outras qualidades nele pra me contentar da lacuna que ele deixava na nossa relação.
    Além da quantidade escassa, chegando ao ponto de ser uma vez por mês, também existia o problema de não ter variedade, ele nunca tentou nada diferente e eu sempre quis, mas nunca falei pra não pressionar ele.
      Há 6 meses descobri o vício do meu esposo, depois disso desabafei tudo o que estava engasgada, falei dos meus desejos e de como ele me deixava de lado, sem eu me sentir desejada, isso sempre me desencorajou a tanta coisa. A nossa relação está totalmente aberta, pelo menos da minha parte, ele ainda continua bem bloqueado, mas espero que com o tempo ele melhore. Ele continua na luta contra o vício, já teve recaída e eu inclusive saí de casa, mas resolvi voltar e tentar apoiar ele de todas as formas, pq amo o meu marido e quero ele completo pra mim. Não há necessidade de buscar nada de forma virtual.
    Estou falando esse textão pra você, apenas para que você avalie um pouco se essa falta de interesse da sua esposa não pode ser resolvida com o diálogo, converse, exponha suas vontades. Toda mulher gosta de variedade, sim! Toda mulher ama se sentir desejada. Se for o caso, procurem alguma terapia de casal. Pode ter certeza que a sinceridade e a conversa é a melhor opção para resolver as coisas. Qualquer coisa, conte comigo, tá?


Olá Esposa,

Agradeço muito pelo seu depoimento. É muito importante ter conhecimento sobre “o outro lado” da relação para que eu consiga perceber mais claramente onde estou errando e, com isso, tentar melhorar.

Lendo o seu relato, começo a refletir se, aqui em casa, tanto eu como minha esposa também não fomos criando um bloqueio um com relação ao outro que está nos atrapalhando.
Mais ou menos na mesma linha sua, tenho uma ótima companheira para quase todos os aspectos da minha vida. Acho-a bonita, atraente e interessante. Tenho efetivamente uma esposa que, até hoje, “esteve comigo na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza”.

No entanto, tem um ponto que realmente as coisas não funcionam como eu talvez gostaria, que você, que leu meu relato, sabe bem qual é.

Tal como você, geralmente acabo demonstrando pouco interesse para evitar ter de enfrentar aquela sensação que eu já referi no post anterior, ou seja, de achar que minha esposa simplesmente não gosta de transar comigo. E pode ser que isso talvez também aconteça por parte dela com relação a mim.

Isso certamente vai gerando aquele círculo vicioso, se refletindo, tal como para você, em falta de variedade e escassez (também estou nessa de uma vez por mês), que vão minando a relação.

E nem posso colocar a culpa disso tudo no vício da PMO, pois meus problemas decorrentes disso não foram físicos e sim psicológicos (vocês não tem – ou tem – ideia das crises existenciais que vinham depois de alguma sessão de M).

Sinto até nojo de mim mesmo ao comentar isso por ser mesquinho ao extremo, mas não foram poucas as ocasiões que pensei que o divórcio seria a melhor solução, pois só assim eu poderia me reinventar.

Conversar realmente talvez seja o melhor caminho, mas você não tem noção do tamanho do bloqueio que eu tenho com relação a isso. É um assunto que jamais discuti e, para piorar, acho que esse também é um problema que aflige minha esposa, pois dela também nunca partiu nada nesse sentido.

Nisso, esse diário está sendo ótimo, pois pela primeira vez na vida estou me concedendo algum tipo de abertura para falar, mesmo que de maneira anônima sobre o tema.

Só que, para tirar essa abertura do anonimato e levá-la para a vida real e, principalmente para minha cama, vai exigir de mim uma envergadura que eu ainda não tenho. Tomara que um dia eu alcance o grau de evolução necessária para tanto... até lá, vou tentando progredir.

Quanto ao seu esposo, se ele teve a humildade para reconhecer a existência do problema, não o abandone. Provavelmente o que está faltando para ele, assim como eu noto comigo muitas vezes, é a autoconfiança necessária para saber que ele também é uma pessoa digna das coisas boas da vida.

Precisando, também estou a sua disposição.


   Pois é, eu estou firme e forte ao lado dele pra vencer isso. A princípio eu estava muito magoada, me senti ridicularizada, pois ele tinha conversas intimas pedindo nudes com "amigas" dele, que inclusive me conheciam. Aí imagina como a gente de sente? Saber que essas mulheres me olhavam com cara de pena, por saber que tinha ele "nas mãos". Mas eu estou superando isso, pois como ele me explicou, ele só as via como objetos e que me amava de verdade. Eu converso com ele, deixo ele totalmente aberto pra falar comigo quando sentir alguma ameaça de recaída pra que a gente faça alguma coisa pra distrair, estou chamando ele pra fazer exercícios e comer de uma forma mais saudável, pois eu li que essas coisas também afetam, mas o problema é que não vejo nele muita força de vontade, sabe? Mas vou fazer meu máximo. Você teria alguma recomendação de como posso ajudá-lo? Ele não consegue se abrir comigo, eu sinto isso. Se fosse você, sua esposa sabendo, o que você gostaria de pedir a ela que você acha que te ajudaria a combater isso?

Esposa, primeiro te agradeço pelas dicas que vc deixou aqui em seus comentários. Vou tentar operacionalizar algumas e até falar dos resultados futuramente!
Essa questão de recomendação que vc pediu, ainda mais vinda de alguém errante que nem eu, que já escorregou umas quantas vezes, é até complicada. Mas mesmo assim, vou tentar escrever o que penso: acho que a solução do problema necessariamente passa por admitir que algo não está certo e tentar resolver de alguma forma o problema, e isso só pode partir dele. Eu, mesmo sem ter sofrido os danos físicos da PMO, passei a me dar conta de que as coisas estavam erradas quando notei que estava jogando meu tempo fora com PMO (no trabalho e em casa) e, mesmo querendo parar, não estava conseguindo. Aliado a isso, comecei a notar que meu humor estava todo fodido e, procurando as causas, acabei vindo parar aqui. Foi uma questão de percepção mesmo.
No teu caso específico, penso que tua ajuda possa se dar tentando demonstrar de toda a forma para o teu marido o quanto isso está atrapalhando a vida dele e de vocês enquanto casal também, para ver se ele começa a perceber que precisa largar disso o quanto antes.
Essa questão de apatia, falta de força de vontade, infelizmente é um ponto que parece ser comum em todos nós aqui nos diários. Parece que nada nos agrada. A parte boa é que, com o tempo, isso vai mudando. Eu mesmo já estou me notando bem menos apático do que quando resolvi chutar o pau da barraca e abandonar a PMO de uma vez por todas. O "tesão" pela vida está bem diferente, isso posso garantir.

_______________________________________

Esposa gosta desta mensagem

avatar
Brewer
Mensagens : 511
Data de inscrição : 22/04/2020

Diário do Red Angus - Página 3 Empty Re: Diário do Red Angus

em 17/8/2020, 18:46
Red Angus escreveu:Olá!
Hoje finalmente consegui tirar um tempo para escrever aqui no meu diário e também dar um apoio para alguns amigos aqui do fórum.
Fiquei bem feliz em ver que meu diário chegou na página 3 de comentários. Para mim, isso significa que não estou apenas jogando palavras ao vento. É uma sensação diferente, pois, como já disse, nunca expus (mesmo de maneira anônima) minha vida dessa forma. É, de certo modo, até libertador.
Venci o fim de semana sem dificuldades e, inclusive, tive um excelente resultado em um teste de fogo domingo: passei o dia inteiro absolutamente sozinho e, para a minha felicidade, nem mesmo passou pela minha cabeça fazer uso da PMO. Gastei meu tempo para fazer manutenções no jardim, pensar e comer bem. E a noite, aliviei minha tensão sexual do modo correto.
Durante a relação, me esforcei ao máximo para estar presente de corpo e alma no momento, o que dá outro enfoque à coisa. Chega a ser impressionante como o aspecto sensorial do sexo muda quando passamos um bom tempo sem M e O.
Um aspecto que acho importante registrar é que hoje percebi uma certa tendência ao chamado "efeito caçador". Por isso, é bom ficar alerta para não acabar escorregando por alguma besteira.
Já passei dos 25% do meu reboot e não pretendo reiniciar esse contador, ainda mais por alguma besteira.

Porra irmao, que avanço. Realmente o Reboot nos faz focar mais no momento , querendo desfrutar a parte real da M. Feliz pela meta alcançada.

Abs


_______________________________________



Meu diário
https://www.comoparar.com/t10418-diario-brewer

Minha História de Sucesso
https://www.comoparar.com/t10810-como-a-disfuncao-eretil-salvou-minha-vida-venci
avatar
Geraldim
Mensagens : 86
Data de inscrição : 05/08/2020

Diário do Red Angus - Página 3 Empty Re: Diário do Red Angus

em 17/8/2020, 19:32
Caro Angus (sem qualquer comentário sexista, mas adoro um bom bife de angus... kkkkkk),

Primeiro eu quero te agradecer por toda a força que vc está me dando no meu diários. Os comentários parecem um energético.
E garanto pra vc que também me importo com vc, pois nos espelhamos na luta do próximo, nas dores, e no desafio. Tem que entender para apoiar, por isso vamos nos ajudando.
Rapaz, que bom saber notícias boas suas. Muito legal vc ter curtido um sexo de verdade. Curiosamente tenho vivido a mesma coisa.
Deixa eu te falar uma coisa que tem funcionado comigo, pois também senti esse distanciamento matrimonial: pega a patroa e da um beijão do nada, da aquela encoxada, aquela abraçada mais libertina, fala algo pra ela... isto tem um efeito bom pra ela de autoestima, de valorização, e pra gente também. Me pego desejando mais a minha esposa, rindo juntos, mais íntimo. Parecr que vamos criando umas barreiras imaginárias.
E como vc me escreveu: tem que cuidar da cachola, da mente, o corpo é só um reflexo, eu simplesmente não tenho me permitido fantasiar.
Grande abraço meu amigo! Siga forte!
avatar
Brewer
Mensagens : 511
Data de inscrição : 22/04/2020

Diário do Red Angus - Página 3 Empty Re: Diário do Red Angus

em 18/8/2020, 11:00
Fala Geraldim, bom relato . Red Angus é parceiro demais.

Quanto a fantasia, eu que ja estou com 120 dias posso dizer que nao as tenho mais. O que tenho as vezes é uma lembraça boa da ultima transa que tive, ou entao de fazer coisas diferente na proxima mas isso passa e nao da vontade de M e sim repetir a dose no real.

bs


_______________________________________



Meu diário
https://www.comoparar.com/t10418-diario-brewer

Minha História de Sucesso
https://www.comoparar.com/t10810-como-a-disfuncao-eretil-salvou-minha-vida-venci
avatar
Geraldim
Mensagens : 86
Data de inscrição : 05/08/2020

Diário do Red Angus - Página 3 Empty Re: Diário do Red Angus

em 19/8/2020, 15:00
Caro amigo Red Angus,

nem tenho como agradecer o apoio que vc sempre me dá no meu diário, valeu mesmo meu chefe!
E continue firme nesta luta, vamos vencer esta bosta juntos.
Tenho colocado vc nas minhas orações diárias, em que peço por mim, para que me mantenha forte, mas peço pelos meus amigos aqui do fórum, sempre peço: Meu querido Deus, proteja também os meus amigos virtuais, pois ainda que não os conheça pessoalmente e provavelmente sequer chegarei a conhecer, estamos unidos em um propósito de vida, de superação e de luta. Peço encarecidamente que proteja o Red Angus, o Mike, o Felipe33... Conceda-os força para superar os maus pensamentos, as fantasias, os impulsos negativos, afasta-lhes de todo o mal. E caso algum de nós caia, que tenhamos força para recomeçar e continuar a lutar, assim como perceber que estamos no caminho certo".
Estamos juntos, meu irmão!
Grande abraço!

Rottweiler gosta desta mensagem

avatar
Esposa
Mensagens : 105
Data de inscrição : 20/07/2020

Diário do Red Angus - Página 3 Empty Re: Diário do Red Angus

em 1/9/2020, 20:19
Red Angus escreveu:
Esposa escreveu:
Red Angus escreveu:
Esposa escreveu:      Olá, Red Angus! Entrei no seu diário por acaso e fui me prendendo a tudo o que você veio descrevendo. A princípio quero me apresentar a você e falar sobre o meu caso, tá bem?
     Tenho 32 anos e meu esposo tem 45. Estamos juntos há 7 anos, sendo 2 anos de casamento. Bem, desde o início do namoro ele nunca demonstrou muito interesse em sexo, normalmente era apenas uma vez no fim de semana, e eu por vergonha (ele foi meu segundo namorado com relação sexual) nunca tive coragem de cobrar nada dele, mas eu sempre tive vontade de mais. Muitas vezes que íamos ter relação ele tinha DE e acabava chorando, isso foi criando mais um bloqueio em mim que eu comecei a nem demonstrar que queria, sempre esperava pelo momento dele, para não deixar ele constrangido.
      O meu esposo é obeso e 13 anos mais velho que eu, eu achava que isso poderia ser por esse motivo, tentei apoiar dieta, pedi que ele fosse em urologista e ele nunca dava bola, nunca deu continuidade. Aí fui deixando, ele sempre foi um parceiro maravilhoso pra tudo, eu abri mão das minhas vontades e comecei a procurar enxergar outras qualidades nele pra me contentar da lacuna que ele deixava na nossa relação.
    Além da quantidade escassa, chegando ao ponto de ser uma vez por mês, também existia o problema de não ter variedade, ele nunca tentou nada diferente e eu sempre quis, mas nunca falei pra não pressionar ele.
      Há 6 meses descobri o vício do meu esposo, depois disso desabafei tudo o que estava engasgada, falei dos meus desejos e de como ele me deixava de lado, sem eu me sentir desejada, isso sempre me desencorajou a tanta coisa. A nossa relação está totalmente aberta, pelo menos da minha parte, ele ainda continua bem bloqueado, mas espero que com o tempo ele melhore. Ele continua na luta contra o vício, já teve recaída e eu inclusive saí de casa, mas resolvi voltar e tentar apoiar ele de todas as formas, pq amo o meu marido e quero ele completo pra mim. Não há necessidade de buscar nada de forma virtual.
    Estou falando esse textão pra você, apenas para que você avalie um pouco se essa falta de interesse da sua esposa não pode ser resolvida com o diálogo, converse, exponha suas vontades. Toda mulher gosta de variedade, sim! Toda mulher ama se sentir desejada. Se for o caso, procurem alguma terapia de casal. Pode ter certeza que a sinceridade e a conversa é a melhor opção para resolver as coisas. Qualquer coisa, conte comigo, tá?


Olá Esposa,

Agradeço muito pelo seu depoimento. É muito importante ter conhecimento sobre “o outro lado” da relação para que eu consiga perceber mais claramente onde estou errando e, com isso, tentar melhorar.

Lendo o seu relato, começo a refletir se, aqui em casa, tanto eu como minha esposa também não fomos criando um bloqueio um com relação ao outro que está nos atrapalhando.
Mais ou menos na mesma linha sua, tenho uma ótima companheira para quase todos os aspectos da minha vida. Acho-a bonita, atraente e interessante. Tenho efetivamente uma esposa que, até hoje, “esteve comigo na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza”.

No entanto, tem um ponto que realmente as coisas não funcionam como eu talvez gostaria, que você, que leu meu relato, sabe bem qual é.

Tal como você, geralmente acabo demonstrando pouco interesse para evitar ter de enfrentar aquela sensação que eu já referi no post anterior, ou seja, de achar que minha esposa simplesmente não gosta de transar comigo. E pode ser que isso talvez também aconteça por parte dela com relação a mim.

Isso certamente vai gerando aquele círculo vicioso, se refletindo, tal como para você, em falta de variedade e escassez (também estou nessa de uma vez por mês), que vão minando a relação.

E nem posso colocar a culpa disso tudo no vício da PMO, pois meus problemas decorrentes disso não foram físicos e sim psicológicos (vocês não tem – ou tem – ideia das crises existenciais que vinham depois de alguma sessão de M).

Sinto até nojo de mim mesmo ao comentar isso por ser mesquinho ao extremo, mas não foram poucas as ocasiões que pensei que o divórcio seria a melhor solução, pois só assim eu poderia me reinventar.

Conversar realmente talvez seja o melhor caminho, mas você não tem noção do tamanho do bloqueio que eu tenho com relação a isso. É um assunto que jamais discuti e, para piorar, acho que esse também é um problema que aflige minha esposa, pois dela também nunca partiu nada nesse sentido.

Nisso, esse diário está sendo ótimo, pois pela primeira vez na vida estou me concedendo algum tipo de abertura para falar, mesmo que de maneira anônima sobre o tema.

Só que, para tirar essa abertura do anonimato e levá-la para a vida real e, principalmente para minha cama, vai exigir de mim uma envergadura que eu ainda não tenho. Tomara que um dia eu alcance o grau de evolução necessária para tanto... até lá, vou tentando progredir.

Quanto ao seu esposo, se ele teve a humildade para reconhecer a existência do problema, não o abandone. Provavelmente o que está faltando para ele, assim como eu noto comigo muitas vezes, é a autoconfiança necessária para saber que ele também é uma pessoa digna das coisas boas da vida.

Precisando, também estou a sua disposição.


   Pois é, eu estou firme e forte ao lado dele pra vencer isso. A princípio eu estava muito magoada, me senti ridicularizada, pois ele tinha conversas intimas pedindo nudes com "amigas" dele, que inclusive me conheciam. Aí imagina como a gente de sente? Saber que essas mulheres me olhavam com cara de pena, por saber que tinha ele "nas mãos". Mas eu estou superando isso, pois como ele me explicou, ele só as via como objetos e que me amava de verdade. Eu converso com ele, deixo ele totalmente aberto pra falar comigo quando sentir alguma ameaça de recaída pra que a gente faça alguma coisa pra distrair, estou chamando ele pra fazer exercícios e comer de uma forma mais saudável, pois eu li que essas coisas também afetam, mas o problema é que não vejo nele muita força de vontade, sabe? Mas vou fazer meu máximo. Você teria alguma recomendação de como posso ajudá-lo? Ele não consegue se abrir comigo, eu sinto isso. Se fosse você, sua esposa sabendo, o que você gostaria de pedir a ela que você acha que te ajudaria a combater isso?

Esposa, primeiro te agradeço pelas dicas que vc deixou aqui em seus comentários. Vou tentar operacionalizar algumas e até falar dos resultados futuramente!
Essa questão de recomendação que vc pediu, ainda mais vinda de alguém errante que nem eu, que já escorregou umas quantas vezes, é até complicada. Mas mesmo assim, vou tentar escrever o que penso: acho que a solução do problema necessariamente passa por admitir que algo não está certo e tentar resolver de alguma forma o problema, e isso só pode partir dele. Eu, mesmo sem ter sofrido os danos físicos da PMO, passei a me dar conta de que as coisas estavam erradas quando notei que estava jogando meu tempo fora com PMO (no trabalho e em casa) e, mesmo querendo parar, não estava conseguindo. Aliado a isso, comecei a notar que meu humor estava todo fodido e, procurando as causas, acabei vindo parar aqui. Foi uma questão de percepção mesmo.
No teu caso específico, penso que tua ajuda possa se dar tentando demonstrar de toda a forma para o teu marido o quanto isso está atrapalhando a vida dele e de vocês enquanto casal também, para ver se ele começa a perceber que precisa largar disso o quanto antes.
Essa questão de apatia, falta de força de vontade, infelizmente é um ponto que parece ser comum em todos nós aqui nos diários. Parece que nada nos agrada. A parte boa é que, com o tempo, isso vai mudando. Eu mesmo já estou me notando bem menos apático do que quando resolvi chutar o pau da barraca e abandonar a PMO de uma vez por todas. O "tesão" pela vida está bem diferente, isso posso garantir.

Obrigada pelas palavras, Red Angus! Como você está? Espero que esteja tudo bem Smile
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum